Yearly Archives: 2019

6 coisas que você deve saber sobre casas em condomínio fechado

Como a segurança é uma prioridade entre a grande maioria de investidores de imóveis, muitos consumidores têm optado por comprar terrenos ou construir casas em áreas de condomínios fechados, onde existem algumas vantagens como a maior proteção e controle da segurança dos proprietários e familiares.

Construir uma casa dentro de uma propriedade com área de condomínio fechado, muitas vezes, significa que os proprietários serão obrigados a participar de uma associação de moradores. E como membro desta comunidade, o proprietário terá que aderir a uma série de regulamentos e normas que dizem respeito à associação.

Geralmente estabelecido pelos moradores de uma comunidade para garantir que a infraestrutura, como estradas, ruas, iluminação, distribuição de água e áreas comuns serão mantidas. Um grande aspecto de um condomínio fechado, também é o de garantir a segurança das pessoas que vivem na comunidade.

Regras de associação, normas e regulamentos dos proprietários pode cobrir muitos aspectos que vão desde a cor que um proprietário tem permissão para pintar sua casa, até o tipo de arvores, arbustos, vegetação bem como o tipo de pavimentos de calçadas está autorizada a exibir em frente da residência.

É por esta razão que aqueles que estão interessados na compra de um imóvel dentro de um condomínio fechado, que se rege por uma convenção aprovada pelos associados do condomínio, devem assegurar que os regulamentos estipulados não entrem em conflito com o seu estilo de vida.

Antes de comprar uma propriedade dentro de uma comunidade os compradores devem fazer sua lição de casa e investigar todos os artigos da regulamentação do condomínio escolhido antes de bater o martelo e fechar o negócio.

Veja seis aspectos que os compradores devem considerar sobre Condomínios fechados de casas:

1. Ao aderir ao condomínio fechado vou assumir algum custo?

Em quase a totalidade dos condomínios ao comprar o imóvel, o proprietário já assume o compromisso de pagar uma taxa mensal para a associação. Portanto é importante que os compradores comparem os valores cobrados com outros condomínios fechados semelhantes, na região circunvizinha.

2. Como são as taxas cobradas?

Os membros do condomínio fechado devem saber como as suas contribuições mensais são alocados. Muitas vezes as taxas pagas para um condomínio são destinadas para a manutenção das áreas comuns e instalações, tais como o paisagismo ao ar livre, piscina e ginásio ou clube com área gourmet e churrasqueiras.
Os potenciais compradores devem descobrir o que está incluído na taxa e o que não está.

3. Tem havido algum aumento no valor das taxas recentemente?

Ao pesquisar um condomínio fechado de casas, os compradores devem solicitar na associação o histórico de quanto e com que frequência às taxas aumentou durante o último período de cinco anos. Ao olhar para o relatório do passado o comprador pode ter uma ideia do que esperar no futuro.

Outro aspecto importante é saber se ocorreram em algum tempo do passado, alguma taxa adicional que foi cobrada dos proprietários quando o condomínio não teve reservas para cobrir alguma despesa extra ou para a implantação de um novo projeto.

4. Quais são as prioridades da associação do condomínio fechado?

Olhando para o livro de atas das últimas reuniões de assembleias do condomínio, poderá dar aos potenciais proprietários uma ideia clara das prioridades da comunidade e quais as questões e tópicos continuam aparecendo com preocupações dos associados.

5. Não negligencie a cópia dos estatutos e normas

É importante ler todos os regulamentos, restrições e condições antes de comprar a propriedade. Embora possa levar algum tempo para ler a documentação na sua totalidade, é muito melhor fazer isso do que entrar e descobrir que você é incapaz de estacionar um segundo carro na rua em frente à propriedade ou armar uma barraca no jardim.
É melhor ter uma compreensão clara do que é permitido do que ser pego de surpresa recomendam os especialistas.

