Monthly Archives: outubro 2019

Saiba como combater o Aedes aegypti, se proteger das doenças e os mitos relacionados ao mosquito

Caça ao mosquito

Veja o passo a passo para eliminar os
criadouros do Aedes aegypti

 

Proteja-se da dengue e do zika no dia a dia

  • Evite água parada

    A principal maneira de se proteger é eliminar focos do Aedes aegypti. Por isso, crie uma rotina semanal de ações para eliminar os focos do mosquito na sua casa.

  • Proteja a sua casa com inseticida

    Use inseticidas aerossóis ao amanhecer ou no final da tarde. Mas, cuidado, tire bebês e crianças do cômodo onde você for aplicar o produto.

  • Afaste o mosquito com repelente

    Aplique o repelente em loção ou spray no máximo 3 vezes por dia e nunca próximo aos olhos, nariz, boca ou genitais. Repelentes de tomada e em espiral também podem ser utilizados para proteger a casa.

  • TratamentoEm caso de aparecimento de sintomas, é preciso procurar atendimento médico. Não há remédio contra a dengue. Recomenda-se repouso e a ingestão de bastante líquido. Deve-se evitar o ácido acetil salicílico (AAS) por causa do risco de hemorragia.
  • Complicações– Pode comprometer órgãos como pulmões, fígado, rins, coração e o sistema nervoso central- Também pode causar grave desidratação e, em casos graves, hemorragia. Pode até matar.
  • FONTE: https://noticias.uol.com.br/conteudopublicitario/tudo-sobre-zika-e-dengue

 

10 dicas para organizar gavetas do guarda-roupas

Gavetas são ótimos compartimentos para facilitar a nossa organização, mas mantê-las em ordem é que é o grande desafio.

Gavetas desorganizadas podem dificultar ainda mais na hora de encontrar o que precisamos. Encontrar uma forma ou sistema de fazer com que essa arrumação dure por pelo menos algumas semanas é o ideal para otimizar esse trabalho.

Não há uma receita exata, já que há diversos métodos de organização, e nem todos funcionam para todo mundo. Mas há algumas técnicas que podem te ajudar a manter as gavetas do seu guarda-roupas arrumadas por mais tempo, facilitando o seu dia a dia. Confira a seguir 10 dicas para te ajudar na hora de organizar as suas gavetas.

1 – Avalie e desapegue

O desapego é geralmente a regra número 1 quando o assunto é organização, seja no cômodo ou móvel que for. Nesse caso não poderia ser diferente, já que essa técnica vai te fazer economizar tempo durante a organização e ajudar a liberar espaço no seu guarda-roupa.

Selecione o que não serve mais, o que já não é mais útil para você ou o que não usa faz tempo. Aproveite para doar ou descartar essas peças. A doação de roupas é muito importante principalmente durante os meses de inverno: o que não sem utilidade para você pode fazer a diferença para alguém naqueles dias frios.

Você tem dificuldades em desapegar? Há um truque interessante para te auxiliar a visualizar o que pode ser descartado. Coloque as peças nos cabides e mantenha-os com os ganchos virados para fora. Ao usar as peças, vire os ganchos para dentro. Em alguns meses, você terá uma melhor noção dos itens que não são essenciais para você e só ocupam o valioso espaço do seu guarda-roupa.

2 – Se não amassa, vai na gaveta!

Alguns critérios podem ser utilizados para te ajudar a separar os itens que devem ser pendurados dos que podem ser dobrados.

O que não amassa pode ser colocado nas gavetas
O que não amassa pode ser colocado nas gavetas

Peças feitas de tecidos que amassam com facilidade devem ser penduradas em cabidesNunca pendure itens de lã ou linha, que podem acabar deformando devido ao seu peso. Essas peças devem ser dobradas. Se o tecido da roupa estica ou amassa quando ela fica pendurada, opte por dobrá-la.

Além disso, nas gavetas também podem ser guardadas t-shirts, regatas, lingeries, pijamas, roupas de ginástica, etc. Todos esses são itens mais fáceis de serem dobrados e que não amarrotam tão facilmente. O que geralmente penduramos são jeans, blazers, roupas de renda, camisas, blusas de tecido mais fino e casacos. Lenços e cachecóis vão bem em gavetas, mas podem ficar pendurados também, conforme a sua necessidade e preferência.

3 – Separe por categorias

Reserve uma gaveta para cada categoria de roupa de acordo com a sua funcionalidade, por exemplo: roupas íntimas, academia ou esportes, itens de piscina e praia, e assim por diante.

Organize cada gaveta de modo a facilitar a visualização do que vai dentro dela, mantendo as peças bem distribuídas e visíveis. Se preferir, você pode etiquetar cada gaveta para distinguir mais facilmente o que há dentro delas.

