Monthly Archives: maio 2020

Planta Aranha em Vaso: Dicas Como Plantar e Como Cuidar!

Planta Aranha em Vaso: Dicas Como Plantar e Como Cuidar. Além disso, a Planta Aranha (Chlorophytum comosum) é uma planta muito adaptável que pode ser encontrada em muitos lares. Normalmente, é fácil de cuidar e crescerá bem em vários ambientes.

Se acontecer de você se afastar e esquecer de regar as plantas de aranha, as pontas podem ficar marrons, mas provavelmente ficará bem por algumas semanas até você voltar.

Como Plantar da Planta Aranha:

As plantas de aranha são lindas, mas não produzem flores brilhantes para sua diversão, apenas pequenas flores brancas que são realmente muito bonitas. As folhas se assemelham a uma lâmina estreita de grama, e as folhas balançam para baixo, o que vai ficar incrível como uma planta pendurada em seu espaço de vida.

Preparação do Solo:

Uma vez que estas plantas gostam de crescer em vasos, você precisará escolher um que é de quatro a seis centímetros de diâmetro para uma planta jovem. Vasos de barro não são ótimas opções porque esta planta não terá lugar para as raízes crescerem. O que pode levar a um vaso quebrado.

Um plantador de drenagem livre vai ser o melhor plantador para esta planta de rápido crescimento. As plantas de aranha também precisam ser plantadas em um solo que também seja de drenagem livre. O solo de plantio geral é bom para esta planta, mas você não vai querer usar nenhum solo que seja fertilizado.

O flúor pode realmente causar danos à planta, então você precisa se afastar de qualquer meio de crescimento que irá introduzir esse mineral para a planta. Uma mistura orgânica de composto, turfa, barro e areia grossa é perfeita.

Água:

Durante os meses de crescimento, essas plantas exigem muita água, mas seu consumo diminuirá no inverno. Quando você regar sua planta de aranha, molhe o solo uniformemente e generosamente, mas depois espere um pouco até regá-lo novamente.

Estas plantas gostam de ter o solo secar um pouco entre a rega, porque as raízes tendem a reter muita água, o que pode causar a podridão da raiz se a planta estiver sobre a água.

Cuidados com a Planta Aranha:

  • Para crescer com sucesso uma planta de aranha formar uma semente, você precisa saber quando você pode coletar as sementes. Quando as flores começarem a desaparecer, você perceberá que elas foram substituídas por pequenas vagens verdes.
  • Essas vagens carregam as sementes, mas não tentam coletá-las até que tenham algum tempo para secar. A melhor maneira de se certificar de que você pode coletar as sementes é colocar algumas toalhas de papel sob a planta.
  • Uma vez que o casulo seque e comece a rachar, as sementes cairão para a área que você preparou. As sementes parecem pequenas sementes achatadas como aquelas que você encontraria em uma pimenta, mas elas serão de cor preta.
  • Uma vez que você tenha as sementes, não espere para plantá-las porque elas não se manterão.
  • Use um pote inicial para colocar a semente com uma profundidade. Cubra-a com a mistura de solo orgânico e espere que ela cresça.
  • Mudas de aranha são frágeis. Por isso não tente movê-las até que elas tenham três ou quatro folhas.

FONTE: https://hortacasa.blog.br/planta-aranha-em-vaso-dicas-como-plantar-e-como-cuidar/

SITE: https://hortacasa.blog.br/

5 VANTAGENS DE MORAR EM CONDOMÍNIO FECHADO

 

  1. Morar em condomínio oferece mais segurança

Já falamos um pouco sobre os confortos e a praticidade que um condomínio fechado tem a oferecer, porém, nada disso valeria a pena se você não tivesse a segurança que só essa modalidade de moradia é capaz de proporcionar. Afinal, a segurança é um aspecto essencial, sobretudo nos dias de hoje. No condomínio, durante as 24 horas do dia, o acesso de moradores, visitantes, prestadores de serviço e entregadores só é feito após sua devida identificação na portaria. O mesmo ocorre com o acesso dos veículos à garagem, que é monitorado o tempo todo.

  1. Lazer em casa

Além da piscina, da academia, do espaço kids, do espaço teen e da área gourmet que foram citados no início, o condomínio também mantém quadras, salão de festa, áreas verdes, área com churrasqueira, entre outros confortos voltados para o lazer. Você e sua família podem contar com uma infraestrutura completa para a diversão durante a semana e aos finais de semana.

  1. Vida em comunidade

Morar em um prédio comum já cria a oportunidade de as pessoas se relacionarem de maneira mais próxima, desenvolvendo um verdadeiro espírito de comunidade. Com isso, elas podem desenvolver laços de amizade consistentes. A sensação de fazer parte de um grupo de pessoas que compartilham o mesmo espaço e os mesmos interesses é muito positiva.

Quando o prédio está em um condomínio fechado, esse espírito de comunidade aumenta ainda mais. Afinal, ali, no espaço interno do condomínio, surgem várias possibilidades de lazer e de atividades em grupo, além de reuniões, festas, entre outras formas de confraternização.

  1. Redução de custos

Outra grande vantagem de morar em um condomínio está na oportunidade de ter acesso a todos seus benefícios por um custo individual bastante reduzido. Imagine quanto custaria manter uma estrutura dessas sem que o custeio fosse compartilhado entre várias pessoas.

