Dicas e Informações

Portaria

6 dicas básicas para cuidar das plantas no verão

Uma coisa é certa: nenhuma planta dura para sempre. Especialmente se você a quer sempre verde e florida. Aceitar o seu ciclo de vida faz parte do processo de cuidar de qualquer jardim – por menor que ele seja. Mas, às vezes, o verão dá aquela triste adiantada no processo natural das coisas e em um piscar de olhos suas plantinhas ficam mais pra lá do que pra cá. Uma crise que pode ser evitada com alguns cuidados simples – que, com a ajuda da florista Aline Matsumoto, Casa Vogue listou em seguida!

1. Hidrate as folhas

Durante o verão, por causa do calor, as plantas costumam perder água mais rapidamente. Por isso, borrifar água diretamente nas folhas pode ajudá-las a resistir melhor à mudança de temperatura. Só não esqueça que isso deve ser feito quando o sol não estiver muito forte – ou seja, pela manhã ou no fim da tarde.

2. Regue devagar

O calor costuma deixar a terra muito mais seca. Mas, engana-se quem imagina que a solução é verter aquele copão de água direto no vaso. O ideal nesta época é justamente o contrário, jogar a água no vaso devagar (ou até mesmo borrifar). Assim, você garante que o liquido seja de fato absorvido pela terra e usado pela planta. Do contrário, de duas uma: ou a água transborda, ou cria um caminho direto para o fundo.

3. Aposte no truque da garrafa

Não vai funcionar no caso de viagens muito longas. Mas, para que as plantas não sofram durante aqueles finais de semana que você passa na praia, uma boa saída é acoplar a elas uma garrafinha de água com buraquinho na ponta. O truque garante que a planta receba ao menos um pouco de água todos os dias.

4. Mova suas plantas de lugar

Vale lembrar que com a mudança de estação o posicionamento do sol também muda. Ou seja, para que suas plantas continuem recebendo a mesma quantidade de luz e sombra recomendada, é preciso mover os vasos de lugar e prevenir que nenhuma delas fique nem no escuro, nem direto de baixo do sol (a não ser que este seja o ambiente ideal para elas, claro).

5. Tire as folhas do caule das flores

Se você ainda não tem um grande jardim, mas começou o ano com disposição para ter ao menos um vasinho com água e flores colorindo o ambiente. Um truque que pode te ajudar a fazê-las durar a semana inteira (mesmo no verão) é tirar, com cuidado, as folhas que ficam no caule da flor (e ficariam afundadas na água). Em geral, essa folhagem dura menos do que as flores em si, deixando a água turva e diminuindo a sobrevida do seu arranjo.

6. Escolha bem as suas plantas

Caso você vá começar (ou renovar) seu jardim no verão. Vale pensar bem qual serão as plantas escolhidas. Existem espécies que se dão muito melhor com o calor do que outras – e isso pode fazer toda a diferença. Uma boa pedia, por exemplo, são as orquídeas borboleta (phalaenopsis), que conseguem tirar proveito da umidade do ambiente ou mesmo da água na base de um cachepot.  Outras opções interessantes são as bromélias, bastante resistentes por natureza, e algumas suculentas, como rosa-de-pedra, rabo-de-burro e dedo-de-moça – verdadeiras fãs de um solão.

FONTE: https://casavogue.globo.com/Interiores/Ambientes/noticia/2018/01/6-dicas-basicas-para-cuidar-das-plantas-no-verao.html

Veja 10 cuidados básicos com os animais de estimação

É preciso oferecer alimentação, proteção, vacinação e também diversão aos cães e gatos

Antes de adotar ou mesmo comprar um animal de estimação, é preciso ter em mente que os cuidados necessários para oferecer uma vida de qualidade aos bichinhos vão muito além do que providenciar água, comida e um teto.

 

1. Proteção
É dever do proprietário proteger seu animal do sol e da chuva, além de impedir que os bichinhos fujam ou saiam sozinhos na rua. Assim, evitamos brigas, atropelamentos, envenenamentos e crias indesejáveis.

2. Alimentação
Oferecer sempre uma ração de boa qualidade, respeitando as características de cada animal e faixa etária (ração de filhote, adulto e idoso). E sempre disponibilizar água limpa e fresca.

3. Castração
A castração é sempre aconselhável quando não se quer um filhote. Com isso, evitamos superpopulação, abandonos, doenças uterinas, neoplasias (câncer), doenças prostáticas, agressividade e marcação de território.

4. Passeios e brincadeiras
Animais também precisam de atenção e carinho. Por isso, é necessário passear regularmente com os cães e brincar com brinquedos. Desse modo, estimulamos tanto a parte física quanto a psicológica, ajudando a prevenir doenças causadas por estresse e obesidade.

5. Vacinação
Cães e gatos possuem um esquema vacinal de acordo com sua espécie e características individuais. Geralmente, a vacinação é anual e só pode ser realizada por um médico veterinário. As vacinas previnem doenças graves que podem levar o animal à morte, bem como doenças que podem ser transmitidas para os humanos (zoonoses).

6. Controle de parasitas
Os donos ainda devem ficar atentos com infestações de pulgas e carrapatos, que podem transmitir doenças graves para os animais e humanos.

7. Vermífugos
Assim como as vacinas, os vermífugos são muito importantes, pois os parasitas intestinais (vermes) podem comprometer a saúde dos animais, levando ao emagrecimento, à queda de pelos, anemias e zoonoses.

8. Higiene bucal
Cães e gatos também precisam escovar os dentes, mas com produtos veterinários específicos. Doenças periodontais, além de causar o desagradável mau hálito, prejudicam a alimentação, causam dor e as bactérias da boca podem se desprender e causar lesões em outros órgãos.

9. Banhos e escovação
Nos cães, o ideal é dar banho a cada 15 dias. Já nos gatos, este intervalo deve ser maior. Os banhos devem ser com produtos veterinários e com mínimo de estresse possível. Durante estes momentos, você observa melhor seu animal e, assim, pode notar algo diferente ou errado.

10. Visitas ao veterinário
É de grande importância realizar, pelo menos, uma vez ao ano uma consulta com o veterinário. Muitas doenças podem ser evitadas com a prevenção. Esteja sempre atento a qualquer mudança de comportamento ou hábito do seu animal, pois isso pode sinalizar doenças.

FONTE:https://www.acidadeon.com/onlist/NOT,2,2,1174277,Veja+10+cuidados+basicos+com+os+animais+de+estimacao.aspx

Como combater a dengue

A dengue é uma doença causada por um vírus transmitido pela picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti e provoca sintomas como dor nas articulações, no corpo, na cabeça, náuseas, febre acima de 39ºC e manchas vermelhas no corpo.

A prevenção da dengue pode ser feita com práticas simples que evitam, principalmente, a reprodução do mosquito transmissor, através da eliminação de objetos que acumulem água parada como pneus, garrafas e plantas.

É importante que todas as pessoas que vivem próximas, no mesmo bairro, tenham os mesmos cuidados contra a dengue, pois assim, é possível reduzir as chances de transmissão da dengue. Alguns destes cuidados que ajudam na prevenção da dengue são:

1. Eliminação dos focos de água parada

O mosquito que transmite a dengue se prolifera em locais com água parada, por isso algumas recomendações são feitas para evitar que o mosquito se reproduza, como:

  • Manter os pratos de vasos de flores e plantas com areia;
  • Guardar garrafas com o bico virado para baixo;
  • Limpar sempre as calhas dos canos;
  • Não jogar lixo em terrenos baldios;
  • Acondicionar o lixo sempre em sacos fechados;
  • Manter baldes, caixas d´água e piscinas sempre tampados;
  • Deixar pneus ao abrigo da chuva e da água;
  • Eliminar copinhos plásticos, tampas de refrigerantes, cascas de coco em sacos que possam ser lacrados;
  • Furar latas de alumínio antes de ser descartadas para não acumular água;
  • Lavar bebedouros de aves e animais pelo menos uma vez por semana;

Caso uma pessoa identifique um terreno baldio com lixo acumulado e objetos com água parada é preciso avisar uma autoridade competente, como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa no telefone 0800 642 9782 ou ligar para prefeitura da cidade.