4 – Ordene por dias da semana

Esse método é principalmente usado nos guarda-roupas das crianças, mas é uma estratégia excelente, que você também pode aderir.

A organização das gavetas de acordo com os dias da semana e seus compromissos pode ser uma alternativa muito útil, principalmente se você possui um cotidiano agitado e cheio de compromissos. Isso vai te ajudar a manter a ordem e também facilita na correria do dia a dia.

Separar as gavetas com look para ser usado durante a semana também é uma excelente
Separar as gavetas com look para ser usado durante a semana também é uma excelente dica

Você pode organizar a sua roupa de acordo com os compromissos que vai ter em cada semana. Segunda-feira, reunião de trabalho. Terça-feira, academia. Quarta-feira, happy hour com o pessoal da firma. Quinta-feira, almoço com as amigas. Sexta-feira, ida ao banco. Escolha uma gaveta para cada dia da semana e monte seus looks com antecedência. Isso vai economizar muito do seu tempo.

Experimente colocar essa ideia em prática. No domingo à noite, escolha as roupas a serem usadas durante a semana, de acordo com seus afazeres e atividades. Você também pode levar em consideração a previsão do tempo para os dias seguintes, se for o caso, separando roupas para os dias frios ou chuvosos, por exemplo.

5 – Aprenda a priorizar

Há roupas que só usamos em ocasiões especiais, enquanto que outras marcam presença frequentemente em nossos looks. Esse pode ser outro critério interessante para organizar as suas gavetas.

Dê prioridade aos itens de acordo com o seu uso. Escolha as gavetas superiores para as peças de roupa mais usadas, e as inferiores para o que não é usado com muita frequência. Assim você deixa o essencial sempre à mão, o que vai poupar seu tempo e evitar bagunça na hora de procurar algo.

O mesmo se aplica no caso de roupas da estação. Você pode deixar as peças de inverno à mão apenas durante os meses mais frios, uma vez que elas são geralmente maiores e mais pesadas e ocupam mais espaço do que os demais itens do guarda-roupa.

No restante do ano, guarde-as em caixas ou malas, no alto do guarda-roupas ou em lugares onde estejam protegidas de pó e mofo. Atenção, no entanto, no caso das peças feitas de couro: essa dica não vale para esse tipo de roupa, que deve sempre ser pendurada para evitar vincos e deformações no tecido.

6 – Dobre do jeito certo

Dobrar as peças do jeito adequado é a melhor saída para preservar a organização das suas gavetas.

Comece dobrando os itens de maneira a deixá-los do mesmo tamanho. Se preciso, utilize algo que sirva como molde para auxiliar no trabalho. Um pedaço retangular de papelão ou até mesmo uma revista podem servir nesse caso.

Depois que dobrar as peças, empilhe-as em cascata, mantendo um espaço de dois dedos para dentro da anterior. Isso vai te ajudar a reconhecer os itens e identificá-los com mais rapidez e facilidade na hora de se vestir.

As t-shirts podem ser dobradas em tubos ou enroladas, o que te ajudará a economizar espaço. O mesmo vale para as toalhas e roupas de cama.

Ao dobrar os pares de meias, enrole-os ou dobre-os normalmente, ao invés de fazer bolinhas, que podem esticar suas fibras e deformá-los. Sutiãs de bojo e aro devem ficar abertos, pois dobrá-los pode acabar entortando a sua estrutura. Empilhe-os um em cima do outro para economizar espaço.

Confira no vídeo a seguir algumas técnicas de dobra que farão toda a diferença na hora de organizar o seu guarda-roupa:

7 – Organize cores e estampas

Sabe quando você precisa de uma peça de cor específica para combinar com a que já está vestindo e não encontra o item procurado em lugar algum? A separação das suas roupas de acordo com as cores e estampas é outra dica bacana, que vai te ajudar a pôr fim nesse problema.

Organize por estampas- ou cores
Organize por estampas- ou cores

Essa é uma das regras fundamentais de como organizar gavetas, além de criar um visual harmonioso que vai te manter motivado a manter a arrumação. Esse método é ainda mais útil quando há uma grande quantidade de peças na mesma cor – pretas ou brancas, por exemplo.

Você pode organizar os itens de maneira a formar um aspecto degradê, o que fica um charme. As camisetas podem ser divididas conforme o comprimento de suas mangas, por exemplo, e depois de acordo com as suas cores.

Quanto aos itens estampados, você pode separá-los em uma só pilha, ou, se houver a necessidade, de acordo com o padrão da estampa: geométricas, florais, com listras, poás, xadrez, e assim por diante. Se você houver poucas peças estampadas, encaixe-as de acordo com a cor aproximada da estampa.

