Monthly Archives: outubro 2020

A importância dos exercícios físicos durante a pandemia

A prática de exercícios físicos é muito importante para manter a nossa saúde em dia, tanto a física quanto a mental. Nessa época de pandemia que estamos vivendo, muitas pessoas adquiriram uma enorme carga de estresse por causa de inúmeras situações, por isso o exercício físico é fundamental mesmo no isolamento social.

 

Toda essa tensão tanto política como pandêmica, causa muita angústia, estresse e ansiedade nas pessoas e as vezes é difícil liberar esse sentimento e se manter em equilíbrio.

 

Atualmente, muitas pessoas andam desanimadas e sem vontade de realizar até as tarefas mais simples do dia a dia, a falta de motivação está bastante presente no isolamento social. Entretanto, quem pratica exercícios físicos regularmente, possui muito mais disposição e animação para as tarefas diárias. Uma simples caminhada ou corrida leve que você faça dentro da sua casa, desde que seja regular, já vai ajudar muito.

 

Além disso, a prática de exercícios físicos auxilia a ter uma boa noite de sono. Pessoas que não conseguem descansar bem durante a noite são aconselhadas a praticarem exercícios físicos porque o corpo libera a setotonina que ajuda a relaxar a mente e quando você cansa bastante durante a prática, consequentemente você fica mais propício a ter sono.

 

Estar em isolamento social, longe das pessoas que costumávamos estar perto a toda hora, não é a coisa mais fácil do mundo. Esse sentimento de isolamento contribui muito para a ansiedade porque todo mundo não vê a hora dessa situação terminar e poder sair de casa tranquilamente. Por isso os exercícios são muito recomendados nesses casos, com a liberação da serotonina, melhora o seu bem-estar, diminui a sua irritabilidade, sua tristeza, sua agonia e o seu nervosismo, além de diminuir o estresse também.

Por isso, conclui-se que a prática de exercícios físicos são de extrema importância mesmo durante a pandemia porque em casos específicos como esse, as pessoas tendem a se tornarem mais ansiosas e estressadas sendo aliviadas com os exercícios físicos.

FONTE: https://www.solutudo.com.br/sp/tiete/noticias/academia-impacto/262282/detalhes/a-importancia-dos-exercicios-fisicos-durante-a-pandemia/23

SITE: https://www.solutudo.com.br/

Dicas de cultivo e cuidados com as plantas

INTRODUÇÃO:

Todas as plantas necessitam de ar, luz, água, temperatura, mistura de plantio, nutrientes para se desenvolverem. Porem a quantidade de cada um destes elementos varia conforme o local de cultivo das plantas. No vídeo de hoje iremos mostrar o que significa cada dica dada nos vídeos de plantas daqui do canal.

DICAS DE CULTIVO:

LUZ:
toda planta precisa de luz para se desenvolver, a melhor luz é a do sol (mesmo que seja indireta).

  • sol pleno: é quando a planta necessita de luz solar direta (ideal que seja no mínimo 4hs)
  •  meia sombra: é a luz solar filtrada, ou ambiente que tenha intensa claridade podendo até receber um pouco de luz direta nas horas mais amenas do dia (início ou final do dia)
  • sombra: é o ambiente sem sol direto, porém uma boa claridade. Porém se for muito obscuro não favorece a planta.

REGA:

toda planta precisa de água para sobreviver. Ela é fundamental para as plantas e está presente em muitas etapas de desenvolvimento vegetal.

  • Rega frequente: é quando a planta necessita de estar com a terra sempre úmida. Normalmente são plantas oriundas de matas e florestas tropicais e ou que tem as folhas mais finas, como as avencas.
  •  Regas moderadas: é quando a planta necessita que a superfície da terra seque um pouco antes de regar novamente. Normalmente são plantas grandes e ou que tenham as folhas mais duras e ou coriáceas.
  • Regas escassas: é praticada em plantas que possuem folhas carnosas como cactos e suculentas. Elas necessitam de intervalos maiores entre uma rega e outra.

MISTURA DE PLANTIO:

É o meio para as plantas se fixarem e enraizarem. Normalmente é feito a base de terra, mas existem plantas, como orquídeas e bromélias, que utilizam outros ingredientes.

  • Mistura clássica de plantio: é quando usamos terra preparda ou substrato para plantio pronto. Pode ser feito também à base de 2 partes terra vegetal e 1 parte esterco, composto orgânico ou húmus de minhoca
  • Terra rica em matéria orgânica: é uma mistura de terra preparada com um pouco mais de composto orgânico ou esterco.
  • Terra arenosa ou porosa: substrato para plantio ou terra preparada acrescida de areia. Para cactos o ideal é mistura uma parte de terra preparada para uma de areia.
  • Terra fibrosa: é aquela que acrescentamos fibras naturais como fibra de coco, xaxim, esfagno, palhas ou cascas.

