Author: Redação

Sala de estar: como organizar em 10 passos!

Organize sua sala de estar em 10 passos: escolha o que e onde deve ficar cada coisa, e depois comemore o resultado com os amigos!

Quer deixar sua sala de estar linda e organizada?

Prepare-se, então, para o nosso passo a passo que vai te ajudar a entender melhor seu espaço disponível, o que precisa mesmo estar em sua sala de estar, o que você adoraria que tivesse e como cada móvel pode te ajudar nesta tarefa.

Passo a passo para organizar sua sala de estar

1- Sua sala de estar tem mais de um ambiente?

Por exemplo: Tem TV em sua sala de estar ou ela fica em um cômodo separado? Tem um recanto ou conjunto de móveis que compõem um espaço para curtir uma lareira, para ouvir música ou para leitura?

Entenda essa disposição antes de prosseguir. Note como esta sala de estar tem vários ambientes: Bar TV e até um cantinho para relaxar :

decoração-salas
Projeto Guto Requena

2- Sua sala de estar é integrada com outros ambientes?


Em algumas residências a sala de estar é integrada com a copa, à sala de jantar e até mesmo com uma cozinha americana ou até um bar.
Esse fator pode alterar totalmente  a maneira de organizar sua sala de estar.

3- Defina o que precisa realmente estar em sua sala de estar

Com isso nos referimos a utensílios e objetos práticos, não enfeites, que trataremos mais tarde
Você pode usar a sala de estar para guardar seus livros, CDs ( tem gente que ainda usa…), revistas, aparelhos de som e TV, controle remoto, chaves, guarda chuvas,utensílios para lareiras e até mesmo talheres e toalhas de mesa, quando os ambientes são integrados com a copa ou sala de jantar.

4- Visualize tudo que pode ser usado para organizar esses elementos

Quais os móveis compõem sua sala de estar  e podem ajudar a organizar todas essas coisas?
Racks, gaveteiros, estantes, mesas de centro e laterais, prateleiras, consoles, aparadores etc.

living-decoration
Projeto Quitete Faria Arquitetura

5- Que enfeites você faz questão de manter em sua sala de estar?

Vasos, cristais, bandejas, pratarias, cinzeiros, quadros, lembranças de viagem, estatuetas, candelabros, antiguidades e até livros.
São tantas as peças de decoração que a gente gosta e desejaria deixar exposta para nossos convidados verem, não é mesmo? Selecione as suas preferidas.

living-contemporâneo
Projeto Fernando Piva

6- Será preciso trocar algum móvel?

Com todos esses elementos que você precisa organizar em sua sala de estar, pode ser que você note que trocar um móvel talvez seja necessário.
Sempre é melhor trocar do que acrescentar mais um móvel porque o excesso de mobília pode deixar sua sala apertada.
Se esse for o caso, pense em móveis de dupla função, como mesa de centro com gavetas nas laterais ou com tampo de vidro tipo vitrine, aumentando a área aproveitável para apoiar objetos.
Uma dica para quem tem muitas coisas para organizar na sala de estar é usar prateleiras junto ao teto como neste ambiente, veja:

dicas-organização-e-decoração-sala
Projeto Artis Design + Fabio Bouilet e Rodrigo Jorge

7- Amplie o espaço com objetos organizadores

Reparou na imagem do modelo de sala de estar acima que , além das prateleiras, tem dois baús metálicos debaixo de um console?  E que ao lado dele tem caixas de madeira usadas como porta revistas?
Pense em que objetos podem ser bonitos, e ao mesmo tempo, ajudar a organizar sua sala de estar, confira estas sugestões:



8- Dê preferência por enfeites que também organizam e guardam

Baús, caixinhas de madeira marchetada, caixas de chá e até vasos e bandejas podem ajudar a “esconder” e organizar miudezas.



9– Hora de pôr as coisas no lugar

Comece pelo que é necessário. Tudo que não é bonito e não precisa estar à vista você deve colocar em móveis fechados, como gaveteiros e baús.
Os demais, nas prateleiras e nos móveis, mas tomando cuidado de escolher coisas bacanas, como seus livros encadernados, por exemplo, revistas de época e utensílios úteis e bonitos, como cinzeiros de cristal.

A seguir, organize os seus enfeites, mas sempre ligando-os a alguma funcionalidade do móvel que os sustenta. Por exemplo: não faz sentido pôr candelabros no cantinho do som, mas na área de leitura ou da lareira, podem ficar mais integrados.

sala-de-estra-decoração-amarela
Projeto IDB Arquitetura

10- Aprecie os resultados e chame os amigos

MeyerCortez  Arquitetura e Design
 

Agora que sua sala de estar está linda e organizada, já  sabe: prepare uma reunião com os amigos e aguarde os elogios!