8 – Guarde no lugar

Sabe-se que manter a organização é muito mais fácil do que colocar algo em ordem, não é mesmo?!

Ainda mais quando essa missão se trata de arrumar o guarda-roupas.

Acredita-se que as primeiras seis semanas que seguem a implementação de um novo sistema de arrumação são referentes ainda a um período de adaptação.

Pode ser que nesses primeiros dias tenhamos alguma dificuldade a nos adequar às mudanças, mas depois disso fica muito mais fácil. Mantenha isso em mente e não desanime!

Por isso é importante preservar a nova arrumação. Ao usar uma roupa ou tirá-la da gaveta, guarde-a novamente no lugar reservado a ela ou, se for necessário, mande-a diretamente para o cesto de roupas sujas. Exercitar esse hábito evita o acúmulo de roupas espalhadas pelo quarto ou pelo móvel.

9 – Invista em divisórias e separadores

Divisóriascaixascolméias e separadores são uma solução perfeita no caso de gavetas grandes ou muito fundas.

Esses itens irão te ajudar a separar as peças em categorias e a deixar a gaveta ainda mais organizada. Valem principalmente no caso de peças pequenas, como roupas íntimas, cintos e lenços. Além de contribuir com uma boa organização, esse tipo de objeto também facilita na visualização de todas as peças.

Outra opção é fazer você mesma um organizador para a sua gaveta. É mais fácil do que você imagina, confira o tutorial no vídeo a seguir:

10 – Otimize espaço

Quem tem casa ou quarto pequeno sabe como é valioso aproveitar cada cantinho. Nesses casos, otimizar espaço é o ideal para organizar seus pertences de maneira estratégica.

Se houver espaço embaixo da sua cama, por exemplo, você pode instalar gavetas personalizadas no local. Essa é uma alternativa excelente para ganhar espaço e manter os ambientes organizados. Nelas você pode guardar roupas de cama e banho, peças de inverno ou calçados.

Você mesmo pode construir sua gaveta!
Você mesmo pode construir sua gaveta!

Você pode optar por adaptar pallets para essa função ou até mesmo reformar uma gaveta velha, customizando-a para se adequar a esse tipo de uso.

É importante lembrar que quando se trata de organização não há regras ou uma técnica específica que vá necessariamente resolver o problema de uma vez por todas. Teste e combine as diferentes dicas citadas neste texto e avalie quais delas atendem às suas necessidades.

O importante é criar uma estratégia prática e funcional, que favoreça a boa visualização das suas roupas e facilite o seu dia a dia.

FONTE: http://blog.organizatop.com.br/dicas-para-organizar-gavetas-do-guarda-roupas/

Cuidados com os cachorros que vivem no quintal de casa

Ter uma área externa na casa, na qual o seu animal de estimação possa se exercitar, é bastante recomendado pelos veterinários.

No entanto, não basta ter um bom espaço para o seu cãozinho, pois o tutor deve estar atento a alguns cuidados e confortos para que os pets estejam protegidos de doenças e outros problemas.

Os cachorros que vivem fora de casa também precisam de abrigo e um local adequado para dormir e se alimentar. Neste artigo, veja algumas dicas de confortos e cuidados para os cães que vivem no quintal.

Conforto para os cães que vivem no quintal de casa

cuidados-com-os-cachorros-que-vivem-no-quintal-de-casa

Foto: depositphotos

Os cachorros que vivem fora de casa necessitam de abrigo e um local confortável para dormir e se alimentar. Caso não haja uma área de serviço, garagem ou varanda coberta, o tutor deverá providenciar uma casinha para o seu animal de estimação.

De acordo com especialistas, a melhor opção é construir um canil, que servirá como o espaço exclusivo do cachorro, onde ele terá cama, comida e área para descansar.

O material mais indicado para a construção da casinha é a alvenaria, mas há opções de madeira, plástico e metal. O tutor deve se lembrar que, apesar de ter o seu cantinho, o cachorro deve ficar solto a maior parte do dia.

Para uma área externa segura e confortável, também é importante que o animal disponha de área ao ar livre, para tomar sol e se exercitar. É necessário que o local seja limpo e seco.

O cantinho bem planejado e higienizado para o cachorro deve ser dividido entre área calçada (piso áspero) e grama, pois proporciona mais mobilidade.

Cuidados com os cães na área externa de casa

Além de preparar um cantinho para o cachorro, os tutores também devem estar atentos a outros detalhes. Se a área externa possui plantas, você deve saber que algumas delas podem ser altamente tóxicas para o seu animal de estimação.

