Author: Redação (Page 2)

6 dicas de alimentação saudável: veja o que não pode faltar

Ter uma alimentação saudável é possível! Sabia disso? A variedade e qualidade dos produtos consumidos está entre uma das maiores preocupações da sociedade atual. Como consequência, a internet se tornou uma das maiores fontes de pesquisa. O objetivo é entender melhor como os alimentos contribuem para o funcionamento do organismo. E, da mesma forma, perceber que as escolhas que fazemos à mesa são determinantes para a qualidade de vida. Por isso, é preciso ter conhecimento sobre o potencial de cada alimento consumido. Além do mais, saber quais são as necessidades diárias do nosso organismo e quais alimentos podem prejudicá-lo. Se você busca uma alimentação mais equilibrada, não deixe de ler este artigo. Aqui, vamos apresentar 6 dicas para que você se alimente de forma mais saudável. Acompanhe!

1. Consuma alimentos ricos em antioxidantes

Sabemos que o tempo passa para todo mundo, isso é inevitável. Para retardar o processo de envelhecimento, é importante incluir alimentos antioxidantes na dieta. Essas substâncias combatem os radicais livres, isto é, moléculas que, em excesso, atacam diversos componentes da célula. Dessa maneira, os efeitos do tempo podem surgir mais cedo. Assim, é muito importante repensar as refeições que você faz diariamente. Mostraremos agora alguns alimentos que são ótimas fontes de antioxidante e que podem facilmente ser integrados a sua dieta. Sao eles:

  • Aveia
  • Azeite de oliva
  • Alho
  • Cranberry
  • Cúrcuma
  • Frutas cítricas como a laranja e o limão
  • Peixes ricos em ômega 3 como a sardinha, o atum e o salmão
  • Tomate

2. Livre-se de maus hábitos alimentares

Vários fatores influenciam na velocidade do envelhecimento, incluindo os hábitos alimentares diários. É provável que práticas ruins de alimentação possam colaborar para o surgimento de diversas doenças crônicas, tais como diabetes, obesidade e hipertensão. Assim, não poderíamos deixar de falar: evite alguns desses hábitos! Veja algumas sugestões:

  • busque não se alimentar cada dia em um horário nem pular refeições
  • não substitua as refeições principais por lanches rápidos, como macarrões instantâneos ou outros produtos ricos em sódio
  • evite comer assistindo televisão ou mexendo no celular
  • não faça suas refeições com pressa

3. Diversifique o cardápio

A alimentação saudável é aquela que fornece todos os nutrientes essenciais para o bom funcionamento do nosso corpo. Por isso, você precisa incluir 4 categorias nas principais refeições. Vamos conhecê-las:

Carboidratos

São os responsáveis por fornecer energia às células. Embora sejam muito importantes em uma dieta equilibrada, é preciso tomar cuidado com o excesso de carboidratos, principalmente porque eles podem apresentar um valor calórico elevado. Existem dois grupos de carboidratos: os simples e os compostos. Os simples são digeridos rapidamente e, consequentemente, aumentam a quantidade de glicose (açúcar) no sangue. Arroz branco, refrigerante, pão branco, doces são alguns dos carboidratos simples e são também considerados “vilões” da alimentação saudável. Carboidratos complexos são compostos, em grande parte, por fibras. Elas fazem com que a glicose chegue ao sangue de forma mais lenta e gradativa. Por isso, a sensação de saciedade e a energia duram mais tempo no organismo. Cereais integrais, brócolis, aveia, batata doce, linhaça, entre muitos outros, fazem parte desse segundo grupo.

Proteínas

Presentes em todas as estruturas do corpo, as proteínas ajudam na construção dos tecidos, participam da reparação muscular e dos mecanismos de defesa. As proteínas podem ser encontradas tanto em alimentos de origem animal quanto vegetal. Veja alguns exemplos: ovos, carnes, quinoa, soja, grão-de-bico, laticínios e alimentos à base de whey protein.

Gorduras

Pode parecer estranho, mas as gorduras são indispensáveis. Afinal, elas funcionam como fonte de energia e fornecem ácidos graxos para a manutenção da saúde. Porém, a ingestão deve ser moderada e deve priorizar “gorduras boas”, como aquelas presentes nas nozes, castanhas, amêndoas, abacate, coco, azeite e salmão. As gorduras trans, principalmente as utilizadas nas industrias, são responsáveis por aumentar o prazo de validade e aperfeiçoar a textura do alimento. Biscoito recheado, margarina, pipoca de microondas, pizza congelada, e outros muitos, devem ser evitados. O consumo desse tipo de gordura pode elevar o colesterol ruim, aumentar o risco de doenças cardiovasculares e o AVC, por exemplo.

Vitaminas e minerais

Esses micronutrientes garantem uma série de benefícios ao corpo, tais como a melhora da circulação sanguínea, o funcionamento adequado do sistema nervoso e, até mesmo, uma aparência mais bonita. A gema do ovo, o leite e seus derivados, as frutas e os legumes são ótimos exemplos de alimentos ricos em vitaminas e minerais. Os micronutrientes são essenciais para o bom funcionamento do corpo, mas nem sempre somos capazes de consumir as quantidades ideais de vitaminas e minerais por meio da alimentação. Por isso, é possível encontrar suplementos alimentares desenvolvidos para suprir a carência de nutrientes no organismo que, geralmente, são usados como complemento da alimentação

4. Dê preferência a alimentos orgânicos

Os produtos orgânicos são produzidos em um modelo no qual o cultivo não utiliza produtos químicos. Por essa razão, são considerados mais saudáveis, tanto para o meio ambiente quanto para a nossa alimentação. São produtos gerados por processos naturais, sem agressão ao solo ou uso de agrotóxicos (que podem causar doenças). Sendo assim, você tem bons motivos para substituir os alimentos que consome por versões orgânicas. Para saber como identificar quando um alimento é orgânico, procure o selo do SisOrg (Sistema Brasileiro de Avaliação da Conformidade Orgânica).

