Monthly Archives: janeiro 2021

7 dicas para brincadeiras com crianças no quintal de casa

Qual a sua brincadeira de criança favorita? Existem tantas brincadeiras com crianças legais que é até difícil escolher uma como a melhor de todas. Não há nada melhor do que brincar, é por isso que as crianças fazem isso o dia todo. Uma boa maneira de aproveitar os espaços dos quintais é com brincadeiras, não tem nada melhor! Separamos algumas dicas para mostrar que ficar dentro de casa pode ser bem divertido.

1 – Cada macaco no seu galho

Um participante é escolhido para ser o caçador, os demais serão os macacos. Os macacos fazem uma roda e o caçador fica no meio. Os macacos vão girando a roda. Quando o caçador gritar: “cada macaco no seu galho!”, eles deverão correr e subir em algum lugar alto (cadeira, escada etc). Enquanto estiverem no chão, poderão ser pegos pelo caçador.

2 – Chicotinho queimado

Pegue um pedaço de pano para ser o chicotinho queimado. Um participante será o mestre e esconderá o chicotinho sem que as outras crianças vejam. Depois, todos saem para procurar. Quando um participante chegar perto do chicotinho escondido, o mestre deverá dizer: “está esquentando”; se ele se afastar, o mestre dirá: “está esfriando”. Vence quem conseguir achar o chicotinho.

3 – Morto-vivo

Essa brincadeira é muito popular e as crianças adoram! Funciona assim: um dos participantes deve ser escolhido como o líder e vai direcionar os outros com as instruções, que deverão ser obedecidas por todos os demais jogadores. Quando o líder disser: “morto!”, todos então deverão ficar agachados. Quando o líder disser: “vivo!”, aí todos deverão se levantar. Quem não for cumprindo as ordens dessa forma, deverá ser eliminado. O último que sobrar, vence e deverá ser o próximo líder. Essa brincadeira vai aumentando o nível de dificuldade. Os comandos vão sendo dados numa velocidade maior. Ou então, um comando diferente após vários comandos iguais, para confundir os jogadores: “Vivo! Vivo! Vivo! Vivo! Vivo! Vivo! Morto!”

4 – Corrida de três pernas

Desenhe uma linha de chegada no chão. Forme duplas com os participantes e amarre a perna direita de um com a perna esquerda do outro. Ao sinal da largada, as duplas deverão correr até a linha de chegada. Vence a dupla que chegar primeiro sem cair ou soltar as pernas amarradas.

5 – Estátua

Quem nunca brincou de “Estátua”? Um dos participantes deve ser escolhido para ser o líder. Ele então coloca uma música para tocar, pode ser qualquer uma. Enquanto essa canção toca, os outros participantes dançam. Em algum momento, de surpresa, o líder grita: “Estátua!”. Nesse mesmo instante, a música para e todos os participantes que estavam dançando ficarão congelados na mesma pose em que estavam no momento exato em que a música parou. Todos ficarão parados até os participantes irem se mexendo. Quem resistir por último, vence, e então será o novo líder.

6 – O mestre mandou

Escolha um participante para ser o mestre. Os demais obedecerão a ele. O mestre dá uma ordem, começando com “o mestre mandou”, por exemplo: “o mestre mandou pegar uma pedrinha”. Quem não pegar, sai. Quem pegar, continua. Até que sobre somente um participante, que será o novo mestre.

7 – Picnic

Junte pães e frutas, sucos, bolos e leve tudo para o quintal. Leve também joguinhos de mesa para todos poderem jogar enquanto fazem o lanche. Não esqueçar, é claro, de uma toalha de mesa para forrar o chão e assim deixar o ambiente ainda mais confortável.

Uma das melhores vantagens de morar em uma casa é proporcionar uma infância à moda antiga para as crianças. Cada dia pode ser uma aventura diferente!

FONTE: https://www.lotescbl.com.br/blog/7-dicas-para-brincadeiras-com-criancas-no-quintal-de-casa/

Política da boa vizinhança: 7 dicas para conviver com vizinhos

A política da boa vizinhança é fundamental para quem vive em um condomínio. De fato, não dá para entrar em atritos e viver se chateando com as pessoas que o cercam, por mais que as divergências existam. O respeito, a paciência e o diálogo são boas maneiras de lidar com a vida em sociedade, o que é basicamente o cotidiano de quem reside em prédios.

O grande segredo, nesse caso, está em evitar tomar decisões enquanto estiver no calor de uma situação estressante e sempre ter na memória uma verdadeira cartilha de não deixar que problemas simples acabem crescendo.

Quer saber mais? Vamos mostrar dicas essenciais para conviver com vizinhos e exercer as melhores práticas na hora de garantir a harmonia em longo prazo. Acompanhe a leitura.

1. Conheça e respeite as regras do condomínio

Todo condomínio tem regras de convivência. Elas abrangem orientações sobre comportamento nas áreas comuns, dentro de casa e na forma como os moradores usufruem a infraestrutura dos prédios. É importante que, primeiramente, cada um saiba exatamente quais são as restrições. Isso garante que nenhuma atitude proibida seja praticada, ainda que sem intenção.

Conhecer as regras é obrigação de cada condômino, especialmente porque muitas delas estão sujeitas a multas. Informe-se nas reuniões ou solicite ao síndico uma melhor divulgação dessas orientações. Assim, você e seus vizinhos estarão sempre informados.