* Estas dicas para organizar a sala de estar foram criadas pela equipe Viva Decora para o blog de decoração Jeito de Casa!
FONTE: https://www.jeitodecasa.com/2017/11/sala-de-estar-como-organizar-em-10.html

Veja 5 dicas para ter uma boa relação com seu vizinho

Os seres humanos se diferem uns dos outros por uma série de hábitos e comportamentos. É a essência, não tem como mudar. Mas ao mesmo tempo em que há diversidade, é preciso existir respeito aos limites do outro. E isso pode ser observado e aprendido com o vizinho, onde podemos exercitar relações de confiança e responsabilidade.

Temos horários de trabalho e lazer que também podem ser peculiares. Algumas pessoas têm cachorros em suas casas ou apartamentos, outras têm gatos, têm aquelas que criam papagaios e assim por diante. Todas essas coisas podem interferir de algum modo na vida de quem mora ao seu lado.

Um relacionamento amigável com quem mora ao lado tem a educação como base. Foto: iStock, Getty Images

Segundo o psicólogo Eduardo Wunsch, para viver em espaços compartilhados e evitar constrangimentos, é preciso respeitar as regras que regem esses ambientes. Além disso, é preciso ter em mente os direitos e deveres que temos em relação às pessoas que vivem ao nosso redor.

Seja educado com seu vizinho

Não é só a obediência às normas que torna o convívio harmonioso. A boa educação, a conversa, a tolerância, a simpatia e a gentileza são atributos humanos que também podem tornar agradáveis as relações das pessoas que vivem próximas.

Diante disso tudo, podem surgir dúvidas sobre quando e como podemos nos aproximar do vizinho. De acordo com o psicólogo, não é regra, mas na correria diária, a atenção das pessoas está mais voltada para os seus afazeres. E com isso, elas acabam restringindo suas convivências a um grupo de pessoas que estão em contato mais direto, como família e trabalho.

Às vezes, não nos damos conta da importância da boa vizinhança, e isso passa despercebido até que alguém venha até nós para tratar de algum assunto relativo ao condomínio, ao bairro ou à rua em que moramos.

Conforme Eduardo, se a pessoa sentir necessidade de desenvolver e manter uma boa relação com o vizinho, é preciso se esforçar para que isso aconteça. Pode ser trocando algumas palavras de vez em quando ou começando apenas com um sorriso amigável.

Cada pessoa tem a sua maneira de se relacionar. Assim, devemos ficar atentos sobre a nossa postura em relação ao espaço que ocupamos na vida de quem mora perto da gente.

É preciso ter em mente o quanto é importante poder contar com essas pessoas e, quem sabe, ter a certeza de ter encontrado amigos. Em lugares onde as pessoas se conhecem e se relacionam de forma amigável, a sensação de segurança é maior do que em outros lugares onde isso não acontece.

Ter um vizinho com o qual se pode contar aumenta a chance de um poder ajudar o outro no sentido de proteção física e material. Além disso,  formar uma aliança para tratar de alguma causa referente às necessidades do condomínio ou do bairro fica mais fácil

Como ser um bom vizinho

Para ter uma boa relação com o seu vizinho, algumas atitudes são importantes. Confira:

1. Educação

Seja educado, não esqueça das “palavras mágicas”: por favor, obrigada, bom dia, com licença.

2. Regras

Respeite regras referentes a horários de barulho, espaço e tempo.

3. Problemas

Mostre-se interessado em ajudar quando perceber algum problema no qual você pode interferir positivamente.

4. Ajuda

Permita-se ser ajudado quando as pessoas mostrarem interesse em solucionar problemas.

5. Amizade

Reforce vínculos e identifique possíveis amizades com quem mora ao seu lado.

FONTE:https://fortissima.com.br/2015/06/18/veja-5-dicas-para-ter-uma-boa-relacao-com-seu-vizinho-14701197/

10 dicas para economizar água

10 dicas para economizar água

1 – No banho: Se molhe, feche o chuveiro, se ensaboe e depois abra para enxaguar. Não fique com o chuveiro aberto. O consumo cairá de 180 para 48 litros.

2 – Ao escovar os dentes: escove os dentes e enxágue a boca com a água do copo. Economize 3 litros de água.

3 – Na descarga: Verifique se a válvula não está com defeito, aperte-a uma única vez e não jogue lixo e restos de comida no vaso sanitário.