ADUBAÇÃO:

é a aplicação de produtos que favorece a nutrição das plantas. Os nutrientes são classificados de macro e micro nutrientes e o NPK são os mais necessários e usados pelas plantas.

  • Equilibrada: Possui uma composição mais equilibrada dos nutrientes (NPK 10-10-10)
  • Rica em nitrogênio: Possui um maior percentual de nitrogênio como NPK 20-10-10. ideal para as plantas de folhagens em geral.
  • Rica em fósforo: Possui maior percentual de fósforo como NPK 4-14-8 ou farinha de ossos, ideal para raízes, flores e frutos
  • Rica em Potássio: Possui maior percentual de potássio, como o caso das cinzas de madeira. Indicado para flores, frutos e aumentar a resistência contra a doenças.

PODA:

é a remoção de partes das plantas para proporcionar algum benefício a planta e ao cultivador. Importante o uso de ferramentas limpas e bem afiadas.

  •  Limpeza: poda que retira folhas e ramos secos, amarelados e doentes. É feita sempre que necessário.
  • Brotação: poda para estimular a brotação de ramos, folhas, flores e frutos. Deve ser praticada na época de dormência das plantas ou após a floração ou frutificação
  • Formação ou condução: é a poda para adequar a forma da planta ou conduzir um ramos mau formados. Deve ser praticada quando necessário.

REPRODUÇÃO:

  • sementes
  • divisão de touceiras
  •  estacas de caule
  •  estacas de ponta
  • estacas de folhas
  • fragmentação
  • mergulhia
  • alporquia

CONCLUSÃO: As plantas quando cultivadas adequadamente se desenvolvem melhor e se tornando mais bonitas, saudáveis e resistentes aos ataques de pragas e doenças. É importante respeitar essas necessidades e adequar as formas de cultivo para termos plantas. O ideal é cultivar plantas adaptadas ao seu clima e região. Fechamento tradicional e pergunta se gostou da forma de apresentação.

FONTE: http://vidanojardim.com.br/2017/05/07/dicas-de-cultivo-e-cuidados-com-plantas/

SITE: http://vidanojardim.com.br/

Adoção de Cachorro: 10 Dicas para Se Preparar

 

1 – Escolher a forma de adoção de cachorro

Pensando em adotar um filhotinho do casal de cães daquele seu vizinho ou familiar? Prefere ficar com um peludinho abandonado que está para adoção em uma ONG ou órgão público (como Centros de Zoonoses)? Ou busca por um cão de uma raça específica, de um criadouro? As opções são variadas, cada uma com seus benefícios e também preocupações. A adoção de cachorro em feiras e pet shops deve ter atenção redobrada para certificar de que o cão tenha vindo de um criadouro de qualidade e responsável. Já no caso da adoção em órgãos públicos e não-governamentais, deve-se ter acesso às condições do animal: se já foi vacinado, castrado, se possui alguma condição genética, etc.

2 – Conhecer as leis locais para cachorros

É sempre bom ficar de olho nas leis municipais, estaduais e federais que dizem respeito aos cães antes de escolher o porte ou raça ideal para sua família e rotina. Você sabia que, por exemplo, no estado de SP, existe uma lei específica para passear com cães das raças mastim napolitano, pit bull, rottweiller e american stafforshire terrier? O desrespeito à legislação pode acarretar multa aos tutores e outras penalidades. Por isso, é bom se prevenir logo no momento da adoção de cachorro, já se preparando para adquirir acessórios específicos, caso seja necessário.

3 – Encontrar um veterinário de confiança

Visitas anuais a uma clínica veterinária são uma das consequências para as quais você deve estar preparado quando pensar em adoção de cachorro. A vacinação é um dos cuidados mais importantes que se deve ter com um cãozinho, garantindo não somente a saúde do animal, como também de toda a família. Além disso, a prevenção e diagnóstico precoce são essenciais não somente para a saúde do pet, como também em termos financeiros. Caso opte pela castração, também é necessário pesquisar com antecedência um profissional qualificado para o procedimento.

4 – Cuidar da alimentação do seu pet

Antes da adoção do cão, é interessante pesquisar sobre quais alimentos deve oferecê-lo ou não. Peça a um veterinário ou outro profissional qualificado na área algumas recomendações de alimentos próprios para cães que sejam realmente saudáveis. Você também precisará certificar-se de estar oferecendo a quantidade certa de comida para seu porte, raça e nível de atividade física. Além disso, nada de petiscos o tempo todo, muito menos restos de refeições. Cachorros obesos podem ter sérios problemas de saúde.

5 – Manter seu cão bem cuidado

Nem todas as raças de cães necessitam a tosa com grande frequência, mas todas precisam de banhos regulares, dentes escovados e unhas aparadas, por questões de saúde e segurança. Para se ter uma ideia, recomenda-se para raças como Shih Tzu, Schnauzer, Maltês, Yorkshire, Poodle, Lhasa Apso e Collie, principalmente, visitas semanais ao pet shop local para evitar que os pelos se embolem, causando desconforto ao cão e propiciando o acúmulo de sujeira e bactérias.

tosa de cachorro pequeno
Foto: Dogsaholic.