Fundamental também é seguir todas as regras e diretrizes à risca. De nada adianta conhecê-las e não colocá-las em prática. Lembre-se de que se alguém as definiu, foi pensando justamente na harmonia do condomínio. Segui-las é mostrar respeito e colaborar para a política da boa vizinhança.

2. Respeite as áreas compartilhadas

As áreas comuns do condomínio exigem ainda mais um comportamento comunitário entre todos os moradores. Elas são divididas e podem ser frequentadas por qualquer um, justamente por isso as regras precisam ser observadas e cumpridas. Há vários comportamentos que podem gerar desconforto, insatisfação e até mesmo atritos em alguns momentos.

No estacionamento, respeite as restrições de vagas e estacione adequadamente. Na piscina, respeite o espaço dos outros moradores e seja um vizinho agradável. isso também deve ser praticado na área de lazer, na portaria e em qualquer outra área compartilhada. A gentileza e a educação devem sempre ser as bases para o comportamento nesses locais.

Exercer essa preocupação pode ser muito positivo para gerar uma boa imagem para os moradores. A convivência em espaços comuns a todos será sempre um desafio, mas as chances de ter um condomínio harmonioso e pacífico crescem se cada um fizer a sua parte.

3. Cuide do lixo gerado

Esse é um problema muito comum e que deve ser pensado com todo cuidado para preservar a política da boa vizinhança. Lixo é coisa séria e deve ser controlado com todo cuidado por cada morador. O condomínio tem suas próprias regras e rotinas quanto ao recolhimento do lixo, então é fundamental segui-las para evitar qualquer situação desagradável.

Primeiramente, faça sempre o descarte adequado. Procure jogar seu lixo apenas em locais recomendados para que o recolhimento aconteça posteriormente. Não dá para deixá-lo em qualquer canto esperando que alguém o leve. Pode ser muito chato para os condôminos lidar com sacos que não são seus, especialmente se eles estiverem pelo caminho.

Outro ponto importante é a proteção do lixo. Use sacos fortes e que não tenham riscos de rasgos. Isso evita problemas no recolhimento. Vidros e objetos cortantes podem ser enrolados em jornais, evitando que alguém se machuque. Respeite também as diferentes lixeiras para descartes orgânicos, de metais, plásticos e papéis.

4. Busque conhecer os vizinhos

Por que não conhecer os vizinhos? Muitas vezes essa é uma ótima oportunidade de conduzir qualquer situação que possa ocorrer, fruto da convivência em um condomínio. Quando possível, puxe assuntos comuns, sem ser invasivo ou curioso quanto à vida pessoal de cada um. Gerar esse contato, mesmo que mínimo, mostra que você é uma pessoa aberta a diálogos.

Problemas futuros podem ser resolvidos muito mais facilmente se, em algum momento, você demonstrou abertura e simpatia. Por mais que você seja reservado, é comum precisar de outros vizinhos, ou até mesmo de contatos esporádicos para solucionar situações. Se você os conhece, terá mais facilidade para conduzir qualquer questão.

Naturalmente, não é necessário forçar nenhum tipo de amizade, se esse não for o caso. A política da boa vizinhança é fortalecida quando todos exercem a simpatia e a educação. Esse é o passo inicial para viver em um lugar melhor para todos.

5. Preze pela conciliação sempre que houver problemas

Problemas podem acontecer na vida em condomínio: desavenças, desacordos e até mesmo a falta de respeito das regras de convivência geral. Nesses momentos, é preciso ter calma, paciência e muito diálogo. A conciliação é sempre o melhor caminho para que tudo fique da melhor forma para os lados envolvidos.

Busque um diálogo direto se você enfrenta algum problema frequente com um vizinho específico. Com a abordagem correta, essa atitude não vai parecer incisiva demais, muito pelo contrário. Com respeito e educação, a outra pessoa entenderá que está gerando algum transtorno e vai considerar a sua solicitação — esse pode ser sempre o primeiro passo para a solução.

síndico também precisa exercer o papel de conciliador no condomínio. Se preferir, comunique o problema a ele e se mostre disponível para um diálogo de resolução do problema caso você não se sinta bem em abordar diretamente o condômino. Há maneiras pacíficas e simples de resolver essas questões e, acredite, essa é sempre a melhor saída!

6. Seja solidário e participativo

Ainda que não seja obrigatória na política da boa vizinhança, a solidariedade faz toda diferença na vida em comunidade. Pessoas têm diversas necessidades e, em algum momento, pode ser que a sua ajuda resolva algum problema. Por que não se mostrar disponível para auxiliar? Condôminos precisam estar sempre prontos para ajudar com questões mais simples possíveis.

A velha história do vizinho que bate na sua porta para pedir um pouco de açúcar é muito explorada em campanhas publicitárias, e realmente ela pode acontecer. Assim como essa situação, muitas outras ajudas e colaborações podem ser solicitadas e, de sua parte, também podem ser oferecidas de maneira ativa. Ajudar é sempre importante, já que você pode precisar de algum suporte no futuro.

A participação no condomínio também se faz fundamental. Vá às assembleias, reuniões, confraternizações e momentos em que se tomam decisões ou comemoram juntos. Você não precisa ser o amigo de todos, mas ter bom trânsito e contar com a simpatia dos moradores será ótimo para a sua convivência no condomínio.

