Monthly Archives: novembro 2019

5 DICAS PARA ECONOMIZAR ENERGIA ELÉTRICA NA SUA CASA

1. Troca de lâmpadas

Os modelos de lâmpadas existentes no mercado diferem principalmente no preço e na economia de energia. É importante entender que pagar menos em uma lâmpada pode gerar um aumento considerável na sua conta de luz mais tarde. Os principais modelos são:

Lâmpadas Comuns Incandescentes

São mais baratas, fáceis de serem recicladas e não apresentam materiais tóxicos em sua composição. Porém, gastam muita energia e são pouco eficientes, uma vez que somente entre 5 a 10% da energia elétrica gasta para acendê-las é transformada em luz (o restante vira calor e é dissipado no ambiente).

Lâmpadas Fluorescentes

São eficientes e econômicas. Apesar de serem mais caras que as comuns, são muito mais duráveis. Atualmente existem versões compactas e em diferentes tonalidades.

Você sabia que existem também lâmpadas feitas de garrafas PET? Para locais com telhado simples (sem forro) como galpões, garagens e edículas, é possível fazer alguns furos nas telhas e fixar garrafas PET transparentes, cheias de água. A iluminação produzida é impressionante e não gasta nenhum centavo!

Lâmpadas de LED

Devido a tecnologia avançada em relação às demais, este modelo é muito econômico, não é composto por nenhum material nocivo à saúde e ao meio ambiente, não transmite calor e é o mais durável e eficiente. Contudo, seu valor ainda é bastante elevado.

Por esse motivo, recomendamos utilizar as lâmpadas fluorescentes compactas em sua casa e as de LED apenas em pontos de destaque, como em spots e arandelas.

Se precisar de uma mãozinha para a troca de lâmpadas, conte com o serviço de assistência residencial do seguro residencial, além da mão-de-obra para reparo de tomadas e interruptores (planos de assistência Proteção Extra e Máxima).

2. Desconectar os aparelhos das tomadas

Se você achava que isso era um mito, pode pensar duas vezes. Essa é uma das melhores formas de economizar, uma vez que diversos aparelhos ficam em stand-by para manter o funcionamento de sensores e relógios. Logo, evite deixar o micro-ondas, climatizadores de ar, DVDs e TVs conectados às tomadas. Sabe qual é outro grande sugador de energia? O carregador de celular! Sempre que não estiver usando, tire-o da tomada.

Fazer isso evita também que os aparelhos sejam queimados após a queda de um raio, por exemplo.

3. Reduza o tempo no banho

Difícil seguir essa recomendação no inverno, não é? Mas faça um esforço, já que os chuveiros elétricos são responsáveis por um grande gasto de energia. Então, se você quer mesmo economizar, tome banho mais curtos, mude a chave do chuveiro para verão (assim que esquentar um pouquinho) ou substitua o modelo elétrico por um que tenha outro sistema para esquentar a água, como gás ou solar.

4. Mantenha os eletrodomésticos em bom estado

Aquela TV de tubo 61 polegadas que fez de você a sensação entre os amigos no início dos anos 2000 ainda está na sua sala? E a geladeira antiga, que era da sua avó, com a borracha de vedação original, está aí também? Sabemos que é difícil desapegar de alguns itens, mas eles podem estar utilizando muito mais energia do que deveriam, devido a tecnologia ultrapassada ou a falta de manutenção adequada. Então fique de olho!

5. Desligue as luzes

A sua mãe já dizia: sempre apague a luz ao sair dos cômodos! Se você não sabe quanto tempo irá passar fora, não corra o risco de esquecer as luzes ligadas à toa.

Viu só como algumas precauções simples já podem ajudar a reduzir consideravelmente o consumo de energia? Agora é só colocar nossas dicas em prática. Assim, além de contribuir com o meio ambiente, você pode também conseguir ter um dinheirinho a mais no final do mês para comprar aquele objeto de desejo ou para passear com a família.

