Monthly Archives: setembro 2019

5 Dicas de Como Plantar um Planta

 

As plantas são usadas em larga escala para uma grande variedade de ocasiões, seja para a decoração de um ambiente, comercialização ou presentear outras pessoas, porém, para usufruir de todos os benefícios que elas podem oferecer devemos saber como plantar uma planta e cuidar de seu crescimento.

Além de suas amplas aplicações comerciais, o plantio também é uma excelente opção para tratamentos terapêuticos, como plantar uma planta ou montar arranjos, dando uma maior tranquilidade e satisfação para as pessoas que praticam este tipo de atividade em seu tempo livre.

Quais Plantas são Fáceis de se Cuidar?

Os cactos são uma excelente opção para pessoas iniciantes no cultivo de plantas, pois elas são capazes de sobreviver e se desenvolver até mesmo em condições extremas, limitando a sua necessidade de cuidados como aplicação de resíduos orgânicos, rega além de se proteger contra a ação dos insetos.

Outra excelente opção é o Hibisco, que pode ser encontrado em uma série de diferentes cores e tamanhos, e além de não necessitar de grandes quantidades de nutrientes ou água, o Hibisco é uma espécie que pode se desenvolver mesmo em ambientes com poucas quantidades de espaço ou vasos pequenos.

5 Dicas de Plantio

  • 1.Sol – Muitas vezes a exposição direta ao sol não é a melhor escolha, pois durante o verão e primavera, a incidência alta de raios solares pode causar queimaduras e desidratação da planta, impedindo o seu crescimento e em casos onde as temperaturas são muito elevadas a planta pode ser perdida.
  • 2.vasos – Um vaso de tamanho adequado é imprescindível para o bom crescimento da planta, e em casos onde as raízes possuem uma grande força, pode causar o rompimento do vaso, espalhando seus conteúdos e uma série de outros transtornos recorrentes.
  • 3.Água – Para o bom crescimento da planta, é necessário que ela receba uma quantidade adequada de água em intervalos regulares, sendo recomendado que a rega seja efetuada em até 3 dias, para assegurar que as raízes e folhas possuam a quantidade de água necessária para a sobrevivência.
  • 4.Espaço Para Crescimento – Além do tamanho do vaso, deve-se levar em conta o crescimento vertical das plantas, que em alguns casos pode chegar a até 2 metros de altura, de modo que devemos nos informar sobre as características de cada muda para saber como plantar uma planta desta espécie.
  • 5.Adubo – Um solo rico em nutrientes é parte integral do desenvolvimento da planta, pois sem estas preciosas substâncias a planta pode sofrer uma série de problemas bem como causar a perda total da planta, de modo que antes de iniciar o plantio, deve-se escolher um solo adequado.

Como Saber as Necessidades de Cada Planta?

O melhor modo de se saber como cuidar de cada planta é através de pesquisas, seja por perguntar para o vendedor suas características ou outros proprietários de plantas, deve-se ter cuidado ao aplicar o mesmo método de plantio em todas as mudas, pois cada espécie tem características e necessidades distintas.

Porém, mesmo em plantas que possuem características que facilitam a sua sobrevivência, deve-se constantemente verificar as suas condições bem como remover a presença de insetos e outros animais que possam prejudicar as plantas, seja através da alimentação ou apenas acidentalmente durante brincadeiras ou sua locomoção.

Cuidados Especiais Para Espécies Únicas de Plantas

No mercado, está disponível uma imensa variedade de plantas, porém algumas espécies podem causar uma série de problemas para o proprietário que não esteja ciente de suas peculiaridades, como no caso das plantas venenosas, que podem causar graves problemas a saúde caso ingeridas por humanos, de modo que é vital se informar antes da compra

FONTE: https://sitiodamata.com.br/blog/dicas/5-dicas-de-como-plantar-um-planta/

Veja 8 dicas de como manter a casa arejada durante o calor do verão

 

Com algumas medidas, é possível evitar que a casa fique abafada no verão

O verão já chegou no Brasil e, dependendo da cidade em que você vive, o calor já está tornando atividades corriqueiras mais desconfortáveis e cansativas. Para muitos, nada pior do que chegar em uma  casa abafada após um longo dia de trabalho. Principalmente para quem não tem ar condicionado ou não gosta muito do frio artificial, manter a casa arejada nos meses mais quentes do ano pode ser realmente um desafio.

Com algumas dicas, é possível manter a casa arejada sem necessariamente precisar de um ar condicionado
Reprodução/Pinterest

Com algumas dicas, é possível manter a casa arejada sem necessariamente precisar de um ar condicionado

Mesmo sem transformar o ambiente em um Alasca particular artificialmente, porém, há algumas dicas que podem te ajudar a manter a casa arejada e minimamente confortável durante os meses de calor. Confira oito dicas:

1. Foco nas cortinas

Investir em cortinas que bloqueiem bem a luz e mantê-las fechadas de dia ajuda a manter a casa arejada
Reprodução/Pinterest

Investir em cortinas que bloqueiem bem a luz e mantê-las fechadas de dia ajuda a manter a casa arejada

Para deixar a casa arejada, é muito importante prestar atenção nas cortinas. Pode parecer estranho, mas a melhor forma de utilizá-las durante o verão é deixando-as fechadas durante o dia, fazendo com que os cômodos recebam menos luz e fiquem um pouco mais “isolados” do calor.

Se você quiser ir mais longe na luta contra a casa abafada , uma boa ideia é apostar em cortinas do tipo “blackout” – que impedem quase totalmente a entrada de luz – ou aquelas que têm uma espécie de capa plástica na parte que fica encostada na janela, o que ajuda a isolar ainda mais o ambiente. Ah, e nada de tecidos escuros! Cores neutras e claras absorvem menos o calor e deixam a casa arejada.