7.Conheça as principais causas de conflitos

Mesmo que você seja uma pessoa extremamente paciente e sempre preze por resolver os problemas de maneira calma, conviver com os vizinhos é uma via de mão dupla. Ou seja, a paz não depende apenas de uma das partes, concorda? Quando alguém fica no prejuízo, torna-se muito comum que essas questões parem no poder judiciário.

Como o que você menos deseja é perder tempo e dinheiro correndo atrás de advogados em processos que nem sempre compensam o estresse envolvido, o melhor caminho é ficar por dentro de quais são os fatores que fogem da boa convivência e das soluções mais utilizadas para acalmar os ânimos sem desagradar nenhuma das partes.

FONTE: https://www.blogdamrv.com.br/politica-da-boa-vizinhanca-7-dicas-para-conviver-com-vizinhos

6 tipos de atividades simples para você sair do sedentarismo

1 – Caminhadas perto de casa

Um dos impeditivos para o sedentário adiar a prática de atividade física é o quão complicada ela é.

Ter que acordar cedo, pegar o carro, enfrentar trânsito, chegar a uma academia, trocar de roupa, esperar alguém sair do aparelho e outras situações assim são grandes argumentos para se deixar de lado a tentativa de se exercitar.

Por isso, comece de um jeito que não trará maiores dificuldades. Para caminhar perto de casa, basta colocar tênis e roupa apropriados e pronto. Nem é preciso ir longe, pode até dar voltas no quarteirão da moradia.

Opte por trechos com boas calçadas para evitar andar na rua.

O ideal é que a passada seja um pouco acelerada, mas comece no ritmo que achar mais confortável e vá aumentando aos poucos.

No início, de 30 minutos a 1 hora, três vez por semana, são suficientes. Depois caminhe mais dias por semana.

sair do sedentarismo

 

2– Aproveite todas as oportunidades de caminhar

Fora as caminhadas programadas, citadas acima, aproveite toda a chance que tiver para andar a pé.

Levar o cachorro para passear, ir à padaria ou ao mercadinho no bairro, comprar remédio, ir à casa do vizinho algumas quadras adiante, enfim, sempre que puder ande em vez de pegar o carro.

Se a padaria é muito perto, na mesma quadra da sua casa, por exemplo, force um pouco mais e dê uma volta por um caminho para que fique mais longe.

 

3 – Passeios de bicicleta

Quanto tempo faz que não anda de bike? Como dizem, isso a gente nunca esquece.

Se não tem uma, avalie fazer o investimento em um modelo que atenda as suas necessidades. Há várias opções com ótimo custo-benefício.

Com a bike, você pode andar pelo bairro e nos parques. Se tem filhos, o passeio ajuda você a sair do sedentarismo e fica ainda mais divertido.

No começo, não se preocupe com altas quilometragens. Pedale o suficiente para sentir que está fazendo esforço. Na medida em que for tendo mais fôlego, aumente as distâncias percorridas.

 

4 – Atividades do dia a dia dentro de casa

Se você mora em casa, outra opção que ajuda a sair do sedentarismo são as atividades corriqueiras na residência.

Lavar ou varrer o quintal, lavar o carro, colocar e tirar a roupa do varal, guardar as compras do supermercado, dar banho no cachorro e cortar a grama são boas opções.

Analise nas tarefas cotidianas tudo o que você pode fazer para se movimentar e deixe a preguiça de lado.

Experimente, por exemplo, abrir mão do controle remoto e ir até a TV toda vez que precisar aumentar ou diminuir o volume e trocar de canais.

 

5 – Aprenda a gostar das escadas

Tem gente que mora no segundo andar e nem sabe onde ficam as escadas. Se este é o seu caso, comece a partir de agora a trocar o elevador pelos degraus.

Subir e descer faz um enorme bem para a melhora no condicionamento físico, além de ajudar a fortalecer os músculos da perna.

Vá devagar, com os pés bem plantados em cada degrau. Depois, quando melhorar a condição cardiovascular, amplie a experiência para mais andares acima.

Da mesma forma, quando for a qualquer lugar que haja escadas, abra mão do elevador.

sair do sedentarismo

 

6 – Faça exercícios funcionais

Você já deve ter visto aquelas fitas elásticas coloridas, steps, halteres, bolas de pilates e uma infinidade de artigos muito comuns em academias.

Pois bem, mesmo que não os conheça, vá até uma loja de esporte e os encontrará facilmente.

Estes artigos servem para alguns tipos de exercícios simples, que podem ser feitos em qualquer lugar, inclusive em casa.

O ideal, neste caso, é que haja o acompanhamento de um profissional de educação física. Porém, com algumas indicações na própria loja em que comprar, você já será capaz de executar movimentos simples e extremamente benéficos para o organismo, o que o ajudará a sair do sedentarismo.

Com a faixa elástica tipo Thera Band, por exemplo, você pode prendê-la no pé pelo meio dela e puxar as extremidades para cima, uma em cada mão, fazendo um exercício para os bíceps.

Com halteres também se faz exercícios para os bíceps, tríceps e peitoral.

Com o step é possível fazer o movimento de subida e descida, alternando os pés. Além de melhorar a condição cardiovascular, também ajuda no fortalecimento muscular.

FONTE: https://www.mobraz.com.br/blog/sair-do-sedentarismo/

POR QUE MORAR EM UM CONDOMÍNIO FECHADO?