Dentre as plantas que podem trazer sérios problemas de saúde ao seu amigo canino estão a espada de São Jorge e azaleia.

Os portões devem ser mantidos fechados, pois, apenas com um pequeno descuido do tutor, o cachorro poderá sair de casa. Quando os animais ainda são filhotes, é necessário estabelecer regras e ensinar ao cãozinho quase são os limites, colocando grades ou muros nas áreas que ele não pode ocupar.

O tutor também deve se lembrar de que ter um ótimo espaço externo para o seu pet não supre a necessidade de passeios, tampouco de atenção e carinho.

FONTE: https://www.clubeparacachorros.com.br/tabombando/cuidados-com-os-cachorros-que-vivem-no-quintal-de-casa/

VAI CAMINHAR NO CALOR? TEMOS 6 DICAS VALIOSAS PARA VOCÊ!

Caminhar no calor? Confira 6 dicas valiosas para você caminhar em clima quente!

Você mal pode esperar pelo verão, mas você se esqueceu de um pequeno detalhe: andar durante o calor escaldante não é agradável. A ideia de suar sob o sol ardente não é exatamente divertida, mas você quer aproveitar o bom tempo. Então aqui temos 6 dicas para você aproveitar a caminhada, mesmo quando estiver calor!

1) Caminhe pela manhã ou no final do dia

Não há motivos para parar de caminhar no verão, apenas escolha caminhar nos períodos mais frescos do dia, como os períodos da manhã e final da tarde. É mais fácil para respirar! Evite a faixa horária entre o meio dia e as 3 da tarde, quando o sol está em seu auge e os raios são mais perigosos para sua pele. Se você decidir andar à noite, evite andar rápido demais para não perturbar seu sono posteriormente.

caminhar no calor

2) Escolha a rota certa

No verão escolha trilhas com sombras. Parques e florestas são perfeitos, pois árvores protegem você do sol e o ar é mais fresco. Experimente lugares como o litoral ou as praças nas grandes cidades, onde a brisa refresca o ar. Não há nada melhor do que uma brisa para ajudá-lo a respirar enquanto caminha!

3) O equipamento certo para caminhar no calor

Está quente e você adoraria andar descalço. Mas é importante caminhar com o equipamento correto e bons calçados de caminhada. No verão, você deve usar calçados que deixem seus pés respirar. E não se esqueça das essenciais meias de caminhada, mesmo se estiver quente. Elas absorvem a umidade e previnem a fricção. E, obviamente, você também precisará de roupas leves e respiráveis.

4) Mantenha-se hidratado

Nunca é suficiente dizer: é vital manter-se hidratado quando estiver praticando exercícios em clima quente, pois você sua mais do que o normal. Certifique-se de hidratar-se antes, durante e depois de suas sessões de caminhada. É importante beber goles com frequência. Não espere até ter sede, pois isso significa que você já está desidratado.

5) Use proteção solar

Sempre use proteção contra o sol. Mesmo se estiver caminhando em uma trilha com sombra, proteja-se das queimaduras e insolação. Use um boné para proteger a cabeça, óculos de sol para proteger os olhos e protetor solar para proteger sua pele. Espalhe cuidadosamente o protetor solar nas partes do seu corpo que são mais expostas quando você está caminhando: rosto, nuca, orelhas, braços e pernas.

6) Caminhe em ambientes internos para variar!

E as caminhadas indoor? Não é uma má ideia quando as temperaturas estão escaldantes. Não perca sua sessão de caminhada – tente uma esteira em academia climatizada. Também é uma boa ideia caminhar no horário de almoço. Sem contar que você pode assistir uma série ou ouvir sua música favorita ao mesmo tempo!

FONTE: https://souesportista.decathlon.com.br/dicas-para-caminhar-no-calor/

Animais em condomínio: posso caminhar com meu pet pelas áreas comuns do prédio?

Como organizar a lavanderia

Acho que quando se fala em organização, uma das vertentes mais interessantes do tema é a organização da casa. Eu particularmente adoro encontrar dicas e ideias interessantes para organizar um determinado cômodo de uma maneira simples, prática e criativa. São soluções que muitas vezes estão na nossa frente mas passam despercebidas, sabe? E, muitas vezes, uma dica simples pode ser a solução para um problemão que você tem.

Foi pensando nisso que eu resolvi criar essa série de 9 posts que vão tratar da organização da casa, trazendo soluções e ideias simples para você organizar cada cômodo de um jeito incrível e prático!