4 – Na torneira: Uma torneira aberta gasta de 12 a 20 litros/minuto. Pingando, 46 litros/dia. Isto significa, 1.380 litros por mês. Feche bem as torneiras.

5 – Vazamentos: Um buraco de 2 milímetros no encanamento desperdiça cerca de 3 caixas d’água de mil litros.

6 – Na caixa d’água: Não a deixe transbordar e mantenha-a tampada.

7 – Na lavagem de louças: Lavar louças com a torneira aberta, o tempo todo, desperdiça até 105 litros. Ensaboe a louça com a torneira fechada e depois enxágue tudo de uma vez. Na máquina de lavar são gastos 40 litros. Utilize-a somente quando estiver cheia.

8 – Regar jardins e plantas: No inverno, a rega pode ser feita dia sim, dia não, pela manhã ou à noite. Use mangueira com esguicho-revólver ou regador.

9 – Lavar carro: Com uma mangueira gasta 600 litros de água. Só lave o carro uma vez por mês, com balde de 10 litros, para ensaboar e enxaguar. Para isso, use a água da sobra da máquina de lavar louça.

10 – Na limpeza de quintal e calçadas use vassoura: Se precisar, utilize a água que sai do enxágue da máquina de lavar.

Fonte: samaerne.com.br

Dica: Como passear com um cachorro medroso.

A maioria de nós conheceu ou, pelo menos, viu um cão tímido e temível em algum momento. Talvez um vizinho tenha um, talvez você tenha visto um em um abrigo, ou o seu cachorro é um cão medroso. Por isso o Dog walker ensina de hoje vai te dar dicas para passar com esse animal mais introvertido.

A maioria dos cães que conhecemos são sapecas, alegres e adoram conhecer novas pessoas e lugares, porém essas qualidades podem ficar um pouco escondidas em um cão medroso.

Não é que ele não quer sair para passear ou conhecer coisas novas, ele só tem uma personalidade um pouco diferente, e tudo bem, existem estratégias para que você possa lidar com isso de maneira normal.

Então hoje separamos uma série de dicas para você por em prática e aprender como passar com um cão medroso, ou até mesmo contar para o seu passeador caso ele não saiba ainda e precise melhor o desempenho com seu animal.

Existem períodos críticos no desenvolvimento de um cachorrinho, chamados de “janelas de socialização” e quase toda a personalidade de um cachorro é moldada durante seu primeiro ano de vida, sendo as primeiras 12 semanas as mais importantes.

A sociabilidade supera o medo no primeiro estágio de um filhote de cachorro, tornando esta “a principal janela de oportunidade para cachorros se adaptarem a pessoas, animais e experiências novas”.

Durante este tempo é que um cachorrinho aprende a desfrutar da companhia de pessoas, a agir adequadamente em torno de outros cães e a experimentar uma série de circunstâncias e situações sem medo.

Após as primeiras 12 semanas, a maioria dos cachorros se move para a fase de desenvolvimento inclinada ao medo e depois disso, se o filhote jovem não tiver sido socializado adequadamente, pode ser extremamente difícil para ele se adaptar a pessoas desconhecidas, cães e experiências.

Isso é mais do que um simples inconveniente, a timidez e o medo podem levar a agressões se não forem manipuladas adequadamente.

FONTE: https://kamasa.com.br/dica-como-passear-com-um-cachorro-medroso/

Jardins com pedras decorativas: Passo a passo e dicas

Decoração

Casa sem jardim fica sem graça, sem vida, não é mesmo? Por menor que seja, um belo cantinho verde bem-cuidado valoriza o ambiente e proporciona tranquilidade. E uma das formas de variar no design sem gastar muito é montar um jardim com pedras decorativas.

A boa durabilidade e a fácil manutenção são outros pontos positivos das pedras, encontradas em lojas de jardinagem ou em home centers.

Brita, granito, cascalho, pedra ardósia e pedra portuguesa estão entre os modelos mais utilizados para jardins. No entanto, a escolha do formato e do tamanho depende muito de cada projeto.

Jardim com pedras decorativas

Certos jardins enormes, com grandes canteiros, por exemplo, podem ser criados com pedras pequenas. Corredores de passagem geralmente necessitam de pedras maiores, para facilitar a circulação das pessoas.

Pequenos jardins decorados com pedras dão um toque elegante ao décor quando instalados dentro de casas ou apartamentos. Na sala de estar ou varanda, o ambiente fica leve, agradável e revigorante.