2. Aplicação de larvicidas

Em locais com bastantes focos de água parada como depósitos de sucata, ferros-velhos ou lixões, é realizada a aplicação de larvicidas, ou seja, produtos químicos que eliminam os ovos e larvas do mosquito. Entretanto, essa aplicação é feita por profissionais treinados e é indicada pelas secretarias de saúde das prefeituras.

O tipo da aplicação depende da quantidade de larvas do mosquito encontradas e, geralmente, não causam nenhum dano à saúde das pessoas. Essas aplicações podem ser:

  • Focal: consiste na aplicação de pequenas quantidades de larvicidas diretamente nos objetos com água parada, tipo vaso de planta e pneus;
  • Perifocal: é parecida à dedetização e baseia-se em colocar larvicidas com aparelho que solta gotículas de produto químico, deve ser feito por pessoas treinadas e com equipamentos de proteção individual;
  • Ultrabaixo volume: também conhecido como fumacê, que é quando um carro emite uma fumaça que ajuda a eliminar as larvas do mosquito, sendo que é realizado em casos em que há surto de dengue.

Além disso, os agentes comunitários de saúde que trabalham nos postos de saúde, frequentemente, visitam as residências do bairro com objetivo de detectar e destruir reservatórios de água que estejam acumulando água, ajudando na redução dos focos de transmissão da dengue.

Como combater a dengue

3. Evitar ser picado pelo mosquito

Como a dengue é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, é possível prevenir a doença através de medidas que evitem a picada deste mosquito, como por exemplo:

  • Usar calça comprida e blusa de manga comprida em tempos de epidemia;
  • Passar repelente diariamente as áreas expostas do corpo, como rosto, orelhas, pescoço e mãos;
  • Ter telas de proteção em todas as janelas e portas da casa;
  • Acender uma vela de citronela em casa, pois ela é repelente de insetos;
  • Evitar ir em locais com epidemia da dengue.

Antes de aplicar qualquer repelente, é necessário ver se o produto é liberado pela Anvisa e se contém menos de 20% dos princípios ativos como DEET, icaritina e IR3535. No entanto, alguns repelentes podem ser feitos em casa com uso de plantas.

4. Uso da vacina contra dengue

Está disponível no Brasil a vacina que protege o corpo contra a dengue, que é indicada para pessoas até 45 anos que já tiveram dengue várias vezes e que moram em locais com muitos casos desta doença. Além disso, esta vacina não é disponibilizada pelo SUS e só está disponível em clínicas particulares.

FONTE: https://www.tuasaude.com/o-que-se-pode-fazer-contra-a-dengue/

O QUE VOCÊ PRECISA SABER ANTES DE MORAR NUM CONDOMÍNIO FECHADO?

A compra da casa própria mexe com a imaginação (e as economias) de muita gente. Mas antes de escolher o imóvel que mais combina com você, é preciso ter muita atenção. Afinal, ninguém quer transformar um verdadeiro sonho em um terrível pesadelo. Por isso, nesta matéria você vai entender melhor alguns fatores que fazem toda a diferença na hora de fechar negócio.

O objetivo é mostrar o que um condomínio pode oferecer para a sua família viver com mais qualidade de vida. Vamos explicar também como essa escolha impacta diretamente nos seus rendimentos. Acompanhe:

Primeiramente, por que esse tipo de moradia?

morar-condominio-fechado

A aquisição de um imóvel requer bastante planejamento. Pensar em como você quer estar daqui a 10, 20, 30 anos é superimportante para encontrar o lugar ideal. Quando uma pessoa decide investir o seu dinheiro em um terreno ou em uma casa em um condomínio fechado é porque ela tem certeza de que ali vai conseguir viver com mais conforto, segurança e tranquilidade.

A facilidade de contar com uma área de lazer completa com piscinas e quadras poliesportivas, por exemplo, faz com que o morador aproveite muito mais o seu dia a dia. Estamos falando de um ambiente que foi pensado tanto para crianças quanto para adultos e idosos. Ou seja, ele tem e vai ter ao seu dispor comodidade em todas as fases da vida.

Como essa decisão impacta o seu bolso?

Como um condomínio fechado conta com diversas praticidades como academia e pistas de corrida, é muito mais fácil para o comprador poupar o dinheiro que iria ser gasto nessas atividades porque ele vai poder desfrutar de tudo isso sem pagar mais nada. O valor das parcelas e a taxa de condomínio já cobrem esses custos. Dessa forma, sobra mais no fim do mês para a compra do carro novo, dos materiais de escola das crianças, da nova mobília, etc.

Um exemplo prático de como é possível economizar vivendo em um condomínio fechado é o aluguel de salão para festas infantis. Se você tem um ou mais filhos sabe bem que fechar a conta todos os anos fica cada vez mais difícil, pois os gastos não se resumem ao local apenas. Além disso, tem que pesquisar o bufê, os animadores, definir o número de convidados, entre outros detalhes. Se tirarmos como base o valor de R$4 mil reais do aluguel do salão para o aniversário, então num prazo de 10 anos, você vai economizar cerca de R$40 mil (considerando somente um filho, hein?). Muita coisa, concorda?

E quais são as vantagens reais de morar num condomínio fechado?

Além dos benefícios que nós já mencionamos como a economia com os itens de lazer variados, podemos destacar outros fatores que vão além da diversão. Confira:

Pagamento facilitado

E aqui, vale ressaltar, que estamos nos referindo à transação entre comprador e construtora. Mas por que focar nesse tipo de negociação? Porque um financiamento feito diretamente com a empresa responsável pelo empreendimento, e não com um banco, é muito mais vantajoso para o futuro morador.

São menos pré-requisitos, mais flexibilidade para a liberação do crédito, burocracia menor, fora a chance de renegociar prazos que ocorre de maneira mais simples.

Segurança

Com a subida nos casos de violência, principalmente, nas grandes cidades, comprar um imóvel sem avaliar a segurança do local é um tiro no pé. Condomínios fechados, quando comparados com as casas de bairro, são a opção de moradia mais indicada.

Neles, há toda uma estrutura voltada para a proteção dos moradores.

Os muros altos que cercam o perímetro inteiro do condomínio impedem a invasão de estranhos. E a guarita com profissionais treinados controla a entrada e saída dos visitantes.

Convívio entre moradores

Esse tópico está muito ligado ao fator Segurança porque se os moradores se sentem protegidos em casa e, de maneira geral, na região em que vivem, eles vão se sentir mais confiantes também para socializar com os vizinhos, uma boa oportunidade para aumentar o networking e estreitar os laços de amizade.

Além disso, uma comunidade unida reforça ainda mais a sensação de coletividade, o que facilita as decisões tomadas durante as assembleias condominiais.

Localização privilegiada

condominio-fechado-lazer

Morar em um condomínio fechado é a garantia de que você vai viver num bairro que conta, no mínimo, com uma boa infraestrutura. Geralmente, os melhores imóveis estão concentrados em áreas próximas da natureza, com grandes centros de compras por perto e uma boa rota de acesso às demais zonas da cidade.

Uma localização privilegiada influencia ainda no quanto você vai gastar com combustível porque se tudo estiver a poucos minutos de casa, é muito improvável que os custos pesem demais no orçamento no fim do mês.

Potencial de valorização

Como a localização é uma grande aliada na hora de escolher o melhor imóvel, a valorização do terreno e da casa também tende a acompanhá-la. Se no primeiro tópico, nós focamos muito no fato de o morador precisar investir o seu dinheiro, neste, o objetivo é justamente o contrário. Traduzindo: aqui, ele ganha e pode usar isso a seu favor, como um próximo investimento. O valor que ele aplicou lá no começo, hoje, triplicou, o que dá margem para a revenda ou o aluguel do imóvel.

Resumindo: vale a pena apostar num condomínio fechado?

Demais! Se você e a sua família estão em busca de um lugar de alto padrão, onde poderão dispor de uma excelente casa, então um condomínio fechado é a melhor alternativa. Se viver com qualidade de vida por usufruir inúmeras opções de lazer, além de contar com a máxima segurança e comodidade, então novamente vale apostar nesse tipo de moradia.

A grande questão é: o que você realmente procura? Os seus sonhos estão alinhados com as suas necessidades? Pense bem!

FONTE: https://projetomosaico.com.br/o-que-voce-precisa-saber-antes-de-morar-num-condominio-fechado/

Lei do Silêncio – Para se garantir, conheça seus direitos e deveres.