Agora vamos para a lavandeira, aprender como organizá-la de modo a torná-la funcional! Veja como organizar a lavanderia:

lavandeira é, sem dúvida nenhuma, o cômodo mais esquecido na casa. Não é espaço de visita e, na maioria das vezes, evitamos ao máximo passar muito tempo por lá. Geralmente trata-se de um espaço pequeno, muitas vezes colado na cozinha, principalmente em apartamentos novos. No entanto, é fundamental para a organização e limpeza da casa, portanto deve ser prática, funcional e organizada. É por isso que hoje eu trouxe algumas dicas simples de como organizar a lavanderia e facilitar a sua rotina doméstica! Vamos lá?

1. Antes de qualquer coisa, faça uma lista de tudo o que você precisa guardar na lavanderia

Antes de efetivamente começar a pensar na organização e na otimização do espaço na lavanderia, faça uma lista de tudo o que você precisa guardar ali. A sua lista será basicamente assim:

♦ Baldes

♦ Mangueira

♦ Aspirador de pó

♦ Vassouras, rodos e pás

♦ Produtos de limpeza

♦ Sacos de lixo

♦ Panos de limpeza

♦ Cestos de roupas sujas

♦ Tábua de passar

Essa tarefa é importante para que você saiba com certeza quanto espaço vai precisar para guardar e organizar todo o necessário. Com essa lista em mãos, é hora de começar a planejar a organização da lavanderia!

2. Separe os produtos de limpeza por categoria

como organizar a lavanderia 5

(Imagens: via)

Uma maneira simples e eficaz de colocar ordem na lavanderia é separar e guardar os produtos de limpeza por categoria. Organize-os nas prateleiras, armários ou estantes por tipo de utilização: produtos para lavagem de roupas, produtos para limpeza da casa, desinfetantes e desengordurantes e etc. Se a sua lavanderia não é planejada e você não tem armários ou prateleiras suspensas para organizar os produtos de limpeza, considere instalar algumas ou use cestos que podem ser fixados na parede.

É importante manter os produtos de limpeza longe do alcance de crianças e animais de estimação.

3. Coloque em borrifadores os produtos mais utilizados no dia a dia

como organizar a lavanderia 1

(Imagem: via)

É uma ótima maneira de organizar a lavanderia, decorá-la e ainda economizar o produto. Compre borrifadores iguais e cole etiquetas com o nome de cada produto.

Aproveite e faça etiquetas para as cestinhas que organizam os produtos de limpeza também. Que tal?

4. Pendure o que puder

como organizar a lavanderia 3

(Imagens: via e via)

Otimize o espaço. Quanto menos coisas espalhas pelo chão houver, melhor. Instale ganchos na parede ou em armários altos para pendurar vassouras, rodos e pás.

5. Use cestos para organizar as roupas 

como organizar a lavanderia 4

(Imagens: via)

Tenha um conjunto de cestos de roupas sujas que possam ser levados e trazidos da lavanderia. Você pode separar as roupas por tipo ou cor para facilitar na hora da lavagem. Um cesto de roupas sujas pode ficar no banheiro e ser trazido para a lavanderia para que as roupas sejam lavadas. Um outro pode ser usado para para levar as roupas limpas, já dobradas, para o guarda-roupa.

6. Tenha um varal aéreo e um cabideiro para facilitar a sua vida na hora de passar as roupas

como organizar a lavanderia 6

Se a sua lavanderia é pequena, pode ser interessante instalar um varal aéreo próximo à janela para que as roupas sequem mais rápido.

Já o cabideiro é interessante pois você pode usá-lo para secar penduradas as roupas recém retiradas da máquina de lavar, de modo que fiquem lisas, economizando o seu tempo na hora de passar. Além disso, o cabideiro pode ser usado na hora de passar as roupas, mantendo estendidas as peças já passadas.

Inspire-se:

como organizar a lavanderia 7 como organizar a lavanderia 8 como organizar a lavanderia 9

Espero que tenham gostado das dicas de como organizar a lavanderia! 😉

FONTE: https://www.casinhaarrumada.com/2015/05/organize-cada-comodo-3-como-organizar-a-lavanderia.html

Surto de sarampo, o que fazer para se prevenir?

No Brasil, há confirmação de casos de sarampo em 11 estados, sendo que, em três deles, as ocorrências foram classificadas como surto. Com mais de 10 mil pessoas afetadas pela mazela, o país perdeu o certificado de erradicação da doença.

Devido à resistência do vírus, o indivíduo pode ser infectado até duas horas após uma pessoa com a doença sair do local. Esse risco de contaminação é ainda maior em bebês que não foram imunizados e em crianças desnutridas.

Neste post, explicaremos como é a transmissão e quais são os sintomas da doença, e mostraremos como se prevenir em meio a um surto de sarampo. Acompanhe!

Quais são os sintomas do sarampo?