Instruções para fazer um jardim com pedras decorativas

Comece analisando o espaço que possui. Você precisa ter uma noção exata dele, de seus limites, de itens que deverá manter ou precisará remover. Uma dica é fazer um esboço, algo simples, para não deixar passar nada.

  • Anotadas as dimensões e limitações da área, é hora de planejar como os elementos do jardim com pedras decorativas serão distribuídos.
  • Lembre-se de deixar uma parte do local para o convívio, ou seja, inserir mesas e cadeiras ou sofás. O restante da área servirá para a decoração com pedras.
  • Tenha em mente que deve haver equilíbrio entre grama e pedras, sendo estas atualmente muito utilizadas para substituir o gramado.
  • Depois de definir o que deseja, vá a uma loja de construção, jardinagem ou bricolagem em busca de seixos e pedras.

Existe material de diversos tamanhos e cores, mas as pedras maiores são recomendadas, uma vez que não ficam ‘perdidas’ na areia. Alternar entre as brancas e cinzentas ou castanhas também é uma boa pedida para ter um contraste.

  • Prepare o terreno corrigindo possíveis irregularidades, removendo plantas antigas etc. Uma opção é marcar os espaços para as plantas e as pedras usando limitadores de grama. Mas há quem prefira não limitar os elementos.
  • Coloque as plantas de sua preferência e, em seguida, cubra o espaço no qual as pedras decorativas serão depositadas utilizando areia fina ou manta própria para jardins. A ideia é fixar melhor as pedras e evitar que elas fiquem sujas de terra.

Um truque para disfarçar os espaços entre as pedras é adicionar a mistura de dois tipos com tons parecidos ou terra arenosa.

Jardim com pedras

Concluído o jardim, observe-o para ver se ele precisa de algo mais…uma planta exta ou um caminho. Nos próximos dias, perceba também se nos dias chuvosos as pedras afundam ou separam. Se isso acontecer, talvez seja necessário trocar a manta ou acrescentar mais pedras decorativas.

Jardins com pedras: veja como decorar

Para criar design diferenciado, o segredo é combinar vários tamanhos e tons de pedras, mas não basta jogar tudo ali ‘de qualquer jeito’. Você pode criar formas circulares, onduladas, em espiral ou quadradas. O resultado é um jardim muito mais interessante!

Jardim com muro de pedras

Por exemplo: aproveite as pedras maiores para cercar o espaço de uma árvore e em volta disponha as pedras menores. Assim, se alguém pisar ali, acabará alcançando somente as pequenas, ou seja, não se aproximará tanto da árvore.

Jardins com pedras decorativas são têm sido bastante utilizados não somente nas áreas externas, mas também como décor de espaços verdes internos, inclusive em apartamentos. Aproveite as dicas de hoje, use a sua criatividade e garanta o seu cantinho natural bonito e relaxante.

FONTE: https://tudoela.com/jardins-com-pedras-decorativas/

 Vantagens de morar em condomínio fechado

Veja abaixo cinco motivos ou razões pelas quais vale a pena você investir na compra de uma casa ou mesmo na construção de um condomínio fechado. Privacidade, segurança, comunidade e outros.

orar em um condomínio fechado já foi sinônimo de status, mas hoje existe outros fatores que levaram muitas pessoas optar por este tipo de residência. Recentemente eu me mudei para um condomínio fechado e entre os motivos que me levaram a tomar essa decisão e que acredito que até de forma inconsciente influência também outras pessoas, estão relacionadas nos itens abaixo.

Privacidade

A privacidade é um fator muito importante e provavelmente um dos motivos que levam as pessoas a optar por condomínio fechado para morar. Nem todas as pessoas gostam de se expor ou ficar recebendo visitas a todo o momento como vendedores ambulantes, entregadores panfletos, entre outros tipos de acessos comuns nas casas do bairro aberturo.

Segurança

A segurança é outro fator muito forte e apontando como muitos como uma das vantagens de morar em condomínio fechado, embora sabemos muito bem que a segurança não é 100% em lugar nenhum e mesmo em condomínio fechado existem problemas relacionados a segurança, mas sabemos também que todo esforço é feito no sentido de minimizar as ocorrências e oferecer um pouco mais de condições de segurança, como portaria 24 horas, cerca elétrica, monitoramento por câmeras, ronda noturna, entre outros.

Comunidade

Pode ser que muitos não gosta disso, mas eu percebi que existe um senso de comunidade dentro de um condomínio, pelo menos no que eu moro sim. Isto fica caracterizado pelo fato de haver as famosas assembleias onde todos os condôminos reúnem e discutem temas relacionados ao convívio e a vários aspectos do condomínio, bem como o convívio diário com as pessoas fazem volta.