FONTE: https://seguros.sompo.com.br/5-dicas-para-economizar-energia-eletrica-na-sua-casa

DICAS DE SEGURANÇA PARA PISCINAS EM CONDOMÍNIOS

 

As piscinas s ão um dos maiores atrativos de lazer para quem mora em condomínios. Elas são perfeitas para se refrescar, brincar com as crianças e, ainda, relaxar após uma semana cansativa. Normalmente, quando se fala a respeito de cuidados necessários com as piscinas em condomínios, pensamos apenas no processo de limpeza e manutenção. No entanto, um dos maiores cuidados que devem ser tomados é em relação à segurança.

Certamente, você já ouviu a respeito de casos de afogamentos e outros tipos de acidentes que aconteceram por falhas de segurança para piscinas em condomínios, mas você dá atenção ao assunto o quanto deveria? Muitas vezes, acabamos ignorando esses alertas por pensarmos que essas situações são muito difíceis de acontecer conosco ou com alguém próximo.

No entanto, é essencial ficar alerta, evitar esses riscos e continuar aproveitando os prazeres dessa área de lazer. Para isso, é importante seguir alguns procedimentos simples para garantir a segurança para piscinas em condomínios. Saiba quais são eles no post de hoje.

1. VERIFIQUE O REGIMENTO DO CONDOMÍNIO

Esse é um importante documento no qual devem constar regras e condutas que precisam ser de conhecimento de todos para preservar a boa convivência e a segurança. O regimento deve prever situações que podem ocorrer e de que forma preveni-las, aumentando a segurança para piscinas em condomínios.

2. OBEDEÇA O HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO

Com a correria do dia a dia, certamente, o que todo mundo quer é aproveitar ao máximo os momentos de lazer, certo? Muitas vezes, querendo curtir só mais alguns minutos, as pessoas podem colocar a sua própria segurança em

risco. O horário de funcionamento da piscina é estabelecido para o bem de todos, por levar em consideração fatores como iluminação, horário de manutenção e suporte de funcionários, por isso, ele deve ser respeitado: sem exceções.

cuidados na piscina - seu condomínio

3. JAMAIS DEIXAR CRIANÇAS DESACOMPANHADAS

Nas piscinas, é preciso ter um cuidado especial com as crianças. Jamais permita que elas fiquem nessa área sem a supervisão de um adulto. Se você constatar que alguma criança está sozinha, comunique o síndico para que ele chame os pais dela imediatamente.

4. CERTIFIQUE-SE DE QUE O CONDOMÍNIO TENHA UMA CAIXA DE PRIMEIROS SOCORROS

Uma das formas de manter a segurança nas piscinas em condomínios é contar com uma caixa de primeiros socorros para prestar um atendimento inicial em casos de acidentes.

A existência e a localização desse kit devem ser de conhecimento de todos os funcionários e moradores, e ele deve estar sempre bem equipado.

5. NÃO ENTRE NA PISCINA APÓS INGERIR BEBIDAS ALCOÓLICAS OU COMER EM EXCESSO

Essas atitudes podem colocar a sua segurança e a das outras pessoas em risco. Bebidas alcoólicas e piscina não combinam, pois os reflexos de quem ingere a bebida ficam reduzidos.

Outro cuidado importante é evitar comer em excesso e ir para a piscina para não correr o risco de ter um mal-estar.

  6. NÃO CORRA OU MERGULHE DE CABEÇA

Correr ao redor da piscina é bastante perigoso, já que a área pode estar úmida, favorecendo quedas e acidentes graves.

Outra dica de segurança para piscinas em condomínios é não mergulhar de cabeça, afinal, a transparência da água pode causar uma falsa sensação de profundidade.

7. NÃO ENTRE NA PISCINA DURANTE TEMPESTADES       cuidados na piscina - seu condomínio

Piscina, raios e tempestades são uma combinação perigosa e que pode ser mortal. Não corra riscos desnecessários e evite nadar durante as tempestades.

Para aproveitar o que há de melhor na área das piscinas do seu condomínio é essencial levar a segurança ao pé da letra. Dê o exemplo, até mesmo para que as crianças compreendam qual postura devem adotar quando estiverem nessa situação. Assim, a convivência de todos será mais harmoniosa e a segurança nas piscinas estará garantida.