  1. Aumento da qualidade de vida

A agitação das grandes cidades, o trânsito pesado, o trabalho, os assuntos de família, entre tantas outras questões, tornam as vidas das pessoas bastante atribuladas nos dias de hoje. Por isso, a possibilidade de chegar em casa no final do expediente e poder reunir a família à beira da piscina ou, simplesmente, de poder deitar em uma espreguiçadeira para ler um livro ou descansar é um privilégio que muita gente gostaria de ter.

FONTE: https://wzarzur.com.br/blog/5-vantagens-de-morar-em-condominio-fechado/

SITE: https://wzarzur.com.br

 

10 dicas indispensáveis sobre alimentação saudável

Nossas vidas seguem um ritmo frenético atualmente e esse é um dos (vários) motivos que vem levando a sociedade a repensar seu hábitos, principalmente os alimentares, deixando a pergunta: será que temos uma alimentação saudável?

Consumo, gastos, viagens e claro, a alimentação. Nesse texto vamos trazer 10 dicas para uma alimentação saudável.

Para perder peso ou mantê-lo. Ou mesmo para viver uma vida equilibrada apostar em uma dieta saudável e equilibrada é um escolha que pode mudar a vida de qualquer um de nós.

alimentação saudável
Tenha uma alimentação saudável!

Alimentação equilibrada

Um alimentação ideal deve ser antes de mais nada uma alimentação equilibrada.

A dieta deve estar comporta de nutrientes necessários para viver uma vida saudável, para isso, deve existir o equilíbrio tanto dos micronutrientes, como dos micronutrientes.

O ideal é ingerir alimentos mais energéticos (como os carboidratos) no período diurno, e os alimentos mais estruturados (como as proteínas e gorduras saudáveis) no período noturno.

Planejamento da dieta

Quem deseja uma alimentação equilibrada deve seguir uma dieta planejada.

O ideal, nesse caso, é procurar um especialista que desenvolva um plano alimentar para seus objetivos e necessidades. Evitar o improviso e a substituição desses alimentos é um passo fundamental na hora de seguir uma dieta.

Uma dieta planejada e variada irá ajudar a alcançar uma dieta saudável , ter foco para mantê-la também é fundamental. Esse é um grande passo para uma alimentação saudável.

Realizar um numero correto de refeições

Comer 5 vezes ao dia pode ser uma boa saída.

Faça três refeições principais e 2 complementares (que podem ser frutas, ou iogurtes, por exemplo). Além disso, quem deseja ter uma alimentação saudável deve pensar o intervalo entre as refeições.

Beber água faz parte da alimentação

Ingerir entre 2 e 5 litros de agua por dia pode auxiliar muito na alimentação saudável. Afinal, nosso corpo e comporto em grande parte por esse elemento.

Por isso, a ingestão de água garante um melhor funcionamento do nosso organismo. Já escrevemos aqui sobre a importância dela.

Substituir os alimentos fritos por alimentos assados

Evitar os alimentos fritos, ou feitos com muita gordura, é uma dica simples que ajuda a manter a alimentação saudável.

Consumir mais fibras

Aumentar o consumo de fibras pode auxiliar a quem quer ter uma alimentação saudável. O consumo médio de alimentos com fibras deve ser entre 20 e 40 gramas por dia.

Um alimento rico em fibra é aquele que contenha cinco ou mais gramas dela na sua proporção. Se você deseja uma alimentação saudável pode comer entre quatro e cinto grutas ou verduras por dia.

Café da manhã

Não se esqueça dessa refeição! Ingerir alimentos de manha é muito importante, pois eles te darão energia para realizar as atividades durante o dia.

Em uma alimentação saudável pode preparar um iogurte com pedaços de frutas secas e granolas, por exemplo.

Evite alguns alimentos

Os alimentos muito industrializados, por exemplo, ou os que contenham muita gordura devem ser evitados.

Uma alimentação saudável é aquela em que nossos níveis de colesterol (por exemplo) estão controlados.

Pense as mudanças de hábitos

Fazer mudanças no estilo de vida de forma gradual pode ser mais difícil que faze-las de forma repentina.

Por isso, seguir uma dieta balanceada, mas que também te traga prazer e satisfação na hora de comer é fundamental.

Pense sempre que um alimento que sai da sua refeição, por mais saboroso que ele seja, pode estar impedindo que você tenha uma alimentação saudável.

Equilíbrio é a chave da questão

Não podemos dizer que existem alimentos bons e ruins, mas sim planos alimentares bons ou ruins.

Não sinta culpa por querer consumir algum alimento que você goste, mas que tenha altos níveis de gordura, por exemplo.

Se permitir consumir alimentos como esse, mas com moderação é a chave para alcançar proporcionalmente o equilíbrio alimentar. Desta forma você estará se permitindo, mas, manterá sua alimentação saudável.

Não tenha dúvidas sobre os efeitos positivos de uma alimentação saudável. Conhece alguém que precisa dessas dicas? Compartilhe nas redes sociais e ajude seus amigos a comerem de forma mais saudável!

FONTE: https://www.treinus.com.br/blog/10-dicas-alimentacao-saudavel/

SITE: https://www.treinus.com.br

Prevenção da Dengue

A prevenção é a única arma contra a doença.

A melhor forma de se evitar a dengue é combater os focos de acúmulo de água, locais propícios para a criação do mosquito transmissor da doença. Para isso, é importante não acumular água em latas, embalagens, copos plásticos, tampinhas de refrigerantes, pneus velhos, vasinhos de plantas, jarros de flores, garrafas, caixas d´água, tambores, latões, cisternas, sacos plásticos e lixeiras, entre outros.