Um condomínio fechado é aquele que reúne várias residências em uma área que é completamente isolada do exterior por meio de muros ou grades. E esse estilo de moradia tem se popularizado muito nos últimos tempos. As razões para isso você pode encontrar abaixo:

SEGURANÇA

Quem não busca um local em que possa se sentir em segurança? E esse é um dos principais benefícios de morar em um condomínio fechado: a segurança que você e sua família terão. Por ser fechado, as pessoas que acessam o local em que estão situadas as casas ou sobrados devem ser previamente identificadas. Isso impede que pessoas má intencionadas tenham fácil acesso.

PORTARIA

Também reflexo da segurança que os condomínios possuem, a portaria é um local que apresenta uma enorme comodidade para os residentes. Isso porque o porteiro sempre está lá para atendê-lo: seja para liberar sua entrada, receber seus convidados, receber suas encomendas ou, por que não, tomar um cafezinho e bater aquele papo?

COMODIDADE DE MORAR EM UM CONDOMÍNIO FECHADO

condomínio fechado

Muitos condomínios fechados apresentam uma série de comodidades para os seus habitantes. Piscina, academia, salão de festas e quadras de esportes são alguns dos espações de lazer que você pode encontrar em certos condomínios fechados. Além disso, há espaço para deixar o carro dos seus convidados.

SENSO DE COMUNIDADE

Uma das experiências únicas de morar em um condomínio fechado são os laços sociais que você acaba criando com os seus vizinhos. Por morarem muito próximos e frequentarem os mesmos espaços em comum dentro do condomínio, você acaba criando uma relação com todos que moram no condomínio. Com o tempo, quem sabe, eles podem até mesmo acabar se tornando seus amigos!

FONTE: https://www.endepro.com.br/blog/por-que-morar-em-um-condominio-fechado/

Cuidar de plantas pode ajudar no combate à depressão

 

Reservar um espaço em casa para fazer um jardim ou até mesmo cuidar de uma plantinha é uma maneira de integrar a natureza ao cenário urbano. Além de compor um ambiente bonito e agradável, o contato com o verde ajuda a aliviar as tensões e proporciona benefícios à saúde mental.

“É uma maneira de diluir as preocupações e frustrações do cotidiano, pois canaliza a atenção para algo que dá prazer. É como um esporte, leitura ou outra atividade relaxante, por exemplo”, explica o médico psiquiatra Luan Diego Marques.

No caso das plantas, os benefícios vão além, já que o contato com a terra remete à natureza e trata da vida de outro ser. “Existem algumas pesquisas que mostram como esse cuidado pode ser importante no combate à depressão e outras doenças. Ver algo brotar da terra, sabendo que fomos responsáveis por aquela semente, é algo muito gratificante. Traz muita satisfação”, destaca Marques.

Cuidar das plantas em casa exige cuidados

Não é só comprar um vaso bonito para enfeitar. O primeiro passo para prolongar a vida desses seres é identificar qual é o tipo de planta você está levando para casa, ela precisa se adaptar bem ao local.

Se não tiver luz natural, opte por plantas que precisam de pouco sol. Se o seu tempo para regar for curto, escolha suculentas ou da família do cactos. “E, para prolongar a vida útil das plantinhas, fique atento ao solo e sua folhagem. Solos muito secos precisam de rega e folhas ressecadas ou sem cor, precisam de cuidados de acordo com sua espécie”, explica Eiiti Yuri, plant design.

No início do isolamento, as pessoas tinham mais tempo para ter aquele cuidado especial com as plantinhas. Com a rotina voltando ao normal, pode ser que atenção não seja mais a mesma. No entanto, a afinidade que se cria com cada planta faz diferença na hora de querer prolongar a vida útil de cada uma delas. “É necessário entender qual é a sua planta e o que ela necessita. Essas coisas levam tempo e não desista se uma ou outra morrer durante o caminho”, conclui Eiiti.

FONTE: http://reporter1.com.br/index.php/2020/09/30/cuidar-de-plantas-pode-ajudar-no-combate-a-depressao/

11 benefícios da caminhada para o corpo e a mente

 

1.Melhora a circulação

Um estudo feito pela USP, de Ribeirão Preto, provou que caminhar durante aproximadamente 40 minutos é capaz de reduzir a pressão arterial durante 24 horas após o término do exercício. Isso acontece porque durante a prática do exercício, o fluxo de sangue aumenta, levando os vasos sanguíneos a se expandirem, diminuindo a pressão.

Além disso, a caminhada faz com que a as válvulas do coração trabalhem mais, melhorando a circulação de hemoglobina a e oxigenação do corpo. “Com o maior bombeamento de sangue para o pulmão, o sangue fica mais rico em oxigênio. Somado a isso, a caminhada também faz as artérias, veias e vasos capilares se dilatarem, tornando o transporte de oxigênio mais eficiente às partes periféricas do organismo, como braços e pernas”, explica o fisiologista Paulo Correia.

2.Deixa o pulmão mais eficiente

O pulmão também é bastante beneficiado quando caminhamos. De acordo com Paulo Correia, as trocas gasosas que ocorrem nesse órgão passam a ser mais poderosas quando caminhamos com frequência. Isso faz com que uma quantidade maior de impurezas saia do pulmão, deixando-o mais livre de catarros e poeiras.

