Como acostumar o cachorro a ficar sozinho novamente depois da quarentena?

Como acostumar o cachorro a ficar sozinho novamente depois da quarentena?

Na hora de voltar à rotina normal, é importante levar em consideração como era o comportamento do cachorro antes do isolamento. Para os cães que já eram acostumados a ficar sozinhos e se comportavam bem, o processo é simples: basta seguir a rotina. No início eles até podem estranhar, mas naturalmente vão voltar aos hábitos normais e sem sofrimento. Já os animais que ficavam agitados ou tinham comportamentos destrutivos quando ficavam sozinhos em casa, precisam ser treinados – até mesmo para evitar o desenvolvimento de uma ansiedade de separação.

Max ensina um treinamento básico para isso: “É preciso fazer um processo de dissociação para ele aprender a ficar sozinho. A dica é deixar o animal em outro cômodo, fechar a porta e deixá-lo lá por alguns minutos. Depois permita que ele vá para o cômodo em que você está. O treinamento faz com que ele se sinta independente e que a situação não cause desconforto.” Você pode repetir o treino várias vezes nesse período em que estiver isolado em casa.

Segundo o adestrador, na hora que precisar sair de casa novamente, o animal precisa ficar confortável, bem alimentado e com pouca energia. Para isso, prepare um ambiente só pra ele, com cama, água fresca e brinquedos. Também é indispensável fazer longos passeios antes de deixá-lo sozinho, “Quanto mais cansado o cão estiver, menos problemas de comportamento ele vai ter”, garante Max.

Os treinos com o cachorro praticados desde já vão evitar episódios de estresse ou ansiedade de separação
Os treinos com o cachorro praticados desde já vão evitar episódios de estresse ou ansiedade de separação
Na volta à rotina, invista em longos passeios com o cachorro antes de sair de casa. Isso evita destruição!
Na volta à rotina, invista em longos passeios com o cachorro antes de sair de casa. Isso evita destruição! 

Como evitar que o cachorro destrua a casa quando ficar sozinho?

A melhor  forma de evitar que o seu cão destrua móveis e objetos quando estiver sozinho é deixá-lo em um espaço limitado – ou seja, sem acesso a todos os cômodos da casa, principalmente aqueles com itens mais “destrutíveis”, como camas, plantas e estofados. “Separe um cômodo ou parte da casa para deixar o cachorro sozinho no apartamento ou faça um canil, se você morar em uma casa com quintal. O animal não deve ficar acorrentado, mas deve ter um espaço só dele para que possa descansar”, explica Max.

Se você não tiver como deixar o cão isolado dentro de casa, satisfazer as necessidades do animal vai ajudar a mantê-lo mais calmo. É o que explica Max Pablo: “É importante fazer com que ele tenha suas necessidades saciadas. A primeira delas é passear com o cachorro para gastar sua energia. Cada cão vai ter um tempo diferente para cansar e não destruir os objetos. A outra é usar a alimentação como distração. Você pode congelar alimentos e colocar dentro de brinquedos, aí o cão vai se divertir e esquecer que tem outros objetos para morder.”

Em todos os casos, é fundamental investir no enriquecimento ambiental para que o animal fique distraído e não sinta tanto a sua falta. Brinquedos com garrafas pet, caixas de papelão, mordedores específicos para cães, bolinhas, brinquedos interativos… vale tudo!

Como evitar que o cachorro fique ansioso ou estressado depois da quarentena?

A mudança de rotina pode deixar o seu cachorro mais agitado que o normal. Como lidar com isso? “O básico para evitar que o cachorro fique estressado ou ansioso é unir três pilares: exercício, disciplina e afeto. Gaste bastante energia física e mental do animal, levando-o para passear. Exercite a obediência básica, treinando alguns comandos e o recompensando com comida ou objetos que ele goste. E, por último, dê bastante carinho no momento adequado”, finaliza Max. Essas três dicas são fundamentais não apenas no processo de adaptação quando a quarentena acabar, mas em toda a rotina do cachorro. Isso garante que o animal fique saudável e feliz no ambiente em que vive!

Redação: Gabrielle Nunes

Share this post