2. Livre-se dos tapetes para manter a casa arejada

Para manter a casa arejada, livre-se dos tapetes mais grossos e peludos
shutterstock

Para manter a casa arejada, livre-se dos tapetes mais grossos e peludos

Tapetes, principalmente se forem grossos, peludos e de cor escura, ajudam a deixar a casa quente. Sendo assim, durante o verão, o ideal é retirá-los dos ambientes e mantê-los fora de cena até que o clima volte a ficar gelado. Para quem não gosta de deixar o piso sem cobertura alguma, esteiras de fibra natural são uma opção interessante.

3. Instale telas nas janelas

Deixar as janelas abertas durante a noite, quando a temperatura está mais amena, é uma forma de espalhar ar fresco pela casa e mantê-lo ali durante o dia, momento em que as cortinas devem ficar fechadas. No entanto, o verão é a época em que os mosquitos mais invadem as casas, fazendo com que muita gente tenha bastante dor de cabeça e perca várias noites de sono se deixar as janelas abertas.

Sendo assim, considere instalar telas nas janelas para que os vidros possam ficar abertos durante a noite e você não cozinhe em meio aos lençóis (ou acorde com um pernilongo zumbindo na orelha).

4. Atenção aos materiais

Materiais como veludo e couro esquentam muito, tornando sofás e poltronas muito desconfortáveis; veja dicas para deixar a casa  arejada
Reprodução/Pinterest

Materiais como veludo e couro esquentam muito, tornando sofás e poltronas muito desconfortáveis; veja dicas para deixar a casa arejada

Certo, sofás de veludo e outros materiais mais “peludinhos” ou grossos como o couro são maravilhosos, principalmente para quem curte um ar mais vintage, mas eles não são assentos nada confortáveis para dias quentes.

Se você quer receber visitas no verão sem que as pessoas fiquem grudentas e suadas, uma ideia é substitui-los por sofás de materiais como algodão e linho ou providenciar uma capa com esses tecidos que são mais leves e, consequentemente, esquentam menos. Na cama, a ideia é a mesma. Durante o verão, os lençóis e as fronhas de algodão serão seus melhores amigos, já que deixam o corpo “respirar” mais e não retêm tanto calor .

5. Evite ligar muitos eletrodomésticos durante o dia

Outra dica para manter a casa arejada é não ligar todos os eletrodomésticos de uma só vez
shutterstock

Outra dica para manter a casa arejada é não ligar todos os eletrodomésticos de uma só vez

Você certamente já colocou a mão na televisão ou no computador e percebeu o quão quentes eles podem ficar. Também não é segredo para ninguém que usar o forno faz com que o ambiente esquente (e muito). Sendo assim, para deixar a casa fresca, evite ligar tudo de uma vez – principalmente durante o dia, momento em que a casa fica inevitavelmente mais quente – e aposte em receitas que não precisem do forno para ficar prontas.

6. Decore usando plantas

Além de deixar a casa arejada, as plantas ajudam a renovar o ar e algumas têm propriedades relaxantes
Reprodução

Além de deixar a casa arejada, as plantas ajudam a renovar o ar e algumas têm propriedades relaxantes

Usar plantas na decoração não é necessariamente uma forma diminuir a temperatura dos cômodos e refrescar a casa, mas elas são ótimas para renovar o ar e trazer uma vibe mais “natureza” para os ambientes.

A decoração com plantas se tornou uma tendência nos últimos tempos , podendo ser utilizada até no banheiro, já que certas espécies liberam aromas agradáveis quando entram em contato com o vapor e ainda têm propriedades relaxantes.

7. Fique de olho na iluminação

Além de sofisticada e deixar a casa arejada, a iluminação indireta é uma boa forma de não ter um foco de luz esquentando os ambientes
Reprodução/Pinterest

Além de sofisticada e deixar a casa arejada, a iluminação indireta é uma boa forma de não ter um foco de luz esquentando os ambientes

Outra dica para manter a casa mais arejada e fresca é substituir as lâmpadas incandescentes que você tiver pelas fluorescentes ou pelas de LED. Isso porque as lâmpadas do primeiro tipo geram bastante calor (e inclusive gastam mais energia), esquentando os ambientes simplesmente por estarem acesas.

Outra forma de refrescar a casa remanejando as luzes é trocar a iluminação direta pela indireta. Dessa forma, a intensidade da luz diminui e não é como se você tivesse aqueles “sóis particulares” em casa. Para fazer isso, você pode trocar os lustres convencionais por “spots” espalhados pelo teto dos cômodos ou utilizar arandelas, que espalham a luz emitida pelas lâmpadas pelas paredes.

8. Capriche na jardinagem

Plantar uma árvore também está entre as alternativas para deixar a casa arejada
shutterstock

Plantar uma árvore também está entre as alternativas para deixar a casa arejada

Se você tem um quintal ou um jardim bastante espaçoso, este é o momento perfeito para fazer algumas mudanças. Que tal, por exemplo, plantar uma árvore ou uma trepadeira posicionada de forma que a sombra da planta impeça a luz solar de chegar a um cômodo?

Por ser uma medida mais “permanente”, é necessário estudar bem o espaço e ter a certeza de que há a possibilidade de manter o cômodo em questão quentinho durante os meses mais frios. De resto, basta  colocar a mão na massa e aproveitar a casa arejada !

Fonte: Delas – iG @ https://delas.ig.com.br/casa/2018-01-15/casa-arejada-dicas.html

MANTER A CASA BEM AREJADA É O MELHOR CONSELHO PARA EVITAR QUE O MOFO SE INSTALE NELA

Deixar o ambiente bem ventilado. Essa é a principal dica para se evitar que os ambientes fiquem com mofo:

— Não há truque: para não mofar, é só manter o lugar seco e arejado. A umidade e a falta de ventilação formam o conjunto ideal para a proliferação de fungos e ácaros. Em casos graves, em que não é possível acabar com essa dupla, existem no mercado produtos antimofo variados: elétricos e químicos — explica a personal organizer ValériaCanellas, do site emordemrj.blogspot.com.br.

Quando os sapatos ficarem mofados, a dica da personal organizer Bárbara Volnei é umedecer um pano limpo com vinagre de álcool, e passá-lo sobre eles. Depois, é só colocá-los para secar em local ventilado e à sombra.