Espaço para as crianças

Em alguns condomínios as crianças são privilegiadas com espaços para brincadeiras, como parques, campo de futebol, piscina, entre outros espaços. Este item bastante importante para aquelas pessoas que tem crianças e desejam um espaço de recreação para seus filhos.

Estilo/padrão

Por fim, uma vantagem de morar em condomínio pode estar relacionada ao estilo de moradia é o padrão das residências que existe lá. Normalmente todos os condomínios em algum tipo de padrão de construção como metragem mínima, jardim na frente da casa, limitação quanto ao tipo de construção, entre outros. Alguns fazem exigências quanto ao estilo da casa, bem como ao estilo de vida que as pessoas deverão levar lá dentro. Isso pode ser uma vantagem uma vez que eu comprar uma casa ali, você já conhece de antemão qual é o estilo ou padrão do condomínio e com isso poderá adequar se também dentro desse padrão.

Fonte: casadicas.com.br

5 vantagens de morar em condomínio fechado

 

Morar em casa ou apartamento? Na hora da compra do imóvel próprio, essa é uma dúvida que assombra a cabeça de várias pessoas na hora de decidir qual imóvel comprar.

Contudo, ultimamente, a busca por condomínios fechados tem sido muito maior, seja pela segurança, privacidade ou pelos condomínios que possuem excelente opções de lazer.

Quer saber se é vantajoso mesmo? Saiba aqui cinco benefícios de morar em condomínio fechado.

1. Segurança

A segurança é um dos principais fatores considerados na compra de um imóvel

Com certeza a segurança é uma das maiores preocupações na hora de alguém escolher onde morar.

Nesse sentido, um prédio tende a ser mais seguro, seja pela presença dos vizinhos, que “vigiam” a sua casa na sua ausência ou pelo fato de alguns condomínios oferecerem guarita com porteiro e vigilância 24 horas.

2. Área de lazer

Assim como a segurança, o lazer é uma das coisas mais importantes para uma família.

Logo, nada mais natural do que escolher uma opção que ofereça uma área de lazer completa para garantir bons momentos em família, como é o caso da maioria dos bons condomínios fechados.

3. Bom custo benefício

Outro ponto positivo de comprar um imóvel em um condomínio é a divisão de custos.

Os gastos de reforma, manutenção e compras são reduzidos consideravelmente, uma vez que tudo é dividido entre os condôminos.

Além disso, os melhores condomínios, hoje em dia, oferecem sistema de captação de água e energia solar para as áreas comuns, o que traz uma economia considerável nas contas de água e energia, respectivamente.

4. Relacionamentos

Quem é pai ou mãe sabe: os pequenos sempre querem fazer amizade e nem sempre é possível deixá-los brincando na rua quando se mora em uma casa.

No condomínio, as crianças podem ficar amigas e brincar tranquilamente na área de lazer sem que os pais precisem se preocupar com quem andam ou se estão em segurança.

5. Sossego

Morar em casa é, muitas vezes, ser atrapalhado(a) por vendedores, entregadores de panfletos e outras pessoas durante o dia ou aos finais de semana.

Um prédio te dá mais tranquilidade quanto a essas visitas indesejadas, cabendo ao porteiro filtrar quem você deixará subir ou não.

Analisando esses pontos, fica claro que o conforto, a segurança e o lazer são pontos fortes de uma vida em um condomínio fechado. Aposte!

FONTE: https://ebsengenharia.com.br/5-vantagens-morar-condominio-fechado/

Saiba como combater o Aedes aegypti, se proteger das doenças e os mitos relacionados ao mosquito

Caça ao mosquito

Veja o passo a passo para eliminar os
criadouros do Aedes aegypti

 

Proteja-se da dengue e do zika no dia a dia

  • Evite água parada

    A principal maneira de se proteger é eliminar focos do Aedes aegypti. Por isso, crie uma rotina semanal de ações para eliminar os focos do mosquito na sua casa.

  • Proteja a sua casa com inseticida

    Use inseticidas aerossóis ao amanhecer ou no final da tarde. Mas, cuidado, tire bebês e crianças do cômodo onde você for aplicar o produto.

  • Afaste o mosquito com repelente

    Aplique o repelente em loção ou spray no máximo 3 vezes por dia e nunca próximo aos olhos, nariz, boca ou genitais. Repelentes de tomada e em espiral também podem ser utilizados para proteger a casa.