6. Penalidades

É essencial para os compradores saber quais sanções serão aplicadas se algum item do regulamento não for respeitado.  É sempre importante para um comprador na sua busca pelo imóvel desejado, garantir que está realizando uma compra com uma quantidade razoável de conhecimento sobre o que eles estão recebendo em troca.
E a leitura da documentação do condomínio fechado irá fornecer algumas informações significativas na decisão e escolha do terreno para construção do projeto de casa dos sonhos ou na compra de um imóvel pronto.

Se gostou deste post, deixe o seu comentário mostrando, vantagens, desvantagens ou experiências positivas ou negativas de morar num condomínio fechado.

FONTE: https://www.plantasdecasas.com/6-coisas-que-voce-deve-saber-sobre-casas-de-condominio-fechado/

Saiba como economizar nas contas de água e luz

Confira medidas que podem ser adotadas para reduzir o consumo e, além de pagar menos no fim do mês, colaborar com o meio ambiente

Economizar água e energia elétrica pode e deve ser uma preocupação constante no dia a dia dos consumidores. Reduzir o consumo contribui tanto para as finanças familiares, quanto para o meio ambiente, já que reduz a demanda de recursos naturais para o fornecimento de água e de luz.

Algumas iniciativas já são bem conhecidas, como a utilização de lâmpadas fluorescentes em vez de incandescentes, e o reaproveitamento de água para lavar o quintal. Mas há muitas outras formas de economizar. Veja:

Água
Utilize aeradores (peneirinhas acopladas na saída de água) nas torneiras.
Reduza o tempo no banho. Fechar o registro ao se ensaboar ajuda ainda mais.
Use um balde ou bacia embaixo do chuveiro para captar a água do banho e reaproveite-a para a descarga ou para lavar o quintal. A água da máquina de lavar também pode ser reutilizada.
Feche a torneira ao escovar os dentes, fazer a barba e ao ensaboar a louça.
Adote descarga de caixa acoplada no vaso sanitário (todas fabricadas a partir de 2001 utilizam 6 litros de água). O vaso sanitário com a válvula e tempo de acionamento de 6 segundos gasta cerca de 15 litros. Quando a válvula está defeituosa, pode chegar a gastar até 30 litros.
Conserte os vazamentos de água assim que eles forem notados.
Junte peças para lavar roupa na capacidade máxima. O mesmo vale para a lavadora de louça.
Use um regador para molhar as plantas em vez de mangueira. No verão, a rega deve ser feita preferencialmente de manhãzinha ou à noite, o que reduz a perda por evaporação. No inverno, a rega pode ser feita dia sim, dia não, pela manhã.
Adote o hábito de usar a vassoura, e não a mangueira, para limpar a calçada e o quintal da sua casa. A mangueira ligada por 15 minutos gasta cerca de 280 litros de água.
Lave o carro com balde e um pano em vez de mangueira. Se possível, não lave o carro durante a estiagem (época do ano em que chove menos).