Mas o melhor conselho, claro, é prevenir:

— Os sapatos não devem ficar em caixas ou saquinhos fechados por um período muito longo. Eles devem ser colocados para ventilar semanalmente ou ser guardados em embalagens que permitam a ventilação, como saquinhos de TNT e caixas com aberturas na lateral — explica Bárbara.

Rejuntes

Como tirar o mofo de rejuntes?

Faça uma mistura de vinagre de álcool e água sanitária em partes iguais. Espalhe nos pontos onde está o mofo e deixe agir por 20 minutos. Com uma escova de dentes, acrescente saponáceo e esfregue bem até sair o que ainda ficou. Enxágue até tirar todo o produto. Muito cuidado em pisos mais delicados, como porcelanato. A mistura deve ser aplicada somente no rejunte. Se ficar por tempo prolongado no piso, pode tirar o brilho dele ou manchá-lo.

Cortinas de banheiro

E as cortinas de banheiro?

Cortinas de plástico devem ser lavadas, no mínimo, uma vez por mês, para que o mofo não se instale devido à umidade e a mudanças de temperatura. Para lavá-las, retire os ganchos/anéis e as coloque na máquina de lavar. Acrescente duas xícaras de bicarbonato de sódio, a mesma medida de detergente neutro e uma xícara de vinagre, e lave-as no ciclo simples, com enxágue. Seque à sombra. É bom deixar no banheiro um borrifador com vinagre de álcool, para aplicar a solução duas vezes por semana nas peças. Isso evita que o mofo apareça. Não precisa enxaguar.

Quartos e salas

Como deve ser feita a prevenção em quartos e salas?

Durante uma hora por dia, deixe portas e janelas abertas para a entrada da luz do sol e da ventilação. Isso evita que a umidade se instale, e o mofo apareça. O vinagre de álcool é um ótimo neutralizador de odores. Pegue uma vasilha pequena, acrescente 100ml do vinagre, e coloque-a num ponto alto do ambiente. Troque quinzenalmente. Deixar aromatizadores de ambientes artesanais ou industriais também garante um cheirinho agradável ao ambiente.

Armários

E no interior dos armários?

Misture meio copo de vinagre de álcool com meio copo de alfazema, aplique a mistura num pano e passe-a por todo o armário. Deixe-o aberto até que esteja totalmente seco.

Perguntas respondidas por Bárbara Volnei, especialista em organização residencial e de escritórios e organização profissional, pela OZ! ,e responsável pelo site barbaravolnei.blogspot.com.

Acompanhe as notícias de imóveis, casa e decoração pelo Twitter @bela_casa.

FONTE: https://extra.globo.com/mulher/decoracao-e-jardim/manter-casa-bem-arejada-o-melhor-conselho-para-evitar-que-mofo-se-instale-nela-12365751.html

Dicas de construção de uma casa em condomínio fechado

A conquista de uma casa para a família costuma estar no topo das preocupações e sonhos de uma pessoa. A busca pela tranquilidade e uma melhor qualidade de vida fazem com que muitos invistam na construção de uma casa em condomínios horizontais fechados, um ambiente com infraestrutura e sistema de segurança de primeira qualidade.

Esse é o seu caso? Então, aproveite nosso artigo e descubra agora dicas de construção para transformar esse projeto na mais deliciosa realidade!

1. Escolha o lote com cuidado

A primeira das nossas dicas de construção é a escolha do espaço. Quem opta pelos condomínios fechados sabe que muitos deles oferecem lotes de diversos tamanhos e em diferentes pontos do empreendimento.

A questão aqui está em determinar qual o espaço que atende às suas expectativas. A preferência deve ser por um terreno plano — já que eles são bem mais fáceis e baratos de construir —, com boa luminosidade e arejado. As esquinas costumam ser cobiçadas, já que oferecem dois lados abertos e garantem uma maior privacidade à construção.

O ideal é que o arquiteto e o engenheiro estejam com você e, assim, guiá-lo para a melhor decisão.

Vale lembrar de que a compra do lote é um processo que envolve uma série de procedimentos legais para garantir sinal verde para a construção da sua casa.

 

2. Dedique-se ao projeto

Para conquistar a casa dos sonhos é preciso especial atenção ao projeto. Por isso, evite correr na hora de planejar e fechar o desenho e os espaços.

O procedimento mais comum — e mais indicado — é que o desenho da construção seja baseado no terreno disponível, aproveitando as características do espaço.

Sente-se com as pessoas com quem você vai dividir esse novo lar e decidam, juntos, como ele será. Leve em consideração os desejos e necessidades. Se você tem filhos pequenos, pode ser interessante pensar em como eles crescerão dentro do ambiente sem ficarem apertados. E não esqueça de se dar também um belo presente. Quem sabe essa não é a hora de ter o seu tão sonhado espaço de meditação ou uma área gourmet?

Faça também uma pesquisa, em revistas e na internet, elegendo o tipo de construção e design que mais lhe agrada. O arquiteto certamente ficará contente em ter fontes de inspiração e parâmetros para fazer o seu projeto. Vale lembrar que nesse processo nem todos os sonhos e vontades poderão ser atendidos, mas o objetivo aqui é tentar cumprir o máximo da lista!

Se, por exemplo, entre vocês existe um artista ou artesão, pode ser interessante ter um quarto reservado para o ateliê. E se o casal gosta de se vestir bem, não esqueça de incluir um closet para ambos.

Realize o máximo dos desejáveis sem comprometer o orçamento ou o custo de construção dos essenciais.

3. Preste atenção ao orçamento

Raras são as pessoas que têm disponível o dinheiro para construir, sem compromisso ou sacrifício. A maioria faz economias e um planejamento financeiro forte para seu patrimônio crescer através dos anos. Por isso, entre as nossas dicas de construção, não podemos deixar de abordar a delicada questão do orçamento.

O custo de construção está ligado a três fatores essenciais: material, mão de obra e acabamentos. São eles que diferenciam as construções e definem o seu padrão. Casas de alto padrão e de luxo, por exemplo, se caracterizam pelo uso de materiais de ótima qualidade e com custo normalmente mais elevado: vidros, mármores, madeiras de lei, entre outros.