  • TratamentoEm caso de aparecimento de sintomas, é preciso procurar atendimento médico. Não há remédio contra a dengue. Recomenda-se repouso e a ingestão de bastante líquido. Deve-se evitar o ácido acetil salicílico (AAS) por causa do risco de hemorragia.
  • Complicações– Pode comprometer órgãos como pulmões, fígado, rins, coração e o sistema nervoso central- Também pode causar grave desidratação e, em casos graves, hemorragia. Pode até matar.
  • FONTE: https://noticias.uol.com.br/conteudopublicitario/tudo-sobre-zika-e-dengue

 

10 dicas para organizar gavetas do guarda-roupas

Gavetas são ótimos compartimentos para facilitar a nossa organização, mas mantê-las em ordem é que é o grande desafio.

Gavetas desorganizadas podem dificultar ainda mais na hora de encontrar o que precisamos. Encontrar uma forma ou sistema de fazer com que essa arrumação dure por pelo menos algumas semanas é o ideal para otimizar esse trabalho.

Não há uma receita exata, já que há diversos métodos de organização, e nem todos funcionam para todo mundo. Mas há algumas técnicas que podem te ajudar a manter as gavetas do seu guarda-roupas arrumadas por mais tempo, facilitando o seu dia a dia. Confira a seguir 10 dicas para te ajudar na hora de organizar as suas gavetas.

1 – Avalie e desapegue

O desapego é geralmente a regra número 1 quando o assunto é organização, seja no cômodo ou móvel que for. Nesse caso não poderia ser diferente, já que essa técnica vai te fazer economizar tempo durante a organização e ajudar a liberar espaço no seu guarda-roupa.

Selecione o que não serve mais, o que já não é mais útil para você ou o que não usa faz tempo. Aproveite para doar ou descartar essas peças. A doação de roupas é muito importante principalmente durante os meses de inverno: o que não sem utilidade para você pode fazer a diferença para alguém naqueles dias frios.

Você tem dificuldades em desapegar? Há um truque interessante para te auxiliar a visualizar o que pode ser descartado. Coloque as peças nos cabides e mantenha-os com os ganchos virados para fora. Ao usar as peças, vire os ganchos para dentro. Em alguns meses, você terá uma melhor noção dos itens que não são essenciais para você e só ocupam o valioso espaço do seu guarda-roupa.

2 – Se não amassa, vai na gaveta!

Alguns critérios podem ser utilizados para te ajudar a separar os itens que devem ser pendurados dos que podem ser dobrados.

O que não amassa pode ser colocado nas gavetas
O que não amassa pode ser colocado nas gavetas

Peças feitas de tecidos que amassam com facilidade devem ser penduradas em cabidesNunca pendure itens de lã ou linha, que podem acabar deformando devido ao seu peso. Essas peças devem ser dobradas. Se o tecido da roupa estica ou amassa quando ela fica pendurada, opte por dobrá-la.

Além disso, nas gavetas também podem ser guardadas t-shirts, regatas, lingeries, pijamas, roupas de ginástica, etc. Todos esses são itens mais fáceis de serem dobrados e que não amarrotam tão facilmente. O que geralmente penduramos são jeans, blazers, roupas de renda, camisas, blusas de tecido mais fino e casacos. Lenços e cachecóis vão bem em gavetas, mas podem ficar pendurados também, conforme a sua necessidade e preferência.

3 – Separe por categorias

Reserve uma gaveta para cada categoria de roupa de acordo com a sua funcionalidade, por exemplo: roupas íntimas, academia ou esportes, itens de piscina e praia, e assim por diante.

Organize cada gaveta de modo a facilitar a visualização do que vai dentro dela, mantendo as peças bem distribuídas e visíveis. Se preferir, você pode etiquetar cada gaveta para distinguir mais facilmente o que há dentro delas.

4 – Ordene por dias da semana

Esse método é principalmente usado nos guarda-roupas das crianças, mas é uma estratégia excelente, que você também pode aderir.

A organização das gavetas de acordo com os dias da semana e seus compromissos pode ser uma alternativa muito útil, principalmente se você possui um cotidiano agitado e cheio de compromissos. Isso vai te ajudar a manter a ordem e também facilita na correria do dia a dia.

Separar as gavetas com look para ser usado durante a semana também é uma excelente
Separar as gavetas com look para ser usado durante a semana também é uma excelente dica

Você pode organizar a sua roupa de acordo com os compromissos que vai ter em cada semana. Segunda-feira, reunião de trabalho. Terça-feira, academia. Quarta-feira, happy hour com o pessoal da firma. Quinta-feira, almoço com as amigas. Sexta-feira, ida ao banco. Escolha uma gaveta para cada dia da semana e monte seus looks com antecedência. Isso vai economizar muito do seu tempo.

