Daily Archives: 3 de março de 2020

Como escolher um condomínio fechado? Aprenda aqui!

A moradia é um dos fatores que mais influencia o bem-estar da sua família. Com o aumento dos problemas urbanos, como violência, engarrafamento e poluição, os condomínios fechados têm se tornado uma opção cada vez mais procurada. Mas quem sempre viveu em apartamentos ou casas não sabe necessariamente como escolher um condomínio fechado.

Para ajudá-lo a escolher a opção ideal para você e sua família, preparamos este post com seis aspectos que devem ser observados, o que procurar em cada um deles e, ao final, alguns cuidados para que tudo saia como previsto. Boa leitura!

Defina o perfil da sua família

Definir o perfil da sua família é o primeiro passo quando se está pensando em escolher um condomínio fechado. Por um motivo muito simples: ao ter isso definido, já é possível separar aqueles condomínios que não se encaixam no perfil.

Essa definição envolve em si mesma alguns fatores. O primeiro deles é o econômico. Saber quanto é possível investir em um imóvel é evitar muitas dores de cabeça futuras. Isso não envolve apenas o financiamento, mas também a manutenção do imóvel, que muita gente se esquece de levar em conta quando está fazendo as contas.

Em seguida vem o estilo de vida e estrutura familiar. As necessidades de uma pessoa solteira, dois recém-casados e uma família com filhos e animais de estimação são bem diferentes. Além disso, a rotina familiar também influencia muito na escolha do lugar ideal.

Por fim, o tipo de construção desejada também influencia, já que, mesmo quando se compra um lote, há restrições municipais de loteamento para se levar em consideração. Ao pesar todos esses fatores, já é possível ter uma boa ideia do tipo de condomínio fechado que se vai escolher.

Analise a segurança

Não tem como escolher um condomínio fechado sem levar em conta a segurança. Trata-se de um dos principais motivos pelos quais as pessoas procuram condomínios fechados, e não se pode deixar de conferir como ela é implementada.

Apenas muros altos e cercas eletrificadas já não são suficientes para se sentir seguro nos grandes centros urbanos. Procure sempre por condomínios em que essa não seja a única garantia de segurança.

Um empreendimento que investe em portarias controladas 24 horas, monitoramento com câmeras de segurança e rondas noturnas garante não apenas a segurança, mas também a tranquilidade dos seus moradores.

Além da violência, outro fator de segurança importante, principalmente para quem tem filhos pequenos, são as ruas internas do condomínio. Ruas privativas e sem cruzamentos, além de ruas específicas para pedestres, diminuem muito a ocorrência de acidentes e permitem que a sua família aproveite mais os diferencias do seu condomínio.

Conheça a infraestrutura

Além de maior segurança, condomínios fechados costumam oferecer uma infraestrutura própria para melhorar o seu bem-estar. São detalhes que podem passar despercebidos, mas que fazem toda a diferença quando se começa a conviver com eles no dia a dia, a ponto de você se perguntar como vivia antes sem essas comodidades.

A primeira coisa a se notar, principalmente para quem mora em grandes centros urbanos, são as áreas verdes e de convivência. Em um condomínio fechado, é muito mais fácil ter esse tipo de comodidade do que em prédios ou bairros abertos. Assim, verifique o que o condomínio ao qual você está se mudando oferece nesse sentido.

Mas coisas mais simples, como ter calçadas feitas em guia americana e iluminação e paisagismo prontos no momento da entrega, fazem muita diferença quando se está mudando para um novo empreendimento.

Verifique a área de lazer

Um ponto da infraestrutura que merece atenção especial é a área de lazer, e não apenas para famílias com criança, embora para essas mereça atenção redobrada. Esse é outro fator especificamente relevante para entender como escolher um condomínio fechado.

É importantíssimo verificar a segurança das áreas destinadas às crianças. Além de ter brinquedos adequados a todas as idades em uma área cercada, um chão emborrachado evita machucados nas inevitáveis quedas.

Mas, como foi dito, lazer não é apenas para crianças. Piscinas e quadras desportivas, além de servirem como distrações no fim de semana, são excelentes formas de se manter a forma. Se o condomínio conta com uma academia interna, melhor ainda.

Os animais de estimação da família também merecem atenção. Um pet place para que os seus bichinhos possam conviver sem problemas é um ótimo jeito de fazê-los felizes e de você interagir com seus vizinhos!

Por fim, uma área verde com trilhas, além de atender a toda a família, é uma maneira de manter contato com a natureza e cuidar da saúde ao mesmo tempo. Nada melhor do que um passeio por entre as árvores para diminuir o estresse da vida moderna.

Cheque a mobilidade e acessibilidade

Por seu tamanho e espaço requerido, a maioria dos condomínios fechados não tem como ser construída nos centros urbanos. Mas isso não precisa significar problemas para se locomover até eles.

Afinal, um condomínio bem localizado permite o conforto e tranquilidade de um espaço mais afastado e ao mesmo tempo de fácil acesso a todas as comodidades necessárias, seja incluindo-as em seu planejamento, seja apresentando um rápido caminho até os centros urbanos, onde é possível encontrar o que falta.

Outra característica importante é a acessibilidade. Trata-se de um espaço em que todas as pessoas, mesmo aquelas com algum tipo de dificuldade motora ou de outro tipo, consigam transitar. Assim, ser acessível significa ter um espaço em que as barreiras que essas pessoas normalmente encontram sejam retiradas ou no mínimo reduzidas.

Mesmo que não seja o seu caso, um empreendimento que demonstra preocupação com essas questões reforça sua dedicação à qualidade de vida de seus moradores. Além disso, uma casa é um investimento em longo prazo, e no futuro é possível que você precise dessas facilidades.

Calcule a relação custo-benefício

Normalmente, um lote em um condomínio fechado é mais caro do que um em um bairro aberto. Mesmo entre empreendimentos diferentes, há uma variação de preço. Mas é importante olhar o custo-benefício, não só o custo total.

E também deve-se levar em conta que a tendência à valorização dos lotes em bairros planejados é maior e mais assegurada que em outros tipos de imóveis residenciais. Isso porque não há a possibilidade de uma fábrica ou outro prédio se instalar ao lado da sua casa e desvalorizar o imóvel.

Partindo do seu perfil e verificando cada ponto de como escolher um condomínio fechado é muito fácil ver que os benefícios de uma boa escolha vão afetar positivamente a vida de toda a sua família.

Mas esse é apenas o primeiro passo. Agora que você sabe como escolher um condomínio fechado, procure conhecer os cuidados na hora da compra. Desde analisar o tipo de construção que pode ser feita no lote até a documentação necessária para a compra, passando pela verificação do orçamento, é preciso estar com tudo certo para fechar o negócio.

FONTE: http://www.cinqdi.com.br/como-escolher-um-condominio-fechado-aprenda-aqui/