Uma torneira para a cozinha, por exemplo, pode variar entre R$ 40 e R$ 1.500. E isso se aplica para a maioria dos itens da casa, seja uma pia, um chuveiro ou um piso. Tudo vai depender do padrão da obra e do orçamento disponível.

Porém, para poder ter tudo o que você sonha, é fundamental atenção ao dinheiro disponível. Assim que o projeto for definido, elabore uma planilha orçamentária com tudo o que será gasto na construção, finalização e decoração. Para não se perder nos itens, divida por etapas (o mais comum é cronológica, ou seja, pelos passos da execução). Não se desanime se o primeiro valor total ficar muito acima do que existe disponível.

Esse é o momento de readequar os recursos para chegar ao número ideal, que caiba no seu bolso. O arquiteto e o engenheiro podem ajudar nessa jornada, pois já conhecem bem os processos envolvidos, o mercado e as novidades.

Importante: sempre deixe uma reserva para emergências, evitando dores de cabeça no percurso.

4. Evite grandes alterações durante a construção

Quem já participou da construção de uma casa sabe que imprevistos fazem parte da jornada e é preciso lidar com eles. Muitas pessoas, inclusive, preferem terceirizar o serviço com empreiteiros, deixando na mão deles a maioria das pequenas decisões.

Por isso, uma das nossas preciosas dicas de construção é: evite grandes mudanças ao projeto original. Se você, no meio do caminho, repensou e achou que deve incluir mais uma suíte, consulte primeiro o arquiteto e o engenheiro, analisando quais os prováveis impactos no custo, tempo e também na equipe da obra. Verifique as possibilidades e a real necessidade da adição ou subtração.

Se a conclusão é a de que a alteração será incluída, procure conversar de maneira franca e aberta com toda a equipe. Se os ânimos se alterarem um pouco, mantenha o equilíbrio, pois os seres humanos têm como uma de suas características a rejeição ao novo, depois de estabelecido um padrão. A sua calma e clareza durante essa mudança serão essenciais para continuar o caminho.

5. Lembre-se da estrutura que o condomínio já oferece

Por fim, lembre-se de que um bom condomínio pode ajudar você a cortar alguns custos de construção, principalmente nos itens desejáveis. Muitos já oferecem em sua estrutura piscina, quadras poliesportivas, área para as crianças e espaços dedicados para você e sua família aproveitarem e receber amigos e convidados.

Além disso, costumam oferecer segurança e monitoramento 24 horas. Ou seja, você não precisa se preocupar com muitos dos equipamentos que provavelmente teria de comprar se fosse construir em um terreno fora do condomínio.

Logicamente que existem os custos envolvidos na manutenção da estrutura e dos serviços. Porém, eles certamente valem o investimento em tranquilidade e bem-estar.

Esperamos que todas as dicas que oferecemos aqui possam ajudar você a saber qual o custo de construção em condomínio fechado e as vantagens desse tipo de moradia.

FONTE: https://blog.laredo.com.br/construcao-de-uma-casa/

DESCUBRA AGORA 7 VANTAGENS DE MORAR EM UM CONDOMÍNIO FECHADO

 

1. Completa estrutura de lazer

O primeiro item deste post não poderia ser outro! Construtoras de qualidade têm investido em estruturas completas de lazer, compostas por piscinas, espaços para sauna, quadras poliesportivas, lan houses, brinquedotecas, academias de ginástica e outros.

A ideia é atender a todos, ou seja, pessoas solteiras, recém-casados, famílias com crianças e idosos. Ao final, o condomínio se torna um local bem completo — há quem tenha trocado a matrícula da academia por um personal trainer, para treinar na própria academia do prédio; os moradores se reúnem aos finais de semana para realização de churrascos; e, claro, os pais de crianças se revezam no cuidado aos pequenos.

Por isso, a moradia em um local com uma estrutura completa de lazer faz (e muita!) diferença na rotina familiar.

2. Esquema de segurança bem estruturado

Nos dias de hoje, as notícias que passam nos programas jornalísticos não são muito animadoras. Se você ligar a TV, logo no primeiro jornal do dia, ficará sabendo de, pelo menos, um assalto recente em sua cidade.

Como forma de evitar sustos, os condomínios têm como característica diferencial o investimento pesado em segurança — principalmente pela grande quantidade de moradores no local. Assim, além das câmeras e dos portões automáticos, uma equipe treinada está à disposição do condomínio de modo integral.

O investimento, para tanto, é rateado entre todos os residentes. Como resultado, tem-se um preço acessível a todos os bolsos.

3. Privacidade em destaque

Quem já morou em casa sabe o quão incômodo é receber visitas inesperadas ou pessoas batendo à sua porta para tratar sobre assuntos diversos. Por isso, saiba que, morando em um condomínio, toda essa situação fica no passado.

Com uma portaria 24 horas, todos os visitantes passam a ser anunciados, possibilitando que você recuse a entrada de certas pessoas, o que implica maior segurança para toda a família. Ao final, mesmo mais próximo de seus vizinhos, a privacidade acaba aumentando.

4. Possibilidade de aumentar o ciclo de amizades

Seja para pedir um pouco de açúcar para a receita do bolo, seja para solicitar ajuda para trocar a lâmpada da sala, basta bater à porta mais próxima do corredor e recorrer a um vizinho — a vida em condomínio facilita (e muito!) a criação de um círculo de amizades.

Os moradores se alinham a partir de suas afinidades, como a reunião de grupos de pais ou a busca por um professor de pilates para dar aula no condomínio, e grandes relacionamentos surgem desses encontros. Quem passa a residir em um, garante que a vida se torne muito mais gostosa e divertida.

5. Menos tempo no trânsito

O condomínio fechado reúne diversas facilidades em um só local, e por isso, torna menos pesado o fardo de quem fica várias horas no trânsito. Pessoas que têm uma rotina de trabalho, de levar os filhos às aulas de natação e de praticar esportes, por exemplo, podem usufruir das facilidades de seu local de moradia e realizar os dois últimos itens dessa lista na piscina e na sala de ginástica do próprio prédio.