Inicialmente, o sarampo se manifesta como uma infecção viral, com sintomas como febre alta, coriza, mal-estar, perda do apetite, conjuntivite, tosse e dor de garganta.

Essa fase inicial — denominada pródromo — dura entre dois e três dias. Depois, começam a aparecer as manchas de Koplik, caracterizadas como pequenos pontos brancos na mucosa da boca, próximas aos dentes molares.

Essas manchas normalmente aparecem 48 horas antes do surgimento do exantema clássico do sarampo. As erupções de pele típicas da doença são machas avermelhadas, com discreto relevo, que aparecem primeiro no rosto e se espalham pelo resto do corpo. Porém, plantas dos pés e palmas das mãos raramente são envolvidas.

As lesões ocorrem em grande número, podendo se fundir e gerar grandes manchas avermelhadas. Geralmente, a extensão e o grau se correlacionam com a gravidade da doença.

Como ocorre a transmissão?

sarampo é uma doença ocasionada por um vírus do gênero Morbillivirus, e pertence à família Paramyxoviridae. Ele é altamente contagioso e, geralmente, é transmitido de forma direta — de uma pessoa para outra —, por meio de secreções das vias respiratórias, eliminadas em espirros, tosse ou até mesmo ao falar.

Porque as gotículas infecciosas que saem das secreções de um portador da doença podem ficar no ar por muitas horas, não é necessário ter um contato direto com alguém infectado para adquirir o vírus. Assim, a transmissão pode ocorrer entre passageiros do avião durante o voo, em hospitais e consultórios médicos, e em escolas e lugares muito povoados.

O período de incubação é de, em média, 13 dias. A janela de contágio começa cinco dias antes de aparecerem as erupções na pele e termina quatro dias após o surgimento das manchas, sendo o seu auge entre dois dias antes e dois dias depois do início das lesões.

Como se prevenir em meio a um surto de sarampo?

Essa é uma doença que pode ser evitada por meio da vacina — preferencialmente, ainda na infância. Dessa forma, a melhor maneira de impedir um surto de sarampo é investindo em campanhas de vacinação e de conscientização da população.

Os principais grupos de risco são formados pelos indivíduos de seis meses a 39 anos de idade. Pessoas que trabalham em portos, hotelaria, aeroportos e profissionais do sexo têm maiores chances de contrair a doença, pois estão mais expostos a turistas vindos de países que não têm uma política intensiva de controle da mazela.

Se uma criança apresentar a infecção, ela deve ser mantida longe das outras por até cinco dias após o surgimento do prurido, para impedir que a doença seja transmitida às demais.

O ideal é que toda população seja imunizada de acordo com o calendário de vacinação vigente.  As crianças precisam tomar duas doses da tríplice viral, uma vacina que age contra três mazelas: sarampo, rubéola, e caxumba. A primeira dose deve ser ingerida com um ano de idade, e a segunda, entre quatro e seis anos.

Homens e mulheres — tanto adolescentes quanto adultos —, principalmente aqueles que fazem parte do grupo de risco, também precisam ser imunizados com a tríplice viral ou dupla viral.

O que fazer em caso de gravidez?

Caso a mulher tenha o desejo de engravidar, é preciso saber se ela já foi vacinada contra o vírus ou se já teve sarampo, pois essa infecção pode trazer problemas sérios para o feto.

Em caso de dúvida, ela deve consultar um médico clínico geral para identificar se há a presença de anticorpos que possam atacar o vírus — ou seja, se o sistema imunológico da paciente apresenta mecanismos preparados para defender o organismo contra a doença.

Quais são os mitos em relação à doença?

A pessoa deve ficar em quarentena para evitar a transmissão do sarampo?

Não é necessário ficar isolada por tanto tempo. Porém, o ideal é evitar o contato com indivíduos que não foram vacinados até o quinto dia do aparecimento das lesões na pele — a partir de então, o vírus deixa de ser contagioso.

Você pode ter sarampo uma segunda vez?

Não. Uma vez que a pessoa tenha sido vacinada ou adquirido a doença, o sistema imunológico cria defesas que permanecem no organismo. Assim, se ele entrar em contato novamente com o vírus, poderá se defender antes mesmo que a infecção ocorra.

O quarto do paciente deve permanecer fresco e arejado, para diminuir a febre?

O quarto deve ser o mais confortável possível, aconchegante e umidificado. Pelo menos nos primeiros três ou quatro dias, é aconselhável que o paciente permaneça na cama.

A doença é tratada com antibióticos?

Os antibióticos — fármacos bastante eficazes contra infecções geradas por bactérias — não têm funcionalidade, pois o sarampo, assim como a gripe, é uma doença epidêmica ocasionada por um vírus.