Energia elétrica
É possível reduzir o consumo de energia desde o planejamento da construção de um imóvel para aproveitar ao máximo a iluminação natural.
Abra janelas, cortinas e persianas durante o dia.
Reorganizar a disposição dos móveis também pode ajudar a incidência de luz natural.
Troque as lâmpadas incandescentes por lâmpadas fluorescentes compactas, pois a economia de eletricidade proporcionada por ela pode chegar a 80%. A quantidade de acionamentos da lâmpada fluorescente compromete seu tempo de vida. Prefira-as para as áreas da casa em que as lâmpadas permaneçam acesas por mais tempo.
Adote dispositivos de detecção de presença para lâmpadas em áreas externas, por exemplo.
Ao sair do ambiente, sempre apague as luzes.
Use cores claras no teto e nas paredes internas. Elas refletem melhor a luz e deixam o ambiente mais claro.
Mantenha luminárias, globos e arandelas sempre limpos.
Avalie a possibilidade de adotar o aquecimento solar de água. A substituição dos chuveiros elétricos por aquecimento solar possibilitaria a diminuição de 30 a 50% da conta de energia do consumidor residencial.
Verifique as borrachas de vedação da geladeira e do forno – coloque uma folha de papel entre a borracha e a porta: se a folha ficar solta, a porta não está fechando de forma correta.
Antes de comprar um novo equipamento eletroeletrônico, verifique a etiqueta de consumo de energia e o selo do Procel e escolha aquele que consome menos energia.
Evite equipamentos ligados quando não necessário. Desligue os equipamentos da tomada, em vez de desligar apenas no comando, se você for ficar períodos longos sem utilizá-los. Os aparelhos em modo stand-by continuam consumindo energia.
Não ligue a televisão só para servir de companhia, nem adormeça com ela ligada. Programe para que desligue sozinha.
Programe as definições do seu computador para ele se desligar automaticamente (hibernar) após um tempo sem ser utilizado.

FONTE: https://idec.org.br/consultas/dicas-e-direitos/saiba-como-economizar-nas-contas-de-agua-e-luz

10 dicas de jardim para sua casa

Não importa o tamanho da sua casa, sempre há espaço para um jardim. Confira nossas dicas!

#01 – TAMANHO

01 – Primeira coisa é o planejamento. Escolha o local e o tamanho do seu jardim, delimite a área, observe a incidência do sol, da chuva, a qualidade do solo e tente visualizar ele finalizado para ter uma idéia de como ele harmonizará com o resto do ambiente.

Um profissional de jardinagem pode fazer esse planejamento e essa correção do solo por você.

#02 – TIPOS DE PLANTAS

02 – Agora que você já sabe o local e o tamanho do seu jardim, escolha o tipo de planta. Arbustos, flores, frutíferas, grama… Tudo é válido, porém cada tipo de planta vai transmitir uma mensagem em seu jardim. Robustez, delicadeza, tranquilidade, alegria…

O pessoal da Casa e Jardim fez uma lista com as TOP 50 dos jardins. Confira: https://goo.gl/7wKbTr

#03 – PORTE DAS PLANTAS

03 – Lembre-se que suas plantas crescem! Sempre observe o porte final da planta escolhida para não correr o risco dela invadir o espaço de outras plantas ou até mesmo causar problemas estruturais em sua casa.

Para seu jardim ter sempre plantas lindas, saiba qual o tamanho final de cada uma e se é melhor mante-las em vasos ou no chão. Uma planta que possa chegar a 80cm de altura, por exemplo, exige um vaso com 30cm de profundidade por 20cm de diâmetro.

Atente-se também que as raizes acompanham o crescimento da planta.

#04 – ÍTENS DECORATIVOS

04 – Use a criatividade para deixar seu jardim mais aconchegante! Uma ideia são os móveis em pallets que são baratos e muito bonitos. Disponha-os em “U” ou em “L” para facilitar a interação entre as pessoas. Você também pode usar algumas panelas, bules ou garrafas como vasos, gaiolas como luminárias, uma cadeira velha vira um balanço, uma cesta para as flores e até mesmo as sobras de tijolos podem virar um espaço para acender uma fogueira nos dias mais frios.

Tome muito cuidado para que não haja acúmulo de água parada no seu jardim, evitando assim a proliferação do Aedes Aegypti.

#05 – ILUMINAÇÃO

05 – Não basta ter um jardim lindo só durante o dia. A iluminação artificial é fundamental para embelezar seu jardim também durante a noite. Conheça os tipos mais comuns de iluminação:

Arandelas: Essas peças são fixadas em paredes e iluminam pontos estratégicos. Elas podem realçar plantas e objetos decorativos, deixando o espaço romântico e aconchegante Em sua fabricação são utilizados diversos materiais, como vidro e metal. Com fiação interna, esses itens são ótimos para complementar, com elegância e bom gosto, a decoração de qualquer lugar.