De quebra, menos tempo no trânsito significa mais momentos com a família ou períodos mais longos para o direcionamento em projetos pessoais. Afinal, o tempo é precioso e deve ser aproveitado da melhor forma possível, certo?

6. Economia no bolso

Como consequência do item acima, a economia de dinheiro surge, e não é preciso pensar muito para entender essa conexão: com menos deslocamentos, o gasto com gasolina, Uber ou transportes públicos pode ser poupado e utilizado em outros momentos.

A economia no bolso também surge na vida em condomínio fechado a partir do próprio sistema de manutenção das áreas comuns, em que todos os valores são rateados pelos moradores. Por isso, se engana quem pensa que morar em condomínio fechado é caro. Pelo contrário, é possível viver muito bem sem gastar altas quantias de dinheiro.

7. Maior qualidade de vida

Residir com conforto e qualidade de vida é um desejo comum de todo mundo, e esse é um item que se faz totalmente presente quando o assunto é a moradia em um condomínio fechado.

Isso porque, com uma estrutura ampla de lazer, com mais privacidade, uma boa equipe de segurança, pessoas próximas e com afinidades semelhantes, mais dinheiro no bolso e com a possibilidade de direcionar melhor o tempo, a vida passa a ser apreciada de uma forma muito mais leve e gostosa. Quem passa a morar em condomínio fechado, garante que a qualidade de vida da família aumenta bastante!

Se você deseja iniciar um novo ciclo em sua vida e está em busca das melhores oportunidades para comprar um apartamento, saiba que morar em condomínio oferece grandes vantagens aos residentes. Com uma boa estrutura de lazer, segurança forte, mais privacidade, possibilidade de fazer novos amigos e economizar ao final do mês, essa oportunidade é de ouro.

FONTE: https://comocomprarumapartamento.com.br/apartamento-novo/descubra-agora-7-vantagens-de-morar-em-um-condominio-fechado/

 

Condomínio: atenção na hora de utilizar o salão de festas

Área comum de mais destaque nos condomínios residenciais, o salão de festas é um espaço constantemente disputado pelos moradores. A conclusão é da empresa de administração de condomínios Lello, que verificou que, em 70% dos finais de semana do ano, o salão está ocupado.Os números são ainda maiores quando se trata de novos empreendimentos. Neste caso, a ocupação do salão de festas ocorre em todos os fins de semana, já que os moradores utilizam a área para recepcionar parentes e amigos que vão conhecer a casa nova.

Os dados da Lello refletem a atenção redobrada que os moradores devem ter para utilizarem de maneira correta o espaço destinado aos mais variados eventos.

Regras

Os condôminos devem se ater a uma série de normas estabelecidas no Regulamento Interno do Condomínio, já que é comum a cobrança de uma taxa de uso pelo salão.

Além disso, o morador deve comunicar à portaria o nome das empresas que prestarão serviços terceirzados no dia, assim como a lista com o nome dos convidados.

Tão logo quando a festa começar, o condômino precisa ficar atento ao horário de silêncio previsto no regimento interno do imóvel. Fitas adesivas ou cartazes nas paredes, além da prática do fumo no interior do salão, também estão fora de questão.

Com relação aos convidados, o síndico deverá orientar a equipe de funcionários e os moradores para que se evite a circulação de estranhos em outras áreas do condomínio. Após o término da festa, o salão deve ser entregue limpo em um prazo de 24 horas.

Crianças

Quanto às festas infantis, o morador deve consultar o síndico para verificar a possibilidade de se alugar equipamentos como camas elásticas e outros brinquedos, uma vez que muitos empreendimentos não permitem essa prática.

FONTE: https://www.bonde.com.br/casa-e-decoracao/dicas/condominio-atencao-na-hora-de-utilizar-o-salao-de-festas-148394.html

12 coisas que você deveria fazer todos os dias

Atitudes simples que elevam a qualidade de vida podem ser adotadas como um exercício diário para seu bem-estar

As atitudes são mais importantes do que os fatos, disse uma vez o escritor Karl Menninger. Muitos anos antes, o

autor americano Dale Carnegie já tinha dito “Acredite que você pode mudar sua vida, e isso se concretizará”.

Muitos médicos homeopatas e alopatas já confirmaram que pacientes com atitudes positivas tinham mais chances

na luta contra doenças graves. Outra unanimidade diz respeito à medicina preventiva, aos bons hábitos alimentares, à prática de exercícios físicos que também elevam a qualidade de vida, prevenindo assim doenças físicas e distúrbios psicológicos.

O American Journal of Epidemiology publicou estudos da Universidade Johns Hopkins, dos Estados Unidos, que indicam quatro hábitos benéficos para fortalecer a saúde. São eles: praticar atividade física regularmente, manter o peso, seguir a dieta do Mediterrâneo e não fumar. Só essas quatro atitudes, segundo os estudos, podem reduzir em 80% o risco de morte por qualquer causa. O estudo foi realizado num período de oito anos.

O médico cardiologista Daniel Ramiro Silva costuma indicar a seus pacientes hábitos sociais e exercícios antimonotonia. “Muitas doenças são reflexo de maus hábitos, muitas estão ligadas ao psicológico. O medo, o rancor, a baixa auto-estima, a impaciência, a intransigência não são doenças, mas podem virar”, alerta.

Confira abaixo uma seleção de atitudes simples que podem transformar sua vida:

1. Faça sua cama

Parece básico, ou até bobo, mas começar o dia fazendo a cama passa para o seu cérebro uma noção de organização e produtividade. Na volta para a casa a cama estará bem-feita para recebê-lo para mais uma merecida noite de sono.

2. Alongue-se

Certa vez numa entrevista a cantora Adriana Calcanhoto disse que uma mania que ela tinha era se alongar de manhã “para o dia não começar encurtado”, justificou. Esse hábito é altamente eficaz para despertar o corpo e dar disposição e devia ser uma das coisas que você faz todos os dias.

