Daily Archives: 27 de abril de 2020

DICAS PARA AREJAR A CASA: DEIXE-A MAIS FRESCA E SAUDÁVEL

Quase todas as regiões do Brasil sofrem com as altas temperaturas no verão. Tanto que, logo no início da estação mais quente do ano, há um aumento no número de pessoas que buscam dicas para arejar a casa e amenizar os efeitos negativos do calor.

Você mesmo deve ter estratégias específicas para contornar esse problema, certo? Apesar disso, saiba que fazer o ar circular não só mantém os cômodos mais frescos, como também é uma forma inteligente de renovar a atmosfera interna e de cuidar do seu apartamento.

O motivo é simples: com a ventilação adequada, os ambientes ficam mais limpos e saudáveis em qualquer época do ano! Se você quer descobrir a melhor maneira de fazer isso, não deixe de conferir as informações deste post.

Nele, vamos mostrar diferentes possibilidades para manter a residência arejada e mais agradável para os moradores. Venha conferir!

A IMPORTÂNCIA DE MANTER A CASA AREJADA

Sentir o vento passando de um recinto para outro no próprio lar é algo muito satisfatório, até porque essa condição costuma ser encontrada apenas nas áreas externas. Além de frescor, o ar em movimento traz benefícios que impactam na saúde dos proprietários e na conservação do imóvel. Confira alguns:

EVITAR DOENÇAS RESPIRATÓRIAS

É fácil perceber que boa parte dos problemas do sistema respiratório surgem no final do outono e início do inverno. Ao contrário do que se pensa, o frio não é a principal causa dessas doenças, e sim os ambientes fechados. Nessas condições, o ar fica carregado de poluentes que se acumulam nos cômodos.

Por exemplo: quando alguém da família fuma ou utiliza produtos químicos dentro de casa, está expondo outras pessoas à fumaça e substâncias nocivas. O problema piora quando as áreas de convivência não são devidamente arejadas. Em longo prazo, podem surgir doenças relacionadas à inflamação nos brônquios e tecidos pulmonares.

EVITAR ALERGIAS

As alergias respiratórias e de pele também são recorrentes na rotina de quem permanece muito tempo em espaços fechados. As mais comuns — asma, rinite, dermatite de contato e bronquite alérgica — podem ser causadas por diversos agentes alérgenos, como poeira, perfumes, pólen, pelos de animais e até ácaros.

Para prevenir tais problemas, é importante manter a casa sempre limpa e abrir as janelas para que o sol e o vento cheguem a todos os cômodos. Uma atenção maior deve ser dada à ventilação nos quartos de crianças, lares de idosos e ambientes frequentados por pessoas que apresentam sistema imunológico debilitado.

EVITAR MOFO

O mofo é causado por fungos que se proliferam em recintos quentes e úmidos. Sua presença faz com que a casa apresente aquele odor característico de espaços fechados, muitas vezes associado a “cheiro de coisa guardada por muito tempo”. Quando se instala em áreas visíveis, ele também deixa o lar com aparência suja e descuidada.

É fácil acabar com o mofo utilizando produtos adequados. No entanto, é muito melhor e mais econômico prevenir o seu aparecimento, concorda? Para isso, basta garantir que os cômodos tenham acesso à luz do sol e contato com o vento ao longo do dia. Com tudo seco e higienizado, evita-se retrabalho com a limpeza de manchas e bolor.

ELIMINAR MAU CHEIRO

Alimentos, produtos de limpeza e de higiene, gordura, fumaça e o próprio mofo estão na lista de coisas que emanam odores desagradáveis. Quem tem bichinhos de estimação sabe que eles também deixam cheiros específicos pela casa, seja nos tapetes, poltronas, cadeiras ou, ainda, nas camas dos moradores.

Se já é difícil controlar o mau cheiro de frituras — quem tem cozinha americana que o diga! —, de gás, do lixo orgânico e dos animais no dia a dia, imagina quando a casa não conta com um sistema de ventilação adequado? Nesses casos, não adianta usar velas aromáticas ou incensos, pois seus aromas só funcionam no ar limpo e renovado.

EVITAR O ACÚMULO DE SUJEIRA

Quem mora em regiões muito úmidas precisa ter cuidado ao limpar os cômodos da casa. Vale fazer faxinas mais pesadas em dias de sol para que a água evapore e os ambientes sequem rapidamente.

Em regiões mais secas, a ventilação também tem papel importante após a higienização de pisos, móveis e paredes. Afinal, quando o ar circula livremente pela casa, consegue secar todas as superfícies antes que a sujeira — pó de terra, folhas secas ou pelos de animais — grude ou se acumule no local.