“A prática da caminhada, se aconselhada por um médico, pode ajudar também a dilatar os brônquios e prevenir algumas inflamações nas vias aéreas, como bronquite. Em alguns casos mais simples, ela tem o mesmo efeito de um xarope bronco dilatador”, explica.

3. Combate a osteoporose

O impacto dos pés com o chão tem efeito benéfico aos ossos. A compressão dos ossos da perna, e a movimentação de todo o esqueleto durante uma caminhada faz com que haja uma maior quantidade estímulos elétricos em nossos ossos, chamados de piezelétrico. Esse estímulo facilita a absorção de cálcio, deixando os ossos mais resistentes e menos propensos a sofrerem com a osteoporose.

“Na fase inicial da perda de massa óssea, a caminhada é uma boa maneira de fortalecer os ossos. Mesmo assim, quando o quadro já é de osteoporose, andar frequentemente pode diminuir o avanço da doença”, diz o fisiologista da Unifesp.

4. Afasta a depressão

Durante a caminhada, nosso corpo libera uma quantidade maior de endorfina, hormônio produzido pela hipófise, responsável pela sensação de alegria e relaxamento. Quando uma pessoa começa a praticar exercícios, ela automaticamente produz endorfina.

Depois de um tempo, é preciso praticar ainda mais exercícios para sentir o efeito benéfico do hormônio. “Começar a caminhar é o inicio de um círculo vicioso. Quando mais você caminha, mais endorfina seu organismo produz, o que te dá mais ânimo. Esse relaxamento também faz com que você esteja preparado para passar cada vez mais tempo caminhando”, explica Paulo Correia.

5. Aumenta a sensação de bem-estar

Uma breve caminhada em áreas verdes, como parques e jardins, pode melhorar significativamente a saúde mental, trazendo benefícios para o humor e a autoestima, de acordo com um estudo feito pela Universidade de Essex, no Reino Unido.

Comparando dados de 1,2 mil pessoas de diferentes idades, gêneros e status de saúde mental, os pesquisadores descobriram que aqueles que se envolviam em caminhadas ao ar livre e também, ciclismo, jardinagem, pesca, canoagem, equitação e agricultura, apresentavam efeitos positivos em relação ao humor e à autoestima, mesmo que essas atividades fossem praticadas por apenas alguns minutos diários.

6. Deixa o cérebro mais saudável

Caminhar diariamente é um ótimo exercício para deixar o corpo em forma, melhorar a saúde e retardar o envelhecimento. Entretanto, um novo estudo da Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, mostra que esse efeito antienvelhecimento do exercício pode ser possível também em relação ao cérebro, ao aumentar seus circuitos e reduzir os riscos de problemas de memória e de atenção. “Os estímulos que recebemos quando caminhamos aumento a nossa coordenação e fazem com que nosso cérebro seja capaz de responder a cada vez mais estímulos, sejam eles visuais, táteis, sonoros e olfativos”, comenta Paulo Correia.

Outro estudo feito pela Universidade de Pittsburgh, afirma que as pessoas que caminham em média 10 quilômetros por semana apresentam metade dos riscos de ter uma diminuição no volume cerebral. Isso pode ser um fator decisivo na prevenção de vários tipos de demência, inclusive a doença de Alzheimer, que mata lentamente as células cerebrais.

7. Diminui a sonolência

A caminhada durante o dia faz com que o nosso corpo tenha um pico na produção de substâncias estimulantes, como a adrenalina. Essa substância deixa o corpo mais disposto durante as horas subsequentes ao exercício. Somado a isso, a caminhada melhora a qualidade do sono de noite.

“Como o corpo inteiro passa a gastar energia durante uma caminhada, o nosso organismo adormece mais rapidamente no final do dia. Por isso, poucas pessoas que caminham frequentemente têm insônia e, consequentemente, não tem sonolência no dia seguinte”, completa o especialista da Unifesp.

8. Mantém o peso em equilíbrio e emagrece

Esse talvez seja o benefício mais famoso da caminhada. “É claro que caminhar emagrece. Se você está acostumado a gastar uma determinada quantidade de energia e começa a caminhar, o seu corpo passa a ter uma maior demanda calórica que causa uma queima de gorduras localizadas”, afirma Paulo Correia.

E o papel da caminhada na perda de peso não para por aí. Pesquisadores da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, mostrou que, mesmo horas depois do exercício, a pessoa continua a emagrecer devido à aceleração do metabolismo causada pelo aumento na circulação, respiração e atividade muscular.

A conclusão foi de que os músculos dos atletas convertem constantemente mais energia em calor do que os de indivíduos sedentários. Isso ocorre porque quem faz um treinamento intensivo de resistência, como é o caso da caminhada, tem um metabolismo mais acelerado.

9. Controla a vontade de comer

Um estudo recente feito por pesquisadores da Universidade de Exeter, na Inglaterra, sugere que fazer caminhadas pode conter o vício pelo chocolate. Durante o estudo, foram avaliadas 25 pessoas que consumiam uma quantidade de pelo menos 100 gramas por dia de chocolate. Os chocólatras tiveram que renunciar ao consumo do doce e foram divididos em dois grupos, sendo que um deles faria uma caminhada diária.