6 – Socializar seu cachorro

Levar o cão a parques e praças públicas onde outros tutores frequentam com seus cães é uma responsabilidade essencial a se pensar para quem está cogitando uma adoção de cachorro. De início, enquanto filhote, uma ideia bacana é levá-lo também para visitar amigos e familiares que possuem cachorros, especialmente que também sejam filhotes. Caso adote um cão já adulto ou idoso, a atenção ao fator socialização deve ser redobrada, para que o pet saiba se comportar na presença tanto de outros cães como na de humanos desconhecidos. Se for um cãozinho “filho único”, a interação com outros cachorros em passeios e eventos deve ser ainda mais reforçada. Lembre-se que um cão solitário tem maiores tendências à fuga e a estar despreparado para interações.

7 – Exercitar seu pet

A maioria dos animais de estimação precisa de exercícios diários básicos. Isso garante uma vida feliz, saudável e longa ao bichinho, bem como menos problemas e estresse para os tutores. Com passeios diários ou algumas vezes por semana, a depender da raça e porte do cão, problemas como a mania de cavucar o chão, morder móveis e comer objetos devem ser reduzidos, pois são fruto da ansiedade. Uma alternativa ao passeio em alguns dias pode ser uma brincadeira de pega-pega, esconde-esconde ou cabo de guerra: tudo aquilo que envolver você será muito divertido para seu pet!

cachorro correndo e saltando em campo
Foto: Wag!

8 – Treinar comandos básicos com seu cão

Todos os cães devem aprender alguns truques básicos, como sentar, esperar e vir. Isso pode ser ensinado com algumas técnicas básicas de adestramento, envolvendo recompensas para ações positivas, e nunca punições para ações negativas. Você pode recompensar uma resposta desejável a um comando com carinho, brinquedos para cachorro ou petiscos – ou os três, que tal? A grande maioria dos cachorros são capazes de executar truques elaborados, então explore o potencial do seu novo pet. Isso também ajuda a criar um vínculo mais forte e duradouro entre vocês.

9 – Proteger seu cachorrinho

Você agora terá um novo filhinho de quatro patas ou uma princesinha peludinha, e isso significa que será praticamente o líder de uma matilha. Uma de suas funções principais será proporcionar proteção e segurança ao seu novo pet, e em troca receberá todo o amor que só um animalzinho pode oferecer. Além de um peitoral com guia para passear com segurança, você deve investir em uma coleira com pingente de identificação para garantir que, caso seu pet se perca ou fuja, possa retornar ao lar com maiores chances.

10 – Proporcionar conforto ao pet

Ao pensar em uma adoção de cachorro, você deve ter em mente que o animalzinho se tornará um novo membro da família, ou seja, irá conviver com você por até 20 anos. Com isso em mente, procure soluções vitalícias ou de alta durabilidade para seu conforto. Há inúmeras vantagens em adquirir uma caminha para cachorro, entre elas o fato de cada um ter seu espaço próprio para relaxar na casa. E é claro, fazer seu pet se sentir seguro é confortável é apenas um dos vários atos de amor que se tornarão parte do seu cotidiano.

FONTE: https://www.petelegante.com.br/dicas/adocao-de-cachorro-dicas-preparar/

SITE: https://www.petelegante.com.br/

Coronavírus: Dez alimentos que ajudam a aumentar a imunidade

Cansaço excessivo, resfriados de longa duração e perda de peso são apenas algumas  consequências geradas pela imunidade baixa, quando as defesas do organismo estão comprometidas e não conseguem barrar vírus, bactérias, fungos e parasitas. Em tempos de pandemia de coronavírus, nunca foi tão importante fortalecer a imunidade para combater a Covid-19.

De acordo com Thais Brito, nutricionista do Estância do Lago – Spa & Wellness, a alimentação é um dos fatores principais para garantir o fortalecimento da imunidade. ”Ter uma alimentação saudável e balanceada, com a presença de vitaminas e minerais, é essencial para aumentar a imunidade e prevenir doenças. É preciso haver um equilíbrio, com pratos coloridos, que explorem todos os macro e micronutrientes, consumidos em várias refeições durante o dia, em alimentos de boa procedência”, ressalta.