É sábado e a noite está uma delícia. A bebida está boa, o lugar está cheio de pessoas bonitas e você diz: “Esta festa será demais”. Você começa a conversar, dar gargalhas e, quando vê, todos os convidados estão se divertindo também. Para finalizar, alguém coloca “aquela” música do momento.

É o que faltava para que todos pensem que não vão sair dali tão cedo. Mas de repente toca a campainha. Sem escalas, vem uma pessoa em direção ao som e abaixa o volume pela metade. Por último, o anfitrião aparece e diz: “Pessoal, temos que fazer menos barulho, pois o vizinho chamou a polícia”.

Como pedir aos seus convidados para fazer silêncio? Como promover um evento sem nenhum barulho? Lembre-se barulho não é só música. No seu evento certamente terá pessoas que vão conversar em um tom de voz mais alto, dar gargalhadas, usar o microfone, deixar um copo cair. Tenha muito cuidado para não“queimar o seu filme” com eles e nem com os vizinhos.

PARA SE GARANTIR, CONHEÇA SEUS DIREITOS E DEVERES.

Por menos barulhento que o seu evento possa ser é sempre bom você se prevenir contra os vizinhos que não suportam ruídos. Ao organizar um evento, procure um local fora de bairros estritamente residenciais e veja se o ambiente tem uma acústica com vedação sonora (paredes, teto e até janelas costumam ter materiais especiais para barrar o som) mesmo durante o dia. Independentemente se a vizinhança vai reclamar ou não, é importante que você conheça os seus direitos e os seus limites. Não só para a hora do evento, mas também para a divulgação, caso você use carros de sons e alto falantes para anunciar.

O QUE A LEI DIZ

Diferente do que muitos acreditam, a Lei do Silêncio não está prevista no Código Civil. O artigo que mais se aproxima do assunto no CC é o art. 1.277, que diz: O proprietário ou o possuidor de um prédio tem o direito de fazer cessar as interferências prejudiciais à segurança, ao sossego e à saúde dos que o habitam, provocadas pela utilização de propriedade vizinha. Já a Lei de Contravenção Penal (LCP)é mais incisiva ao abordar o tema.

O artigo de número 42 tipifica contravenção – Perturbar alguém o trabalho ou o sossego alheios:

I – com gritaria ou algazarra;

II – exercendo profissão incômoda ou ruidosa, em desacordo com as prescrições legais;

III– abusando de instrumentos sonoros ou sinais acústicos;

IV – provocando ou não procurando impedir barulho produzido por animal de que tem a guarda: Mais um mito é acreditar que você tem o direito de fazer barulho até às 22h. Saiba que mesmo durante o dia, os ruídos não podem ultrapassar um limite que incomode o sossego da população – 70 decibéis (segundo lei municipal de Belo Horizonte), o equivalente ao ruído de trânsito intenso.

Ou seja, fazer barulho durante o dia também é uma contravenção e, como toda, está sujeito à pena.

Mas quem regulamenta o limite do barulho?

A chamada popularmente Lei do Silêncio é exercida e legislada pelos órgãos municipais, sendo encontradas nas leis orgânicas municipais e nos códigos de conduta de cada município. Desta forma, esta lei pode variar muito de estado para estado. Em Belo Horizonte, por exemplo, a lei que proíbe a perturbação do sossego alheio é a nº 9.505, de 23 de janeiro de 2008. Esta lei orgânica regulamenta outra existente no Código de Posturas do Município.

Entre suas disposições preliminares, encontramos: A emissão de ruídos, sons e vibrações em decorrência de atividades exercidas em ambientes confinados ou não, no Município, obedecerá aos padrões, critérios e diretrizes estabelecidos por esta Lei.

Esta lei é clara ao delimitar os limites de ruídos permitidos durante todo o dia:

Art. 4º – A emissão de ruídos, sons e vibrações provenientes de fontes fixas no Município obedecerá aos seguintesníveis máximos fixados para suas respectivas imissões, medidas nos locais do suposto incômodo:

I – em período diurno (7h às 19h): 70 dB (A);

II – em período vespertino (19h às 22h): 60 dB (A);

III – em período noturno (22h às 7h): 50 dB, até às 23:59 h, e 45 dB (A), a partir da 0:00 h.

§ 1º – Às sextas-feiras, aos sábados e em vésperas de feriados, será admitido, até às 23:00 h, o nível correspondente ao período vespertino.

Na cidade de São Paulo também foi criado o programa “Silêncio Urbano (PSIU)” instituído pelo Decreto34.569 de 06 de outubro de 1994, e reestruturado pelo Decreto 35.928 de 06 de março de 1996. A proposta do PSIU é limitar sons ou ruídos estridentes que possam provocar o incômodo e interferir na saúde e no bem-estar das pessoas. Porém esta lei não é totalmente eficaz na medida em que não leva em consideração ruídos produzidos dentro de domicílios. De acordo com a legislação, o PSIU está autorizado a fiscalizar apenas locais confinados, como bares, boates, restaurantes, salões de festas, templos religiosos, indústrias e até mesmo obras.

“O órgão trabalha com base em duas leis: a da 1 hora e a do ruído. A primeira determina que, para funcionarem após à 1 hora da manhã, os bares e restaurantes devem ter isolamento acústico, estacionamento e segurança. Antes desse horário, a Lei do Ruído controla a quantidade de decibéis emitidos pelos estabelecimentos, a qualquer hora d o dia ou da noite.”

SAIBA O QUE FAZER AO RECEBER UMA “VISITA” DA POLÍCIA

Na maioria das vezes, cabe à Polícia Militar do Estado o dever de fiscalizar o cumprimento da lei. Por isso, se sua festa estiver extrapolando no barulho ou se você exagerou no som para divulgar o evento, certamente receberá a “visita” de um policial militar que irá solicitar que os ruídos sejam diminuídos.

De acordo com o Memorando nº 32.276.3/09-EMPM, elaborado pelo Estado-Maior da Polícia Militar, o primeiro procedimento policial é o de orientar o possível contraventor, no sentido de que se faça cessar a perturbação, sob pena de tomada de medidas mais rigorosas.

“Confirmado a perturbação do trabalho ou do sossego alheios:

a) Orientar o responsável a proceder ao encerramento da perturbação, sob pena de prisão pelo crime de desobediência, apreensão dos instrumentos do crime e lavratura do Boletim de Ocorrência;

b) No caso do delito de perturbação do sossego alheio cometido em residência particular, o policial militar deverá advertir o proprietário da residência sobre a perturbação causada por gritaria, algazarra, instrumentos sonoros ou sinais acústicos, latidos de cães, fazendo com que cesse a perturbação. Persistindo a perturbação, o policial militar deverá efetuar a prisão do infrator pelo crime de desobediência, LAVRAR o BO, efetuar a APREENSÃO do objeto causador da perturbação, se necessário;

c) No caso de perturbação de sossego provocado por veículos automotores, após advertir o responsável, caso este não silencie, proceda a APREENSÃO dos veículos envolvidos, aplicando-se multa ao seu proprietário quando constatado abuso na emissão de sons, vibrações e ruídos em logradouros públicos, conforme o disposto no artigo 229 do Código de Trânsito Brasileiro, como também deverá ser lavrada o BO sobre a perturbação, procedendo-se da mesma forma descrita acima e a condução do infrator agora pelo crime de desobediência, Art. 330 do Código Penal, já que a ordem do servidor foi legal.”

Outras penalidades que podem decorrer da infração da lei é advertência, multa, cassação da licença/alvará de funcionamento e pedidos de indenização. Caso a polícia não haja você deve fazer uma denuncia (anônima ou não) para o Representante do Ministério Público local falando sobre o descaso dos policiais.