Dicas para combater o mosquito e os focos de larvas

DicasDicasDicasDicasDicas
DicasDicasDicasDicasDicas

FONTE: https://www.dengue.org.br/dengue_prevenir.html

Passear com cachorro: você está fazendo isso certo?

Por Canal do Pet

A especialista em comportamento animal Renata Ragazini sanou as principais dúvidas do donos em relação a passeio

Os tutores sabem que passear com cachorro é uma atividade necessária e importante. “Independentemente de viverem em um grande quintal, de brincarem todo dia ou de terem a companhia de outro animal em casa, passear é uma necessidade básica”, explica Renata Ragazini, especialista em comportamento animal e passeadora da DogHero, aplicativo que conecta donos a passeadores e anfitriões.

Além de todos os benefícios para a saúde, passear com cachorro resulta em muita felicidade e alegria. Para a maioria dos pets basta o dono dizer “vamos passear” que eles pulam de alegria e abanam o rabo sem parar. Mas será que você está fazendo essa atividade corretamente? Para sanar algumas das dúvidas recorrentes, Renata separou algumas dicas.

Como fazer proporcionar o melhor passeio para o cachorro?

Além de todos os benefícios para a saúde, passear com cachorro resulta em muita felicidade e alegria
reprodução shutterstock

Além de todos os benefícios para a saúde, passear com cachorro resulta em muita felicidade e alegria

Primeiramente, esteja sempre em dia com o controle de pulgas e carrapatos, vermífugo, vacina V8 ou V10 e contra raiva. Isso irá garantir que outros animais não sejam contaminados. Não se esqueça de verificar se os acessórios necessários para o passeio estão em ordem, como a coleira de identificação. Em caso de fuga, esse pequeno objeto garantirá a volta dele.

Antes de sair, certifique-se que a temperatura do chão está agradável para o cão caminhar. “Uma dica boa é encostar as costas da sua mão na superfície por 10 segundos. Se você suportar, significa que está adequado para o cão”, explica Renata. Por último, não deixe de levar água e petiscos para repor as energias.

Passear com ou sem coleira?

A melhor opção de coleira são aquelas de peitoral com engate na frente, chamada anti-puxão
reprodução shutterstock

A melhor opção de coleira são aquelas de peitoral com engate na frente, chamada anti-puxão

Por mais que o canino seja adestrado e educado, não é recomendado sair com ele sem guia. “As chances de um acidente acontecer, como um atropelamento, ou comer algo indevido, sem você ver são muito altas”, diz a especialista.

A melhor opção são aquelas de peitoral com engate na frente, chamada anti-puxão. Segundo Renata, coleiras de pescoço aumentam as chances de correr glaucoma. Por isso é melhor evitar esse modelo.

Onde levar o pet para passear?

Leve o cachorro para passear em locais calmos e pouco movimentados
shutterstock

Leve o cachorro para passear em locais calmos e pouco movimentados

Em relação a onde levar o cão, opte por locais calmos e pouco movimentados. Se for um ambiente já frequentado por outros cachorros, fique atento a linguagem corporal deles. Por exemplo, se um pet lamber o nariz, bocejar ou sacudir como se tivesse acabado de sair de um banho, significa que ele está estressado e as chances de uma briga iniciar são grandes.

Tente acalmar seu companheiro e afastá-lo do outro animal. O importante é evitar que a disputa comece. Se for preciso, troque de local ou o horário dos passeios para impedir encontros desagradáveis.

Contrate um dog walker se necessário

Hoje em dia já existem aplicativos e sites que trabalham com dog walker e ofereçam um serviço seguro e de qualidade
reprodução shutterstock

Hoje em dia já existem aplicativos e sites que trabalham com dog walker e ofereçam um serviço seguro e de qualidade

Nem todos os tutores tem tempo de levar o cão para passear e, para não deixar o cão sem atividade física , a opção é contratar um dog walker . Encontre um que seja de confiança e saiba lidar com imprevistos. Hoje em dia já existem aplicativos e sites que trabalham com esses profissionais e ofereçam um serviço seguro e de qualidade.

Mesmo que você seja ocupado, o mais importante é não deixar de passear com cachorro . Diversos problemas de saúde e comportamento podem ser evitados com atividade física.

Fonte: Canal do Pet – iG @ https://canaldopet.ig.com.br/cuidados/dicas/2018-09-18/passear-com-cachorro-cuidados.html

10 curiosidades sobre a vida em condomínio

Condomínios podem proibir a permanência ou circulação de animais de estimação? Todo síndico é isento de taxa condominial? O Fundo reserva é obrigatório? Quem paga os prejuízos com entupimento? Essas são algumas das principais questões trazidas pelos moradores de condomínios, especialmente dos novos empreendimentos.

Listamos 10(dez) curiosidades da vida em condomínio, com perguntas e respostas para cada uma delas, visando esclarecer síndicos e condôminos.

  • Condomínios podem proibir a permanência ou circulação de animais de estimação?