Especialistas recomendam alimentação saudável, rica em frutas, legumes e verduras (Foto: Reprodução/Instagram)
Especialistas recomendam alimentação saudável, rica em frutas, legumes e verduras (Foto: Reprodução/Instagram)

Confira dez alimentos que ajudam a aumentar a imunidade:

Alho: possui selênio, zinco e alicina, substâncias importantes para evitar gripes, resfriados, inflamações e infecções;

Cebola: anti-inflamatório natural, ela traz sabor aos alimentos e ajuda a reduzir o sódio e a quantidade de sal na comida. A cebola ainda atua na maior absorção de nutrientes, como o cálcio, essencial para os ossos;

Frutas cítricas: laranja, tangerina, acerola, limão, morango e kiwi são alguns exemplos ricos em vitamina C, que é antioxidante, promove resistência a infecções respiratórias e gripes e ajuda na absorção dos nutrientes presentes em outros alimentos;

Gengibre: possui importante ação bactericida e auxilia principalmente nas infecções de garganta. Rico em antioxidantes e com boas doses de vitamina B6 e C, o gengibre é um dos melhores fortalecedores do sistema imunológico;

Beterraba: com alto teor de potássio, ela auxilia no controle da pressão arterial e ajuda a fortalecer a imunidade e combater os efeitos do envelhecimento com a vitamina C;

Cogumelo Shitake: é rico em lentinano, substância que aumenta a produção das células de defesa. Também possui fibras, que ajudam a saciar a fome;

Vegetais verde-escuros: exemplos como brócolis, couve, espinafre e rúcula são fontes de ferro, ácido fólico, antioxidantes e vitaminas A, B6 e B12, que atuam na maturação das células imunes, potencializando o sistema imunológico e protegendo contra diversas doenças;

Iogurte natural: possui lactobacilos com propriedades probióticas, que são bactérias boas. Elas atuam na melhora da flora intestinal e fortalecem o sistema imunológico;

Castanhas: são ricas em selênio, zinco e vitamina E, que potencializa o sistema imunológico por conter linfócitos B, que produzem anticorpos no organismo;

Carnes: possuem aminoácidos, vitamina B12, ferro e zinco, que trazem benefícios para a imunidade quando consumidos na quantidade certa.

 Verduras, legumes e frutas são grandes fontes de antioxidantes (Foto: Reprodução/Instagram)

Verduras, legumes e frutas são grandes fontes de antioxidantes (Foto: Reprodução/Instagram)

FONTE: https://revistaquem.globo.com/QUEM-Saude/noticia/2020/03/coronavirus-dez-alimentos-que-ajudam-aumentar-imunidade.html

SITE: https://revistaquem.globo.com/

 

Conheça os prós – Condomínio fechado

A segurança pública é uma das maiores preocupações nos dias de hoje. Por isso, muitas pessoas quebram a cabeça na hora de procurar um imóvel seguro para comprar ou alugar. Uns gostam da sensação de acolhimento dos condomínios fechados, enquanto outros acreditam que esses espaços encastelam e limitam o dia a dia da família. Mas afinal, quais são os prós e contras de condomínio fechado?

Para ajudar você a sanar de vez essa dúvida, preparamos este post com as vantagens e desvantagens de morar nesses empreendimentos. Avalie as suas necessidades e desejos, e faça a melhor escolha. Quer saber mais? Confira!

As principais vantagens

Segurança

Esse é o fator-chave para qualquer morador que decida migrar para um condomínio fechado. Como a integridade da família é o bem mais importante, todos querem aproveitar o aparato de segurança disponível nos condomínios fechados.

Isso porque esses empreendimentos contam com muros, portaria 24 horas, controle de acesso à área interna, câmeras de segurança e outros acessórios.

Todos esses itens já estão incluídos na taxa condominial, ou seja, não há necessidade de contratar serviços extras de segurança.

Lazer

Condomínios fechados oferecem diversas áreas de lazer, tanto coletivas quanto individuais. São espaços que trazem conforto, comodidade e qualidade de vida aos moradores.

Se antes a maioria se limitava a oferecer churrasqueira e parquinho, hoje os condomínios podem apresentar saunas, quadras poliesportivas e até salas de cinema.

Esse aspecto, além de ajudar na segurança, traz conforto e harmoniza o dia a dia dos moradores.

Valorização

Como os benefícios do condomínio fechado estão cada vez mais em pauta, a demanda por esses imóveis aumenta ano após ano. Isso faz com que o imóvel valorize acima do esperado.

Essa procura torna a revenda rápida e lucrativa.

FONTE: https://blog.metropolisbrokers.com.br/2018/06/19/conheca-os-pros-e-contras-de-morar-em-condominio-fechado/

SITE: https://blog.metropolisbrokers.com.br/

 

Cuidar de plantas

Sua planta pode precisar de uma casa maior

Ou, no caso dela, um vaso maior. Movê-la para um vaso cerca de 3 centímetros maior do que o anterior já pode fazer grande diferença e permitir o crescimento saudável das raízes. Se ela estiver em um jardim ou jardineira, verifique se não há plantas demais em um espaço muito restrito.

O excesso de folhas e raízes pode impedir a respiração e o desenvolvimento das plantas que ali estiverem. Retire folhas e galhos secos para permitir melhor circulação de ar e considere transferir algumas para outro espaço.