Agora que você conhece algumas medidas para garantir a segurança para piscinas em condomínios, aproveite esse espaço com muito mais qualidade e tranquilidade.

FONTE: https://www.seucondominio.com.br/noticias/dicas-de-seguranca-para-piscinas-em-condominios

Conheça os benefícios do Sol

Tomar um sol, independente da estação, é uma delícia e faz muito bem ao nosso organismo. Mas para ficar exposto a ele existem algumas regrinhas e precauções a serem tomadas.
Nós, aqui do blog, também amamos pegar sol e, por isso mesmo, vamos trazer algumas dicas de como aproveitar todos os benefícios desse calor maravilhoso. Vamos lá?

Saber a hora certa para tomar banho de Sol

Infelizmente, não são todas as horas do dia que podemos tomar sol. Se nos expusermos a ele nas horas erradas, além de queimaduras, ocorre o risco de manchas, sardas ou até mesmo câncer de pele.
O melhor horário para tomar sol é antes das dez horas da manhã ou depois das quatro da tarde. Lembrando que, no horário de verão de manhã seriam antes das nove e depois das cinco.
O recomendado por especialistas é ficar de baixo do sol cerca de quinze a trinta minutos, duas ou três vezes por semana.
Agora que você já sabe disso, vamos as vantagens de tomar sol?

Produção de vitamina D: alguns dos principais benefícios

Esta é uma das maiores vantagens que podemos receber das irradiações solares. A vitamina D ajuda a tratar a depressão e a ansiedade, males que hoje em dia afetam a maior parte da população mundial.
Isso ocorre porque quando tomamos sol, o cérebro produz serotonina, que quando está baixa, desenvolve esses tipos de problemas.
Mas é recomendado que, além de tomar sol, o paciente (claro, sob supervisão do seu médico) consuma suplementos dessa vitamina, bem como seus remédios diários.
Transtornos de humor e insônia (ou transtornos do sono) podem, igualmente, serem melhorados com o uso da vitamina D.

Aceleração do metabolismo e emagrecimento

Você sabia que a aceleração do metabolismo ajuda na perda de alguns quilos? E que tomar sol pode te ajudar a emagrecer? Pois é, e a vitamina D, que falamos ali encima, é a grande aliada de um metabolismo rápido.
Primeiro, vamos falar sobre o que é o metabolismo e como ele funciona. O metabolismo é um conjunto de reações químicas que ocorrem no nosso organismo, fazendo com que ele funcione através da geração de energia.
Quem tem metabolismo alto as reações químicas ocorrem rápido, já que o corpo processa as substâncias de maneira veloz, assim, o emagrecimento se torna fácil. Já quem o tem lento, queimar calorias se torna difícil. Mas calma que tudo tem solução.
Mas o que a vitamina D tem a ver com isso? Simples, tomando ela em dose certa, o metabolismo acelera, queimando gorduras localizadas no abdômen e em outras regiões, como culotes, pernas e por aí vai.

Sol: um aliado na saúde

Já falamos brevemente no segundo tópico sobre como tomar sol é importante. Mas acredite, o sol ainda tem mais benefícios do que se pode imaginar. Por isso, neste tópico, abordaremos mais de perto o assunto, contando a ajuda que ele oferece a vários tipos de doenças. Vem com a gente!

1. Psoríase

O sol é definitivamente um aliado aos que tem algumas doenças que iremos citar ao longo deste tópico. Ele, por exemplo, ajuda na psoríase, doença crônica e autoimune (quando o organismo ataca ele mesmo).
A psoríase, causa lesões vermelhas ou descamação, e como já dissemos, o sol ajuda a diminuir as lesões graças ao potente processo anti-inflamatório. E com a psoríase não seria diferente. As repostas imunológicas a essa doença melhoram progressivamente, fazendo com que as manchas e vermelhidão desapareçam.