Refletores: São indicados para espaços mais amplos e priorizam a segurança, pois focalizam os visitantes. Além de clarear áreas extensas, eles iluminam trechos em desnível, como escadas e rampas, com grande eficiência. Atualmente, os fabricantes oferecem modelos muito eficazes, com design arrojado e sofisticado. O metal e o vidro são os principais componentes desses produtos, que também são ligados por fiação interna.

Espetos: São luminárias fixadas em pequenos postes ou pedestais. Elas são charmosas, contemporâneas e muito utilizadas para demarcar caminhos. Lugares como a entrada de casa ganham graça e encanto quando adornados por esses elementos. Tanto as luminárias quanto os suportes têm o metal como principal matéria-prima. Com diferentes tipos de acabamentos, eles atendem aos mais variados gostos e emprestam beleza e modernidade ao ambiente.

Spots: Os spots acompanham as últimas tendências do mercado. Versáteis, eles evidenciam móveis e objetos. Esses produtos são confeccionados usando metais, fibras, vidro e outros insumos, podendo ser de embutir ou de sobrepor. Os modelos de embutir podem ser instalados também no solo, o que é uma ótima opção para destacar paredes e árvores. Lagos e fontes ficam encantadores quando iluminados por spots com foco dirigível.

Cordão de Luz: Os cordões de luz ajudam a compor um clima descontraído, charmoso e romântico no ambiente. Com uma iluminação discreta e agradável, estes itens estão super em alta na decoração e podem ser usados de diversas formas!

Uma dica imporante é contratar um eletricista para fazer adequadamente a instalação elétrica das luminárias escolhidas.

#06 – CONTRASTE DE CORES

06 – Há quem goste de um jardim monocromátco, mas uma dica legal para você é brincar com o contraste das cores. Branco e amarelo se destacam no verde. Marrom se destaca no branco. Vermelho sempre chama a atenção. Então use pedras brancas, seixos marrons (ou até mesmo caquinhos de tijolo), flores diversas e o que mais sua imaginação permitir.

#07 – JARDIM VERTICAL

07 – Mesmo com pouco espaço, o jardim vertical (ou jardim suspenso) se torna uma solução para quem quer colocar suas plantas em outro nível (literalmente). Os pallets são os queridinhos do pessoal, sendo fáceis de conseguir e fáceis de instalar em sua parede ou muro. Outra opção prática é usar tubos de PVC para criar pequenos canteiros suspensos. Até mesmo aquele estrado velho de cama pode se tornar um belo aliado para fazer o jardim vertical.

#08 – JARDIM DE VASOS

08 – Se você não tem um quintal, saiba que também é possível ter seu jardim. São os jardins de vasos. Vasos de cerâmica, caixotes de madeira, latões, pneus… Qualquer coisa que consiga abrigar um pouco de terra pode ser usada como recipiente para uma planta. Tamanhos, cores e formas geométricas diferentes ajudam a valorizar ainda mais o espaço.

#09 – GRAMA

09 – As opções são muitas! Tem até grama sintética. Vamos conhecer abaixo algumas das gramas mais comuns para jardins:

Esmeralda: Esse tipo de grama tem a folha mais fininha e estreita, cor verde esmeralda e crescimento lento.

Bermuda: As folhas finas são a principal característica desse tipo de gramado que tem crescimento rápido e boa formação.

Batatais: A principal característica deste gramado são as folhas estreitas e a resistência a pisoteios, o que a torna boa opção para locais onde as pessoas tendem a andar sobre o gramado.

São Carlos: O gramado denso é a principal característica dessa espécie que tem folhas largas e lisas.

Santo Agostinho ou Inglesa: Mais um tipo de gramado denso, essa espécie é muito conhecida pelas folhas lisas, pontas arredondadas e com tonalidade levemente azulada.