5. Reduza o consumo de alimentos nocivos à saúde

Vamos falar sobre aquilo que você deve evitar. Mas calma! Não significa que você não vai mais poder consumir estes alimentos. Apenas evite os exageros. Veja o que você deve restringir em sua dieta:

  • álcool: o consumo frequente de bebidas alcoólicas diminui as funções do fígado, prejudicando as células e podendo levar ao desenvolvimento da cirrose
  • gorduras trans: encontrada nos sorvetes, salgadinhos, batatas congeladas e margarina, por exemplo, aumenta o nível do “colesterol ruim” do corpo (o famoso LDL) e favorece o desenvolvimento de doenças cardiovasculares
  • alimentos industrializados: têm conservantes e aditivos químicos que prejudicam a saúde e atrapalham a absorção de outros nutrientes

Ao longo do tempo, você verá os benefícios da restrição desses tipos de alimentos.

6. Não deixe a hidratação de lado

Você sabia que o seu organismo já está desidratado quando você sente sede? Por isso, a recomendação geral dos especialistas é beber ao menos dois litros de água por dia. Os motivos para isso são muitos. O que a água faz?

  • transporta oxigênio, nutrientes, hormônios e outros componentes para todas as células
  • leva as toxinas das células para os rins, ou seja, desintoxica o organismo
  • regula a temperatura corporal, já que ela é um dos componentes do suor

Quem não gosta de beber água pode consumir chás de ervas. Sucos também podem ser boas opções, mas é preciso ter cuidado com as calorias e os aditivos. Por isso, é importante um cuidado maior com a saúde e a alimentação. Quer ter uma vida mais leve, equilibrada e longa? Pensar sobre os alimentos que você consome é o primeiro passo. Será que você está tratando bem seu corpo? Use essas 6 dicas de alimentação saudável no seu dia a dia e certamente verá a diferença.

FONTE: https://saudevivita.com.br/6-dicas-de-alimentacao-saudavel-veja-o-que-nao-pode-faltar/

Como cuidar das plantas e do jardim

Preparar e adubar a terra, combater pragas, aparar a grama, podar e regar plantas, limpar o terreno são as principais tarefas executadas em um jardim.

É claro que o trabalho de jardinagem vai depender muito dos tipos de plantas que decoram o terreno. Algumas exigem mais cuidados que outras.

Aqui você vai ter as noções básicas para poder cuidar de um jardim, como preparar o solo, combater pragas, podar plantas etc.

Como cuidar das plantas e do jardim

Preparar e adubar a terra

Para que as plantas cresçam, o solo tem de estar bem preparado. A adubação é o meio de enriquecer o solo com nutrientes. O adubo pode ser orgânico (de origem vegetal ou animal como: cascas de vegetais, húmus de minhoca, esterco de gado, farinhas de osso etc.) ou inorgânico, produto de origem química que é comercializado pronto para uso com efeito mais rápido, embora devam ser usados com cuidado pois são tóxicos. A indicação é adubar mensalmente o jardim, diminuindo a freqüência no inverno, quando as plantas estão “em fase de dormência”.

Para as plantas que estiverem em época de floração, usa-se farinha de osso. Plantas de vasos sentem mais falta de adubo, por isso a indicação é que seja feita adubação mensal de acordo com a quantidade estabelecida na embalagem do produto.

Combater pragas

A maneira mais eficiente de evitar pragas é verificar detalhadamente caules, folhas e flores toda vez que cuidar do jardim. Quando as pragas são identificadas logo no início, o problema pode ser resolvido de maneira simples. Se as pragas tomarem conta da planta, será necessário usar produtos químicos, geralmente muito tóxicos.

Talvez você se interesse por:  Limpeza e desentupimento de ralos e sifões

Podar as plantas

Os cortes mais radicais devem ser feitos no inverno. Nas outras estações do ano, são indicadas pequenas podas de manutenção, que retiram galhos e folhas secas. Deve-se usar tesouras próprias para poda, nada de facas ou quebrar os galhos com a mão.

Cortar a grama

O equipamento a ser usado dependerá do tamanho do terreno. Para grandes extensões, existem pequenos tratores movidos a combustível e é preciso um bom controle de direção para usá-lo. Para lugares menores, o equipamento mais comum é o aparador de grama doméstico – leve, de fácil manuseio e movido a energia elétrica.

Limpar o terreno

Uma vassoura própria para grama e jardim, uma pá de lixo e uma lixeira com saco plástico resolvem o problema. Para que o jardim fique com boa apresentação, o ideal é limpá-lo todos os dias ou numa periodicidade que mantenha sua boa aparência.

Regar as plantas

A rega deve ser frequente e de preferência de manhã cedo ou no final da tarde, quando o sol está ameno. Na primavera e no verão, o ideal é regar as plantas todos os dias. No inverno, a cada dois dias. As plantas ficam com aparência saudável e mais resistentes depois da rega, mas, quando a água é demais, elas murcham, apodrecem e perdem vida. Recomenda-se água na temperatura ambiente e com jato fraco para não machucar as folhas das plantas e nem tirar terra dos vasos. Lembre-se sempre: é melhor molhar com frequência e pouca água.

Talvez você se interesse por:  Como preservar o seu meio ambiente

Dicas de jardinagem

Para saber se a planta de vaso necessita de água, pressione o dedo na terra. Se ele ficar sujo, com partículas aderidas, não está na hora de molhar. Se o dedo ficar limpo, apresentando apenas uma poeira seca, está na hora de regar.

Há plantas de caules longos que precisam ser amarradas para que não quebrem. A amarração deve ser feita com delicadeza, de modo que não machuque os ramos. Por isso é melhor enlaçá-los formando um “8” deitado com o barbante ou o fio. Assim, cada ramo fica circundado pela amarração.

Nunca deixe acumular água nos pratos sob os vasos, para impedir que as raízes apodreçam e evitar a dengue (Doença causada por um vírus e transmitida pela picada do mosquito, o Aedes aegypti. O mosquito se desenvolve em água limpa e parada).

FONTE: https://construfacilrj.com.br/como-cuidar-das-plantas-e-do-jardim/

Vai arrumar um novo amigo? Conheça as raças mais dóceis de cachorros!

 

Conheça as raças mais dóceis de cachorros!