Os pesquisadores perceberam que não comer o chocolate, juntamente com o estresse provocado pelo dia a dia, aumentava a vontade de consumir o doce. Mas, uma caminhada de 15 minutos em uma esteira proporciona uma redução significativa da vontade pela guloseima.

“Além de ocupar o tempo com outra coisa que não seja a comida, a caminhada libera hormônios, como a endorfina, que relaxam e combatem o estresse, efeito que muitas pessoas buscam compulsivamente na comida”, afirma Paulo Correia.

10. Protege contra derrames e infartos

Quem anda mantém a saúde protegida das doenças cardiovasculares. Por ajudar a controlar a pressão sanguínea, caminhar é um fator de proteção contra derrames e infarto. “Os vasos ficam mais elásticos e mais propícios a se dilatarem quando há alguma obstrução. Isso impede que as artérias parem de transportar sangue ou entupam”, diz Paulo.

A caminhada também regula os níveis de colesterol no corpo. Ela age tanto na diminuição na produção de gorduras ruins ao organismo, que têm mais facilidade de se acumular nas paredes dos vasos sanguíneos e por isso causar derrames e infartos, como no aumento na produção de HDL, mais conhecido como colesterol bom.

11. Diabetes

A insulina, substância que é responsável pela absorção de glicose pelas células do corpo, é produzida em maior quantidade durante a prática da caminhada, já que a atividade do pâncreas e do fígado são estimuladas durante a caminhada devido à maior circulação de sangue em todos os órgãos.

Outro ponto importante é que o treinamento aeróbico intenso produzido pela caminhada é capaz de reverter a resistência à insulina, um fator importante para o desenvolvimento de diabetes. Assim fica comprovado que os exercícios têm ainda mais benefícios contra o mal do que se pensava anteriormente.

“Quanto maior a quantidade de insulina no sangue, maior a capacidade das células absorverem a glicose. Quando esse açúcar está circulando livremente no sangue, pode causar diabetes”, explica o fisiologista da Unifesp.

FONTE: http://www.minhavida.com.br/fitness/materias/12490-11-beneficios-da-caminhada-para-o-corpo-e-a-mente

Como divertir o cachorro quando não é possível sair de casa

Veja uma lista de brincadeiras caseiras para manter seu pet em atividade

É de cortar os pulsos. Você e o cachorro, um olhando para a cara do outro. Lá fora um frio de rachar e nem na grama na frente de casa você pode levá-lo, por conta da chuva.

Enquanto é necessário aguardar o tempo melhorar, listo aqui alguns entretenimentos caninos caseiros que podem cair no agrado do seu mascote. É claro que isso não substitui a alegria e os benefícios de uma caminhada – indispensável para o bem-estar do seu cão. Mas quando não há como sair na rua, pelo menos dá pra manter (um pouco) o exercício em dia dentro de casa.

Corrida de obstáculos

Simule um teste de agilidade com seu cachorro. Corra da sala até o quarto, pule sobre a cama e siga até a cozinha, passando pelo corredor. Organize uma corrida animada e procure motivá-lo a se exercitar.

Leva e traz

Ensine-o a correr e pegar um boneco ou uma bola e trazer de volta até você. Aproveite para recompensá-lo de alguma forma ( que tal uns petiscos?) já que ele está se exercitando.

Brinquedinho caseiro

Pegue aquela caixa de papelão onde estava o novo microondas e faça um brinquedo para seu pet. Você pode esconder guloseimas dentro delas e ensinar um novo comando para seu mascote. Garrafas pet com biscoitos dentro também promovem o mesmo entretenimento. Ele tem que se esforçar para tirá-los de dentro dela – e não vai desistir até conseguir.

Que tal subir uma escadinha?

Está sem a menor vontade de inventar um brinquedo e seu cachorro está em casa engordando? Experimente subir as escadas do prédio disputando corrida pra ver quem chega primeiro.

Esconde-esconde

Esconda o brinquedo favorito dele e peça para procurá-lo. É uma maneira de trabalhar sua memória a curto prazo. Você também pode se esconder e fazer seu pet procurá-lo.

Exercícios mentais

Depois do exercício físico, reveja alguns comandos que andavam meio em baixa ultimamente. Lembra do “dá a patinha?”. Verifique por onde anda a memória do seu cachorro e ensine algumas coisinhas a mais.

FONTE: https://gauchazh.clicrbs.com.br/donna/mundo-pet/noticia/2019/07/como-divertir-o-cachorro-quando-nao-e-possivel-sair-de-casa-por-causa-do-mau-tempo-cjyelxpc101dv01pbwsuln1h7.html

Cuidados são essenciais para Covid-19

Cuidados preventivos

Cuidados na rua:

– Sempre sair de máscara e se assegurar que ela esteja em boas condições;

– Lembrar que ela precisa ser trocada a cada 4 horas ou quando ficar úmida;

– Não tocar a parte frontal da máscara com as mãos;

– Usar ela corretamente, cobrindo o nariz e a boca;

– Levar álcool gel para uso em locais em que não seja possível lavar as mãos;

– Manter distanciamento de 1, 5 metro das outras pessoas;

– Evitar tocar as superfícies na rua e, sempre que precisar, higienizar as mãos;

– Não cumprimentar com abraços e beijos;

– Evitar elevadores cheios;

No trabalho:

– Desinfetar as superfícies com álcool a 70% ou outros produtos, começando pelas mais limpas e finalizando com as que são mais tocadas. Depois, higienizar as mãos;