É comum que convenções condominiais e regulamentos internos de condomínios edilícios prevejam proibições e restrições genéricas em relação à permanência de animais de estimação em unidades autônomas de seus proprietários, possuidores e detentores. Essas vedações e limitações visam, sobretudo, garantir a manutenção da segurança, higiene, salubridade e bom convívio dos moradores, uma vez que é certo que nem sempre se pode contar com o bom senso dos indivíduos. Entretanto, Tribunais têm entendido que referidas proibições e restrições configuram afronta ao pleno exercício do direito de propriedade das unidades autônomas. Afinal, a lei e a própria Constituição da República asseguram esse direito que, por isso, não poderia ser limitado aleatória e genericamente. Para que algum tipo de restrição possa prevalecer, é necessário que seja justificada. Isto é, é preciso que haja abuso de direito por parte do proprietário do animal, causando prejuízos ou riscos aos outros condôminos. Por isso, é importante que convenções condominiais e regulamentos internos façam expressa previsão em relação aos deveres a serem observados por aqueles que mantêm animais em suas unidades autônomas, bem como as faltas capazes de tornar intolerável a permanência do “pet”. Ainda assim, as questões devem ser analisadas no caso concreto, sempre sendo buscada uma solução pacífica e que equilibre os direitos de todos os envolvidos de modo a garantir harmonia entre os proprietários e possuidores.

2 – O fundo reserva é obrigatório?

A lei nº4591/64 previa, no art.9º, alínea “j”, a obrigatoriedade da constituição do fundo reserva ao se instituir as Convenções. Com as alterações da lei 10406/02, o fundo reserva deixa de ser obrigatório se o assunto estiver omisso na Convenção. Caso ele esteja definido na Convenção do seu Condomínio, o cancelamento do fundo somente pode ocorrer com alteração na Convenção.

3 – Por que as cotas de condomínio do prédio ao lado, quetem piscina e área de lazer maior do que onde moro, são mais baixas?

Não é o tamanho do condomínio tampouco as áreas de lazer que determinam o valor das cotas mensais pagas pelos moradores. Basicamente o que define este valor é o número de funcionários de cada prédio, uma vez que a folha de pagamento e encargos responde por cerca de 50% das despesas de um condomínio. Outra despesa importante na composição da cota é o consumo de água e energia elétrica, seguida pelos gastos com contratos de manutenção e conservação.
É importante lembrar que a quantidade de apartamentos em cada condomínio influenciará diretamente o valor da cota, uma vez que a despesa é rateada entre todos os condôminos.

4 – Em um condomínio recém-entregue quem comanda a administração antes da assembleia que elegerá o primeiro síndico?

A eleição do síndico é o primeiro ato da instalação de um
condomínio. Na assembleia de instalação é aprovada a primeira previsão orçamentária do condomínio e eleito o primeiro síndico. Sem estas condições não há condomínio instalado. A preparação desta assembleia é realizada pelo
incorporador e a administradora indicada pelo incorporador, que é ratificada na assembleia de instalação.

5 – Todo síndico tem direito à isenção do pagamento da sua cota de condomínio?

A isenção não é regra, mas costuma ser estabelecida como
forma de incentivo ao síndico, assim como a remuneração aprovada em alguns condomínios. Lembrando que a isenção é apenas sobre as despesas ordinárias.
Para que o síndico seja isento de pagar o condomínio é preciso aprovação da assembleia de moradores ou determinação na Convenção do Condomínio.

6 – Por que condomínios residenciais, mesmo não sendo empresas, precisam ter CNPJ?

Um condomínio precisa cuidar de seu Departamento Pessoal:
contratar e demitir funcionários, pagar e demonstrar o pagamento dos encargos, e etc. Apesar de o condomínio não ser pessoa jurídica, ele possui obrigações de personalidade jurídica. Fora as questões relacionadas a Departamento Pessoal, o condomínio firma contratos de manutenção com
fornecedores, faz o recolhimento de impostos como ISS, PIS/COFINS/CSLL, possui obrigações acessórias com DIRF, RAIS etc. Ou seja, o condomínio tem as obrigações legais bastante semelhante às empresas e precisa ter rígidos
procedimentos de operação e controles para evitar a criação de passivos que podem comprometer inclusive o patrimônio do síndico e, em última instância, dos próprios condôminos.

7– Fumar nas sacadas dos apartamentos, que são áreas ao ar livre e com ventilação, é permitido?

A Lei Federal  1254/2011 mais conhecida como lei anti fumo, estabeleceu a proibição de fuma em espaços fechados de uso coletivo, mas isso não inclui residências. Sacadas e
janelas de apartamentos residenciais fazem parte da propriedade privada e, portanto, não se pode proibir os moradores de fumarem nesses locais.

8 – Quais são as atribuições do subsíndico?

O novo Código Civil, de 2003, não prevê a figura do subsíndico. Portanto, cabe à convenção de cada condomínio prever a eleição de um subsíndico, bem como suas atribuições. Geralmente as convenções estabelecem que o subsíndico substituirá o síndico em suas ausências e impedimentos
eventuais. O subsíndico pode exercer funções específicas como supervisão dos funcionários, compra de materiais e acompanhamento dos trabalhos de conservação e manutenção realizados por empresas contratadas pelos condomínios. Mas nunca deve tomar decisões importantes sem antes consultar o síndico, que é o responsável legal pelo condomínio.

9) Entupimento no Condomínio, quem paga?

O assunto hidráulico em Condomínios não têm segredo, mas gera muita dúvida e dor de cabeça. Por isso, esclarecemos que é essencial compreender que a tubulação deve ser compreendida em separado:

  1. Tubulação central: é a tubulação que recolhe todo o esgotos dos apartamentos;
  2. Tubulação secundária: é a tubulação que recolhe todo o esgoto da unidade/apartamento.