2. Vitiligo

Falando em doenças de pele…você sabia que o sol ajuda em casos de vitiligo? Se você não sabe, o vitiligo é uma doença na qual a pigmentação da pele vai mudando e ao longo do tempo se espalha pelo corpo, deixando a pele cada vez mais clara.
Nesse caso, o sol é fundamental, mas é necessário consultar seu médico, consumir os remédios certos e saber o tempo correto da exposição (geralmente são quinze minutos).

3. Diabetes

Se tem diabetes tipo 2 ou conhece alguém que tenha, saiba que tomar sol pode ajudar e muito. A doença que normalmente atinge adultos por genética e exageros na comida pode ser ajudada pelos raios de sol.
Segundo pesquisas, a luz ultravioleta, que está presente no sol, auxilia no controle dos níveis de açúcar e em problemas de resistência à insulina. E claro, a quem não tem diabetes, o calorzinho também ajuda a preveni-la.

O Sol e a acne

A quem não sabe os raios solares podem ser verdadeiros aliados a quem sofre de acne ou espinhas no geral. Isso porque o sol causa um leve ressecamento na pele. Assim, ele consegue secar parte das espinhas.
Outro benefício do sol a quem tem acne, é que ele tem poder anti-inflamatório, ajudando a pele acneica.
Porém, é preciso ter cuidado. O excesso de raios solares pode acabar gerando mais acnes do que as tratando, já que ele aumenta o nível de glândulas sebáceas, ou seja, gera mais oleosidade, que ficam presentes nos poros, produzindo novas acnes.
Para evitar isso, fique pouco tempo exposto ao sol e quando for sair na rua, use protetor solar (os ideais são os não oleosos, que evitam a acumulação de mais sebo na sua pele).

FONTE:

10 MINUTOS DE CAMINHADA POR DIA JÁ TRAZEM RESULTADOS?

Quantos minutos de exercícios você realiza durante o dia?

Meia-hora por dia de caminhada, cinco dias na semana. Você com certeza já ouviu alguma recomendação parecida, não é? Ela faz parte das diretrizes mundiais de saúde, que buscam indicar hábitos saudáveis de vida através de atitudes mínimas. Nos últimos tempos, o Serviço de Saúde Pública da Inglaterra indicou ainda menos tempo de exercícios diários.

10 minutos de caminhada por dia já seriam o suficiente, segundo as diretrizes britânicas. A indicação é baseada em estudos que indicam que essa quantidade de exercício seria o suficiente para reduzir os riscos de morte precoce por problemas de saúde em até 15%.

Essas indicações não são consequência de uma espécie de negligência do governo britânico, mas de um olhar mais realista. O Serviço de Saúde Pública descobriu uma grande quantidade de habitantes sedentários, e procurou estimular o mínimo possível de exercícios saudáveis. Segundo o programa, mais de 6.3 milhões de ingleses sequer conseguiram cumprir a meta de 10 minutos de caminhadas diárias.

O mesmo guia que propõe a modalidade de exercícios ainda indica que o ideal é manter os 150 minutos semanais de exercícios moderados, seguindo as diretrizes internacionais. No entanto, os 10 minutos diários (um terço do tempo indicado anteriormente) já seriam o suficiente para trazer alguns resultados.

E você, quanto tempo costuma se exercitar por dia? Está dentro da média, ou precisa de mais minutos de caminhada? Uma vida saudável costuma requerer alguns sacrifícios para aqueles que a buscam, mas com certeza traz bons resultados.

Quer mais dicas e informações para ter um dia a dia com mais saúde? Continue acompanhando nossas Nutrinotícias. Semanalmente trazemos notícias relevantes que estimulam rotinas mais saudáveis. Fique ligado!

FONTE: http://www.nutribrands.com/2017/09/22/10-minutos-de-caminhada-por-dia-ja-trazem-resultados/

Como deixar seu cãozinho mais calmo e quieto?

Ter um cão hiperativo é um problema com muitas causas possíveis e soluções. Muitos problemas de cães hiperativos partem do tédio e falta de estimulação. Portanto, afim de resolver o problema do cão, você tem que avaliar a forma como você está interagindo com o ele e o tipo de atividade que seu cão tem em uma base diária. Aqui estão algumas técnicas simples que você pode tentar em casa para deixar seu cãozinho mais calmo e quieto.