– Evitar compartilhar objetos, Se for preciso, higienizá-los;

– Não compartilhar alimentos, bebidas e utensílios;

– Evitar aglomerações nos ambientes, combinando com os colegas uma rotina de uso do espaço;

– Evitar reuniões presenciais. Se não for possível, limitar a quantidade de pessoas, garantir o distanciamento e buscar ambientes arejados;

Chegando em casa:

– Tirar os sapatos na entrada;

– Retirar a máscara e lavar ou descartar;

– Higienizar as mãos;

– Limpar pertences, como carteira, óculos, crachá, celular, chaves e bolsas;

– Deixar roupas e mochilas e itens pessoais em um local separado;

– Tomar banho e colocar roupas limpas;

Outros cuidados:

– Respeitar a etiqueta respiratória, usando lenços ou a região do antebraço para cobrir o rosto ao tossir ou espirrar;

– Limpar as patas dos pets quando retornar de passeios;

– Se tiver sintomas como tosse, falta de ar, febre, perda do paladar e olfato e fadiga, evitar sair e procurar um serviço de saúde;

Manter a saúde física e mental:

– Se exercitar em casa ou locais arejados;

– Manter alimentação saudável e balanceada;

– Manter atividades de lazer em casa, como assistir filmes, séries e programas culturais online;

– Fazer cursos online;

FONTE: https://sosvida.com.br/covid19-aumento-casos/

Você conhece os benefícios da alimentação saudável? 

O que muitas pessoas não sabem, é que existe uma relação direta entre a alimentação saudável, saúde e bem-estar físico e mental do indivíduo. Uma alimentação regrada e saudável tem um papel essencial para a prevenção e no tratamento de muitas doenças.

O que é?

Quando nos referimos a alimentação saudável, estamos querendo dizer que precisa existir um equilíbrio e uma variedade na dieta – que deve ser composta por fibras, cálcio, minerais, proteínas e até mesmo algumas gorduras. Não se pode ter abusos e exclusão de alimentos. E não se esqueça que, para viver com saúde, é preciso incluir atividades físicas ao seu dia a dia – apenas a dieta não irá funcionar.

Além disso, é fundamental evitar o consumo de alimentos industrializados. Na maioria das vezes, eles são compostos de substâncias que prejudicam o nosso organismo, como corantes, conservantes, sódio e açúcar em grandes quantidades. Por isso, quanto mais natural for a comida, melhor!

Para uma alimentação saudável, é necessário a presença de micronutrientes em grandes quantidades – que são os lipídios, proteínas e carboidratos – e os de micronutrientes em pequenas quantidades – as vitaminas e minerais.

Alimentos saudáveis

Os alimentos in natura – que também podemos chamar de alimentos saudáveis – são os que podemos adquirir de plantas ou animais, como frutos, folhas, ovos e leite. Os minimamente processados também podem ser considerados saudáveis, como o arroz e a farinha integrais.

Já falando dos alimentos processados – que são as frutas em calda, os pães, doces queijos e entre outros – devem ser consumidos em porções muito pequenas, pois eles são fabricados essencialmente com a adição de sal e açúcar ou outra substância como o óleo.

Quando ingeridos em excesso, podem causar algumas condições, como diabetes, colesterol alto e obesidade.São considerados alimentos saudáveis: abacate; beterraba; brócolis; couve; amêndoas; banana; maçã; damasco; repolho; cenoura; couve-flor; uva; coco; alho; aveia, chocolate amargo; ovo; aveia; abóbora; azeite de oliva extravirgem; romã; batata doce; cogumelos; pimentão; kiwi; tomate; quinoa; espinafre; laranja e salmão.

O que é necessário para uma alimentação saudável?

Equilíbrio

Qualidade e quantidade são fundamentais. O ideal é consumir alimentos variados, sempre respeitando as quantidades recomendadas, comendo sempre de “tudo um pouco”.

Variedade

É ideal que se tenha tipos de alimentos diversos, pegando sempre de tudo um pouco – desde carboidratos, fibras, proteínas e entre outros.

Moderação

Algo completamente necessário, pois não se deve comer mais nem menos do que o recomendado, respeitando sempre a quantidade adequada para cada refeição.

Como ter uma alimentação saudável?

Aqui citamos algumas coisas que são importantes para se ter uma alimentação saudável. Sendo elas:

  •         Experimentar novos sabores – nunca deixando de lado algum alimento;
  •         Evitar todo tipo de alimento industrializado – entretanto, há dias em que se pode comê-los em porções bem pequenas;
  •         Tenha a preferência por carnes magras – cozidas e sem muita gordura;
  •         Escolha seus alimentos – opte por aqueles que a natureza produz, evitando os superprocessados;
  •         Lembre-se que o azeite de oliva extravirgem é muito benéfico e recomendado para uma alimentação saudável;
  •         Beba sempre bastante água ao dia;
  •         Mastigue bem os alimentos – isso facilita a digestão, absorção de nutrientes e dá uma maior saciedade;
  •         Não esqueça de incluir frutas e vegetais – consumindo-os com casca e bagaço sempre que possível;
  •         Evite o excesso de açúcar, massas e outros doces;
  •         Evite fazer dietas que são excessivas;
  •         Evite o consumo de tabaco e álcool.

O que devemos levar em consideração?