Qualquer problema existente na tubulação central do prédio é de inteira responsabilidade do condomínio, normalmente quando o entupimento é nesta tubulação ocorre entre o 1º e o subsolo, onde se encontra o cotovelo(curva) da tubulação. Todo o esgoto produzido acima do 1º andar retornará para dentro dele, é importantíssimo avisar os apartamentos acima para não utilizarem temporariamente o esgoto da tubulação em questão, até a solução, porque até o reembolso dos prejuízos causados no apto do 1ºandar é de responsabilidade do prédio. Já o problema nas tubulações secundárias são responsabilidade do proprietário do apartamento. O ideal são as manutenções preventivas e não as corretivas. É importante enviar comunicados “educacionais” sobre itens que são jogados nos ralos, como exemplo, pó de café, bitucas de cigarros, óleo usado, enfim, são os verdadeiros inimigos do esgoto.

Por isso, A IDEALLE orienta seu condôminos a utilizarem ralos nas pias e a NÃO JOGAR NAS TUBULAÇÕES ÓLEO DE COZINHA, PÓ DE CAFÉ, BITUCAS DE CIGARRO, ABSORVENTES, FRALDAS E OUTROS.

10) O que é Convenção e Regimento interno?

A Convenção do Condomínio está para os proprietários das unidades condominiais como a Constituição Federal está para cada cidadão. É neste documento que devem estar detalhadas as normais gerais do condomínio, as obrigações, direitos, forma de cobrança de despesas e a conduta interna dos Condôminos. A Convenção só pode ser alterada com a aprovação de 2/3 dos proprietários adimplentes. O Regimento interno é outro documento importante, mas que não pode contrariar a Convenção. Ele é basicamente criado e aprovado em Assembleia específica para o fim e serve para definir as normas de uso, organizar o cotidiano do condomínio, manter a ordem e padronizar os acessos no Condomínio.

FONTE: https://www.idealleadministradora.com.br/10-curiosidades-sobre-a-vida-em-condominio/ 

SITE: https://www.idealleadministradora.com.br

10 brincadeiras antigas que ajudam no desenvolvimento da criança

De amarelinha a jogo de bafo, elas criam laços afetivos dos pequenos com os pais e trabalham raciocínio, consciência corporal e muito mais.

Não tem laptop, celular ou mesmo televisão que faça sumirem algumas brincadeiras infantis, como amarelinha, esconde-esconde e bafo. Sai geração, entra geração, elas sempre têm espaço nos momentos de lazer das crianças. Isso ocorre porque, mesmo sem querer, nós, adultos, temos um ímpeto de perpetuar algumas de nossas experiências por meio de nossos filhos.

Marganne Dubrule, psicóloga e sócia do espaço Cadê Bebê (SP), explica: “É por meio das brincadeiras que se constroem nossos laços afetivos. As tradicionais ligam as crianças aos antepassados, com elementos históricos e culturais que fazem com que ela seja parte de uma sociedade”. Convivência e criatividade são elementos importantes nessa jornada.

Para a psicopedagoga Ana Regina Caminha Braga, especialista em educação e educação especial, “a criança precisa experimentar, ousar, tentar e conviver com as mais diversas situações ao brincar com outras crianças, com adultos, com objetos e com o meio”. O brincar tem um papel fundamental para o crescimento psicossocial infantil e para o desenvolvimento e o explorar de personalidade, fantasias, medos e desejos.

A seguir, as especialistas sugerem dez brincadeiras do tempo dos nossos avós (ou até antes) e explicam por que elas ajudam, e muito, no desenvolvimento das crianças. Tem opções para fazer dentro de casa ou ao ar livre. Aproveite!

1. Amarelinha

A criança deve marcar a casa em que não poderá pisar jogando nela uma pedrinha. Pulando, ela atravessará o desenho feito no chão, desviando da casa marcada, e retornará, desta vez recolhendo a pedrinha. Primeiro é escolhida a casa com o número 1, depois o número 2 e assim por diante. Se a criança perder o equilíbrio ou pisar nas linhas, volta para o começo. Ganha quem marcar as dez casas primeiro.

Por que ajuda no desenvolvimento infantil? Porque a amarelinha trabalha o equilíbrio e as noções básicas de matemática das crianças.

2. Esconde-esconde 

 (FlairImages/Thinkstock/Getty Images)

Uma criança fica com os olhos fechados contando até o número que a turma decidir enquanto todos os outros se escondem. Quando acaba a contagem, ela sai à procura dos amigos. Ao encontrar algum, deve encostar nele e voltar correndo para o lugar da contagem. Se conseguir chegar lá antes do amigo encontrado, ele é quem deverá contar e encontrar os amigos na próxima rodada; se o amigo chegar antes, a criança deve procurar outra pessoa escondida e tentar mais uma vez – ou duas, ou três, ou quantas forem necessárias.

Por que ajuda no desenvolvimento infantil? Porque o esconde-esconde reforça as noções matemáticas e faz com que a criança ative com mais força o sentido da audição ao tentar encontrar os amigos escondidos.

3. Caça ao tesouro

Um adulto esconde um “tesouro” (que pode ser qualquer coisa, desde um brinquedinho de uma das crianças o até um saco de frutas ou doces) e elabora pistas que levarão os pequenos a encontrá-lo. As pistas devem ter a ver com o caminho que deverá ser feito até chegar a ele. Juntas, as crianças seguem as pistas e trocam ideias caso haja dúvidas. No final, encontram o tesouro e brincam ou lancham todas juntas.

Por que ajuda no desenvolvimento infantil? Porque a caça ao tesouro trabalha o raciocínio lógico, a sagacidade, a atenção a detalhes e a paciência – podem ser necessárias muitas dicas até chegar o tesouro, e as crianças precisam entender que nem tudo cai no nosso colo na hora em que queremos.