O que causa a hiperatividade no cão?

Na maior parte das vezes, a hiperatividade é causada pela falta de exercícios físicos, treinamento e e falta de atenção ao bichinho. Uma alimentação desregulada, incluindo aqui a falta de nutrientes pode causar no cão um certo desespero e ser interpretado como hiperatividade.

Antes de assumir que seja um destes motivos, o dono do cão deve trabalhar para excluir motivos biológicos para a hiperatividade, como problemas de saúde, mudanças no ambiente, novos membros na família etc. Um veterinário deve ser consultado para orientá-lo da melhor forma possível.

Ignore o comportamento do cão hiperativo

Cães procuram a nossa atenção. Ao prestar atenção ao cão durante explosões de hiperatividade, você está reforçando o comportamento problema do cão que você está tentando eliminar. A próxima vez que seu cachorro estiver pulando ou mordendo-lhe de uma forma muito excitada, experimente: nenhum toque, nenhuma conversa, nenhum contato com os olhos. Veja como você se sai. Você pode ser surpreendido com quão rapidamente o cão se acalma.

Dê a seu cão um trabalho

Ter uma tarefa para focar pode ajudar tremendamente. Hiperatividade em cães pode vir de necessidades psicológicas tão facilmente quanto pode a partir de necessidades físicas. Ao dar o seu cão um trabalho a fazer, você está tirando o comportamento do cão hiperativo e está redirecionando sua energia para outro lugar. Por exemplo, fazer o seu cão usar uma mochila com peso extra vai manter seu cão empenhado na realização da atividade, em vez de se distrair com esquilos e outras coisas.

Faça uma caminhada cão para redirecionar a alta energia do cão

Se seu cão tem uma grande quantidade de energia acumulada, uma realmente vigorosa caminhada com o cão é outra excelente maneira de redirecionar a atividade onde quer que ele vá. Depois de ter queimado a energia extra, seu cão deve estar agradavelmente exausto para pular, morder e latir. Sem a frustração de não ter onde aplicar a energia extra, vai ser muito mais fácil para seu cãozinho de estimação relaxar.

Olhe para você mesmo

Seu cão é seu espelho. Qualquer energia, comportamento, olhar que você projeta, ele vai refletir de volta. Como você é com seu cão? Você é mais calmo? Você baixa o tom de voz quando conversa com ele? Você age como “macho alfa” perante o cão? Você está estressado por causa de uma discussão, ou sobrecarregado com as preocupações da semana de trabalho? Um humor nervoso ou ansioso pode se traduzir em linguagem corporal e tons de voz diferenciados, facilmente percebíveis pelo seu cão. Respire fundo, avalie seu comportamento com seu bichinho de estimação e mude para um estilo mais calmo antes que o cão piore.

Experimente aromaterapia e massagens

Não se esqueça de que os cães experimentam o mundo, principalmente pelo cheiro. Um cheiro suave também pode ter um efeito muito calmante sobre o seu animal de estimação. Junte isso com uma massagem ou um banho calmante em uma banheira ou piscina, e seu cão ficará completamente relaxado e calmo após uma sessão de relaxamento. Converse com seu veterinário para descobrir quais cheiros podem funcionar para o seu cão e quais os métodos são mais seguros para ele.

Como você faz para acalmar seu cão e deixá-lo mais quieto? Compartilhe nos comentários suas dicas!

FONTE: https://www.estimacao.com.br/como-deixar-caozinho-calmo-quieto/

A importância de brincar ao ar livre

Sala de estar: como organizar em 10 passos!

Organize sua sala de estar em 10 passos: escolha o que e onde deve ficar cada coisa, e depois comemore o resultado com os amigos!

Quer deixar sua sala de estar linda e organizada?