Conhece um animal mais sociável, animado e alegre do que um cão? Provavelmente não. Os cães são considerados os melhores amigos do homem, e com toda certeza a companhia de um cão dócil torna o dia do tutor mais agradável.

Se em sua casa tem crianças e idosos, ou se você mesmo está à procura de uma companhia canina, provavelmente está pesquisando qual a raça de cachorros ideal, e de preferência que seja um cão dócil e sociável. Não é mesmo?

Nós do Pet Shop do Patinho separamos uma lista para que você conheça um pouco a personalidade de cada um. Confira!

raças mais dóceis de cachorros

Labrador Retriever

Sempre muito amável, não poderíamos iniciar nossa lista de raças mais dóceis de cachorros, se não pelo Labrador Retriever: amoroso, obediente e inteligente, é um ótimo cachorro para fazer companhia a uma família. São muito receptivos e estão sempre prontos para brincar. Eles adoram interagir com as pessoas!

Seu temperamento costuma ser dócil, gentil, companheiro e calmo, e devida a essas características é um dos cães mais indicados para trabalhar como cão-guia.

Lhasa Apso

Lhasa Apso

O instinto guardião é uma característica marcante de sua personalidade. Esse cãozinho também é muito dócil e pode se dar muito bem com estranhos. Por isso, é uma ótima alternativa para os que são apaixonados por animais de estimação e costumam receber muitas visitas em casa

O Lhasa possui energia de sobra e adora brincar, mas nada impede que eles vivam bem em um ambiente pequeno.

Pug

Pug

É um excelente cão de companhia, pois faz parte de sua personalidade ser calmo e de bem-humorado.

Por ser um cão calmo, acaba não curtindo muito as atividades físicas intensas, eles gostam mesmo é de manter-se ao lado de seus tutores relaxando e sendo acariciados.

É o companheiro ideal para quem mora em uma casa ou apartamento com pouco espaço. Por se tratar de um cão dócil, brincalhão, amoroso e inteligente, é um excelente companheiro para crianças, e sem dúvidas uma das raças mais dóceis de cachorros existente.

Poodle

Poodle

Excelentes companheiros, eles adoram brincar com os seus tutores e se mostram muito fiéis.

Outro ponto da personalidade do animal é a sua inteligência e animação.

Beagle

Beagle

O Beagle é um cão agitado, aventureiro e brincalhão, e sem dúvida, está entre as raças mais dóceis do mundo.

Por serem energéticos, um ambiente espaçoso é ideal para que eles possam brincar e se exercitar até cansar.

Golden Retriever

Golden Retriever

São cães de grande porte, mas não se deixe enganar pelo tamanho pois são extremamente amáveis, alegres e brincalhões.

Por serem muito calmos e equilibrados, são excelentes cães de companhia. Eles esbanjam simpatia e paciência!

Entretanto, como todo cachorro, eles precisam gastar suas energias. Sempre que possível o leve para passear, faça algumas brincadeiras agitadas como buscar algum objeto ou até mesmo coloque-o para praticar natação.

Dachshund

Dachshund

O salsichinha mais conhecido entre as pessoas!

Donos de um temperamento bem equilibrado, são ótimas companhias! Para você que busca um amigo dócil, eles são amigáveis e apaixonados por seus tutores, impossível não se apaixonar!

Bullldog Inglês

Bulldog Inglês 

O Bulldog Inglês esbanja simpatia e é um grande companheiro para a família toda.

Ele é bastante amoroso e tende a se apegar muito aos seus tutores, e a maior alegria deles é na hora de brincar. Depois de uma boa brincadeira, um cafuné é indispensável pra eles. cafuné e ficar juntinho da sua família humana.

Shih-Tzu

Shih-Tzu

Um amigo fofinho e muito alegre.

Esse cão é muito extrovertido e amoroso, e costuma ser muito apegado a todos da família.

Podem ser teimosos as vezes, mas isso não quer dizer que não deve estar entre as raças mais dóceis de cachorros, se adestrados, se tornam muito obedientes.

Maltês

Maltês  

Esse é um cão de porte pequeno, super dengoso e adora ficar no colo recebendo carinho.

Adora se divertir e brincar com o tutor, e ficar um longo período sozinho está fora de cogitação. Portanto, quem pensa em ter esse cãozinho de estimação precisa ter em mente que se trata de um pet que precisa de atenção e muito carinho!

Cocker Spaniel Inglês

Cocker Spaniel Inglês

A raça de cachorro Cocker possui muita energia, e devido a isso eles adoram brincar, correr e se divertir por um longo período de tempo sem se cansar. Devido a esse temperamento podem ser destruidores em casa, a as atividades físicas servem como uma válvula de escape para eles.

Apesar de tanta energia, adoram ficar na companhia da família.

Boxer

Boxer

Ótimo cão de guarda, pois aparentam ser bravos e intimidadores.

Apesar dessa característica, eles são muito tranquilos e amorosos, principalmente quando já se sentem parte da família. Outra grande característica, é que eles são extremamente fieis aos tutores.

Collie

Collie

É um cachorro amigável, sendo uma excelente companhia para as crianças mantendo sempre um ótimo humor.

Essa raça é originalmente para trabalho em pastoreio, portanto esbanja energia. Essa energia toda permite que ele entre nas brincadeiras com crianças, são superatentos a tudo que está acontecendo e agem como um grande protetor.

Além de todos esses pontos positivos, a raça Collie é dócil, e por isso está na nossa lista de raças mais dóceis de cachorros.

Border Collie

Border Collie

Os Border Collies esbanjam uma energia que parece não ter fim, e são extremamente inteligentes.

Essa raça possui um temperamento trabalhador e adora dividir seu espaço com outros animais. Eles são extremante dóceis e facilmente fazem novas amizades, tanto com outros animais quanto com humanos.

Esse companheirismo todo que eles proporcionam devem ser mantidos com brincadeiras e atividades feitas em conjunto com o tutor.

Dog Alemão

Dog alemão

Esse cão possui uma altura peculiar, mas não se deixe enganar, são extremamente amáveis e adoram estar junto com a família.

Possuem uma personalidade dócil e amável, e não expressam nenhuma agressividade.