Coreana, Japonesa, Mascarenha ou Veludo: Apesar das variedades de nomes, as espécies são a mesma e representam um gramado de folhas macias e finas.

Missioneira ou Carpete: O gramado tem formação rápida e folhas bem verdinhas e um pouco mais largas.

Amendoim: A espécie é uma ótima opção de forragem e se distancia das características e aparências comuns de gramados, sendo formado com pequenas folhinhas que lembram uma planta rasteira e delicada, e que apresenta pequenas flores amarelas entre a primavera e o verão.

#10 – CONTROLE DE PRAGAS

10 – Nem tudo são flores. Muitas vezes o belo jardim é invadido por pragas. Veja aqui algumas alternativas pra quem não quer usar os agroquímicos:

Calda de Fumo: – 50 gramas de fumo em pó – 1 litro de água Pique o fumo em pedaços bem miúdos e coloque em uma panela juntamente com a água. Ferva esta mistura por 25 minutos, mexa bem, tampe a panela e espere esfriar. Coe e pulverize sobre as plantas no mesmo dia, pois o princípio ativo é muito volátil. Utilize luvas e máscara ao trabalhar com o fumo, pois ele é tóxico. Se preferir, há produtos disponíveis já prontos, práticos e igualmente eficientes como o Fumo Líquido. Ao aplicar sobre frutas e verduras, respeite um período de 10 dias de carência antes da colheita e lave-os muito bem antes de consumir. Indicada contra insetos e ácaros, como cochonilhas, pulgões, lagartas, etc.

Óleo de Neem: – 15ml de óleo de Neem – 1 litro de água Misture e agite bastante até obter um líquido amarelado. Com um borrifador, aplique diretamente sobre as plantas, preferenciamente em dias frescos ou ao entardecer. Utilize uma vez por semana pois seu uso diário pode provocar a morte dos predadores naturais das pragas. Outra questão é que ele não deve ser aplicado sobre árvores frutíferas que estão florindo, pois a pulverização nessas condições pode acabar espantando os insetos polinizadores.

Sementes de Gergelim: Ótimo para espantar formigas saúvas e cortadeiras. Espalhe as sementes em torno dos canteiros.

Armadilha para caracóis, caramujos e lesmas: Para se livrar desses visitantes incômodos sem matá-los, espalhe pelo jardim pedaços de chuchu ou sacos de estopa embebidos em cerveja. As pragas serão atraídas por essas armadilhas e, após algumas horas, poderão ser facilmente recolhidas. Para eliminá-los, polvilhe sal, bicarbonato de sódio ou canela em pó ao redor do vaso, o que cria uma barreira também para as formigas.

FONTE: http://www.saobento.com.br/dicas-novidades/10-dicas-de-jardim-para-sua-casa

10 sugestões ao ar livre para estimular o brincar das crianças

Adulto é trabalho, correria, responsabilidade, estresse e dias cinzas –  criança é brincadeira, paz, espontaneidade, leveza e cores. Dois mundos separados por travessão. Mas esses dois lados não são extremos. Eles podem conviver e se misturar muito bem, formando um universo rico em experiências, aventuras e desenvolvimento para as crianças.

O elo para essa relação chama-se “brincadeiras”. Quando pais e filhos estão juntos nesta aventura, o resultado só pode ser positivo. “Brincar com as crianças é uma das melhores formas de exercer o papel de pai ou de mãe. É vital para o desenvolvimento e aprendizado das crianças. Por essa razão, os pais precisam conhecer a importância de oferecer a seus filhos oportunidades para brincar nas mais diferentes formas e locais”, destaca Marilena Flores Martins, assistente social, cofundadora da Associação Brasileira pelo Direito de Brincar e à Cultura (IPA Brasil).