Prepare-se, então, para o nosso passo a passo que vai te ajudar a entender melhor seu espaço disponível, o que precisa mesmo estar em sua sala de estar, o que você adoraria que tivesse e como cada móvel pode te ajudar nesta tarefa.

Passo a passo para organizar sua sala de estar

1- Sua sala de estar tem mais de um ambiente?

Por exemplo: Tem TV em sua sala de estar ou ela fica em um cômodo separado? Tem um recanto ou conjunto de móveis que compõem um espaço para curtir uma lareira, para ouvir música ou para leitura?

Entenda essa disposição antes de prosseguir. Note como esta sala de estar tem vários ambientes: Bar TV e até um cantinho para relaxar :

decoração-salas
Projeto Guto Requena

2- Sua sala de estar é integrada com outros ambientes?


Em algumas residências a sala de estar é integrada com a copa, à sala de jantar e até mesmo com uma cozinha americana ou até um bar.
Esse fator pode alterar totalmente  a maneira de organizar sua sala de estar.

3- Defina o que precisa realmente estar em sua sala de estar

Com isso nos referimos a utensílios e objetos práticos, não enfeites, que trataremos mais tarde
Você pode usar a sala de estar para guardar seus livros, CDs ( tem gente que ainda usa…), revistas, aparelhos de som e TV, controle remoto, chaves, guarda chuvas,utensílios para lareiras e até mesmo talheres e toalhas de mesa, quando os ambientes são integrados com a copa ou sala de jantar.

4- Visualize tudo que pode ser usado para organizar esses elementos

Quais os móveis compõem sua sala de estar  e podem ajudar a organizar todas essas coisas?
Racks, gaveteiros, estantes, mesas de centro e laterais, prateleiras, consoles, aparadores etc.

living-decoration
Projeto Quitete Faria Arquitetura

5- Que enfeites você faz questão de manter em sua sala de estar?

Vasos, cristais, bandejas, pratarias, cinzeiros, quadros, lembranças de viagem, estatuetas, candelabros, antiguidades e até livros.
São tantas as peças de decoração que a gente gosta e desejaria deixar exposta para nossos convidados verem, não é mesmo? Selecione as suas preferidas.

living-contemporâneo
Projeto Fernando Piva

6- Será preciso trocar algum móvel?

Com todos esses elementos que você precisa organizar em sua sala de estar, pode ser que você note que trocar um móvel talvez seja necessário.
Sempre é melhor trocar do que acrescentar mais um móvel porque o excesso de mobília pode deixar sua sala apertada.
Se esse for o caso, pense em móveis de dupla função, como mesa de centro com gavetas nas laterais ou com tampo de vidro tipo vitrine, aumentando a área aproveitável para apoiar objetos.
Uma dica para quem tem muitas coisas para organizar na sala de estar é usar prateleiras junto ao teto como neste ambiente, veja:

dicas-organização-e-decoração-sala
Projeto Artis Design + Fabio Bouilet e Rodrigo Jorge

7- Amplie o espaço com objetos organizadores

Reparou na imagem do modelo de sala de estar acima que , além das prateleiras, tem dois baús metálicos debaixo de um console?  E que ao lado dele tem caixas de madeira usadas como porta revistas?
Pense em que objetos podem ser bonitos, e ao mesmo tempo, ajudar a organizar sua sala de estar, confira estas sugestões:



8- Dê preferência por enfeites que também organizam e guardam

Baús, caixinhas de madeira marchetada, caixas de chá e até vasos e bandejas podem ajudar a “esconder” e organizar miudezas.



9– Hora de pôr as coisas no lugar

Comece pelo que é necessário. Tudo que não é bonito e não precisa estar à vista você deve colocar em móveis fechados, como gaveteiros e baús.
Os demais, nas prateleiras e nos móveis, mas tomando cuidado de escolher coisas bacanas, como seus livros encadernados, por exemplo, revistas de época e utensílios úteis e bonitos, como cinzeiros de cristal.