5 DICAS PARA AREJAR A CASA

Cômodos amplos, laje afastada do solo — sobre sapatas e pilotis —, paredes grossas, grandes aberturas e pé-direito alto ou duplo são exemplos de soluções que deixam uma residência mais fresca. O problema é que nem sempre é possível para alterar essas características em obras prontas.

Pensando nisso, separamos 5 dicas simples para você arejar a casa, não importa qual seja sua arquitetura. Confira:

1. USAR AR-CONDICIONADO

O ar-condicionado mantém a temperatura do ambiente no nível ideal de conforto. Por consumir bastante energia, ele deve ser priorizado apenas em dias com muita chuva ou vento, que é justamente quando não temos condições de deixar as janelas e portas abertas.

Como não estamos falando somente de frescor, é importante escolher um aparelho que seja capaz de renovar o ar interno. Nem todos os modelos fazem isso, e os que fazem podem exigir que você ative uma função específica — seja por botão ou via controle remoto.

Caso não encontre um ar-condicionado com opção de renovação do ar, a dica é fazer isso manualmente durante o período em que estiver usando o equipamento. O truque consiste em abrir portas e janelas dentro de alguns intervalos para permitir que o ar externo entre e substitua o ar “velho e saturado” do cômodo.

2. USAR VENTILADOR

Com preço mais acessível que o ar-condicionado, o ventilador é um grande aliado das famílias nos dias abafados ou que não oferecem ventilação natural suficiente. O eletrodoméstico promove uma corrente de ar direta que pode ser sentida por todas as pessoas no ambiente.

Existem diversos modelos — de mesa, teto, parede, chão — com tamanhos variados, mas a escolha ideal vai depender da área total do cômodo. É importante considerar que o ventilador não é capaz de umidificar o ar, já que apenas produz vento. Nesse sentido, ele atua amenizando o calor sem diminuir a temperatura do ambiente.

Para criar uma corrente de vento e arejar a casa, é fundamental garantir a troca de calor entre áreas internas e externas toda vez que usar o ventilador. Desse modo, o ar quente pode sair aos poucos e liberar espaço para uma atmosfera totalmente renovada.

3. DEIXAR PORTAS E JANELAS ABERTAS

Quer dica mais simples que essa? Ao adotá-la, é possível economizar dinheiro que seria destinado à aquisição de sistemas e equipamentos de climatização e, ainda, promover um estilo de vida mais sustentável.

Diferentemente dos ares-condicionados e ventiladores — que se limitam a refrescar e renovar o ar —, as portas e janelas ventilam enquanto permitem a entrada da luz natural nos cômodos. Talvez você não saiba, mas a energia do sol dentro de casa revigora e nos ajuda a despertar com mais ânimo.

Além do mais, com a claridade natural disponível, qualquer família reduz os gastos com conta de luz. Se quiser potencializar a iluminação no próprio lar, mantenha cortinas e persianas dobradas durante o período da manhã e à tarde.

4. PROPORCIONAR VENTILAÇÃO CRUZADA

Uma boa proposta de ventilação cruzada se define na fase de projeto arquitetônico. A estratégia consiste em posicionar os vãos da casa na mesma direção em que ocorre o percurso dos ventos predominantes. O objetivo é fazer com que o ar entre por uma abertura e, em seguida, saia por outra imediatamente oposta.

A ventilação cruzada pode acontecer de forma horizontal ou vertical. No primeiro modelo, o ar entra e sai através de portas, janelas e portões de um mesmo pavimento.

No segundo, o ar passa por aberturas opostas e, também, por vazios presentes na casa. Ou seja, ele pode entrar por uma porta do térreo, “subir” uma escada, percorrer um corredor e sair por uma janela localizada no segundo piso.

Mas o que fazer quando as aberturas da construção não foram projetadas para proporcionar ventilação cruzada? Nesse caso, a dica é improvisar uma solução com a atual disposição da planta do imóvel.

Por exemplo: se a cozinha e sala de estar são integradas e possuem janelas, elas podem compartilhar uma corrente de ar — obviamente que, para isso, é necessário que as janelas dos dois ambientes fiquem abertas ao mesmo tempo.

5. INSTALAR EXAUSTORES E DUTOS DE VENTILAÇÃO

Os exaustores são aparelhos indicados para a eliminação do calor, odores e impurezas de áreas com pouca ou nenhuma ventilação. Eles atuam retirando o ar quente e carregado de substâncias para, logo em seguida, substituí-lo por ar puro e limpo.

Existem diferentes tipos de exaustores, e cada modelo é indicado para um ambiente específico da casa. Os de cozinha, por exemplo, costumam ser instalados na mesma parede onde fica o fogão, a fim de facilitar a remoção da fumaça e partículas de gordura.