Também é importante, só colocar no mesmo local, plantas que possuam as mesmas necessidades. Ao misturar as espécies, você pode acabar prejudicando o bem-estar delas.

Nem dieta restrita, nem livre demanda

Uma das melhores formas de como cuidar de plantas, é saber dosar a quantidade de água. O excesso dela pode ser tão prejudicial quanto a falta. Principalmente espécies de clima árido, como cactos e suculentas, que preferem muito mais uma terra seca do que encharcada.

É importante, também, se informar sobre as necessidades específicas da espécie que você estiver tentando recuperar, ajustando os cuidados de acordo com o que ela precisa.

Além disso, a rega nunca deve ser igual em todas as épocas do ano, visto que o clima e a umidade relativa do ar são diferentes a cada estação e isso deve ser levado em conta na hora de pensar na quantidade de água que sua plantinha precisa.

Incidência solar

Se sua planta estiver em processo de recuperação, prefira deixá-la ao ar livre, em local arejado, mas coberto e protegido da incidência direta. O sol da manhã é o melhor para sua planta, então, se o problema for, na verdade, falta de sol, prefira este horário para levá-la para “se bronzear”.

Proteja-a, também, do vento forte, especialmente se estivermos tratando de espécies com folhas largas e compridas, que podem rasgar com mais facilidade.

Visitantes indesejados

Desde lesmas e caramujos até formigas e uma cultura de fungos, essas visitas inconvenientes podem causar graves danos ou até acabar definitivamente com a sua planta.

As pragas podem atacar qualquer vaso ou jardim e, para combatê-las, utilize fungicidas e pesticidas, mas com cuidado e orientação profissional, certo? Nunca utilize produtos não regulamentados pelos órgãos responsáveis, caso contrário, o resultado pode ser o total oposto do desejado.

Aprender a língua das plantas é fundamental

Assim como os pets, as plantas também possuem a sua própria forma de comunicação e aprender esse “idioma” pode ser o diferencial para mantê-las saudáveis. Os fatores são muitos e, para cada um, há uma solução diferente.

De modo geral, no entanto, algumas medidas de emergência podem ser tomadas para a recuperação da sua plantinha:

  1. Corte as folhas, flores e galhos secos;
  2. Retire a planta do vaso com cuidado, preservando as raízes, e coloque em um vaso maior com argila expandida (para a drenagem da água) e manta de drenagem, que irá segurar o substrato;
  3. Faça uma rega com bastante ou pouca água, dependendo da necessidade da espécie. Algumas plantas gostam de água nas folhas, já outras, como cactos e suculentas, não suportam;
  4. Aplique adubo especial para a espécie,
  5. Mantenha o vaso em local protegido, arejado e com claridade, mas sem exposição direta ao sol.

FONTE: https://www.petz.com.br/blog/plantas/cuidar-de-plantas-aprenda-as-dicas-de-como-salvar-a-sua-amiguinha/

SITE: https://www.petz.com.br/

Dicas de lazer

Por conta da pandemia do novo Coronavírus, estamos impossibilitados de fazer muitas das atividades que tanto gostamos: viajar, ir ao shopping, curtir o cinema, entre outras. É algo necessário para que seja possível diminuir a curva de contágio da doença, porém, é natural se sentir um tanto quanto entediado após tanto tempo em casa. Por isso, iremos reunir aqui dicas de lazer na quarentena, para que você se divertir com a família durante este período. Vamos lá?

1 – Cozinhar

O tempo extra em casa permite testar aquelas receitas que nos deixam com água na boca nas redes sociais, sendo uma boa maneira de entreter inclusive a criançada, que teve as férias antecipadas ou está tendo aulas online. De salgado a sobremesas, o que não faltam são opções. Aproveite!

2 – Jogos de tabuleiro

Nem sempre lembrados, os jogos de tabuleiro são uma excelente pedida para reunir a família em um final de semana, por exemplo. Os mais famosos são Xadrez, War e Batalha Naval. Caso você não tenha nenhum jogo em casa, as versões online são uma boa opção e também funcionam via smartphone.

3 – Leitura

É bastante possível que você tenha comprado algum livro há bastante tempo e nunca tenha iniciado a sua leitura. A quarentena pode ser uma boa hora para começá-la e viajar pelo universo das palavras. Escolha o seu gênero favorito e embarque!

4 – Filmes e séries via streaming

Sem dúvidas uma das opções mais utilizadas pelas pessoas durante este período de isolamento social. Plataformas como Netflix, Now e Prime Video contam com um acervo grandioso de filmes e séries, agradando crianças, jovens e adultos. De títulos aclamados pelo público a obras “escondidas”, não faltam alternativas. Prepare a pipoca e divirta-se.