LEI MUNICIPAL MARINGÁ – nº 218/1997

Grande parte dos maringaenses se queixa quanto aos ruídos, vibrações e poluição sonora, sejam estas perturbações causadas por automóveis com o som em volume alto ou estabelecimentos comerciais, casas noturnas e até mesmo igrejas. A legislação municipal nº 218/1997, dispõe sobre o controle e a fiscalização das atividades que gerem poluição sonora, impõe penalidades e dá outras providências. De acordo com a lei é proibido perturbar o sossego e o bem-estar público com ruídos, vibrações, sons excessivos e incômodos de qualquer natureza produzidos por qualquer forma que contrariem os níveis máximos de intensidade fixados por lei, ou seja, no período noturno são permitidos apenas 65 decibéis, equivalente a uma conversa exaltada. As vibrações são consideradas prejudiciais quando ocasionarem ou puderem ocasionar danos à saúde, ao bem estar e ao patrimônio público. A lei ainda descreve poluição sonora como toda emissão de som que seja ofensiva ou nociva à saúde, segurança e ao bem estar da coletividade. A legislação vigente ainda prevê a zona sensível à ruído ou de silêncio, ou seja, lhe é assegurada um silêncio excepcional em uma faixa determinada pelo raio de 200 metros de distância de hospitais, escolas, bibliotecas públicas, postos de saúde ou similares, contudo, a lei não inclui ou penaliza igrejas e templos religiosos.

No que concerne aos horários é considerado a aplicação da lei em zonas residenciais:

I – em período diurno (7h às 20h): 55dB;

III – em período noturno (20h às 7h): 45 dB;

Para quem quiser ler na íntegra a lei acesse:sapl

FISCALIZAÇÃO

De acordo com o cabo Martinez da Polícia Ambiental, leia-se também Força Verde, a fiscalização da poluição sonora na Cidade é de responsabilidade da Força Verde e da Secretaria de Meio Ambiente. A polícia fiscaliza as vias públicas e automóveis enquanto a parte de comércio e casas noturnas fica a encargo da secretaria. “A maioria das denúncias registradas por nós consiste no fato de poluição sonora causada por automóveis em que os condutores ouvem o som em volumes absurdos, prejudicando a sua audição e a dos outros. Contudo, acredito que grande parte das queixas poderia ser evitada se as pessoas adotassem a política da boa vizinhança, pois não custa descer ou se dirigir ao vizinho ou ao condutor do veículo, que diversas vezes está estacionado, e solicitar a diminuição do volume, entretanto isso precisa ser feito de forma educada e sem agressões. Com essa iniciativa, metade dos problemas seria resolvida”, disse cabo Martinez. Para o cabo Martinez, caso a tática da boa vizinhança não tenha dado certo, a pessoa que se sentir lesada pode ligar para a Polícia Militar, 190, e solicitar a presença da equipe, sendo que a vítima deverá se identificar e se sujeitar a comparecer a Delegacia de Polícia para prestar queixa por perturbação de sossego, pois só existe crime se houver vítima. O cabo Martinez relatou ainda que nos finais de semana e à noite, 90% das ligações não são atendidas pela Força Verde, pois a equipe não se encontra, já que atendem 38 municípios e fiscalizam queimadas, poluição em rios, entretanto disse que a Polícia Ambiental trabalha em conjunto com demais órgãos desde que seja avisada previamente, como, o que ocorreu em Paiçandu, em que a lei do silêncio permaneceu. Em contrapartida, na parte comercial, a responsabilidade é do departamento de fiscalização do Controle Ambiental da Secretaria de Meio Ambiente, que confere inclusive a parte acústica de casas noturnas, e como acontece na Força Verde, a população, os queixosos, precisa se expor. “A fiscalização no que se refere a poluição sonora está normal, dentro dos padrões. Fiscalizamos bares e demais estabelecimentos comerciais quando tem reclamação, então uma equipe comparece ao local, faz as medições e verifica se está tudo dentro da normalidade”, disse Antoninho Estrabelli, chefe do Controle Ambiental.

PUNIÇÕES

A pessoa física ou jurídica que infringir a lei fica sujeita às penalidades, como, notificação por escrita, multa, embargo da obra ou apreensão da fonte, interdição parcial ou total do estabelecimento, cassação imediata do Alvará de Licença, perda ou restrição de incentivos fiscais concedidos pela prefeitura.

EVITE PROBLEMAS!

Em seu planejamento, esteja atento às leis do seu município quanto a perturbação do sossego alheio, procure um local fora de bairros residenciais e pense em alternativas para minimizar os ruídos (caso necessário, procure especialistas em vedação). Se a reclamação acontecer, o melhor a fazer é respeitar a ordem da Polícia Militar e diminuir os ruídos para evitar maiores problemas no futuro. Não deixe que um barulho prejudique sua festa e sua carreira e o mais importante, mantenha a calma boa vizinhança.

FONTE: https://monicabfreitas.jusbrasil.com.br/artigos/266427263/lei-do-silencio-para-se-garantir-conheca-seus-direitos-e-deveres

Decoração com plantas: tenha seu jardim em casa!

Veja como a decoração com plantas pode transformar os ambientes da sua casa. Conheça quais plantas devem ser usada em cada parte e ideias de como usá-las para decorar.

Com a vida urbana atual, torna-se cada vez mais difícil o contato externo com a natureza, por isso, ter um jardim dentro de casa é tão bom. As plantas são elementos que combinam com todos os estilos de decoração e podem ser usadas em qualquer ambiente.

Uma casa bem decorada é o sonho de qualquer pessoa, afinal, quem não quer morar num lugar bonito e aconchegante, não é?! E a decoração com plantas deixa a casa ainda mais cheia de vida e tranquilidade. Um lar perfeito!

Muitas espécies de plantas se adaptam muito bem em ambientes internos. Tendo exposição de luz natural elas podem ser usadas na sala, cozinha, quarto e até no banheiro!

Por que decoração com plantas naturais é uma boa ideia?

Vários tipos de plantas para decoração em vasos no chão
Vários tipos de plantas para decoração em vasos no chão. Imagem: reprodução da internet

A natureza tem o poder de acalmar e transmitir leveza, equilíbrio e aconchego. E a melhor maneira de trazer isso para dentro de casa é investir em uma decoração com plantas. Mesmo que você more em um apartamento pequeno, existem várias soluções que facilitam o cultivo de plantas e possibilitam a criação de um jardim lindo dentro de casa.

Uma das tendências que vem ganhando destaque na decoração é o estilo minimalista, em que o conceito menos é mais é aplicado para construir um espaço mais básico, clean e sem excessos. E mesmo sendo um estilo com poucos elementos, as plantas têm seu lugar reservado na decoração, o que denota a relevância delas para os ambientes.

É claro que nem todas as plantas são adequadas para ambientes internos, mas dentre as espécies favoráveis, há algumas com folhagens lindas e um cultivo fácil de manter. Então, separamos 8 dicas de plantas para ambientes fechados. Confira!

As 8 Melhores plantas para dentro de casa

As plantas podem ser colocados em qualquer cantinho da casa, basta saber qual se adapta melhor com a luminosidade do espaço, entre outras características. Se você possui uma rotina agitada, isso também deve ser levado em consideração, pois existem flores e folhagens que necessitam de um cuidado mais específico e rigoroso.

Aqui, vamos indicar 8 plantas que são facilmente adaptáveis e exigem pouco cuidado. São elas:

Confira as fotos e características de cada uma delas:

Lírio da paz

Lírios da Paz (Spathiphyllum wallisii).
Lírios da Paz (Spathiphyllum wallisii). Imagem: reprodução da internet

É uma planta perfeita para vaso e se desenvolve bem em ambientes internos. O lírio da paz é originário de regiões tropicais, por isso, prefere lugares mais quentes. Apesar disso, sobrevive à temperaturas frias. Ela gosta de luminosidade difusa (sombra) e precisa ser regada com frequência (uma vez por dia), deixando a terra sempre úmida.

Cróton

Cróton (Codiaeum variegatum). Foto: Jeremy Hopley em Getty Images
Cróton (Codiaeum variegatum). Foto: Jeremy Hopley em Getty Images

O Cróton é uma planta arbustiva que faz parte do grupo de plantas ornamentais mais procuradas no mundo. Possui uma folhagem que foge do comum, com uma coloração atraente e exuberante, mesclando vermelho, roxo, rosa, branco, amarelo, verde ou laranja. O cróton precisa de muita luz para crescer bem e manter a coloração. A terra não pode ficar seca e nem encharcada, então o ideal é regar de 2 em 2 dias.

Jiboia

Jiboia pendente
Jiboia pendente (Epipremnum sp.). Imagem: reprodução da internet

A jiboia é uma planta trepadeira, podendo chegar a ter mais de 12 metros, sendo uma das melhores plantas para ter em casa. Ela gosta de meia luz, calor e água, portanto, deve ser mais regada no verão e menos no inverno. No verão, a rega pode ser 3 vezes por semana, se estiver muito quente. No inverno, de 1 a 2 vezes por semana

Antúrio

Antúrio (Anthurium Scherzerianum)
Antúrio (Anthurium Scherzerianum). Imagem: reprodução da internet.