Toda essa doçura é voltada para as pessoas com que ele tem convivência, porém, conseguem fazer amizades rapidamente.

lulu da pomerânea

Lulu da Pomerânia

O Lulu da Pomerânia tem uma pelagem impecável, e é um cãozinho muito feliz.

Seu porte é pequeno, mas o pet não se deixa intimidar com nada. São cães bem-dispostos e agitados, e toda essa agitação deve ser controlada pelos tutores para que não chegue em níveis extremos, como atitudes agressivas e estresse.

Apesar desse cuidado extra que o tutor deve ter, o cão é muito carinhoso e dócil, por isso está na nossa lista de raças mais dóceis de cachorros.

bulldog francês

Bulldog Francês

Essa é uma raça muito dócil e amigável, costumam ser tranquilos e devido a essas características são ótimos companheiros.

Por serem muito carinhosos sempre esperam retribuição desse carinho, portanto é comum que eles apoiem suas patinhas na perna tutor.

Costumam ser tranquilos e não curtem muito esporte e aventuras.

yorkshire

Yorkshire

Os Yorkshire são cães sociáveis, agitados, e apegados em seus tutores.

Apesar de serem apegados, não são muito chegados a ficar no colo recendo carinho, gostam mesmo é de brincar. São cães muito independentes, e adoram sair correndo livremente por todos os lados.

O cão é curioso e adora explorar todos lugares do ambiente onde habita. São bem bagunceiros e estão sempre aprontando, por isso está na nossa lista das raças de cachorros mais dóceis.

vira lata

Sem raça definida

Normalmente, os cachorros sem raça definida são extremamente dóceis, pois tentem a herdar as melhores características de cada raça de seu cruzamento.

Isso resulta em cachorros dóceis, alegres e divertidos, e dessa forma não poderíamos deixar de cita-los nessa lista de raças de cachorros mais dóceis.

FONTE: https://petshopdopatinho.com.br/conheca-as-racas-mais-doceis-de-cachorros/

Troque a academia por exercícios em casa ou ao ar livre.

8 dicas para cuidar da saúde e manter a forma sem emagrecer seu orçamento.

Não ter tempo ou dinheiro para frequentar uma academia não pode ser desculpa para não se exercitar.

Fazer atividades físicas é essencial para prevenir dores, manter a saúde muscular, estimular o funcionamento pulmonar e cardiovascular, além de ajudar a manter ou melhorar a forma física. Quer mais? Fazer exercícios libera endorfina, ou seja, seu humor também melhora.

Está sem motivação para fazer exercícios por conta própria? Não sabe por onde começar? Veja algumas dicas para cuidar do corpo sem descuidar do bolso:

1- Definindo horários, criando hábitos.

Determine um horário para fazer exercícios. É claro que fazendo suas atividades fora de uma academia, você tem uma flexibilidade muito maior de horários. Mas definindo um momento certo por dia para se exercitar, você cria um compromisso consigo mesmo, gera uma lembrança diária e facilita a criação desse hábito. Podem ser 15 minutos por dia, 30, 1 hora a cada dois dias… Analise sua rotina e faça planos realistas para que você realmente possa cumpri-los.

2 – Atenção à alimentação.

Lembre-se sempre que, para cuidar da saúde, não basta fazer atividades físicas, é importante associá-las a uma boa hidratação e a uma alimentação equilibrada, rica em vegetais, legumes e frutas.

3 – Caminhadas, corridas e pedaladas.

Comece dando a volta na quadra ou nas ruas próximas; depois, aumente o circuito, aumente o ritmo. Para caminhadas, que são mais leves, o ideal é de 30 a 50 minutos, em dias alternados. Observe seu corpo e respeite seus limites. Se sentir algum desconforto, pare por um tempo. Se necessário, procure orientação especializada. E lembre-se de manter-se sempre bem hidratado e de usar roupas leves e equipamentos adequados.

4 – Contra a celulite, escadas.

Esqueça os elevadores. Subir e descer escadas é um exercício aeróbico que fortalece os músculos, o coração e os pulmões. Os treinamentos podem ser variados: subida e descida normal, subir na ponta dos pés, descer correndo, subir pulando de dois em dois degraus, descer de um pé só, subir elevando o calcanhar até a coxa, etc. Os benefícios também são diversos: ajuda a queimar gorduras, eliminar a celulite, afinar a cintura, reduzir o colesterol ruim no sangue e melhorar a saúde cardiovascular em geral, entre outros.

5 – Exercícios em casa.

Você pode usar objetos simples da sua casa para se exercitar. Um cabo de vassoura, por exemplo, pode ser usado como auxiliar de alongamentos e agachamentos (segurando-o atrás dos ombros para manter a postura). Agachamentos com os braços apoiados atrás, em um banco, também dão bons resultados. Outra ideia é usar sacos de feijão ou de açúcar como pesinhos. E você ainda pode se apoiar em mesas, paredes ou no próprio chão para fazer flexões. Procure na internet imagens detalhadas dos exercícios e fique atento à postura correta para evitar lesões. Comece fazendo 2 séries de 15 repetições. A partir da terceira semana, aumente para 3 séries de 15 repetições. Depois, vá aumentando gradativamente o número de repetições para 20, 25 e assim sucessivamente. Para melhores resultados, alterne os exercícios em casa com caminhadas, fazendo atividades de 5 a 6x por semana.

6 – Academias públicas ao ar livre.

Em várias cidades do Brasil já existe este tipo de espaço, com equipamentos específicos para auxiliar na ativação da circulação e no fortalecimento muscular. Boas oportunidades para fugir do sedentarismo, aproveitando o ambiente externo, sendo possível, inclusive, reunir os amigos para malhar. Mas é importante estar sempre atento à postura e procurar orientação prévia para saber como usar cada aparelho corretamente. Os mais comuns nas academias ao ar livre são: simulador de caminhada; supino (para fortalecer braços e peitoral); esqui (ótimo para queimar calorias e estimular o músculo cardíaco); pressão de pernas (similar a um agachamento); rotação vertical (estimula a flexibilidade dos ombros e deve ser feito sempre com braços flexionados); e abdominal. Se existe uma academia ao ar livre próxima a sua casa, aproveite.