Já os exaustores de banheiro eliminam o calor e o vapor gerados no chuveiro, diminuindo a umidade e prevenindo o aparecimento de fungos. Além de ajudarem no controle da temperatura, esses equipamentos podem receber filtros que melhoram a qualidade do ar.

Diferentemente do ventilador, o exaustor distribui o ar de maneira uniforme no ambiente. Ele também pode ser combinado com dutos de ventilação — túneis feitos de zinco — que interligam os cômodos da casa por meio do teto.

Nessa solução com dutos, o exaustor contribui para que o ar circule livremente pela residência. Algumas pessoas preferem incluir o ar-condicionado no sistema para que, além de garantirem a eliminação do calor e a renovação do ar, também possam ter maior controle da temperatura interna.

Em todo caso, é essencial contar com mão de obra qualificada para a montagem e instalação do sistema, principalmente se ele for destinado a casas prontas.

3 DICAS PARA AREJAR AMBIENTES SEM JANELA

Atualmente, não é raro encontrar residências — especialmente apartamentos — com algum cômodo sem janela. Por causa da falta de ventilação e de iluminação natural, muitos proprietários transformam esses ambientes em depósitos ou os utilizam apenas para atividades esporádicas, como dobrar ou passar roupas.

Por outro lado, se o espaço em questão é importante, como um quarto, vale buscar soluções que melhorem a qualidade do ar. Veja algumas delas:

1. USAR UM VENTILADOR DE TETO

Novamente, o ventilador surge como uma excelente alternativa para arejar e refrescar. Na hora de comprar, é interessante priorizar modelos de teto que, além de não ocuparem área útil do recinto, distribuem a corrente de vento por igual. A orientação é que o usuário mantenha o equipamento ligado por, pelo menos, meia hora todos os dias.

Nos dias mais úmidos ou abafados, é interessante combinar o uso do ventilador de teto com um modelo de parede ou de coluna. Assim, você consegue criar correntes em diferentes direções e agilizar o processo de eliminação do ar quente contido no local.

2. EVITAR MATERIAIS QUE ABSORVEM UMIDADE

Ambientes mal ventilados tendem a ficar úmidos e abafados rapidamente. A condição é propícia para o surgimento do mofo que, consequentemente, causa mau cheiro e deixa o ar pouco saudável. Quem utiliza espaços sem janelas deve evitar materiais que absorvem e acumulam umidade, como madeira, couro, tecidos grossos e papel.

Outra saída é distribuir produtos antimofo pelos cantos para que absorvam a umidade do ar e mantenham o ambiente sempre seco e agradável. Móveis fechados, como armários, cômodas e guarda-roupas podem receber pedaços de giz ou potes cheios de cal, já que essas substâncias também evitam que o fungo se prolifere.

3. ABRIR TODAS AS PORTAS E JANELAS DA CASA COM FREQUÊNCIA

Não adianta ter um ventilador de teto no ambiente sem janela se o vento gerado por ele não tiver por onde sair, correto? É claro que o giro das pás traz alívio imediato nos dias de calor, mas isso não é suficiente para arejar o local de maneira adequada.

É por isso que, durante o uso do ventilador, é fundamental abrir a porta do ambiente em que ele está e, ainda, todas as portas e janelas da casa. Desse modo, o ar acumulado no local sem janela consegue passar pelos cômodos que têm ligação com a área externa e, finalmente, sair.

5 DICAS PARA DEIXAR A CASA MAIS FRESCA

Neste tópico, listamos diversos artifícios para manter um espaço sempre fresquinho e agradável. Você pode se inspirar em alguns deles para garantir que sua residência também proporcione conforto, principalmente nos meses mais quentes do ano. Veja o que dá para fazer:

1. ADAPTAR AS FACHADAS

A disposição estratégica dos ambientes e de suas respectivas aberturas é fundamental para manter a temperatura interna adequada. No hemisfério sul, que engloba boa parte dos estados brasileiros, o recomendado é posicionar os cômodos mais importantes em frente à face norte.

Essa disposição garante boa incidência solar no inverno e sombra no verão, ou seja, condições quase perfeitas em ambas as estações. Em casas já construídas e que não cumprem essa recomendação, o ideal é lançar mão de outras estratégias para adaptar as fachadas às necessidades dos moradores.

Os brises são ótimas opções porque impedem a incidência direta dos raios solares no interior das edificações. A vantagem é que eles são fabricados com diferentes materiais, como alumínio, concreto e madeira e, por isso, se adaptam à estética da residência. Além dos brises, há a possibilidade de estender o tamanho dos beirais para ampliar a faixa de sombra gerada em torno da casa.

Outras alternativas que atuam como barreiras da luz solar são os ripados de madeira (muxarabis) e as paredes de cobogós. Esses elementos funcionam como painéis vazados, que controlam a incidência da luz sem quebrar a continuidade visual mantida entre interior e exterior.