5 –Apps de videochamada

Neste período de quarentena, natural que bata aquela saudade de amigos e familiares distantes. Pois a tecnologia pode dar uma força para amenizar a solidão, com vários aplicativos de videochamada, que permitem até mesmo conversas em grupo. O WhatsApp, que certamente está instalado no seu celular, é uma das opções mais famosas, permitindo que até quatro pessoas conversem simultaneamente. Outros apps conhecidos são o Skype, Google Hangouts e o House Party.

Sua saúde é o que mais importa neste momento

Como dissemos no começo do texto, estamos atravessando um momento que não nos permite ter a rotina que estamos acostumados. O objetivo deste texto foi mostrar que existem alternativas para arejar a mente e o coração. Juntos, ainda que distantes fisicamente, superaremos esta fase complicada. Sendo assim, sempre que possível, fique em casa e preserve a saúde de todos. 

Além disso, é fundamental lembrar das orientações do Ministério da Saúde, que incluem a higienização constante das mãos com água e sabão ou álcool em gel, do uso de máscaras quando for realmente necessário sair de casa e não tossir ou espirrar sem colocar a mão na frente. Cuide-se!

FONTE: https://hotelarcobaleno.com.br/dicas-de-lazer-na-quarentena/

SITE: https://hotelarcobaleno.com.br/

6 tipos de atividades simples para você sair do sedentarismo

por

Sair do sedentarismo é uma das principais preocupações para boa parte dos brasileiros. Fator de risco para muitas doenças, o sedentarismo atinge mais da metade da população do Brasil, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

São mais de 100 milhões de pessoas que não praticam nenhum tipo de atividade física.

A boa notícia é que sair do sedentarismo não significa ficar horas e horas em uma academia malhando exaustivamente.

É disso que vamos tratar neste artigo, com dicas de atividades que ajudam qualquer pessoa a se mexer e melhorar a qualidade de vida.

 

A importância de sair do sedentarismo

Antes de iniciar as dicas, é necessário explicar os riscos que uma pessoa corre sendo sedentária.

Sem a atividade física –  que ajuda a melhorar a circulação e a fortalecer o sistema imunológico, entre outros benefícios – a pessoa fica mais suscetível a vários tipos de complicações na saúde, como diabetes, pressão alta, obesidade, depressão e AVC.

O quadro é ainda pior para os idosos, que perdem mais rapidamente a massa muscular e se veem com mais chances de sofrerem com dores articulares e outras degenerações pelo organismo.

As atividades que vamos listar a seguir podem ser adotadas por todos, mas é sempre importante consultar um médico para checagem geral da saúde antes de iniciar qualquer tipo de exercício.

1 – Caminhadas perto de casa

Um dos impeditivos para o sedentário adiar a prática de atividade física é o quão complicada ela é.

Ter que acordar cedo, pegar o carro, enfrentar trânsito, chegar a uma academia, trocar de roupa, esperar alguém sair do aparelho e outras situações assim são grandes argumentos para se deixar de lado a tentativa de se exercitar.

Por isso, comece de um jeito que não trará maiores dificuldades. Para caminhar perto de casa, basta colocar tênis e roupa apropriados e pronto. Nem é preciso ir longe, pode até dar voltas no quarteirão da moradia.

Opte por trechos com boas calçadas para evitar andar na rua.

O ideal é que a passada seja um pouco acelerada, mas comece no ritmo que achar mais confortável e vá aumentando aos poucos.

No início, de 30 minutos a 1 hora, três vez por semana, são suficientes. Depois caminhe mais dias por semana.

2– Aproveite todas as oportunidades de caminhar

Fora as caminhadas programadas, citadas acima, aproveite toda a chance que tiver para andar a pé.

Levar o cachorro para passear, ir à padaria ou ao mercadinho no bairro, comprar remédio, ir à casa do vizinho algumas quadras adiante, enfim, sempre que puder ande em vez de pegar o carro.

Se a padaria é muito perto, na mesma quadra da sua casa, por exemplo, force um pouco mais e dê uma volta por um caminho para que fique mais longe.

 

3 – Passeios de bicicleta

Quanto tempo faz que não anda de bike? Como dizem, isso a gente nunca esquece.

Se não tem uma, avalie fazer o investimento em um modelo que atenda as suas necessidades. Há várias opções com ótimo custo-benefício.

Com a bike, você pode andar pelo bairro e nos parques. Se tem filhos, o passeio ajuda você a sair do sedentarismo e fica ainda mais divertido.

No começo, não se preocupe com altas quilometragens. Pedale o suficiente para sentir que está fazendo esforço. Na medida em que for tendo mais fôlego, aumente as distâncias percorridas.

 

4 – Atividades do dia a dia dentro de casa

Se você mora em casa, outra opção que ajuda a sair do sedentarismo são as atividades corriqueiras na residência.

Lavar ou varrer o quintal, lavar o carro, colocar e tirar a roupa do varal, guardar as compras do supermercado, dar banho no cachorro e cortar a grama são boas opções.