O antúrio é parecido com o lírio da paz, mas suas flores são vermelhas, mais abertas e exóticas. Essa planta gosta de muita luz, mas não gosta de exposição direta ao sol. O antúrio precisa de muita umidade, por isso, as regas devem ser feitas pelo menos a cada dois dias. Em períodos mais frios, a rega pode ser feita apenas uma vez por semana.

Palmeira-leque

Palmeira-leque (Licuala grandis)
Palmeira-leque (Licuala grandis). Imagem: hydro-cultur.de

A palmeira-leque é uma espécie de pequeno porte, podendo chegar no máximo até os 3,6 metros de altura. Ela é perfeita para decorar ambientes internos, mas gosta de sol pleno, então deve ficar perto de janelas. O solo deve ser bem irrigado, regando sempre que a terra parecer seca.

Samambaia

Samambaia de Boston (Nephrolepis Exaltata). Imagem: reprodução da internet

A samambaia é uma planta lindíssima e deixa o ambiente muito atraente. Ela adora ambientes úmidos e deve ter o solo regado uma vez por dia e borrifadas de água em suas folhas uma vez por semana. É necessário adubá-la uma vez por mês para se mantenha sempre verde e viçosa.

Cactos

Cactos (Cactaceae)
Cactos (Cactaceae). Imagem: reprodução da internet.

Os cactos estão dominando os ambientes internos, sendo uma das plantas preferidas para quem não tem tempo de cultivar. Eles deixam qualquer ambiente mais autêntico e cheio de personalidade, mas você deve cuidar para não afogá-los. A rega adequado é de 7 em 7 dias, ou seja, uma vez por semana, cuidando para que a medida de água seja adequada ao tamanho da planta. Por exemplo, para um mini-cacto, uma colher de chá de água é suficiente.

Peperômia

Peperômia (Peperomia scandens)
Peperômia (Peperomia scandens). Imagem: thecottonplant em instagram.com

A peperômia, assim como a jiboia, é uma planta pendente, mas não chega a tantos metros. É uma planta de ramagem carnosa e muito decorativa, dando um toque de delicadeza aos ambientes. A rega deve ser feita de 2 em 2 dias e a adubação a cada três meses.

Além dessas, existem muitas outras plantas para ambientes internos que são de encher os olhos, como a costela-de-adão, zamioculca, camedórea e bromélia. Agora que você já conhece algumas espécies, que tal ver ideias de como organizar as plantas na decoração? Vamos lá!

Ideias para organizar as plantas na decoração

Para ter um jardim encantador dentro de casa, você precisa saber como usar os espaços para organizar a exposição das suas plantas. É interessante usar diferentes elementos, cores e mesclar os tipos de plantas para criar mais harmonia com o ambiente.

Confira as ideias que separamos para você!

No chão

Dica: plantas em vasos no chão
Dica: plantas em vasos no chão

Para o chão, existe uma ampla variedade de vasos e suportes que ficam lindos em qualquer cômodo da casa. Você pode misturar vasos de cores, texturas e materiais diferentes, intercalando com plantas menores e maiores. Também pode usar suportes de chão para deixar os vasos com alturas variadas. Aqui, plantas como o lírio da paz, antúrio e cacto casam perfeitamente. O espaço fica realmente muito lindo!

No teto

Ideia: planta pendurada no teto
Ideia: planta pendurada no teto

Não tem espaço no chão? Sem problemas, use o teto! Os suportes pendurados são uma opção excelente para ter um jardim em casa. Existem suportes em diversos materiais no mercado, como metal, plástico e macramê. Também é interessante usá-los para plantas que sejam pendentes, como a jiboia e a peperômia, pois caem para baixo e deixam a decoração muito charmosa.

Na parede

Dica: Jardim vertical
Dica: jardim vertical para otimizar espaço
Você já ouvir falar de jardim vertical? Então, o jardim vertical faz uso da parede para existir, tendo uma instalação prática e de fácil manutenção. Há diversos tamanhos disponíveis, sendo possível instalar em pequenos e grandes espaços. Também dá para usar vasos e suportes fixados diretamente na parede. Uma boa opção para quem tem um ambiente pequeno.

Na estante

Dica: plantas decorando a estante
Dica: plantas decorando a estante

As plantas inseridas em estantes ajudam a dar um ar mais moderno para a decoração e praticamente não ocupam espaço. Elas podem ser colocadas ao lado de livros, elementos decorativos, quadros e outros objetos, criando um mix de cores com a vibração do verde das plantas. Dependendo do tamanho da estante, plantas pendentes ou de pequeno porte são mais adequadas, como as samambaias de tamanho médio e os mini-cactos.

Na escada

Dica: escada decorada com plantas
Dica: escada decorada com plantas

Se a escada for grande, é possível separar uma parte lateral para plantas de grande porte. Caso a escada seja pequena ou estreita, dá para apostar em suportes pendentes no teto ou na parede. Outra solução é colocar vasos de pequeno ou médio porte nos degraus da escada. Um espaço que normalmente é esquecido ganha vida e notoriedade com a presença de plantas ornamentais.

Mais ambientes com plantas ornamentais. Inspire-se!

As plantas ornamentais são aquelas cultivadas para embelezar ambientes. São as preferidas para decoração de interiores e paisagismo, criando um lindo jardim dentro de casa. E para inspirar você a dar um toque verde no seu lar, separamos mais fotos de decoração com plantas. Confira!

Banheiro decorado com plantas
Para plantas que gostam de umidade, o banheiro é um lugar perfeito!
Lavanderia decorada com plantas
A lavanderia fica mais charmosa com as plantas.
Cactos na decoração da sala
Um cacto é sempre bem-vindo!
Plantas em suporte de madeira
Suportes de diferentes alturas dão um toque especial ao ambiente.
Terratio de suculentas
Terrário de suculentas é uma opção charmosa e delicada.
Vasos com plantas na parede
Vasos de parede deixam o ambiente moderno e leve.
Decoração com plantas coloridas
Planta com cores que fogem do verde são lindas e diferenciadas.
Plantas em vasos estampados
Vasos estampados e coloridos dão um toque mais descontraído.
Cesto como vaso de plantas
Cesto como vaso para planta é uma tendência na decoração.
Ambiente decorado com plantas
Muitas plantas para dar vida ao ambiente branco.
Estrutura decorada com plantas
A planta Jiboia também pode ganhar uma estrutura na parede.
Planta decorativa
O banquinho de madeira pode virar um suporte para a planta.

FONTE: https://bartzmoveis.com.br/blog/decoracao-com-plantas/

Comunicado Importante Coronavírus

Seguindo as orientações das autoridades, a fim de diminuir a disseminação do COVID-19, informamos que o escritório de cobrança não abrirá a partir de hoje (23/03/2020), por tempo indeterminado. Os atendimentos continuam via telefone, e-mail e Whatsapp.

O condomínio Represa Ville permanece com DESCONTOS ESPECIAIS para os proprietários que estão com as taxas condominiais em atraso, nome negativado e processo judicial. Para maiores informações entre em contato com o setor de cobrança no número (31) 3130-2114, (31)9.9573-2114, (31) 9.9710-9180 ou (31)9.9102-9243.
Não perca essa oportunidade de regularizar sua situação com melhores condições de pagamento e descontos.

ATENÇÃO!!!

Prezado condômino,

Seguindo as orientações das autoridades, a fim de diminuir a disseminação do COVID-19, a diretoria do Condomínio Represa Ville, fazendo uso de usas atribuições informa  as medidas que estão sendo tomadas em nosso condomínio:

1 – Fechamento do parquinho e espaço de gourmet, a partir de hoje (23/03/2020). Salientamos que a utilização de tais espaços poderá gerar penalidades previstas em lei.

2 – Cancelamento de todos os eventos em áreas comum do condomínio por tempo indeterminado.

3 – A partir de hoje (23/03/2020), proibição do uso da quadra, fechamento da sede social e do campo de futebol, bem como qualquer outro espaço de convivência coletiva.