7 – Cooperação e motivação.

Reunir pessoas com interesses comuns para cooperarem entre si é sempre uma boa ideia. Então, que tal combinar de fazer aquela caminhada com uma amiga? Ou marcar aquela pelada uma vez por semana com a turma? Fazer exercícios em boa companhia é sempre mais motivador.

8 – Se for comprar aparelhos, considere os usados.

No caso dos produtos esportivos, é possível encontrar inúmeras opções de segunda mão – de pesinhos e bolas de pilates a esteiras e bicicletas ergométricas – e, por incrível que pareça, alguns quase sem uso. Considere essa opção.

FONTE: https://www.oseudinheirovalemais.com.br/troque-a-academia-por-exercicios-em-casa-ou-ao-ar-livre/

As vantagens de se construir em condomínios fechados

Moradia em condomínios fechados oferecem muitas vantagens para quem opta por esse estilo de vida. Você pode ter a oportunidade de desfrutar de total privacidade, segurança, lazer, e muito mais benefícios. Ótimo para quem tem família e não quer ver seus filhos presos em casa por causa da falta de segurança nas ruas.

No post de hoje separamos alguns benefícios que você poderá desfrutar se resolver construir em condomínios fechados! Acompanhe-nos!

Segurança  nos condomínios

A segurança é um dos pontos fortes de se morar em um condomínio fechado, mesmo sabendo do fato de que nenhum lugar é completamente seguro e livre da criminalidade. Mas todo condomínio nesse estilo visa ao máximo a segurança de seus moradores para que os mesmos possam circular pelo local com mais tranquilidade.

Quem mora em um condomínio fechado conta com portaria 24 horas, monitoramento através de câmeras, ronda noturna, cerca elétrica, entre outras condições. Tudo para que você fique despreocupado e possa colocar a cabeça no travesseiro para ter uma ótima noite de sono.

Privacidade

Um dos motivos que levam muitas pessoas a escolherem os condomínios fechados é a privacidade. Ao morar em um local privado, os moradores eliminam qualquer possibilidade de vendedores ambulantes, pedintes, entregadores de panfletos, entre outras pessoas, tocando na porta de suas casas.

Nada mais inconveniente do que abrir a porta de sua casa para uma pessoa desconhecida, sem contar que isso é totalmente arriscado nos dias de hoje, com tanta violência rondando as grandes cidades.

Entretenimento

Em grande parte dos condomínios há uma variedade enorme de lazer, com direito a quadra de futebol, parques, piscinas, salões de jogos, brinquedotecas, pistas de corrida e muito mais.

Estes espaços são ótimas opções para as famílias quem tem crianças e desejam um espaço seguro para seus filhos brincarem.

Tranquilidade

Os condomínios fechados costumam ser silenciosos e longe de vias urbanas e do barulho do trânsito, o que é ótimo para quem adora o silêncio e deseja aproveitar de muita tranquilidade em seus momentos com a família em casa.

Dificilmente em um apartamento ou em uma casa você terá toda essa comodidade proporcionada pelos condomínios fechados. Afinal, depois de um longo e cansativo dia no trabalho, nada melhor do que relaxar em um lugar tranquilo e calmo.

Qualidade de vida

Ao morar em um condomínio fechado você vai notar a melhoria em sua qualidade de vida. Esses lugares costumam ter terrenos grandes, o que permite a construção de casas mais espaçosas, arejadas e com mais conforto, em amplas áreas verdes.

Você poderá curtir seu tempo livre nos espaços de lazer do condomínio, que na maioria das vezes, possuem variedades de entretenimento em meio à natureza. Existem até mesmo aqueles que oferecem academias, o que seria ótimo para praticar exercícios sem precisar se deslocar longos caminhos!

FONTE: https://plantasdecasas.com/vantagens-de-se-construir-em-condominios-fechados/

6 dicas para cuidar de filhotes de cachorro

Você provavelmente pensou bem antes de tomar a decisão, aproveitou para avaliar suas possibilidades, entendeu todas as necessidades e fez os ajustes em seu orçamento. Finalmente, chegou o grande momento: você vai ter filhotes de cachorro em sua casa.

Seja para quem já tem cachorro em casa, seja para quem nunca teve um animal de estimação, adotar ou comprar um ou mais filhotes de cachorro requer bastante planejamento.

Quem quer adotar, além de tomar as medidas acima, por exemplo, ainda precisa escolher uma ONG de amparo animal. O passo seguinte é selecionar o bichinho que faz seu coração bater mais rápido e preencher os formulários de adoção responsável que são disponibilizados pela organização. Tudo para que os animais resgatados também tenham a oportunidade de ter um lar amoroso.

Agora que seus filhotes de cachorro chegaram em casa, é hora de curtir todos os sorrisos e alegrias que eles trazem, certo? Isso mesmo! Para tornar o processo de adaptação bem simples, reunimos dicas para cuidar de filhotes de cachorro. Confira!

1. Prepare a casa para receber um filhote

Adotar um ou mais filhotes de cachorro significa, basicamente, ter um novo membro da família em casa. Por isso, a chegada do animalzinho pode requerer adaptações ao seu lar.

Por exemplo, é necessário encontrar um local para colocar o comedouro, a água e o tapete higiênico. Além disso, é fundamental remover, de início, objetos pontiagudos ou frágeis que estejam em alturas baixas e , portanto, acessíveis.

Por mais que você já tenha um cachorro em casa, é preciso preparar seu lar para a chegada dos filhotes de cachorro. Em resumo, seu animal de estimação atual pode ter uma personalidade mais reservada. Por outro lado, o filhote pode ser mais ativo, quebrando objetos ou se aventurando por janelas e sacadas.

Quando você já tem um animal de estimação, outro ponto a se pensar é se o espaço de alimentação é suficiente ou se é necessário encontrar mais um local para essa finalidade.

2. Introduza-o aos outros animais da casa

Filhote de cachorro bocejando

Em princípio, cachorros são animais muito sociais e estão acostumados a viver em grupo. Por isso, apresentar seus filhotes de cachorro ao pet que você já tem em casa pode ser uma tarefa simples. No entanto, para evitar qualquer tipo de ciúmes entre um animal e outro, além de brigas e estresse, como rosnados, é preciso seguir alguns passos.