3. Elogie alguém

Um elogio, pode ser curto, mas se for sincero pode melhorar o dia de alguém. Nós gostamos de ser reconhecidos, seja por nossas habilidades ou por alguma escolha do dia. Se você já recebeu um elogio que mudou seu dia, pense que você também pode oferecer essa sensação boa. Elogie alguém, pelo menos uma vez por dia e espalhe essa boa vibração.

4. Ria

Se você não ri ao menos uma vez no dia, há algo seriamente errado. O riso é muito poderoso a longo prazo, a curto prazo ele é capaz de afastar dores, enjoo, pois o riso ou o sorriso manda um recado para o cérebro de que está tudo bem. Rir é a melhor coisa que você pode fazer na vida, e é de graça. Basta encontrar um motivo todos os dias e se deixar contagiar.

5. Presenteie-se

Uma roupa nova, um perfume, é sempre bom se auto-valorizar e se respeitar. Doe as roupas velhas que não servem ou que estão amareladas, com bolinhas, vale também para as toalhas de mesa e lençois manchados e utensílios cuja vida útil já passou. Vale tirar uma semana de descanso, fazer uma viagem inesperada no fim de semana ou reservar 15 minutos no fim do dia para deixar o pensamento livre de preocupações.

6. Exercite-se

Pode ser difícil ir para a academia todos os dias, mas um dos hábitos diários que você deveria cultivar é o de se exercitar. Vale um passeio de bicicleta a noite, uma caminhada na hora do almoço, uma corridinha de manhã, como seu metabolismo aceitar melhor. Segundo Daniel, a prática de exercícios é uma “droga natural” e sem riscos, libera adrenalina e endorfina. Faz você se sentir bem a curto e longo prazo e é uma ótima maneira de se manter saudável.

7. Relembre sentimentos bons

O autor do livro “Happier” (Mais feliz) Tal Ben Shahar sugere um exercício: olhar uma foto em que aparece sorrindo e perguntar a si mesma o que a deixou tão contente. Um encontro com amigos ou parentes? O belo cenário? Em seguida, imaginar o que pode fazer para repetir o mesmo sentimento ou situação futuramente.

8. Experimente algo novo

Todos os dias tente descobrir um novo sabor, fazer um novo caminho, tentar uma outra combinação. Podem ser coisas pequenas como um novo sabor de picolé, uma nova marca de café ou ir ao trabalho de carona ou a pé. Essas pequenas coisas estimulam a criatividade, estimulam o cérebro. Elas te dão outras perspectivas de vida, te colocam em um novo ângulo. Ao tentar algo novo todos os dias, você está vivendo um pouco mais a cada dia.

9. Faça um “RAK”

Como no clássico filme “Corrente do Bem”, tente fazer um RAK por dia. O RAK representa um “ato aleatório de bondade”, feito anonimamente para alguém que você não conhece e sem esperar nada em troca. Podem ser atos menores ou maiores, aproveite as oportunidades que a vida te dá para ajudar. A atitude de fazer um RAK diariamente não só vai fazer com que você e seu beneficiário se sintam bem, como também faz do mundo um lugar melhor para se viver.

10. Diga “Eu te amo”

Com certeza seus pais, irmãos ou filhos adorariam receber uma chamada só para dizer que você os ama. Essa frase curta e significativa deveria ser dita todos os dias, se não com palavras, com gestos. Só não deixe que um único dia se passe sem contar àqueles que você ama o quão importante eles são para você.

11. Seja grato

A melhor maneira de livrar-se de angústias e aborrecimentos é agradecendo aquilo que se tem. Você deve se sentir feliz porque nem todos têm as mesmas oportunidades na vida que você. Antes de dormir, no despertar ou em uma situação extrema, deite-se (pois é quase impossível se estressar deitado) e enumere mentalmente 10 coisas pelas quais você é grato. Pode ser desde a sua saúde de ferro, à suas conquistas, à presença das pessoas que ama e também às pequenas alegrias do cotidiano como o calor da sua cama, um abraço amigo…

12. Faça planos para amanhã

Em uma parábola popular um mestre apresentava um copo a seus alunos perguntando se o mesmo estava cheio ou vazio. Diante da resposta de que estava vazio, retrucou que o copo estava cheio, de ar. Em seguida, colocou pedras no copo, seus alunos afirmaram que agora sim o copo estava cheio. O mestre em seguida jogou areia entre as pedras e dessa vez os alunos afirmaram sem sombra de dúvidas que o copo estava repleto. Então o mestre derramou água que preencheu os espaços vazios entre as pedras e a areia. A lição por traz dessa metáfora é que por mais que se sua agenda estiver cheia, sempre tem como arranjar espaço para as coisas, ou pessoas que gostamos. Planejando o dia seguinte, você pode abrir espaço para as coisas que importam.

FONTE: https://www.dicasdemulher.com.br/12-coisas-que-voce-deveria-fazer-todos-os-dias/

5 DICAS INFALÍVEIS PARA ENSINAR O CACHORRO A PARAR DE MORDER

 Quando filhotes,  é comum os cães gostarem de brincar de morder. Porém, em alguns casos, as mordidas acabam se excedendo. Por isso, vamos te ajudar com 5 dicas infalíveis de como ensinar o seu cachorro a parar de morder.

Primeiro, é bom entender o que leva os cães a morderem. Os filhotes, assim como os seres humanos, possuem dentes de leite. Seus dentes começam a cair com cerca de 3 meses de idade nas raças grandes e aos 6 meses nas raças pequenas. A maioria dos cães, independente da raça, terá seus dentes adultos aos oito meses de idade. E durante o pico da dentição, os filhotes tornam-se mais mordedores e desejam mastigar e morder tudo. Assim, uma das brincadeiras mais comuns dos cachorros filhotes é brincar de morder com seus irmãos. Quando adultos, os cachorros podem começar a morder mais por diferentes motivos, seja por tédio, por ansiedade ou até mesmo por dor nas gengivas. Estamos aqui para te ajudar com 5 dicas de como ensinar o seu cachorro a parar de morder:

1) Atividade física:

Muitas vezes o cão morde por ansiedade ou tédio, animais precisam de horas de lazer seja com brincadeiras com outros animais ou com o próprio dono. Passeios diários são sempre bem-vindos, ajudam os filhotes a gastarem energia e a criarem laços afetivos, e de obediência com o dono.