Visando preservar a saúde dos condôminos e seus familiares, bem como os funcionários, ficam proibidos qualquer evento com aglomeração de pessoas e etc. Enfatizamos ainda que todas as pessoas que usem a portaria ou o escritório devem higienizar suas mãos com água e sabonete ou álcool gel que estará a disposição dos usuários.
Todas as medidas acima visam conter o avanço do coronavírus.

Atenciosamente,

A DIRETORIA.

Atenciosamente,

A DIREÇÃO.

Área de lazer completa: o que um condomínio de qualidade deve ter?

Escolher um novo lugar para chamar de lar é uma tarefa desafiadora. São inúmeros pontos que devem ser levados em consideração, mas, com calma e paciência para analisar as opções, tudo pode ficar mais fácil. O condomínio com área de lazer completa, por exemplo, pode ser uma vantagem que deixa os concorrentes para trás na disputa.

Mas não basta ter uma área de lazer. Os espaços dedicados ao descanso e ao entretenimento dos condôminos precisam ser funcionais e atender a todas as idades. Afinal, uma família é feita de pessoas de preferências e idades diferentes, certo? Portanto, é preciso agradar a todos.

No post de hoje, você vai conferir tudo o que um bom condomínio deve oferecer aos seus moradores para tornar o lazer completo e o melhor de tudo: no conforto e na segurança do lar. É ou não é um sonho ter todas as opções de lazer, que vão desde piscina e sauna até as telonas de cinema, a um passo da sua casa?

Acompanhe nossas dicas e comece agora mesmo a procurar um espaço que se encaixe nas suas necessidades:

Por que escolher um condomínio com uma área de lazer completa?

Muitas vezes, pode parecer bobagem procurar um condomínio que oferece opções completas de lazer para toda a família.

Porém, por mais que seja trabalhoso encontrar locais com essas características, morar em um lugar onde também se tem opções de entretenimento tem inúmeras vantagens.

Confira algumas delas abaixo:

1. Segurança

Nos dias atuais, a segurança não é um fator que pode ser deixado de lado quando se busca um novo lugar para morar. Ao ter opções de entretenimento dentro do próprio condomínio, você se sente mais seguro, já que não precisa sair de casa, pegar trânsito e estar vulnerável a um assalto, por exemplo.

Para quem tem filhos, esse assunto interessa ainda mais. Ter a tranquilidade de que seu filho está brincando nas dependências do condomínio e em segurança não tem preço. Por esses motivos, a segurança é o primeiro fator quando falamos dos benefícios de se morar em um local que possua uma grande área de lazer.

2. Praticidade e comodidade

Pegar o carro, colocar tudo o que precisa dentro dele, encarar aquele trânsito e ainda ter dificuldade para estacionar no parque ou no clube não combinam muito bem com um dia de lazer e descanso, certo?

Infelizmente, essa é uma situação comum para quem quer sair de casa em um feriado ou nos finais de semana para se divertir com a família.

Ter em casa um lugar para se divertir e que interesse a todos os membros da família pode ser uma praticidade incrível para quem quer realmente descansar sem se preocupar com o trânsito ou com as vagas de estacionamento.

3. Valorização posterior do imóvel

Atualmente, os imóveis que fazem parte de condomínios com áreas de lazer completas são mais valorizados, pois são cada vez mais procurados para compra e aluguel.

Por esse motivo, investir em um apartamento ou casa dentro de um condomínio pode também significar uma boa valorização com o passar dos anos.

4. O valor do condomínio não aumentará futuramente

Pelo fato de que os imóveis que possuem área de lazer serem bastante valorizados, muitos prédios e condomínios de casas resolvem realizar reformas para criar essas áreas do zero. Como você sabe, quando existe uma reforme desse tipo no condomínio, quem arca com as despesas extras são os moradores.

Ao optar por um imóvel que já possui esse tipo de entretenimento, você tem a tranquilidade de não precisar arcar com um custo que não estava no seu orçamento no valor mensal do condomínio.

5. Toda a família tem uma opção de lazer

É normal que cada pessoa da família tenha um passatempo favorito, de acordo com gosto pessoal e, principalmente, a idade.

Em um condomínio com área de lazer completa, todos podem se entreter da maneira que preferirem, sem que a família tenha que se dividir entre um filho que prefira fazer natação e outro que goste de jogar videogame com os amigos, por exemplo.

Sem sair de casa, você pode ficar tranquilo com os filhos se divertindo nas dependências do condomínio e, de quebra, ainda pode realizar sua atividade favorita.

6. Economia

Você pode estar achando que isso não faz tanto sentido, afinal, um condomínio com área de lazer completa acaba pesando mais no bolso. Porém, com o tempo, você perceberá uma economia significativa.

Você pode economizar na mensalidade do clube, no aluguel de um salão de festas para comemorar o aniversário dos filhos e até na academia. Todos esses gastos, hoje em dia, fazem muita diferença no orçamento da família e podem ser facilmente substituídos pelas opções que você tem em casa.

Quais são os itens que compõem uma área de lazer completa?

1. Salão de festas

O salão de festas é um dos itens mais tradicionais dos condomínios e existem há muito tempo. Nos últimos anos, esse espaço ganhou alguns complementos e outras salas de entretenimento, mas nenhuma anulou sua função: comemorar datas especiais na segurança do condomínio.

O salão de festas faz sucesso entre os moradores porque une tudo o que você precisa para uma festa: economia do aluguel, da decoração (que é cobrada à parte quando você aluga um salão convencional) e ainda economia de tempo de combustível que você usaria na locomoção, indo e voltando várias vezes para levar as coisas da festa.

Além disso, você ainda tem a oportunidade de encontrar serviços mais em conta no próprio prédio, como uma decoradora ou um buffet.

2. Piscina e sauna

A piscina também já é uma clássica opção de lazer em alguns condomínios. Em outros, os condôminos se uniram para construir uma, já que perceberam que esse espaço pode trazer muitos benefícios para o entretenimento dos moradores e na valorização de seus imóveis.

A sauna ficou mais famosa nos condomínios de alguns anos para cá, mas também já uma das queridinhas de quem procura um apartamento com lazer completo. Nada melhor do que decidir aproveitar um dia de sol na piscina em cima da hora e levar apenas alguns minutos para chegar ao destino, certo?

Muito melhor do que fazer uma mala com as roupas de toda a família, entrar no carro e partir para o clube, que pode estar superlotado. Na piscina do condomínio, as crianças sempre ficam sob vigilância dos pais, que podem curtir à vontade com seus vizinhos e amigos, sabendo que seus filhos não ficarão longe de seu campo de visão.

Os amantes da sauna também podem se alegrar: ficar alguns minutos dentro da sala com vapor tem inúmeros benefícios à saúde, como, por exemplo:

  • melhora da circulação sanguínea;
  • limpeza dos poros e da pele;
  • alívio de dores na coluna e de ordem reumática;
  • melhora do sono;
  • combate ao estresse;
  • prevenção da flacidez da pele;
  • relaxamento muscular;
  • melhora da saúde do coração;
  • limpeza das vias respiratórias e redução de asmas, bronquites e sinusites.

São muitos benefícios para se ter a poucos passos da sua casa, não é mesmo?

3. Academia

Ter aparelhos de ginástica e musculação dentro do prédio é um dos fatores decisivos de compra para algumas pessoas. A vida agitada pode fazer com que bata aquela preguiça de ir até a academia depois que você chega em casa. Em outros casos, a mensalidade que se paga para fazer exercícios pode fazer a diferença no orçamento familiar.

Com a academia no prédio, não existe nenhum desses problemas. Além de não pagar nenhuma mensalidade para realizar seus exercícios, você ainda pode combinar com os vizinhos e fazer grupos de treino, para que haja incentivo e mais diversão para malhar.

Para quem não é familiarizado com exercícios e tem medo de começar sozinho, a academia do prédio pode oferecer mais uma vantagem: você e seus vizinhos podem contratar educadores físicos para preparar treinos e ajudar nos exercícios, dividindo os custos.

Procure prédios que tenham uma boa academia, com esteiras, elíptico, bicicleta, aparelhos de musculação, colchonetes, anilhas, banco, caneleiras e halteres.

Esses são os itens básicos para que você possa se exercitar de maneira efetiva sem sair de casa e sem gastar dinheiro.