Estimular a criança a brincar ao ar livre, de preferência junto com os pais, traz uma série de benefícios para o seu crescimento saudável. Entre as vantagens, estão ajudar na formação de vínculos afetivos positivos; transmitir à criança sentimento de afeto e segurança; ajudá-la a perceber o mundo; oferecer uma ampla oportunidade de experiências e aprendizado.

 “Desde que haja um bom vínculo afetivo entre pais e filhos e disposição dos mesmos para brincarem juntos, o estímulo para as brincadeiras em espaços externos surgirá naturalmente, uma vez que o melhor brinquedo para uma criança é um adulto disposto a brincar com ela. Principalmente nos primeiros anos de vida”, reforça Marilena.

Longe do virtual

Tirar as crianças da tecnologia não é nada fácil, é verdade! Coloridos, dinâmicos e de retorno instantâneo, os eletrônicos acabam ganhando a atenção dos pequenos e dominando boa parte do seu dia. Muitas brincadeiras tradicionais da infância acabam se perdendo. Porém, essas brincadeiras ao ar livre são importantes e trazem muitos benefícios para as crianças, como afirma a psicopedagoga e fonoaudióloga, Sheila Leal: “Além de tirar as crianças da rotina, as brincadeiras ao ar livre também trabalham o desenvolvimento e promovem melhorias em vários pontos, como criatividade, agilidade, concentração, raciocínio lógico, socialização e estratégia”.

Ela destaca que a permanência dos pais é fundamental nessa hora. “A sua presença faz toda a diferença na vida da criança. Mesmo que você não tenha um espaço ao ar livre, crie uma conexão com seu filho dentro da própria casa”, orienta Sheila.

Segundo a especialista, os benefícios não se limitam somente às crianças. “Incorporar a brincadeira ao ar livre também reforça os laços entre a família”, explica Sheila, que complementa aconselhando que os pais aproveitem esse momento para desligar o celular e se dedicar realmente às crianças.

Pensando nisso, Sheila indica 10 brincadeiras superdivertidas que contribuem para o desenvolvimento infantil e deixam os pais mais próximos de seus filhos, relembrando os antigos jogos com as crianças.

1.   Ciranda

Para brincar, as crianças ficam em roda cantando e obedecendo aos comandos da música, ao final da canção uma criança entra na roda e deve dizer um verso, depois todos voltam a cantar a música até que todas entrem na roda. “Esta brincadeira, além de trabalhar a imaginação para escolher a frase, estimula as crianças a terem mais noção de espaço, além do equilíbrio.”

2.   Cabra-cega

Para brincar de cabra-cega, basta colocar uma venda nos olhos e encontrar as outras pessoas em uma sala. Segundo Sheila, essa brincadeira estimula os sentidos do olfato e principalmente a audição.

3.   Esconde-esconde

O esconde-esconde ajuda a trabalhar a coordenação motora e a agilidade, além de outros benefícios como pensamento estratégico.

4.   Amarelinha

Segundo a especialista, os benefícios da brincadeira já começam ao desenhar a amarelinha no chão. A brincadeira também ajuda muito a trabalhar o equilíbrio das crianças. “Também auxilia no fortalecimento dos músculos das pernas e ajuda na percepção de espaço.”

5.   Bolinha de gude

A brincadeira mais conhecida consiste em desenhar um círculo no chão onde os jogadores devem, com um impulso do polegar, jogar a bolinha, e os próximos precisam acertar a primeira. Se conseguirem retirá-la do círculo, elas se tornam suas. Vence aquele que ficar com mais bolinhas de gude. “Essa brincadeira ensina a criança a respeitar os amigos e a lidar com derrotas e vitórias” afirma Sheila.

6.   Pula corda

Para brincar, duas crianças devem bater a corda cantando, enquanto a outra pula. “A brincadeira é considerada um exercício físico completo, e também ajuda na coordenação motora, equilíbrio, velocidade e agilidade”, explica, sugerindo que os pais invistam muito nela.