2) Brinquedos apropriados:

O filhote precisa de brinquedos apropriados para exercitar sua mordedura, o que faz parte do processo de desenvolvimento físico e psicológico. Possuir os próprios brinquedos evita que o filhote queira morder objetos da casa, ou a mão e o pé do dono. Na Zee.Dog, temos brinquedos para cachorros projetados para facilitar a mordida do seu cão. Além de serem feitos com material atóxico, eles possuem superfície texturizada para ajudar na limpeza dos dentes. Confira as dicas de como escolher o brinquedo ideal pro seu cachorro aqui.

cachorro parar de morder

Os brinquedos para cachorros da Zee.Dog ajudam o cachorro a parar de morder o dono ou objetos indesejados.

 

3) Não tire as mãos:

Tente não retirar as mãos quando o filhote estiver mordendo. Apesar desse ser o instinto natural, o ato de retirá-la torna-se um “jogo divertido” de pegar a mão. Em vez disso, deixe a sua mão onde está e demonstre que essa é uma brincadeira incorreta dizendo “não” com firmeza. Os animais são capazes de fazer associação de nossas expressões faciais como algo negativo ou positivo. Depois disso, assim que ele parar de tentar pegar a sua mão, elogie-o e ofereça algo que ele possa mastigar, como os brinquedos citados anteriormente, ou algum petisco.

4) O poder da troca:

Entre as brincadeiras envolvendo mordidas, caso o cachorro lhe dê uma lambida ou tente confortá-lo, enalteça esse comportamento e lhe dê uma recompensa. Isso ajuda o filhote entender e confirmar que seu comportamento é adequado e positivo. Se você jogar um brinquedo de pegar ou tentar distraí-lo de outra forma depois de uma mordida, ele vai entender quando ele morde, ele tem um retorno positivo. E repetirá a ação com mais frequência.

5) Seguir o instinto animal:

Primeiro é importante entender como os cachorros aprendem a encontrar o limite das suas brincadeiras. Quando os filhotes estão brincando de morder, normalmente a brincadeira para quando algum deles leva uma mordida mais forte e solta um uivo estridente. Quem levou a mordida para de brincar e quem deu a mordida fica assustado. Sendo assim, quando o animal der uma mordida forte, tente emitir um ruído alto e agudo, como um uivo de um cão, levante-se e pare de brincar imediatamente. Isso ajudará a fazer com que o animal entenda que esse comportamento não é aceitável. Se o uivado não funcionar, tente ignorar o cão por cerca de 30s. O isolamento físico da matilha é outra maneira de ensinar instintivamente que o cachorro está agindo de maneira errada.

Você tem alguma experiência ou ensinamento para ajudar o cachorro a parar de morder? Compartilhe conosco nos comentários. E lembre-se, caso o animal continue mordendo em excesso o mais indicado é buscar um treinamento específico.

FONTE: https://blog.zeedog.com.br/5-dicas-infaliveis-cachorro-parar-de-morder/

6 coisas que você deve saber sobre casas em condomínio fechado

Como a segurança é uma prioridade entre a grande maioria de investidores de imóveis, muitos consumidores têm optado por comprar terrenos ou construir casas em áreas de condomínios fechados, onde existem algumas vantagens como a maior proteção e controle da segurança dos proprietários e familiares.

Construir uma casa dentro de uma propriedade com área de condomínio fechado, muitas vezes, significa que os proprietários serão obrigados a participar de uma associação de moradores. E como membro desta comunidade, o proprietário terá que aderir a uma série de regulamentos e normas que dizem respeito à associação.

Geralmente estabelecido pelos moradores de uma comunidade para garantir que a infraestrutura, como estradas, ruas, iluminação, distribuição de água e áreas comuns serão mantidas. Um grande aspecto de um condomínio fechado, também é o de garantir a segurança das pessoas que vivem na comunidade.

Regras de associação, normas e regulamentos dos proprietários pode cobrir muitos aspectos que vão desde a cor que um proprietário tem permissão para pintar sua casa, até o tipo de arvores, arbustos, vegetação bem como o tipo de pavimentos de calçadas está autorizada a exibir em frente da residência.

É por esta razão que aqueles que estão interessados na compra de um imóvel dentro de um condomínio fechado, que se rege por uma convenção aprovada pelos associados do condomínio, devem assegurar que os regulamentos estipulados não entrem em conflito com o seu estilo de vida.

Antes de comprar uma propriedade dentro de uma comunidade os compradores devem fazer sua lição de casa e investigar todos os artigos da regulamentação do condomínio escolhido antes de bater o martelo e fechar o negócio.

Veja seis aspectos que os compradores devem considerar sobre Condomínios fechados de casas:

1. Ao aderir ao condomínio fechado vou assumir algum custo?

Em quase a totalidade dos condomínios ao comprar o imóvel, o proprietário já assume o compromisso de pagar uma taxa mensal para a associação. Portanto é importante que os compradores comparem os valores cobrados com outros condomínios fechados semelhantes, na região circunvizinha.

2. Como são as taxas cobradas?

Os membros do condomínio fechado devem saber como as suas contribuições mensais são alocados. Muitas vezes as taxas pagas para um condomínio são destinadas para a manutenção das áreas comuns e instalações, tais como o paisagismo ao ar livre, piscina e ginásio ou clube com área gourmet e churrasqueiras.
Os potenciais compradores devem descobrir o que está incluído na taxa e o que não está.

3. Tem havido algum aumento no valor das taxas recentemente?

Ao pesquisar um condomínio fechado de casas, os compradores devem solicitar na associação o histórico de quanto e com que frequência às taxas aumentou durante o último período de cinco anos. Ao olhar para o relatório do passado o comprador pode ter uma ideia do que esperar no futuro.