A seguir, organize os seus enfeites, mas sempre ligando-os a alguma funcionalidade do móvel que os sustenta. Por exemplo: não faz sentido pôr candelabros no cantinho do som, mas na área de leitura ou da lareira, podem ficar mais integrados.

sala-de-estra-decoração-amarela
Projeto IDB Arquitetura

10- Aprecie os resultados e chame os amigos

MeyerCortez  Arquitetura e Design
 

Agora que sua sala de estar está linda e organizada, já  sabe: prepare uma reunião com os amigos e aguarde os elogios!

* Estas dicas para organizar a sala de estar foram criadas pela equipe Viva Decora para o blog de decoração Jeito de Casa!
FONTE: https://www.jeitodecasa.com/2017/11/sala-de-estar-como-organizar-em-10.html

Veja 5 dicas para ter uma boa relação com seu vizinho

Os seres humanos se diferem uns dos outros por uma série de hábitos e comportamentos. É a essência, não tem como mudar. Mas ao mesmo tempo em que há diversidade, é preciso existir respeito aos limites do outro. E isso pode ser observado e aprendido com o vizinho, onde podemos exercitar relações de confiança e responsabilidade.

Temos horários de trabalho e lazer que também podem ser peculiares. Algumas pessoas têm cachorros em suas casas ou apartamentos, outras têm gatos, têm aquelas que criam papagaios e assim por diante. Todas essas coisas podem interferir de algum modo na vida de quem mora ao seu lado.

Um relacionamento amigável com quem mora ao lado tem a educação como base. Foto: iStock, Getty Images

Segundo o psicólogo Eduardo Wunsch, para viver em espaços compartilhados e evitar constrangimentos, é preciso respeitar as regras que regem esses ambientes. Além disso, é preciso ter em mente os direitos e deveres que temos em relação às pessoas que vivem ao nosso redor.

Seja educado com seu vizinho

Não é só a obediência às normas que torna o convívio harmonioso. A boa educação, a conversa, a tolerância, a simpatia e a gentileza são atributos humanos que também podem tornar agradáveis as relações das pessoas que vivem próximas.

Diante disso tudo, podem surgir dúvidas sobre quando e como podemos nos aproximar do vizinho. De acordo com o psicólogo, não é regra, mas na correria diária, a atenção das pessoas está mais voltada para os seus afazeres. E com isso, elas acabam restringindo suas convivências a um grupo de pessoas que estão em contato mais direto, como família e trabalho.

Às vezes, não nos damos conta da importância da boa vizinhança, e isso passa despercebido até que alguém venha até nós para tratar de algum assunto relativo ao condomínio, ao bairro ou à rua em que moramos.

Conforme Eduardo, se a pessoa sentir necessidade de desenvolver e manter uma boa relação com o vizinho, é preciso se esforçar para que isso aconteça. Pode ser trocando algumas palavras de vez em quando ou começando apenas com um sorriso amigável.

Cada pessoa tem a sua maneira de se relacionar. Assim, devemos ficar atentos sobre a nossa postura em relação ao espaço que ocupamos na vida de quem mora perto da gente.

É preciso ter em mente o quanto é importante poder contar com essas pessoas e, quem sabe, ter a certeza de ter encontrado amigos. Em lugares onde as pessoas se conhecem e se relacionam de forma amigável, a sensação de segurança é maior do que em outros lugares onde isso não acontece.

Ter um vizinho com o qual se pode contar aumenta a chance de um poder ajudar o outro no sentido de proteção física e material. Além disso,  formar uma aliança para tratar de alguma causa referente às necessidades do condomínio ou do bairro fica mais fácil

Como ser um bom vizinho

Para ter uma boa relação com o seu vizinho, algumas atitudes são importantes. Confira:

1. Educação

Seja educado, não esqueça das “palavras mágicas”: por favor, obrigada, bom dia, com licença.

2. Regras

Respeite regras referentes a horários de barulho, espaço e tempo.

3. Problemas

Mostre-se interessado em ajudar quando perceber algum problema no qual você pode interferir positivamente.

4. Ajuda

Permita-se ser ajudado quando as pessoas mostrarem interesse em solucionar problemas.

5. Amizade

Reforce vínculos e identifique possíveis amizades com quem mora ao seu lado.