4. Passa anel

Uma criança fica com o anel entre as mãos enquanto as outras permanecem sentadas uma ao lado da outra e todas com as palmas das mãos unidas. A criança com o anel passa suas mãos pelas mãos dos amiguinhos e solta o anel nas mãos de um deles, sem que os outros notem. Quando acaba, pergunta para um dos participantes (que ela escolhe) com quem ele acha que está o anel. Se ele acertar, será o próximo a passar o anel; se errar, passará o anel quem o tiver recebido.

Por que ajuda no desenvolvimento infantil? Porque o passa anel desenvolve o trabalho em equipe e o respeito ao próximo, já que todos têm que se adequar ao tempo que a criança com o anel leva para fazer sua parte.

5. Jogos de cartas

 (Madhourse/Thinkstock/Getty Images)

Pode ser 21, buraco, rouba monte… Fica à escolha do adulto que for acompanhar e das crianças. O importante é explicar para a criança os naipes do baralho e como é a escala de valor de cada carta, de acordo com o jogo escolhido.

Por que ajuda no desenvolvimento infantil? Porque os jogos de cartas estimulam o raciocínio matemático linear, as estratégias e a organização.

6. Stop

Em conjunto, os participantes escolherão as categorias que farão parte do jogo e montarão uma tabela com todas elas. Em seguida, todos levantam uma das mãos com quantos dedos levantados desejar. Contam-se os dedos levantados e encontra-se a letra correspondente no alfabeto (o A é 1, B é 2, C é 3 e assim por diante). Esta será a letra da rodada, e todos deverão escrever palavras começando com ela em suas tabelas. Quando alguém acaba, grita STOP e todos devem parar de escrever. São reveladas as respostas categoria por categoria; palavras repetidas valem 5 pontos e palavras inéditas, 10. Vence quem tiver mais pontos na soma das rodadas.

Por que ajuda no desenvolvimento infantil? Porque o stop trabalha a interação e a comunicação ao escolher as categorias, o raciocínio e a memória ao buscar as respostas, e a matemática ao contar o alfabeto e também ao marcar os pontos de cada rodada.

7. Bolinha de gude

Cava-se um buraquinho no chão ou cria-se um “ninho” com um pouco de tecido – é a “poça”. Quem acerta a bolinha de gude dentro da poça ganha o direito de jogá-la contra as dos adversários. Se acertar, ele pode pegar a bolinha atingida para si. Se errar, passa a vez. O jogo acaba quando algum dos participantes ficar sem bolinhas.

Por que ajuda no desenvolvimento infantil? Porque a bolinha de gude aborda a lateralidade, as habilidades matemáticas e ajuda a lidar com a frustração (quando se perde uma bolinha ou outra ou todas).

8. Jogos de sombras

 (Artfoliophoto./Thinkstock/Getty Images)

Com as luzes principais apagadas, acende-se uma luz indireta – como um abajur, uma vela ou uma lanterna – e começa a brincadeira. Cada pessoa projetará na parede, com as duas mãos, formatos de animais e objetos, para que os outros adivinhem o que é.

Por que ajuda no desenvolvimento infantil? Porque os jogos de sombra estimulam a criatividade para inventar as sombras e a imaginação para adivinhar o que o outro inventou.

9. Pular elástico

Duas crianças ficam afastadas a aproximadamente dois metros uma da outra, segurando um elástico nos tornozelos, formando um retângulo. Uma terceira criança se posiciona no centro do elástico e começa a torcê-lo com as pernas, de acordo com orientações de alguém que estiver de fora. Se errar, troca de lugar com uma das crianças que estão segurando o elástico e ele sobe para as panturrilhas. E vai subindo para os joelhos, para as coxas, para a cintura até chegar aos pescoços. De um ponto em diante, podem ser usado os braços para torcer o elástico ao seguir as orientações.

Por que ajuda no desenvolvimento infantil? Porque ajudam na consciência corporal, na flexibilidade e na mobilidade.

10. Bafo

Cada criança entra no jogo com suas figurinhas. São colocadas algumas por vez no centro da roda e as crianças vão batendo as mãos sobre as figurinhas, tentando virá-las. Quando conseguir virar alguma, essa figurinha passa a ser de quem a virou. O jogo acaba quando uma das crianças fica sem figurinhas.

Por que ajuda no desenvolvimento infantil? Porque colecionar figurinhas é o um projeto que pode ser compartilhado com os pais. E jogar bafo estimula a consciência corporal (das mãos e dos braços, principalmente) e o desenvolvimento de técnicas para conseguir virar as figurinhas.

FONTE: https://bebe.abril.com.br/desenvolvimento-infantil/brincadeiras-antigas-ajudam-desenvolvimento-infantil/

SITE: https://bebe.abril.com.br/

Por que regar uma planta em excesso pode matá-la?

Uma das primeiras coisas que você aprende quando começa a jardinar é que nunca deve regar demais as plantas, a menos se quiser vê-las morrer. No entanto, o maior problema em reconhecer como as plantas sofrem com o excesso de água é a confusão provocada pelos sintomas que elas exibem.

Na prática, quando as plantas sofrem com o excesso de água, elas normalmente apresentam sintomas idênticos ao da falta de água, ou seja, enrolamento das folhas, apodrecimento do caule, queda de folhas, entre outros.

Mas, afinal de contas, o que há de tão perigoso no excesso de água que pode causar um golpe mortal em plantas e mudas jovens? Bem, as razões por trás disso são bem simples, e tudo tem a ver com a disponibilidade de oxigênio!