De início, introduza seu novo animal na guia, permitindo o controle dos movimentos, caso surja algum nervosismo. Só prossiga a introdução se você ver que ambos os cachorros estão calmos.

Uma vez que eles estejam bem, deixe os dois se cheirarem livremente, inclusive na parte traseira, que é a forma como os cachorros costumam se cumprimentar. Elogie ambos os animais, caso você perceba que a recepção é positiva. O uso de petiscos também é encorajado, para deixar feliz e alegre a ligação entre os animais.

Essas medidas poderão ajudá-lo a manter o ambiente do seu lar harmônico e seus animais de estimação receptivos a outros bichos.

3. Respeite as orientações do médico veterinário

Os filhotes de cachorro, mesmo advindos de ONGs, têm um sistema imunológico mais fraco que o de um cão adulto. Isto é, para evitar que seu bichinho fique doente logo ao chegar a sua residência, siga as recomendações do veterinário.

Filhotes de cachorro só podem sair à rua depois que tomarem todas as vacinas e vermífugos, o que acontece somente depois dos 3 meses de idade.

Os cachorros filhotes também só podem comer certos tipos de ração, voltadas para sua faixa etária. É preciso seguir as idades das rações porque elas ajudam no desenvolvimento do cão, dando a ele os nutrientes necessários para cada etapa de seu crescimento.

Siga as recomendações médicas e tudo ficará bem com seus filhotes de cachorro.

4. Gaste as energias do seu bichinho

Filhote de samoieda

Assim como as crianças, os filhotes de cachorro também costumam ter um alto nível de energia. Como não podem sair de casa antes de tomarem todas as vacinas, é normal que os filhotes de cachorro fiquem agitados e ansiosos, simplesmente por estarem cheios de energia.

Para evitar que o cachorro quebre objetos da sua casa ou roa móveis (cachorros também têm dentes de leite e é comum que sintam um ímpeto maior de roer objetos quando acontece a troca da dentição), é preciso garantir que toda a energia desse filhote seja gasta.

Portanto, nessa fase inicial capriche nos passeios e nas brincadeiras, como corrida e pega-pega. Além disso, use brinquedos voltados especificamente para essa etapa da vida canina. Caso você não saiba exatamente como criar uma rotina de passeios com seu filhote, confira nossa publicação de dicas de passeios!

5. Tenha paciência para acidentes

Por certo, o período de adaptação costuma ser bastante delicado. Nos primeiros dias, seus filhotes de cachorro podem sofrer pequenos acidentes, como fazer as necessidades fora do local designado.

Por isso, nesse estágio inicial com o animal, seja paciente para ensiná-lo e adaptá-lo, até que ele se acostume com os hábitos e rotinas de sua nova casa, como o local correto para fazer seu xixi.

6. Aproveite ao máximo seu filhote de cachorro

Filhote de cachorro na caminha laranja

Ainda que a fase de adaptação seja desafiadora, é preciso lembrar que ela será bastante recompensadora, graças à alegria e aos sorrisos que são trazidos pelos filhotes de cachorro.

Os cães crescem com muita rapidez e logo deixarão de ser filhotes. Aproveite essa fase e aproveite para criar memórias inesquecíveis ao lado de seu animal de estimação.

FONTE: https://love.doghero.com.br/dicas/filhotes-de-cachorro/

Atitudes simples ajudam na prevenção e controle do mosquito

 

A prevenção é a melhor opção para uma vida saudável. É importante manter-se vigilante o ano inteiro para evitar a proliferação do mosquito Aedes aegytpi, transmissor da dengue, zika e chinkungunya. Nesse período de pré-estação chuvosa no Ceará, a Secretaria da Saúde do Estado relembra a população sobre os cuidados no combate ao mosquito.

A manutenção dessas medidas impede o aumento dos casos das doenças causadas pelo Aedes aegypti. Por isso é fundamental manter as caixas d’água, tonéis, potes, barris e baldes bem tampados; colocar o lixo em saco plástico e tampar bem a lixeira; guardar garrafas e vasilhas sempre de cabeça para baixo; encher com areira os pratinhos ou potes de planta e não deixar acumular água na bandeja atrás da geladeira.

Os mesmos cuidados com a faxina em casa também são válidos para manter as ruas limpas. Não jogar copos descartáveis, garrafas e tampas nas ruas e colocar o lixo na calçada somente em dia de coleta, são atitudes que ajudam a você e a toda vizinhança. Atitudes fáceis e que ajudam na prevenção e no controle do mosquito, evitando focos do Aedes aegypti.

Os municípios são responsáveis pelo planejamento e pelas ações de combate ao mosquito, como as visitas de casa em casa, feita pelos agentes de endemias, e a pulverização de inseticidas. Mas cada cidadão também é corresponsável e precisa fazer vistorias periódicas em seus imóveis para evitar focos. Não deixar o mosquito nascer é responsabilidade de todos.

Todos contra o mosquito

Os ovos da fêmea do mosquito são depositados nas paredes do criadouro, bem próximo à superfície da água, porém não diretamente sobre o líquido. Daí a importância de lavar, com escova ou palha de aço, as paredes dos recipientes que não podem ser eliminados, onde o ovo pode permanecer grudado.

Em condições ambientais favoráveis, após a eclosão do ovo, o desenvolvimento do mosquito até a forma adulta pode levar um período de 10 dias. Por isso, a eliminação de criadouros deve ser realizada pelo menos uma vez por semana. Assim, o ciclo de vida do mosquito será interrompido.

FONTE: https://www.saude.ce.gov.br/2018/11/30/atitudes-simples-ajudam-na-prevencao-e-controle-do-mosquito/

Caminhar no calor? Confira 6 dicas valiosas para você caminhar em clima quente!

Você mal pode esperar pelo verão, mas você se esqueceu de um pequeno detalhe: andar durante o calor escaldante não é agradável. A ideia de suar sob o sol ardente não é exatamente divertida, mas você quer aproveitar o bom tempo. Então aqui temos 6 dicas para você aproveitar a caminhada, mesmo quando estiver calor!