2. CULTIVAR PLANTAS DENTRO E FORA DE CASA

As flores e folhagens purificam o ar nos cômodos fechados e levam o frescor do ambiente natural para dentro dos lares. Para obter todos os benefícios das plantinhas, não basta cultivar uma ou outra muda: é preciso investir em muitos vasos, todos preenchidos com diferentes espécies.

Quem tem jardim de inverno garante vantagens em dobro: além de poder manter as plantas próximas dos ambientes internos, ainda consegue o benefício do efeito chaminé. Este é possível graças à abertura mantida no topo do jardim, que fornece luz natural para o desenvolvimento das mudas e, ao mesmo tempo, deixa o ar quente escapar.

Cabe destacar, ainda, a importância de escolher plantas adaptadas ao clima local. Elas costumam ser mais resistentes e demandam menos trabalho na manutenção, mantendo-se sempre verdinhas e saudáveis. As possibilidades são infinitas: montar um jardim no apartamento, uma horta na varanda ou um canto repleto de jardineiras floridas.

Na área externa das casas, a vegetação de grande porte também desempenha uma importante função: gerar sombra fresca e proteger as fachadas do contato direto com o sol. Um cuidado maior deve ser tomado na escolha das árvores que vão crescer perto das aberturas: elas devem ficar cheias de folhas no verão e secarem no inverno.

3. PRIORIZAR MATERIAIS E TECIDOS LEVES

Os tecidos fazem parte da decoração de várias residências, especialmente no inverno. Eles ajudam a manter os ambientes aquecidos e aparecem nos mais variados elementos: tapetes, passadeiras, cortinas, toalhas e trilhos de mesa, capas de almofadas, redes de descanso, cobertores, entre outras peças.

Nos meses de calor, é interessante evitar tecidos espessos e pesados. O tradicional veludo, por exemplo, é conhecido por aquecer em contato com a pele e, portanto, deve ser guardado para os dias de frio. Para quem gosta de cobrir sofás ou camas com mantas e colchas, a dica é priorizar aquelas feitas com materiais leves e que absorvem o suor, como o algodão.

Também troque os tapetes felpudos e macios por modelos de palha, juta, sisal ou linha fina. Nas almofadas, coloque capas de cetim, seda ou poliéster. Estes tecidos garantem uma sensação gelada ao toque e, por isso, são perfeitos para revestir peças da casa.

4. UTILIZAR ESSÊNCIAS REFRESCANTES

Alguns cheiros são capazes de causar sensação de frescor dentro de uma residência. Entre eles, ganham destaque os aromas de limão, menta e eucalipto. Veja de que maneiras você pode aproveitá-los:

  • vela aromática: procure velas com aromas cítricos e acenda no ambiente desejado, duas vezes ao dia;
  • incenso: queime incensos de limão ou de eucalipto após realizar uma faxina, para potencializar a sensação de frescor;
  • pastilhas: sachês com pastilhas aromatizantes podem ser mantidos dentro de gavetas e compartimentos dos móveis;
  • difusor com palitinhos de madeira: misture um pouco de essência de menta com álcool de cereais e mantenha a solução no local que deseja perfumar;
  • borrifador: aplique uma solução aromatizante em todos os cômodos com o auxílio de um borrifador, três vezes ao dia.

5. DAR PREFERÊNCIA ÀS CORES CLARAS

As cores claras refletem a luz do sol e ajudam a dissipar o calor das construções. Por esse motivo, uma estratégia que vem sendo empregada para reduzir o calor no interior das casas é pintar as telhas das coberturas de branco. A solução faz com que a absorção do calor seja mínima, reduzindo a necessidade de climatização.

As cores claras também podem ser aplicadas nas superfícies internas dos cômodos, como pisos, forros e paredes. Com a criação de uma base neutra, é possível adicionar toques de cor ou estampas mais alegres nos móveis, estofados, cortinas, tapetes e acessórios decorativos.

Para aquelas pessoas que não curtem o visual monótono do branco ou do tradicional cinza claro, a dica é investir em tons pastéis, como lilás, azul-turquesa, verde-água e salmão. Essas cores suaves transmitem tranquilidade, iluminam e dão a impressão de que os espaços são maiores.

Outra forma de potencializar a sensação de amplitude é adotar lâmpadas de luz branca em todos os ambientes. Os modelos de LED são ideais porque economizam mais energia que as incandescentes e fluorescentes e, de quebra, produzem menos calor.

E então? O que achou das nossas dicas para arejar a casa? Reflita sobre cada opção e não deixe de testar aquelas que podem ser adaptadas à sua realidade!

FONTE: https://blog.viasul.com/dicas-para-arejar-a-casa-deixe-a-mais-fresca-e-saudavel/