Afetando a disponibilidade de oxigênio nas raízes

Basicamente, o excesso de água limita severamente (ou até corta) o suprimento de oxigênio do qual as raízes dependem para funcionar adequadamente, o que em outras palavras significa que as plantas podem não receber o oxigênio adequado para sobreviver. Além disso, muita água também pode levar ao apodrecimento e à deterioração irreversível das raízes.

Esta é a principal razão pela qual muita água pode matar uma planta. Assim como os seres humanos, as raízes das plantas também precisam que o ar permaneça “vivo”. As folhas das plantas extraem dióxido de carbono do ar para produzir seus ‘alimentos’ (amidos e açúcares, mais especificamente), mas também precisam de oxigênio para se manterem saudáveis. A obtenção de oxigênio é um dever das raízes, pois elas ajudam a obter nutrientes para a planta e a manter-se saudável.

A importância das raízes

Se você observar as raízes de uma planta, poderá identificar facilmente o corpo principal da raiz, que é usado para transportar água e nutrientes para o restante da planta. Então, se você olhar um pouco mais de perto, também poderá ver cabelos extremamente finos, como raízes, sendo que essas são as partes mais importantes aqui. Cada um desses minúsculos pelos radiculares é, de fato, uma única célula vegetal modificada e, como ocorre em todas as células vegetais (e animais), elas precisam de oxigênio para metabolizar.

Isso também é altamente importante para as células encontradas no corpo humano, razão pela qual precisamos respirar regularmente oxigênio em nossos pulmões. Dessa forma, ele pode ser absorvido pelo sangue, onde um sistema vascular dinâmico transporta o sangue altamente oxigenado por todo o corpo. Consequentemente, o sangue mal oxigenado volta aos pulmões, onde o subproduto gasoso do dióxido de carbono é expelido inofensivamente de nossos corpos.

No caso das plantas, os pelos das raízes recebem o oxigênio disponível de pequenas bolsas de ar que existem no solo circundante e, embora em seu ambiente normal possam ficar cheias de água com chuvas periódicas, esse excesso de água normalmente é drenado, permitindo a formação de novas bolsas de ar. No entanto, o problema surge quando a água não escorre por conta de inundações ou chuvas fortes e constantes.

Ao negar um suprimento adequado de oxigênio aos pelos radiculares, essas células especializadas são incapazes de metabolizar e, embora possam tolerar essas condições por um curto período de tempo, a exposição contínua à água em excesso fará com que elas acabem morrendo. O problema é que todas as plantas precisam de um suprimento razoável de água para a transpiração (respiração), para manter a temperatura para que não superaqueçam, permanecendo túrgidas e eretas. Daí a necessidade de um suprimento de água adequado.

Os efeitos do excesso de água nas plantas

Como já foi mencionado anteriormente, as plantas precisam desses pelos radiculares especializados para absorver nutrientes e água. Se uma determinada quantidade desses pelos de raiz especializados morrer, a planta não poderá absorver água suficiente para garantir sua sobrevivência e, consequentemente, começará a secar internamente, mostrando os sintomas característicos de dessecação, muitas vezes confundidos com a seca.

Esse é um grande problema porque, mesmo que haja água mais do que suficiente no ambiente radicular, se os pelos radiculares morreram por ‘asfixia’, a planta não poderá mais acessar a água para substituir a água utilizada por suas funções reguladoras normais.

A ironia aqui é que, a partir desse momento de crise, a planta entra em uma fase de estresse devido à seca interna e, ao tentar reduzir a perda de água por meio de mecanismos como a queda de folhas, ela irá exibir os mesmos sintomas como se estivesse sofrendo de falta de água no ambiente radicular. Infelizmente, quando as pessoas não sabem disso, elas tendem a colocar ainda mais água ao ver a planta murchar, agravando o problema e causando mais mortes nas raízes.

Além disso, é importante destacar que as plantas que sofrem com todo esse alagamento também podem se tornar anormalmente suscetíveis a certos patógenos fúngicos. Por exemplo, a requeima, uma doença causada pelo oomiceto Phytophthora infestans, causa podridão radicular com mais frequência em solos que ficam periodicamente encharcados.

Como evitar regar as plantas em excesso

A primeira coisa que você deve fazer para evitar colocar água em excesso nas suas plantas é verificar o solo circundante e determinar se ele precisa de mais água. No entanto, evite julgar a umidade do solo apenas olhando para a superfície. Você pode usar uma pá ou espátula manual para ter uma ideia melhor da umidade do solo.

Além disso, existem certos dispositivos (como sensores de umidade internos/externos, monitores de água do solo, entre outros) que podem ajudá-lo a determinar a quantidade de umidade que o solo precisa ou não em um determinado momento.

De resto, basta lembrar-se que a quantidade exata de água usada nas plantas é um aspecto muito importante da jardinagem que deve ser entendido com cuidado, pois tem o potencial de arruinar as plantas ou ajudá-las a permanecer saudáveis por anos.

Quem diria que até a quantidade inadequada de água pode matar as plantas, não é mesmo? Compartilhe o post e deixe o seu comentário!

FONTE: https://www.tricurioso.com/2020/03/17/por-que-regar-uma-planta-em-excesso-pode-mata-la/

SITE: https://www.tricurioso.com

Conheça os direitos e deveres entre vizinhos

Respeitar o sossego, a saúde e a segurança dos vizinhos é lei. Veja como o Código Civil defende os seus direitos e estabelece os seus deveres no convívio em comunidade.

Viver em comunidade nem sempre é fácil. Por isso, existem algumas normas que devem ser seguidas, visando o respeito e uma boa relação com o próximo. Você sabe quais são seus direitos e deveres como vizinho?