Analise nas tarefas cotidianas tudo o que você pode fazer para se movimentar e deixe a preguiça de lado.

Experimente, por exemplo, abrir mão do controle remoto e ir até a TV toda vez que precisar aumentar ou diminuir o volume e trocar de canais.

 

5 – Aprenda a gostar das escadas

Tem gente que mora no segundo andar e nem sabe onde ficam as escadas. Se este é o seu caso, comece a partir de agora a trocar o elevador pelos degraus.

Subir e descer faz um enorme bem para a melhora no condicionamento físico, além de ajudar a fortalecer os músculos da perna.

Vá devagar, com os pés bem plantados em cada degrau. Depois, quando melhorar a condição cardiovascular, amplie a experiência para mais andares acima.

Da mesma forma, quando for a qualquer lugar que haja escadas, abra mão do elevador.

6 – Faça exercícios funcionais

Você já deve ter visto aquelas fitas elásticas coloridas, steps, halteres, bolas de pilates e uma infinidade de artigos muito comuns em academias.

Pois bem, mesmo que não os conheça, vá até uma loja de esporte e os encontrará facilmente.

Estes artigos servem para alguns tipos de exercícios simples, que podem ser feitos em qualquer lugar, inclusive em casa.

O ideal, neste caso, é que haja o acompanhamento de um profissional de educação física. Porém, com algumas indicações na própria loja em que comprar, você já será capaz de executar movimentos simples e extremamente benéficos para o organismo, o que o ajudará a sair do sedentarismo.

Com a faixa elástica tipo Thera Band, por exemplo, você pode prendê-la no pé pelo meio dela e puxar as extremidades para cima, uma em cada mão, fazendo um exercício para os bíceps.

Com halteres também se faz exercícios para os bíceps, tríceps e peitoral.

Com o step é possível fazer o movimento de subida e descida, alternando os pés. Além de melhorar a condição cardiovascular, também ajuda no fortalecimento muscular.

Agora que você aprendeu algumas formas de atividades relativamente simples, é só aplicá-las no seu dia a dia. Aos poucos você vai ganhando melhor condicionamento físico e melhorando a sua forma física.

FONTE: https://www.mobraz.com.br/blog/sair-do-sedentarismo/

SITE: https://www.mobraz.com.br/

Brinquedos para cachorro: 5 tipos de bolinhas para proporcionar muita diversão ao seu amigo

Bola para cachorro: por que eles gostam tanto desse brinquedo?

Durante um bom tempo, os cães eram auxiliares de caça pela agilidade e forte instinto. Com a domesticação, qualquer objeto em movimento ainda é considerado uma grande presa para o cachorro. A bolinha no ar ou quicando é algo que eles precisam muito alcançar e retornar ao seu dono com o prêmio. Mas como escolher esse tipo de brinquedo para cachorro? Nós te ajudamos!

  • Bolinha de tênis

A clássica bolinha de tênis verde faz muito sucesso com os peludos, pois consegue pular bastante. É um modelo bem fácil de encontrar e também costuma ser barato, já que vem em kits prontos com três ou quatro bolas por pacote. É um bom investimento, principalmente se o seu cachorro brinca muito em parques. A resistência do material depende do seu cachorro: a bolinha de tênis pode ser bem resistente para animais de porte pequeno e médio e e ter menor durabilidade com animais grandes – ou com aqueles que amam destruir um brinquedo.

  • Bolinha para cachorro de borracha

Esse tipo de produto costuma ser bem resistente às mordidas dos cães destruidores. Elas também são chamadas de ‘maciças’ e são tão duras que não é possível apertá-las. A bolinha quica bem alto – característica que costuma atrair os peludos. Observe o seu cão: ele é muito destruidor ou mais delicado? Dependendo da resposta, vale investir nesse modelo.

  • Bolinha de pelúcia para cachorro

As bolas de pelúcia costumam vir em um tamanho maior do que as bolinhas tradicionais. Elas são ideais para brincadeiras dentro de casa, pois podem sujar com facilidade. O modelo de bolinha não é indicado para cães que gostam de destruir brinquedos. O material do enchimento, inclusive, pode causar problemas na saúde do seu cachorro, por isso a brincadeira deve ser sempre supervisionada para que o animal não engula nenhuma parte.

  • Bolinha de plástico para cães

Essa bola de cachorro feita de borracha é a mais comum de ser encontrada nos pet-shops. Além de baratinha, pode ser encontrada de diversas cores e tamanhos. Algumas podem vir com pinos de borracha e outras com um apito interno, que serve para atrair o cão. O ponto negativo esse modelo não dura nada com cachorros destruidores. Também vale a supervisão para evitar que ele alcança o apito que geralmente vem dentro desses modelos de bolinha.