4. Espaço gourmet

O espaço gourmet nada mais é do que um local dedicado a quem deseja fazer uma reunião com os amigos, com uma boa estrutura para cozinhar e um tom mais intimista. A maioria dos condomínios atuais dispõem do espaço gourmet, já que é cada vez maior o número de pessoas que procuram esses ambientes para realizar encontros e festas.

O espaço gourmet pode ser comum no condomínio ou dentro dos apartamentos e casas. No caso dos apartamentos, as unidades possuem varandas com um bom espaço, suficiente para acomodar uma churrasqueira e uma mesa aconchegante para convidados.

Para quem mora em apartamento, ter um espaço desses dentro de casa é uma maneira de desconstruir o mito de que os apartamentos são pequenos e pouco confortáveis, provando, assim, que é possível fazer um bom churrasco na varanda e convidar todos os amigos.

5. Playground

Nada é mais prazeroso para um pai do que ver seu filho se divertindo. Porém, com a violência das grandes cidades, os tradicionais parquinhos em praças acabaram ficando um pouco esquecidos.

Além disso, a maioria das cidades no Brasil não possui uma extensão de áreas verdes e de espaços para as crianças, o que pode deixar parques lotados aos finais de semana, transformando em estresse um momento que seria de lazer com os pequenos.

As vantagens de ter um playground no prédio são inúmeras, começando pela mais óbvia: é possível ir até ele a qualquer hora do dia. Se você chega em casa depois das 18 horas, não é preciso ter medo da violência das ruas, basta pegar o elevador e descer um pouco para brincar com seu filho.

As crianças que brincam nos playgrounds também fazem amizades e as fortalecem, já que as outras crianças do condomínio sempre estarão lá, podendo, assim, construir um vínculo e um bom relacionamento.

Quem mora em apartamento com crianças sabe que o espaço pequeno é inimigo das férias escolares. Os pequenos começam a ficar ansiosos, sem paciência e irritados, já que não há muito espaço para brincar e, muitas vezes, nem muita companhia.

Nesses casos, o playground é o grande salvador dos pais e das crianças aborrecidas. Além de tirar de vez o tédio de ficar em casa, eles veem os amigos e brincam até cansar, o que pode garantir uma boa noite de sono.

Para os pais, a facilidade fica por conta de também poderem contar com outros pais: quando um não pode acompanhar a criançada, o outro vai. Dessa maneira, todos ficam em segurança e um vizinho colabora com o outro.

6. Quadra de esportes

As quadras de esporte chegaram para ficar quando o assunto é tendência em condomínios. Tê-las pertinho do seu apartamento ou casa pode trazer inúmeros benefícios, que vão desde proporcionar uma atividade física para quem não gosta de academia, até promover a socialização entre os moradores.

O tipo de quadra mais frequente nos prédios e condomínios de casas é a poliesportiva, que deve ter a medida de 16m X 27m. Nela, cada esporte tem sua cor para denominar suas medidas e linhas.

Normalmente, o branco demarca as linhas do tênis, do vôlei, do badminton, do squash e do paddle. O amarelo demarca os limites para o handball, enquanto o azul limita o basquete.

Apesar de ser um ambiente excelente para promover o esporte, as quadras também podem ser palco das confraternizações do condomínio — muitas vezes, os vizinhos querem se reunir e não têm espaço para todos.

A quadra se torna um excelente espaço para fazer aquela festa junina que todos comentam nas reuniões e até mesmo para receberem as feiras de legumes e frutas móveis que existem nas cidades maiores e que se instalam nos condomínios.

Outra boa utilidade da quadra também beneficia a saúde de todos os moradores: os frequentadores da academia podem promover aulas coletivas de dança, treinos funcionais e outras modalidades orientadas por um profissional, que podem trazer ainda mais diversão e interação entre os vizinhos.

As quadras são excelentes maneiras de promover a amizade entre os vizinhos. Que tal unir uma turma para um futebol ou para um vôlei uma vez por semana, seguidos de um bom churrasco e no conforto e segurança do lar? As saúdes física e mental agradecem!

7. Espaço teen

Quem tem filhos adolescentes sabe o quanto essa fase pode ser complicada, tanto para os pais quanto para os filhos. Pensando neles, as construtoras começaram a desenvolver espaços dedicados aos seus hobbies mais comuns, como internet, salão de beleza e videogame.

Algumas salas possuem computadores exclusivos para que seus visitantes possam jogar, conversar e interagir nas redes sociais. Basta se organizar com outros pais e com o síndico para que os computadores tenham acesso bloqueado a sites com conteúdos inadequados para a faixa etária dos jovens do condomínio.

Ainda nesse espaço, os adolescentes contam com videogames de última geração, onde podem passar horas se divertindo com os vizinhos e jogando online.

Para quem é mais ligado à moda e beleza, alguns condomínios já tem disponível um salão de beleza, que pode ser desde um espaço com esmaltes e escovas até um ambiente com profissionais que cortam, hidratam e pintam os fios. Um verdadeiro sonho para as adolescentes mais vaidosas e suas mães!

8. Espaço pet

O espaço pet foi criado a partir de uma necessidade da maioria dos moradores, que saem muito cedo para trabalhar e voltam muito tarde, tornando mais perigoso o passeio com seus cães na rua, por conta dos horários de pouco movimento.

Esses locais são projetados para que os moradores possam passear com seus cães e gatos tranquilamente, deixando-os livres para brincar e fazer suas necessidades. A maioria dos chamados pet places possuem gramas, jardim e um caminho para passeio, mas alguns mais sofisticados têm espaço de adestramento e itens para exercitar os bichinhos, como rampas, tubos e balanços.

Além de ter um espaço seguro para passear com seu bichinho, o espaço pet ainda promove a interação dos vizinhos e também dos animais, que podem ficar depressivos e estressados quando ficam sozinhos em casa. Nada melhor que uma boa companhia no final do dia, não é?

9. Sala de cinema

O que parecia impossível chegou aos condomínios: as salas de cinema agora podem ser frequentadas logo ali, no térreo do seu prédio. Esse tipo de ambiente de lazer foi projetado para quem não tem espaço no prédio, mas quer ver algum filme acompanhado de seus amigos.

Cada condomínio tem suas regras, mas alguns disponibilizam blu-rays de alguns filmes e projetores que trazem a sensação de cinema para dentro de casa. Para temperar ainda mais a sessão, esses espaços dedicados à sétima arte ainda possuem cozinha com pia e micro-ondas: afinal, a pipoca não pode faltar!

O espaço de cinema pode reunir grupos de adolescentes, crianças, sessão para os pais e qualquer outro tema que peça uma experiência de cinema, inclusive um show daquela banda incrível que você descobriu que seus vizinhos também são fãs.

Algumas salas ainda funcionam como palco para os moradores assistirem aos campeonatos de seus esportes favoritos, transformando a experiência de ver um bom jogo ainda mais real.

10. Churrasqueira e forno de pizza

Essa é a dupla que não pode mais faltar em um condomínio que promete estrutura completa de lazer.

O churrasco é uma refeição democrática que, na maioria das vezes, é feito para muitas pessoas. Pensando nisso, além de oferecerem espaços gourmets dentro dos apartamentos, as construtoras montam espaços mais amplos para fazer um churrasco e receber alguns amigos.

A churrasqueira do prédio fica, normalmente, no andar térreo e acomoda, no mínimo, 50 pessoas (dependendo do espaço disponível do terreno).

Aquele churrasco depois do futebol ou a comemoração do seu aniversário que você planejou e quer chamar todos os seus amigos têm lugar garantido, e você ainda não precisa se preocupar com a limpeza do local: normalmente, o condomínio cobra uma pequena taxa para que o espaço possa ser limpo no dia seguinte à festa.

Junto ao churrasco, está outra paixão do brasileiro: a pizza. Pensando nisso, cada vez mais os condomínios vêm equipados com um forno a lenha, ideal para o preparo de boas pizzas caseiras.

Para aproveitar o forno, você pode contratar um pizzaiolo para uma festa e surpreender seus convidados com pizzas incríveis ou pode arriscar e montar seus próprios sabores para uma noite de pizza, queijos e vinhos.

11. Sala de jogos

Por último, mas não menos importante, temos a sala de jogos: também já conhecida dos moradores que vivem em um condomínio com lazer completo, esse espaço é excelente para entreter e divertir pessoas de todas as idades.