1) Caminhe pela manhã ou no final do dia

Não há motivos para parar de caminhar no verão, apenas escolha caminhar nos períodos mais frescos do dia, como os períodos da manhã e final da tarde. É mais fácil para respirar! Evite a faixa horária entre o meio dia e as 3 da tarde, quando o sol está em seu auge e os raios são mais perigosos para sua pele. Se você decidir andar à noite, evite andar rápido demais para não perturbar seu sono posteriormente.

 

2) Escolha a rota certa

No verão escolha trilhas com sombras. Parques e florestas são perfeitos, pois árvores protegem você do sol e o ar é mais fresco. Experimente lugares como o litoral ou as praças nas grandes cidades, onde a brisa refresca o ar. Não há nada melhor do que uma brisa para ajudá-lo a respirar enquanto caminha!

3) O equipamento certo para caminhar no calor

Está quente e você adoraria andar descalço. Mas é importante caminhar com o equipamento correto e bons calçados de caminhada. No verão, você deve usar calçados que deixem seus pés respirar. E não se esqueça das essenciais meias de caminhada, mesmo se estiver quente. Elas absorvem a umidade e previnem a fricção. E, obviamente, você também precisará de roupas leves e respiráveis.

4) Mantenha-se hidratado

Nunca é suficiente dizer: é vital manter-se hidratado quando estiver praticando exercícios em clima quente, pois você sua mais do que o normal. Certifique-se de hidratar-se antes, durante e depois de suas sessões de caminhada. É importante beber goles com frequência. Não espere até ter sede, pois isso significa que você já está desidratado.

5) Use proteção solar

Sempre use proteção contra o sol. Mesmo se estiver caminhando em uma trilha com sombra, proteja-se das queimaduras e insolação. Use um boné para proteger a cabeça, óculos de sol para proteger os olhos e protetor solar para proteger sua pele. Espalhe cuidadosamente o protetor solar nas partes do seu corpo que são mais expostas quando você está caminhando: rosto, nuca, orelhas, braços e pernas.

6) Caminhe em ambientes internos para variar!

E as caminhadas indoor? Não é uma má ideia quando as temperaturas estão escaldantes. Não perca sua sessão de caminhada – tente uma esteira em academia climatizada. Também é uma boa ideia caminhar no horário de almoço. Sem contar que você pode assistir uma série ou ouvir sua música favorita ao mesmo tempo!

FONTE: https://souesportista.decathlon.com.br/dicas-para-caminhar-no-calor/

Os 6 erros mais comuns ao cuidar de plantas

Dá para ter flores e folhagens lindas dentro de casa – o importante é escolher bem as espécies e evitar deslizes na hora de cuidar de suas plantinhas

São Paulo – Um ambiente cheio de plantas é sempre mais agradável. Se bem cuidadas, elas ainda têm um poderoso efeito terapêutico e melhoram a qualidade do ar dentro de casa. Mas para mantê-las bonitas, é preciso alguns cuidados básicos como controle da água, luminosidade e nutrientes.

Se você sempre acaba matando suas plantinhas, mesmo seguindo à risca essas técnicas, pode estar cometendo alguns deslizes comuns. Christan Summers e Ivan Martinez, especialistas da Tula House, em Nova York, ensinam que dá para ter flores e folhagens lindas dentro de casa – o importante é escolher bem as espécies e evitar esses seis erros na hora de cuidar de suas plantinhas. Confira:

1. Tratar a planta como se fosse um objeto

As plantas são organismos vivos, que respiram e até sentem a gravidade e a utilizam para orientar seu crescimento. Portanto, para cuidar bem de sua plantinha, é preciso aprender um pouco mais sobre a vida vegetal e entender sua ligação com a terra, temperatura, umidade e demais fatores — e não achar que ela é um ser inanimado.

2. Não pensar no habitat ideal

Ao comprar uma planta, primeiro pense em nas condições de sua casa. Tem muita luz solar? Você prefere um ambiente mais quente ou ameno? Em seguida, encontre uma planta que irá prosperar em um ambiente semelhante ao de sua casa. Uma boa maneira de fazer isso é decidir qual planta você gostaria de comprar e pesquisar de onde ela vem. Se for nativa dos trópicos, por exemplo, calor e umidade são ideais. Se ela nascer no deserto, precisa de muito calor e sol.

3. Não tocar no solo antes de regar

A maioria das plantas domésticas requerem um solo seco entre 1 e 5 polegadas abaixo da superfície, antes de regá-las novamente. Uma boa dica é colocar o dedo no solo para saber quão seco ele está para evitar aguar demais e acabar matando sua plantinha.

4. Não limpar as folhas de sua planta

Quando colocarmos as plantas dentro de casa, não existem chuvas e ventos para ajudar a manter a poeira e demais sujeiras livres das folhas. Portanto, é recomendável limpar suas plantas com água pelo menos duas vezes por mês. Você pode usar um borrifador de água ou um pano úmido e limpar suavemente as folhas. Isso manterá a planta limpa, respirando e longe de pragas.

5. Transplantar em excesso

Uma regra geral para transferir uma planta para outro vaso é quando o solo fica seco apenas 1 ou 2 dias depois de você ter regado em abundância. Normalmente, é um sinal de que o vaso tem pouca ou nenhuma retenção de umidade e acaba ficando cheio de raízes. Quando você transplanta, acaba apenas aumentando o tamanho do vaso em alguns centímetros, o que não significa que as plantas crescerão mais rápido. Na verdade, isso significa mais solo e mais umidade, que podem levar à podridão das raízes se você não estiver regando as plantas cuidadosamente.

6. Esquecer de nutrir sua planta

Frequentemente esquecido, o fertilizante é muito importante para a saúde das plantas. Adube durante a temporada de crescimento delas, que normalmente é da primavera até o verão. No mercado, há diversos tipos de fertilizantes que fornecem fornecem nutrientes necessários para alimentar as plantas.