É desconfortável para dormir?

Devido ao fato de as lesões na pele produzirem coceira intensa, o paciente pode ter dificuldade para dormir. É recomendada a utilização de medicamentos como os anti-histamínicos, que possibilitam o sono e evitam esse inconveniente.

FONTE: https://www.boaconsulta.com/blog/surto-de-sarampo-o-que-fazer-para-se-prevenir/

Saiba como conviver bem com seus vizinhos

Sim, é possível conviver bem com seus vizinhos.
Veja algumas dicas de como manter a harmonia no condomínio.

Nem sempre é fácil viver próximo a pessoas diferentes. Mas, muitas vezes, é necessário. Confira como conviver de forma amigável com seus vizinhos e hastear a bandeira branca da convivência.

Os motivos pelos quais vizinhos não mantém um bom relacionamento são muitos. Mas os problemas são tão corriqueiros quanto simples de serem resolvidos. Há normas que precisam ser respeitadas para que essa convivência seja a mais agradável possível.

Não fazer barulho após a hora de silêncio, por exemplo, é primordial para que a pessoa da casa ao lado não se irrite com você. Ela pode nem a conhecer, mas uma má impressão é gerada caso não se respeite essa norma. E vamos combinar: não há nada mais inconveniente que barulho demais em horas de descanso!

Outra coisa que precisamos ter cautela é em relação aos bichinhos de estimação. Eles são fofos, queridos e muito companheiros, mas para algumas pessoas, eles podem trazer muita dor de cabeça. Em espaços comuns, entre sempre com seu pet pela área de serviço e quanto a ‘sujeira’, limpe-a na hora.

O elevador é um espaço comum e não se engane: você vai precisar utilizá-lo com frequência. Então, seja educado e cumprimente as pessoas que ali estiverem ao entrar e ao sair dele. Se for possível, segure a porta para os que estão chegando. Isso demonstra gentileza e, convenhamos, ela nunca é demais!

Na garagem, busque andar sempre dentro dos limites de velocidade e, ao dirigir, cuidado com o carro ao lado. Se por acidente vier a arranhá-lo, o ideal é deixar um bilhete relatando o ocorrido e se responsabilizando pelo dano. Educação é primordial para a boa convivência.

Por fim, seja simpático e trate bem os funcionários do seu prédio. As regras existem para serem cumpridas e, por mais que você não concorde com todas elas, guarde suas observações para as reuniões de condomínio. Esse é o local adequado para expor seus pensamentos e tornar o seu cotidiano e o de quem vive próximo a você, mais leve.

FONTE: http://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/especial-publicitario/cyrela-plano-plano/viva-o-seu-melhor-momento/noticia/2015/07/saiba-como-conviver-bem-com-seus-vizinhos.html

Como regar corretamente as plantas

Quem tem horta sabe que a parte mais importante para a manutenção das plantar é a irrigação, mas esse assunto ainda gera muitas dúvidas. Por isso, hoje vamos ensinar algumas dicas básicas para que você aprenda a definir a maneira correta de regar a sua horta.

Cada planta consome uma quantidade específica de água, mas não é dificil descobrir a maneira correta de realizar as regas. Uma dica infalível é o teste do dedo!

É assim: se você tocar na terra que está na superfície do vaso e o seu dedo continuar limpo, é sinal de que a terra não está úmida o suficiente, ou seja, hora de regar! Mas se o dedo ficar com resquícios de terra, significa que ainda não é necessário irrigar novamente.


Veja mais dicas:

  • Preste atenção na quantidade de sol e na temperatura da sua cidade. Quanto mais sol, mais água a sua planta deve receber. Em dias muito quentes, algumas plantas podem precisar de regas 2x por dia.
  • Prefira usar regador ou borrifador, eles são ideais para que a água caia de maneira mais uniforme e delicada, sem compactar a terra.
  • Não encharque o solo, isso pode causar compactação da terra dificultando o crescimento das raízes.
  • Regue sempre nas horas de sol fraco, no início ou final do dia, assim você evita queimaduras.
  • Para ter uma rega mais uniforme, use um gotejador!
  • Evite molhar as folhas, a água deve ser aplicada diretamente na terra para evitar aparecimento de fungos.

Anotou tudo? Agora você pode cuidar ainda melhor das suas plantinhas!

FONTE: https://vamoscomermelhor.com.br/como-regar-corretamente-as-plantas/

Qual a diferença entre Condomínio Fechado e Loteamento Fechado?

A necessidade de viver com mais segurança motiva as pessoas a buscarem casa a venda em condomínios fechados. Ao pesquisar o mercado deparam-se com inúmeras ofertas, inclusive imóveis, em loteamentos fechados – que podem facilmente ser confundidos com um condomínio.