Normalmente, o salão de jogos conta com uma mesa para carteado, uma mesa de sinuca e uma de pebolim. Os clássicos jogos agradam a todos e são excelentes maneiras de trazer um pouco de entretenimento para o seu churrasco.

Na maioria dos condomínios, os moradores podem levar visitantes para o salão de jogos e o uso é permitido para todas as idades.

Se você não é fã de futebol, certamente vai encontrar vizinhos que preferem jogar cartas ou sinuca. Vale a pena formar um grupo com eles e combinar um jogo durante a semana e até um campeonato do prédio. Garantia de diversão e entretenimento sem sair de casa!

Um condomínio com área de lazer completa afeta positivamente não só a qualidade de vida de toda a família, mas também influencia na economia, na valorização do imóvel e na segurança.

Estar em casa e ter tudo ao seu alcance é sinônimo de diversão garantida e muito mais segura do que o lazer fora de casa, o que torna tudo ainda melhor.

As áreas comuns do prédio ainda incentivam a socialização e promovem a amizade e o bom relacionamento entre os vizinhos, fatores essenciais para se viver bem e em harmonia em coletividade.

FONTE:  https://blog.construtoraplaneta.com.br/area-de-lazer-completa/

7 dicas de limpeza da casa para evitar doenças

Dicas para evitar infecções e doenças

Os germes estão por  toda parte, mas não se desespere, a maioria deles são inofensivos. Alguns até nos fazem bem, como as bactérias em nosso intestino que ajudam na digestão. A coisa importante é proteger as nossas famílias dos germes que podem causar doenças bacterianas e outras infecções.

 

Como os germes se propagam?

Bactérias e vírus nocivos podem ser transportados para dentro de casa por pessoas e animais de estimação, ou em comida e água contaminadas.

 

Como eles se propagam é parcialmente nossa responsabilidade. A limpeza de superfícies contaminadas sem a higiene adequada (tal qual com um pano que não esteja devidamente limpo) pode espalhar esses germes para outras áreas. Sem perceber, nós também podemos contrair germes em nossas mãos ao longo de nossos dias. Eles podem estar em qualquer coisa que tocamos até a próxima vez que lavamos as mãos.

 

Da mesma maneira, se uma pessoa sofre de uma doença como a gripe, minúsculas gotículas de umidade de sua boca podem preencher o ar com germes quando ela tosse, espirra ou até respira. Isso pode contaminar qualquer superfície que ela toque ou infectar outras pessoas através da sua inspiração.

 

Isso é o que chamamos de cadeia de infecção – bactérias nocivas e outros germes sendo acidentalmente passados de uma pessoa para a outra e causando a infecção. Ainda bem que a cadeia pode ser quebrada.

 

Quebrando a cadeia de infecção

A melhor maneira de parar a propagação de germes é através da boa higiene. Aqui estão algumas maneiras de ajudar:

    • Lave as suas mãos regularmente – especialmente antes de comer, antes e depois de preparar comida, e após tosses, espirros, após o uso do banheiro ou a troca de uma fralda.
    • Cubra o seu nariz e boca com um lenço quando tossir ou espirrar. Jogue todos os lenços no lixo imediatamente e lave as mãos.
    • Manuseie e prepare comida de maneira segura. Limpe as suas mãos e as superfícies regularmente, separe alimentos crus e cozidos, cozinhe calmamente o alimento e resfrie comidas frescas e prontas para desacelerar o crescimento de bactérias.
      • Vacinação (ou imunização) é uma ótima maneira de se proteger de infecções sérias. Assegure-se de que a sua família esteja com a sua carteira de vacinação atualizada.
      • Limpe e desinfete superfícies regularmente – especialmente superfícies que tenham contato com comida e superfícies tocadas regularmente, como torneiras, maçanetas e as teclas dos telefones ou de computadores.

Limpar ou desinfetar: Qual é a diferença?

Limpar significa remover a sujeira e alguns germes, geralmente com um detergente e um enxágue cuidadoso com água quente. Para muitos itens pequenos (tal qual talheres e cerâmica), isso é o suficiente para tornar o seu uso seguro.

 

Desinfetar significa eliminar a maioria dos germes presente. Isso é importante para superfícies maiores e fixas em que um enxágue cuidadoso não é possível (tal qual mesas de trabalho, vasos sanitários, pias e telefones). A desinfecção regular das superfícies de sua casa é uma das melhores maneiras para prevenir a propagação de germes e bactérias nocivos.

Lembre-se que mesmo em uma casa limpa, bactérias nocivas podem achar uma maneira de adentrar. Explore o nosso site para mais informação sobre enfermidades comuns e o nosso conselho caso você ou um de seus entes queridos fique doente.

FONTE: https://www.dettol.com.br/illness-prevention/about-germs-illness-prevention/preventing-disease-and-infection-control/

Passear com cachorro: você está fazendo isso certo?

 

A especialista em comportamento animal Renata Ragazini sanou as principais dúvidas do donos em relação a passeio

Os tutores sabem que passear com cachorro é uma atividade necessária e importante. “Independentemente de viverem em um grande quintal, de brincarem todo dia ou de terem a companhia de outro animal em casa, passear é uma necessidade básica”, explica Renata Ragazini, especialista em comportamento animal e passeadora da DogHero, aplicativo que conecta donos a passeadores e anfitriões.

Além de todos os benefícios para a saúde, passear com cachorro resulta em muita felicidade e alegria. Para a maioria dos pets basta o dono dizer “vamos passear” que eles pulam de alegria e abanam o rabo sem parar. Mas será que você está fazendo essa atividade corretamente? Para sanar algumas das dúvidas recorrentes, Renata separou algumas dicas.

Como fazer proporcionar o melhor passeio para o cachorro?

Primeiramente, esteja sempre em dia com o controle de pulgas e carrapatos, vermífugo, vacina V8 ou V10 e contra raiva. Isso irá garantir que outros animais não sejam contaminados. Não se esqueça de verificar se os acessórios necessários para o passeio estão em ordem, como a coleira de identificação. Em caso de fuga, esse pequeno objeto garantirá a volta dele.

Antes de sair, certifique-se que a temperatura do chão está agradável para o cão caminhar. “Uma dica boa é encostar as costas da sua mão na superfície por 10 segundos. Se você suportar, significa que está adequado para o cão”, explica Renata. Por último, não deixe de levar água e petiscos para repor as energias.

Passear com ou sem coleira?A melhor opção de coleira são aquelas de peitoral com engate na frente, chamada anti-puxão

Por mais que o canino seja adestrado e educado, não é recomendado sair com ele sem guia. “As chances de um acidente acontecer, como um atropelamento, ou comer algo indevido, sem você ver são muito altas”, diz a especialista.

A melhor opção são aquelas de peitoral com engate na frente, chamada anti-puxão. Segundo Renata, coleiras de pescoço aumentam as chances de correr glaucoma. Por isso é melhor evitar esse modelo.

Onde levar o pet para passear?Leve o cachorro para passear em locais calmos e pouco movimentados

Em relação a onde levar o cão, opte por locais calmos e pouco movimentados. Se for um ambiente já frequentado por outros cachorros, fique atento a linguagem corporal deles. Por exemplo, se um pet lamber o nariz, bocejar ou sacudir como se tivesse acabado de sair de um banho, significa que ele está estressado e as chances de uma briga iniciar são grandes.

Tente acalmar seu companheiro e afastá-lo do outro animal. O importante é evitar que a disputa comece. Se for preciso, troque de local ou o horário dos passeios para impedir encontros desagradáveis.

Contrate um dog walker se necessário

Hoje em dia já existem aplicativos e sites que trabalham com dog walker e ofereçam um serviço seguro e de qualidade

Nem todos os tutores tem tempo de levar o cão para passear e, para não deixar o cão sem atividade física , a opção é contratar um dog walker . Encontre um que seja de confiança e saiba lidar com imprevistos. Hoje em dia já existem aplicativos e sites que trabalham com esses profissionais e ofereçam um serviço seguro e de qualidade.

Mesmo que você seja ocupado, o mais importante é não deixar de passear com cachorro . Diversos problemas de saúde e comportamento podem ser evitados com atividade física.

Fonte: Canal do Pet – iG @ https://canaldopet.ig.com.br/cuidados/dicas/2018-09-18/passear-com-cachorro-cuidados.html