Experimente colocar essa ideia em prática. No domingo à noite, escolha as roupas a serem usadas durante a semana, de acordo com seus afazeres e atividades. Você também pode levar em consideração a previsão do tempo para os dias seguintes, se for o caso, separando roupas para os dias frios ou chuvosos, por exemplo.

5 – Aprenda a priorizar

Há roupas que só usamos em ocasiões especiais, enquanto que outras marcam presença frequentemente em nossos looks. Esse pode ser outro critério interessante para organizar as suas gavetas.

Dê prioridade aos itens de acordo com o seu uso. Escolha as gavetas superiores para as peças de roupa mais usadas, e as inferiores para o que não é usado com muita frequência. Assim você deixa o essencial sempre à mão, o que vai poupar seu tempo e evitar bagunça na hora de procurar algo.

O mesmo se aplica no caso de roupas da estação. Você pode deixar as peças de inverno à mão apenas durante os meses mais frios, uma vez que elas são geralmente maiores e mais pesadas e ocupam mais espaço do que os demais itens do guarda-roupa.

No restante do ano, guarde-as em caixas ou malas, no alto do guarda-roupas ou em lugares onde estejam protegidas de pó e mofo. Atenção, no entanto, no caso das peças feitas de couro: essa dica não vale para esse tipo de roupa, que deve sempre ser pendurada para evitar vincos e deformações no tecido.

6 – Dobre do jeito certo

Dobrar as peças do jeito adequado é a melhor saída para preservar a organização das suas gavetas.

Comece dobrando os itens de maneira a deixá-los do mesmo tamanho. Se preciso, utilize algo que sirva como molde para auxiliar no trabalho. Um pedaço retangular de papelão ou até mesmo uma revista podem servir nesse caso.

Depois que dobrar as peças, empilhe-as em cascata, mantendo um espaço de dois dedos para dentro da anterior. Isso vai te ajudar a reconhecer os itens e identificá-los com mais rapidez e facilidade na hora de se vestir.

As t-shirts podem ser dobradas em tubos ou enroladas, o que te ajudará a economizar espaço. O mesmo vale para as toalhas e roupas de cama.

Ao dobrar os pares de meias, enrole-os ou dobre-os normalmente, ao invés de fazer bolinhas, que podem esticar suas fibras e deformá-los. Sutiãs de bojo e aro devem ficar abertos, pois dobrá-los pode acabar entortando a sua estrutura. Empilhe-os um em cima do outro para economizar espaço.

Confira no vídeo a seguir algumas técnicas de dobra que farão toda a diferença na hora de organizar o seu guarda-roupa:

7 – Organize cores e estampas

Sabe quando você precisa de uma peça de cor específica para combinar com a que já está vestindo e não encontra o item procurado em lugar algum? A separação das suas roupas de acordo com as cores e estampas é outra dica bacana, que vai te ajudar a pôr fim nesse problema.

Organize por estampas- ou cores
Organize por estampas- ou cores

Essa é uma das regras fundamentais de como organizar gavetas, além de criar um visual harmonioso que vai te manter motivado a manter a arrumação. Esse método é ainda mais útil quando há uma grande quantidade de peças na mesma cor – pretas ou brancas, por exemplo.

Você pode organizar os itens de maneira a formar um aspecto degradê, o que fica um charme. As camisetas podem ser divididas conforme o comprimento de suas mangas, por exemplo, e depois de acordo com as suas cores.

Quanto aos itens estampados, você pode separá-los em uma só pilha, ou, se houver a necessidade, de acordo com o padrão da estampa: geométricas, florais, com listras, poás, xadrez, e assim por diante. Se você houver poucas peças estampadas, encaixe-as de acordo com a cor aproximada da estampa.

8 – Guarde no lugar

Sabe-se que manter a organização é muito mais fácil do que colocar algo em ordem, não é mesmo?!

Ainda mais quando essa missão se trata de arrumar o guarda-roupas.

Acredita-se que as primeiras seis semanas que seguem a implementação de um novo sistema de arrumação são referentes ainda a um período de adaptação.

Pode ser que nesses primeiros dias tenhamos alguma dificuldade a nos adequar às mudanças, mas depois disso fica muito mais fácil. Mantenha isso em mente e não desanime!

Por isso é importante preservar a nova arrumação. Ao usar uma roupa ou tirá-la da gaveta, guarde-a novamente no lugar reservado a ela ou, se for necessário, mande-a diretamente para o cesto de roupas sujas. Exercitar esse hábito evita o acúmulo de roupas espalhadas pelo quarto ou pelo móvel.