  • Bolinhas para cachorro com dispenser de ração

Para estimular o seu cachorro e deixá-lo entretido, existem bolinhas com buracos para colocar ração ou petisco. Esse modelo incentiva o animal a buscar sua própria comida e ser mais independente. É possível encontrar muitos modelos de dispenser no mercado, em materiais mais ou menos resistentes. Esse tipo de bolinha é ótimo para usar no enriquecimento ambiental e pode ajudar no treinamento de cães que sofrem muito quando o dono sai de casa por alguns minutos. É importante conhecer o seu cachorro para que ele não se machuque tentando destruir a bolinha atrás da comida. Em outros casos, é preciso ficar atento para não deixá-lo ansioso: lembre-se que cães podem se frustrar muito rápido com alguns brinquedos, por isso não dificulte demais a “caça”.

Bônus: outras formas de brincar com as bolinhas

  • Lançador de bolas para cães

Sabe aqueles cachorros que pedem para você jogar a bolinha centenas de vezes e não se cansam? Hoje em dia já é possível encontrar um arremessador de bolinhas automático: uma ótima opção para deixar o seu amigo bem distraído. Mas lembre-se que o acessório não substitui os momentos de interação entre dono e animal.

  • Piscina de bolinha para cachorro

As piscinas de bolinhas para cachorro são a brincadeira favorita! Os cães ficam encantados com a quantidade de bolinhas à disposição.  A única desvantagem é que as bolinhas são bem frágeis e podem ser furadas com facilidade. Sempre supervisione as brincadeiras do seu amigo!

Redação: Júlia Cruz

FONTE: https://www.patasdacasa.com.br/noticia/brinquedos-para-cachorro-5-tipos-de-bolinhas-para-proporcionar-muita-diversao-ao-seu-amigo_a748

SITE: https://www.patasdacasa.com.br

6 dicas excelentes para manter uma alimentação saudável

 

1. Coma de tudo um pouco

Os nutrientes responsáveis por dar cor aos vegetais e verduras também realizam funções importantes para o bom desempenho do nosso corpo. Ao adotarmos uma alimentação saudável — com ingredientes de variadas cores — oferecemos ao organismo todos os nutrientes necessários para que se tenha um funcionamento equilibrado, cumprindo todas as tarefas de forma saudável e retardando; prevenindo doenças.

2. Beba pelo menos 8 copos de água por dia

A água é um componente essencial para o funcionamento ideal do nosso corpo. Ela constitui mais de 60% do organismo humano e está presente em todas as funções necessárias à vida. Depois do oxigênio, a ausência de liquido é o que mais faz falta no desempenho corporal, daí a importância de sempre se manter hidratado.

Ter constantemente uma garrafinha de água por perto é um hábito fácil e importante de se adotar. 😉

3. Consuma frutas, verduras e legumes

Verduras, legumes e frutas são ricos em vitaminas, minerais e fibras. Portanto, devem estar presentes diariamente em nossas refeições. A ingestão adequada destes alimentos contribui para o controle de calorias, para uma boa saúde e ainda protegem contra o aparecimento de doenças.

O corpo precisa de energia e devemos consumir gorduras, carboidratos e proteínas. Contudo, sem as vitaminas e minerais presentes nos alimentos coloridos, o nosso organismo não saberia como catalisar os nutrientes necessários para um bom desenvolvimento corporal.

4. Evite doces e alimentos calóricos

Evite comer exageradamente alimentos com calorias vazias, ou seja, aqueles sem valor nutricional para o nosso organismo. Apesar de comida pronta ser mais prática, não é nada saudável. Pelo contrário. A maioria dos produtos industrializados são ricos em sódio, corantes, conservantes e outros aditivos químicos que fazem mal à saúde.

Comer esses alimentos de vez em quando não há problema, o que prejudica a saúde é comê-los em excesso. Então, que tal trocar o hambúrguer de fast food por um lanche mais nutritivo? Fica a dica! 😉

5. Coma sem pressa

Coma devagar e mastigue bem o alimento, tá? Isso permite com que o cérebro processe de maneira eficiente o recado enviado pelo hormônio de saciedade, indicando que já se comeu o suficiente e impedindo que se coma mais que o necessário.

Além disso, a mastigação adequada auxilia na digestão, prevenindo determinados incômodos digestivos e promovendo uma maior absorção dos nutrientes alimentares.

6. Não faça dietas sem acompanhamento profissional

É importante enfatizar que muitos prejuízos podem acompanhar os regimes realizados sem um acompanhamento médico adequado.

Quando um nutricionista planeja o programa alimentar de um paciente, muitos aspectos individuais são levados em conta como exames médicos, aversões e intolerâncias alimentares, questões genéticas, entre outras informações.

O que funciona para outra pessoa pode não servir para você, tá? Então, antes de começar qualquer dieta consulte um profissional especializado. 😉

FONTE: https://www.boavontade.com/pt/saude/6-dicas-para-manter-uma-alimentacao-saudavel

SITE: https://www.boavontade.com/