Separamos uma pequena lista do que é necessário para se ter saúde dentro da alimentação, sendo os famosos componentes que necessitamos no nosso organismo. Destacamos os:

Nutrientes

Eles são todas as substâncias químicas que fazem parte dos alimentos e que são absorvidos pelo nosso organismo – sendo indispensáveis para o bom funcionamento do corpo. São eles que são os produtos dos alimentos depois de degradados. Os alimentos ricos em nutrientes são a abóbora, brócolis, couve, alho, quinoa, nozes, salmão e entre outros.

Calorias

Essa é uma unidade de calor que é bastante usada no ramo da nutrição. Ela é a medida de calor liberada a partir da queima (digestão) do alimento e que será utilizada pelo corpo. Cada nutriente pode fornecer diferentes quantidades de caloria – quanto maior for a variedade de nutrientes que um alimento tiver, maior será o seu valor nutricional. Alimentos calóricos, porém, saudáveis são granola, abacate, queijo, homus, castanhas e sementes

Carboidratos

São os nutrientes que fornecem energia para o nosso organismo. A ingestão de carboidratos evita que as proteínas dos tecidos sejam usadas para o fornecimento de energia – isso pode ocorrer quando há um comprometimento do crescimento e o reparo dos tecidos, que são as funções importantes das proteínas. O excesso de carboidratos nocivos pode acarretar um ganho de peso em um curto tempo. Entretanto, existem os carboidratos saudáveis, que são o arroz integral, aveia, grão-de-bico, quinoa, tapioca, batata doce, milho, amaranto e entre outros.

Proteínas

São considerados os componentes necessários para a reparação, construção e crescimento dos tecidos do nosso corpo. Elas conseguem entrar na constituição de qualquer célula do corpo – e ainda fazem parte da composição dos anticorpos do sistema imunológico, participando ativamente de inúmeros processos metabólicos e de várias outras funções corporais. Se necessário, elas também podem ser convertidas em glicose para o fornecimento de energia ao organismo. Os alimentos ricos em proteínas são o camarão, frango, soja, carne vermelha, amêndoas, tofu, peixes, ovos, leite e entre outros.

Gorduras

Também chamada de lipídeos, são um dos principais fornecedores de energia, além dos carboidratos. Eles são responsáveis por proteger os órgãos contra lesões, ajudar na absorção de algumas vitaminas – como a A, D, E e K –, manter a temperatura corporal e produzir a sensação de saciedade. Alimentos ricos em gorduras boas são o abacate, ovos, linhaça, castanhas, azeite de oliva, carne de porco, chocolate amargo, peito de pato, azeitona, semente de girassol e entre outros.

Vitaminas

São encontradas em frutas, vegetais e alimentos de origem animal. São muito importantes na regulação das funções do organismo – indispensáveis para o bom funcionamento, contribuindo até mesmo para o fortalecimento do nosso sistema imunológico. Sendo assim, são essenciais para ajudar as proteínas a construir e a manter os tecidos e os processos metabólicos em ordem. Alimentos ricos em vitaminas são fígado, leite e ovos (vitamina A); aveia, carne de porco e castanha-do-pará (vitamina b1); fígado, farelo de aveia e levedo de cerveja (vitamina b2); amendoim, fígado e levedo de cerveja (b3); semente de girassol, massa fresca e fígado (b5); banana, salmão e fígado (b6); mariscos e ostras (b12); morango, laranja e kiwi (vitamina c); óleo de fígado de bacalhau, óleo de salmão e ostras (vitamina d); sementes de girassol, avelã e óleo de gérmen de trigo (vitamina e); couve-flor, couve de Bruxelas e brócolis (vitamina k).

Minerais

Podem ser encontrados em alimentos de origem vegetal e animal. As melhores fontes são aquelas nas quais os minerais estão presentes em uma maior quantidade e são melhor absorvidos pelo organismo. Os alimentos ricos em minerais são água, tofu, feijão branco, espinafre, peixes, soja, ervilha, derivados do leite, frutos do mar, tomate, frutas cítricas, banana, ovo, carne vermelha, legumes e entre outros.

Colesterol

Ele não é um tipo de gordura, mas sim um composto parecido – que envolve processos orgânicos e os lipídeos. O colesterol tem importantes funções, como de estruturar células e formação de hormônios e vitamina D. Ele só começa a ser prejudicial quando consumido em excesso, acumulando-se no sangue e aumento o risco de doenças cardiovasculares.
Existem dois tipos de colesterol, o “ruim” chamado de LDL e o “bom” que é o HDL – capaz de retirar o colesterol ruim do sangue e levá-lo até o fígado para ser destruído.

Quais os benefícios?

Além de melhorar a qualidade de vida e o bem-estar diário, uma alimentação saudável também possui outras vantagens, sendo elas:

  •         Quando acompanhada por exercícios, consegue adequar o peso;
  •         Melhora o humor e a memória;
  •         Reduz estresse e cansaço;
  •         Melhora o sistema digestivo;
  •         Fornece disposição e energia para atividades diárias;
  •         Previne doenças – principalmente as cardíacas;
  •         Melhora o sistema imunológico.

FONTE: https://blog.vitta.com.br/2020/02/19/voce-conhece-os-beneficios-da-alimentacao-saudavel/

POR QUE COMPRAR UM TERRENO EM CONDOMÍNIO FECHADO?