9 – Invista em divisórias e separadores

Divisóriascaixascolméias e separadores são uma solução perfeita no caso de gavetas grandes ou muito fundas.

Esses itens irão te ajudar a separar as peças em categorias e a deixar a gaveta ainda mais organizada. Valem principalmente no caso de peças pequenas, como roupas íntimas, cintos e lenços. Além de contribuir com uma boa organização, esse tipo de objeto também facilita na visualização de todas as peças.

Outra opção é fazer você mesma um organizador para a sua gaveta. É mais fácil do que você imagina, confira o tutorial no vídeo a seguir:

10 – Otimize espaço

Quem tem casa ou quarto pequeno sabe como é valioso aproveitar cada cantinho. Nesses casos, otimizar espaço é o ideal para organizar seus pertences de maneira estratégica.

Se houver espaço embaixo da sua cama, por exemplo, você pode instalar gavetas personalizadas no local. Essa é uma alternativa excelente para ganhar espaço e manter os ambientes organizados. Nelas você pode guardar roupas de cama e banho, peças de inverno ou calçados.

Você mesmo pode construir sua gaveta!
Você mesmo pode construir sua gaveta!

Você pode optar por adaptar pallets para essa função ou até mesmo reformar uma gaveta velha, customizando-a para se adequar a esse tipo de uso.

É importante lembrar que quando se trata de organização não há regras ou uma técnica específica que vá necessariamente resolver o problema de uma vez por todas. Teste e combine as diferentes dicas citadas neste texto e avalie quais delas atendem às suas necessidades.

O importante é criar uma estratégia prática e funcional, que favoreça a boa visualização das suas roupas e facilite o seu dia a dia.

FONTE: http://blog.organizatop.com.br/dicas-para-organizar-gavetas-do-guarda-roupas/

Cuidados com os cachorros que vivem no quintal de casa

Ter uma área externa na casa, na qual o seu animal de estimação possa se exercitar, é bastante recomendado pelos veterinários.

No entanto, não basta ter um bom espaço para o seu cãozinho, pois o tutor deve estar atento a alguns cuidados e confortos para que os pets estejam protegidos de doenças e outros problemas.

Os cachorros que vivem fora de casa também precisam de abrigo e um local adequado para dormir e se alimentar. Neste artigo, veja algumas dicas de confortos e cuidados para os cães que vivem no quintal.

Conforto para os cães que vivem no quintal de casa

cuidados-com-os-cachorros-que-vivem-no-quintal-de-casa

Foto: depositphotos

Os cachorros que vivem fora de casa necessitam de abrigo e um local confortável para dormir e se alimentar. Caso não haja uma área de serviço, garagem ou varanda coberta, o tutor deverá providenciar uma casinha para o seu animal de estimação.

De acordo com especialistas, a melhor opção é construir um canil, que servirá como o espaço exclusivo do cachorro, onde ele terá cama, comida e área para descansar.

O material mais indicado para a construção da casinha é a alvenaria, mas há opções de madeira, plástico e metal. O tutor deve se lembrar que, apesar de ter o seu cantinho, o cachorro deve ficar solto a maior parte do dia.

Para uma área externa segura e confortável, também é importante que o animal disponha de área ao ar livre, para tomar sol e se exercitar. É necessário que o local seja limpo e seco.

O cantinho bem planejado e higienizado para o cachorro deve ser dividido entre área calçada (piso áspero) e grama, pois proporciona mais mobilidade.

Cuidados com os cães na área externa de casa

Além de preparar um cantinho para o cachorro, os tutores também devem estar atentos a outros detalhes. Se a área externa possui plantas, você deve saber que algumas delas podem ser altamente tóxicas para o seu animal de estimação.

Dentre as plantas que podem trazer sérios problemas de saúde ao seu amigo canino estão a espada de São Jorge e azaleia.

Os portões devem ser mantidos fechados, pois, apenas com um pequeno descuido do tutor, o cachorro poderá sair de casa. Quando os animais ainda são filhotes, é necessário estabelecer regras e ensinar ao cãozinho quase são os limites, colocando grades ou muros nas áreas que ele não pode ocupar.

O tutor também deve se lembrar de que ter um ótimo espaço externo para o seu pet não supre a necessidade de passeios, tampouco de atenção e carinho.

FONTE: https://www.clubeparacachorros.com.br/tabombando/cuidados-com-os-cachorros-que-vivem-no-quintal-de-casa/