Como alguns loteamentos fechados, no período de vendas, mantêm uma estrutura de segurança com guarita para controle de acesso e monitoramento por câmeras, além de oferecer áreas de lazer, fica fácil confundi-lo com um condomínio fechado. Você sabe diferenciar esses tipos de empreendimentos imobiliários?

Condomínio e loteamento têm leis específicas

O primeiro passo é conhecer a legislação, pois para cada empreendimento existem leis específicas. A lei 6.766/79 dispõe sobre parcelamento de solo urbano (loteamentos), classificando o loteamento fechado com uma gleba subdividida em lotes edificáveis, na qual serão abertas vias públicas. A lei 4.591/64 é restrita à condomínios fechados, com finalidade residencial ou não. O condomínio também é regido pelo Código Civil (artigos 1331 a 1358). Os loteamentos estão enquadrados nos artigos 53 ao 61 do Código Civil (capítulo II), segundo Evandro Silva, proprietário da imobiliária Nero Imóveis.

Áreas privativas e espaços comuns
Ao comprar um terreno em um condomínio fechado, você estará adquirindo a fração ideal da área, o que abrange, além do terreno de uso privativo, espaços de uso comum como a estrutura de lazer (quadras, playground, piscina, salão de festas), áreas verdes, praças e as vias de acesso. Existe controle de acesso, ou seja, só podem entrar no condomínio as pessoas autorizadas por moradores e responsáveis pela administração.

Mas ao adquirir um terreno em loteamento fechado, você só terá direito sobre seu próprio lote, pois, quando a prefeitura aprova o sistema viário, o acesso é livre à população. O que poderá ocorrer é um controle de circulação, ou seja, para quem não reside ou trabalha no loteamento fechado, a entrada é liberada mediante apresentação de documentos.

Não existe restrição à entrada no loteamento fechado. A prefeitura pode conceder o direito de uso ao loteamento fechado, porém, a qualquer momento, a municipalidade poderá reverter esse consentimento.

Administração de áreas comuns em condomínios e loteamentos

Quando um loteamento fechado é aprovado é criada também uma associação, com a qual a prefeitura poderá assinar o contrato de comodato para o fechamento do loteamento e autorizar a instalação de portaria para controlar o acesso. Dessa forma, a responsabilidade pela manutenção do sistema viário passa ao loteamento enquanto vigorar a concessão de uso.

Esta associação poderá cobrar, dos moradores, a taxa de manutenção e custear outras melhorias para o empreendimento como uma área de lazer privativa, mas os moradores não são obrigados a fazer parte da associação. Entretanto, observe, antes de comprar um imóvel em loteamento fechado se consta uma cláusula de condição no memorial descritivo e na minuta do contrato de compra e venda sobre a existência de associação de moradores com a finalidade de prestar serviços aos proprietários de lotes.

Quanto ao condomínio fechado, existe a obrigatoriedade do pagamento da taxa de condomínio para a manutenção das áreas comuns. O condômino que deixar de efetuar o pagamento torna-se inadimplente perante o condomínio e estará sujeito a várias penalidades, inclusive a perda do patrimônio para quitar os débitos, via execução judicial.

Devido à existência de infraestrutura de uso comum dos condôminos, o condomínio precisa ter uma administração para controlar a arrecadação da taxa mensal e gerenciar os serviços de manutenção. Tudo isso é realizado pelo síndico. No loteamento, a figura do administrador existe quando há uma associação encarregada de prestar serviços aos proprietários.

Quem mora em condomínio tem que seguir o que for decidido em convenção e o que estiver contido no regulamento interno. Já os moradores de loteamento fechado seguem os dispositivos do estatuto social. O Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) é cobrado sobre a fração ideal de imóvel em condomínio fechado (isto inclui as áreas privativa e comum). O morador de loteamento fechado paga IPTU relativo ao seu imóvel (terreno ou terreno + casa), pois as áreas comuns são consideradas públicas.

Antes de fechar a compra do imóvel, consulte o cartório de registro de imóveis e a prefeitura para obter informações sobre o empreendimento, se é um condomínio ou loteamento fechado, se está totalmente legalizado ou ainda existem pendências que poderão trazer complicações futuras aos compradores.

Outro detalhe importante: consulte seu advogado sobre todas as cláusulas do contrato de compra e venda e o memorial descritivo do empreendimento para fazer um investimento com segurança, sabendo exatamente quais serão seus direitos e obrigações.

FONTE: http://www.condominiosc.com.br/radar/3132-qual-a-diferenca-entre-condominio-fechado-e-loteamento-fechado