É provável que muitas pessoas já tenham passado por alguma situação incômoda com um vizinho, ou que já tenham sido alvo de queixas. Música alta, ruídos de animais de estimação, ocupação de garagem, falta de limpeza e perturbação do sossego são algumas das principais causas de conflitos. Às vezes, até se tenta resolver a situação com diálogo, mas quando a outra parte não está disposta a ceder, o caso pode ainda piorar.

Como nem sempre se pode contar com o bom senso do próximo, o Código Civil estabelece, a partir do artigo 1.277, normas para que a convivência entre vizinhos seja o mais harmoniosa possível. Quem mora em edifícios, também pode fazer valer a convenção de condomínio, com alguns itens que são regulados de forma personalizada para cada prédio.

É preciso ter em mente que vizinho não é só quem mora ao lado, em frente ou atrás. São todos os habitantes que possam sofrer influência de algo originado em determinado imóvel. Basicamente, perturbar o vizinho é prejudicar sua saúde, segurança e o seu sossego. Conheça alguns deveres e direitos:

  • a manutenção da calçada cabe ao proprietário do terreno da frente
  • qualquer inconveniente causado por animais de estimação, a responsabilidade é do dono
  • pode-se exigir do dono do animal de estimação a construção ou o aumento da altura do muro, para que o animal não entre em seu terreno
  • o lixo deve ser colocado para recolhimento em uma altura que não seja acessível a animais
  • os dois proprietários são responsáveis pela manutenção do muro que delimita seus terrenos
  • não se deve construir janelas, terraços ou varandas a menos de um metro e meio do terreno vizinho
  • pode-se cortar galhos das árvores plantadas no terreno vizinho que avançam a sua propriedade

shutterstock-239583253.jpg

Lei do Silêncio

Os especialistas esclarecem que a Lei do Silêncio é estadual, portanto, as regras não são as mesmas para todos. Há cidades em que o limite é calculado apenas em decibéis, já em outros casos, entra também a questão do horário. O ideal é verificar a lei reguladora da cidade para fazer valer seus direitos.

E se o vizinho não respeita as normas?

Nem sempre o diálogo é a saída mais adequada, pois nem todos conhecem as leis de vizinhança, ou ainda, não têm o bom senso para viver em comunidade. Muitos casos de desrespeito ao sossego podem ser denunciados ao 190, como o excesso de ruído, que é passível de multa. Quem mora em prédio pode exigir do síndico que a convenção do condomínio seja imposta.

FONTE: https://www.mundoadvogados.com.br/artigos/conheca-os-direitos-e-deveres-entre-vizinhos

SITE: https://www.mundoadvogados.com.br/

 

 

6 dicas de limpeza que ajudam a prevenir doenças

De utilizar os produtos certos até não esquecer alguns cantinhos, veja dicas para se livrar das gripes e dos resfriados!

O verão vem chegando ao fim e as noites estão começando a ficar mais geladinhas. Para quem gosta de um friozinho, essa é a hora de tirar aquela coberta do armário, preparar um chá e se afundar em uma série da Netflix. Parece perfeito, não? Mas essa época do ano também é quando aqueles resfriados, gripes e rinites chegam para acabar com o humor de qualquer um. Sabia que você pode adotar algumas medidas na arrumação e na limpeza da casa para evitar essas doenças? Veja abaixo algumas dicas de organização para livrar a casa das bactérias e dos vírus!Use produtos que sejam bactericidas

Cloro, peróxido de hidrogênio, detergentes (sabão), iodóforos (anti-sépticos à base de iodo) ou álcoois são eficazes para matar micróbios.

Sempre siga as instruções

 (Reprodução/Casa.com.br)

Só dar uma passadinha de pano com desinfetante pode não ser suficiente para limpar de verdade as superfícies. Cada produto precisa de um certo tempo e modo de aplicação para “fazer efeito”. Leia os rótulos e siga os passos indicados nas embalagens.

Para alguns casos, produtos descartáveis

 (Reprodução/Casa.com.br)

Sim, sabemos que a sustentabilidade é algo fundamental a ser considerado, mas lenços e toalhinhas de panos podem ser grandes transmissores de germes. Se puder, faça a opção por produtos de papel, que não demoram tanto para se decompor e não carregam seu resfriado por aí.

Troque e lave seus panos com mais frequência

 (Reprodução/Casa.com.br)

As toalhas de rosto que ficam ao lado da pia, panos de prato e esponjas são objetos que carregam naturalmente mais bactérias consigo, porque são aqueles que manuseamos mais. Durante o inverno, recomenda-se lavá-los (ou trocá-los) com mais frequência.

Não se esqueça das maçanetas e dos puxadores

 (Reprodução/Casa.com.br)

Seja limpando a cozinha, quarto ou sala, não esqueça de desinfetar as maçanetas das portas, puxadores de gavetas e armários, controles de TV e videogame, as torneiras das pias e os interruptores de luz. Todos eles podem passar batido na faxina, mas são muito manuseados no dia a dia.

Até as telas devem ser higienizadas

 (Reprodução/Casa.com.br)

Já parou para pensar em quantas vezes você pegou seu celular hoje? Pois é. Telas de celulares e tablets também podem ser veículos para germes. Existem produtos específicos que podem ser usados para limpar telas de dispositivos sem danificá-los.

FONTE: https://casa.abril.com.br/organizacao/6-dicas-de-limpeza-que-ajudam-a-prevenir-doencas/

SITE: https://casa.abril.com.br