FONTE:https://fortissima.com.br/2015/06/18/veja-5-dicas-para-ter-uma-boa-relacao-com-seu-vizinho-14701197/

10 dicas para economizar água

10 dicas para economizar água

1 – No banho: Se molhe, feche o chuveiro, se ensaboe e depois abra para enxaguar. Não fique com o chuveiro aberto. O consumo cairá de 180 para 48 litros.

2 – Ao escovar os dentes: escove os dentes e enxágue a boca com a água do copo. Economize 3 litros de água.

3 – Na descarga: Verifique se a válvula não está com defeito, aperte-a uma única vez e não jogue lixo e restos de comida no vaso sanitário.

4 – Na torneira: Uma torneira aberta gasta de 12 a 20 litros/minuto. Pingando, 46 litros/dia. Isto significa, 1.380 litros por mês. Feche bem as torneiras.

5 – Vazamentos: Um buraco de 2 milímetros no encanamento desperdiça cerca de 3 caixas d’água de mil litros.

6 – Na caixa d’água: Não a deixe transbordar e mantenha-a tampada.

7 – Na lavagem de louças: Lavar louças com a torneira aberta, o tempo todo, desperdiça até 105 litros. Ensaboe a louça com a torneira fechada e depois enxágue tudo de uma vez. Na máquina de lavar são gastos 40 litros. Utilize-a somente quando estiver cheia.

8 – Regar jardins e plantas: No inverno, a rega pode ser feita dia sim, dia não, pela manhã ou à noite. Use mangueira com esguicho-revólver ou regador.

9 – Lavar carro: Com uma mangueira gasta 600 litros de água. Só lave o carro uma vez por mês, com balde de 10 litros, para ensaboar e enxaguar. Para isso, use a água da sobra da máquina de lavar louça.

10 – Na limpeza de quintal e calçadas use vassoura: Se precisar, utilize a água que sai do enxágue da máquina de lavar.

Fonte: samaerne.com.br

Dica: Como passear com um cachorro medroso.

A maioria de nós conheceu ou, pelo menos, viu um cão tímido e temível em algum momento. Talvez um vizinho tenha um, talvez você tenha visto um em um abrigo, ou o seu cachorro é um cão medroso. Por isso o Dog walker ensina de hoje vai te dar dicas para passar com esse animal mais introvertido.

A maioria dos cães que conhecemos são sapecas, alegres e adoram conhecer novas pessoas e lugares, porém essas qualidades podem ficar um pouco escondidas em um cão medroso.

Não é que ele não quer sair para passear ou conhecer coisas novas, ele só tem uma personalidade um pouco diferente, e tudo bem, existem estratégias para que você possa lidar com isso de maneira normal.

Então hoje separamos uma série de dicas para você por em prática e aprender como passar com um cão medroso, ou até mesmo contar para o seu passeador caso ele não saiba ainda e precise melhor o desempenho com seu animal.

Existem períodos críticos no desenvolvimento de um cachorrinho, chamados de “janelas de socialização” e quase toda a personalidade de um cachorro é moldada durante seu primeiro ano de vida, sendo as primeiras 12 semanas as mais importantes.

A sociabilidade supera o medo no primeiro estágio de um filhote de cachorro, tornando esta “a principal janela de oportunidade para cachorros se adaptarem a pessoas, animais e experiências novas”.

Durante este tempo é que um cachorrinho aprende a desfrutar da companhia de pessoas, a agir adequadamente em torno de outros cães e a experimentar uma série de circunstâncias e situações sem medo.

Após as primeiras 12 semanas, a maioria dos cachorros se move para a fase de desenvolvimento inclinada ao medo e depois disso, se o filhote jovem não tiver sido socializado adequadamente, pode ser extremamente difícil para ele se adaptar a pessoas desconhecidas, cães e experiências.

Isso é mais do que um simples inconveniente, a timidez e o medo podem levar a agressões se não forem manipuladas adequadamente.

FONTE: https://kamasa.com.br/dica-como-passear-com-um-cachorro-medroso/