Outro aspecto importante é saber se ocorreram em algum tempo do passado, alguma taxa adicional que foi cobrada dos proprietários quando o condomínio não teve reservas para cobrir alguma despesa extra ou para a implantação de um novo projeto.

4. Quais são as prioridades da associação do condomínio fechado?

Olhando para o livro de atas das últimas reuniões de assembleias do condomínio, poderá dar aos potenciais proprietários uma ideia clara das prioridades da comunidade e quais as questões e tópicos continuam aparecendo com preocupações dos associados.

5. Não negligencie a cópia dos estatutos e normas

É importante ler todos os regulamentos, restrições e condições antes de comprar a propriedade. Embora possa levar algum tempo para ler a documentação na sua totalidade, é muito melhor fazer isso do que entrar e descobrir que você é incapaz de estacionar um segundo carro na rua em frente à propriedade ou armar uma barraca no jardim.
É melhor ter uma compreensão clara do que é permitido do que ser pego de surpresa recomendam os especialistas.

6. Penalidades

É essencial para os compradores saber quais sanções serão aplicadas se algum item do regulamento não for respeitado.  É sempre importante para um comprador na sua busca pelo imóvel desejado, garantir que está realizando uma compra com uma quantidade razoável de conhecimento sobre o que eles estão recebendo em troca.
E a leitura da documentação do condomínio fechado irá fornecer algumas informações significativas na decisão e escolha do terreno para construção do projeto de casa dos sonhos ou na compra de um imóvel pronto.

Se gostou deste post, deixe o seu comentário mostrando, vantagens, desvantagens ou experiências positivas ou negativas de morar num condomínio fechado.

FONTE:

10 COISAS PARA FAZER EM UM DIA DE CHUVA

 

Sempre que um feriado se aproxima, junto vêm as nuvens que se instalam no céu curitibano. É batata: é só chegar o fim de semana ou o feriado que o céu fecha e chove! Chove até não poder mais.

E acredito que eu seja como a maioria das pessoas, que não gosta de colocar o nariz pra fora de casa quando o tempo não está amigável. Gosto mesmo é de ficar enfurnada em casa, bem quietinha no meu canto e, de preferência, embaixo das cobertas.

A preguiça é tanta, que já começo a programar o dia chuvoso com alguma antecedência: marco a visita dos amigos, escolho uma bela lista de filmes (as dicas da Bia são incríveis pra esses momentos!) ou passo no supermercado e preparo um estoque de comida suficiente para os dias que vou ficar hibernando.

Mas como a gente não vive só de preguiça, também começo a pensar em algumas coisas bacanas pra fazer. Então, já que em novembro temos dois feriados, fique com esse guia de sobrevivência para dias chuvosos!

# 10 – Fazer as unhas

Com calma, paciência e sem a pressão do horário, gosto de aproveitar o tempo livre para fazer as unhas. Antes de pintar, experimento várias cores, faço combinações imprevisíveis, depois tiro tudo e faço o serviço direito. A vantagem de fazer as unhas em um dia chuvoso é que, por causa do clima frio, o acabamento fica melhor e sem bolinhas.

# 9 – Limpar a casa

Pode parecer piada, mas aquele dia nublado e friozinho me dá o maior pique pra arrumar o guarda-roupa, limpar a casa, colocar o material da faculdade em ordem e otras cositas más… Junto com a limpeza, vale colocar uma música bacana pra ajudar na empolgação e encarar a organização com bom humor.

# 8 – Passar o tempo com jogos de tabuleiro

Para recorrer aos jogos de tabuleiros não precisa estar necessariamente chovendo, mas é escolha certeira quando não queremos sair de casa. Banco Imobiliário, War, Scrabble, Quest e Scotland Yard são algumas das nossas opções mais divertidas, apesar de que jogar War resulta em brigas de vez em quando…

# 7 – Relembrar bons momentos revendo fotos

Esse é o programa preferido da família quando o tempo está fechado. Sempre tem alguém que corre no armário para buscar os álbuns antigos e passamos horas e mais horas lembrando os bons tempos e contando histórias divertidas, e o melhor, acompanhados de alguma comidinha gostosa!

# 6 – Fazer tricô

Entre aquelas que são fãs das agulhas, acho que o gosto por tricotar nos dias de chuva é quase unanimidade. Há, inclusive, quem só tricote nas estações mais frias por não conseguir lidar com a lã em dias de calor. Só posso dizer que é reconfortante passar o dia mexendo com os fios e, no final, ter feito algo bonito.

# 5 – Ler um livro

Bem, pra alguém que lê andando na rua ou tomando banho, ler em um dia de chuva é fichinha. Mas tem coisa melhor do que apreciar um bom romance com aquele barulhinho agradável da chuva caindo lá fora?

# 4 – Receber os amigos e jogar conversa fora

Aproveitar os dias nublados na companhia de pessoas queridas também é um ótimo programa. Acho incrível poder preparar um lanchinho bacana e ficar junto dos meus amigos, jogando conversa fora ou simplesmente rindo da vida.

# 3 – Cozinhar e comer bem

Preparar uma comidinha gostosa é uma ótima ideia. Para quem não gosta de cozinhar, provar os quitutes alheios não é uma má ideia, certo? Pilotando o fogão ou apenas provando as delícias que minha mãe prepara, me divirto muito na cozinha nos dias chuvosos. O programa preferido lá em casa é assar um bolo ou um pão e aproveitar o calorzinho do forno para esquentar a casa toda.

# 2 – Assistir um filminho embaixo das cobertas

Eu acho que a maioria concorda com a dupla “cobertor + filme” entre as três primeiras posições desse ranking. Não há combinação mais perfeita. Para completar, uma panela de brigadeiro ou uma bacia de pipoca. Com tudo isso, pode chover até não poder mais que eu não vou nem notar…

# 1 – Dormir

O primeiro lugar dispensa apresentações, né? Basta juntar vários itens que apareçam antes na lista e completar com aquela soneca merecida para que um dia chuvoso acabe bem.

FONTE: https://www.megacurioso.com.br/blog/78473-10-coisas-para-fazer-em-um-dia-de-chuva.htm