FONTE: https://exame.com/casual/os-6-erros-mais-comuns-ao-cuidar-de-plantas-e-como-evita-los/

7 raças de cachorro mais independentes

Algumas raças de cachorro são mais independentes e não sofrem tanto com a ausência do dono. Mas atenção: você precisa compensar a atenção e carinho quando estiver em casa, combinado?!
Algumas raças de cachorro são mais independentes e não sofrem tanto com a ausência do dono. Mas atenção: você precisa compensar a atenção e carinho quando estiver em casa, combinado?!

Além das diferenças físicas que são percebidas com facilidade, as variadas raças de cachorro também têm traços muito característicos na personalidade que devem ser levados em consideração. Um grande exemplo disso são os cachorros mais independentes, que não vão encontrar tantos problemas em passar o dia sem companhia, ou seja: são perfeitos para quem trabalha e precisa deixar o animal sem supervisão por várias horas.

Ainda assim, o cachorro precisa passear, receber atenção e, até mesmo, se exercitar fora do espaço onde passa o dia quando você chegar em casa — isso é necessário tanto para a socialização, quanto para a saúde do animal. Porém, optando por uma dessas raças, você corre menos risco de ter um cãozinho entediado ou com problemas psicológicos, como a ansiedade de separação, pelo tempo passado sozinho. Conheça as raças de cachorro mais independentes aqui embaixo!

1) Shih TzuO Shih Tzu é muito dócil e independente. O cãozinho consegue passar mais tempo sozinho sem reclamar.

O Shih Tzu é muito dócil e independente. O cãozinho consegue passar mais tempo sozinho sem reclamar.

Por que os gatos afofam as cobertas e os humanos

Um dos cachorros de porte pequeno mais popular da atualidade, o cachorro Shih Tzu tem uma personalidade super dócil e tranquila. Justamente por isso ele consegue ”se virar” bem quando está sozinho e dificilmente vai se entediar e latir demais. Ainda assim, ele é apegado ao dono e gosta de carinho: não decepcione o seu amigo quando tiver oportunidade de ficar juntinho dele!

2) AkitaAkita: apesar de ser um cachorro mais independente, demanda um cuidado maior na hora de ser educado.

Akita: apesar de ser um cachorro mais independente, demanda um cuidado maior na hora de ser educado.

A independência é um dos principais traços da personalidade do cão Akita Inu. Com descendência japonesa, ele tem o instinto de caça e proteção aos donos e, por isso, se não for bem socializado desde a fase de filhote, os cães da raça de cachorro Akita podem acabar ficando ariscos e, até mesmo, agressivos em alguns casos. Mesmo assim, ele é companheiro e também precisa de atenção, ok?

3) Husky SiberianoO cachorro Husky Siberiano é super sociável e não tem problema em ficar sozinho.

O cachorro Husky Siberiano é super sociável e não tem problema em ficar sozinho.

O cachorro Husky Siberiano também faz parte do time de animais de grande porte que são super independentes. Ao contrário do Akita, porém, o Husky Siberiano filhote, adulto ou idoso é super sociável e costuma conviver bem com outros animais e em casas movimentadas. Por isso, os dois lados da personalidade dele devem ser bem explorados para evitar algum possível trauma psicológico no animal.

4) SchnauzerO cachorro Schnauzer é conhecido pela inteligência e independência. Ideal para donos que precisam passar mais tempo fora de casa.

O cachorro Schnauzer é conhecido pela inteligência e independência. Ideal para donos que precisam passar mais tempo fora de casa.

Conhecido pelo “bigodinho” no focinho, o cachorro Schnauzer é super carinhoso, ama brincar e gosta de atenção, mas também tem independência e é inteligente o suficiente para ficar sozinho por algumas horas. Por ser muito apegado ao dono, esses momentos de solidão devem ser equilibrados com bastante atenção e carinho para que ele não se sinta abandonado: é comum que você ganhe uma “sombra” em todos os momentos em que estiver em casa!

5) BeagleO Beagle requer muita atenção para gastar a energia. Se bem treinado e com o estímulo certo, ele não sofre nos momentos que precisa ficar sozinho em casa.

O Beagle requer muita atenção para gastar a energia. Se bem treinado e com o estímulo certo, ele não sofre nos momentos que precisa ficar sozinho em casa.

Muito ativo, animado e, geralmente, até um pouco teimoso, o cachorro Beagle também tem a  independência como um traço de sua personalidade, mas cuidado: a curiosidade e a energia comum às raças de cães de caça pode fazer com que ele acabe se encantando pelo que não deve nos momentos em que fica sozinho em casa. O adestramento é necessário para que o cão aprenda o que pode ou não mordiscar, ou seja, o tutor precisa ter paciência para educar um amigo dessa raça.

6) Lhasa ApsoO Lhasa Apso é conhecido pela fofura extrema. Eles lidam super bem com ambientes tranquilos, mas precisam gastar a energia com passeios diários.

O Lhasa Apso é conhecido pela fofura extrema. Eles lidam super bem com ambientes tranquilos, mas precisam gastar a energia com passeios diários.

Pequeno, peludo e o sonho de qualquer pessoa que ama viver abraçada a um cachorro aconchegante, o Lhasa Apso também é super independente. No dia a dia, o cachorro Lhasa é bem tranquilo e, por isso, vai ficar sozinho numa boa, mas a história é a mesma das outras raças: ele também precisa de atenção sempre que for possível.

7) PinscherApesar da fama de bravinho, o pinscher não se importa em ficar sozinho em casa por algumas horas. Mas, quando você chegar em casa, ele vai querer compensar com muito carinho e brincadeiras!

Apesar da fama de bravinho, o pinscher não se importa em ficar sozinho em casa por algumas horas. Mas, quando você chegar em casa, ele vai querer compensar com muito carinho e brincadeiras!

Com fama de bravo apesar do tamanho, o cachorro da raça Pinscher é bem carinhoso e c

7 raças de cachorro mais independentes

heio de energia para gastar. A independência acaba vindo de sua autoconfiança super aflorada: na cabeça do Pinscher 0 e de outros tamanhos, ele é, na verdade, um Rottweiler. Ainda assim, ele gosta de carinho do dono: não negue o colo e as brincadeiras quando ele pedir!

Redação: Ariel Cristina Borges

FONTE: https://www.patasdacasa.com.br/noticia/7-racas-de-cachorro-mais-independentes_a447/1