7.   Bambolê

O objetivo da brincadeira é dar o maior número de voltas ao redor do corpo. “Com diversão, as crianças trabalham fatores como agilidade e ritmo, além de ajudar na prática de exercícios físicos e ensinar as crianças a controlarem seu corpo.”

8.   Bolinha de sabão

É uma brincadeira simples e mágica que estimula a criatividade da criança e ajuda também em habilidades motoras. “A reação dos pequenos é correr atrás da bolha para estourá-la, então podemos considerar como uma brincadeira simples, que você pode fazer em casa com água e sabão”.

9.   Siga o mestre

A brincadeira é basicamente escolher uma pessoa que será o mestre e as outras terão que imitar todos os movimentos que ela faz. “Essa brincadeira é importante para estimular a liderança e imaginação nos pequenos” explica Sheila. Ela completa que as crianças ficam mais confiantes, trabalhando a capacidade de criatividade e fazendo movimentos diferentes.

10. Caça ao tesouro

Para brincar, basta esconder um prêmio em algum lugar e dar dicas para as crianças encontrarem o tesouro. Conforme conta a especialista, essa brincadeira ajuda em muitos aspectos. “Estimula a agilidade, atenção, concentração, raciocínio lógico, cooperação e estratégia. São muitos os estímulos trabalhados com essa brincadeira”, completa, lembrando que as crianças costumam gostar muito desta opção.

Por Rose Araujo

Fontes: Marilena Flores Martins, assistente social, consultora na área do brincar e do desenvolvimento social e cofundadora da Associação Brasileira pelo Direito de Brincar e à Cultura (IPA Brasil); Sheila Leal, psicopedagoga e fonoaudióloga, criadora do projeto Filhos Brilhantes.

FONTE: https://escolasdobem.com.br/10-sugestoes-ao-ar-livre-para-estimular-o-brincar/

9 dicas para decorar seu quintal

DICAS PARA ORGANIZAR A SUA CASA

DICAS PARA ORGANIZAR A SUA CASA

1 – Um cômodo por dia

Faça uma listinha dos cômodos da sua casa e separe um dia da semana para cada um deles. Por exemplo*:

Segunda-Feira: Sala

Terça-Feira: Banheiro

Quarta-Feira: Cozinha

Quinta-Feira: Quarto 1

Sexta-Feira: Quarto 2

 

dicas de como organizar a casa

 

* Você pode intercalar essa lista, com a ordem a seu gosto, a cada uma semana ou quinze dias.

 

2 – Separe um dia da semana para fazer uma limpeza geral

Depois que você der uma arrumadinha em um cômodo por dia, você pode separar um dia da semana, ou a cada quinze dias, para fazer uma limpeza geral na sua casa. Aposto que, com a ajuda da dica número um, será muito mais rápido e fácil para deixar o seu lar limpinho e arrumado.

dicas para organizar a casa

 

 

3 – Junte em uma sacola tudo que está fora do lugar

Separe uma sacola bem grande para separar tudo que está fora do lugar em que deveria estar. Assim, você pode devolver cada um dos objetos ao cômodo que pertence sem precisar limpar a casa novamente.

 

 

4 – Coloque uma música animada

Você tem mais disposição para fazer as coisas quando está animado? Então, não deixe para organizar a casa durante os seus dias mais tristes. Quer mudar essa situação ou dar um “up” no seu humor? Invista em músicas (felizes, hein)! Segundo uma publicação feita pelo Journal of Positive Psychology, pesquisadores da Universidade do Missouri, nos Estados Unidos, descobriram que, quando você ouve uma música animada, ela faz com que o seu humor melhore.

dicas da organização da casa

 

Por isso, aposte em uma boa trilha sonora para melhorar o momento de organizar a sua casa.

 

5 – Faça uma lista do que você precisa fazer

Não comece a organizar tudo do nada: se planeje! A melhor forma para saber quais são as prioridades é colocar tudo em uma listinha. Além disso, você pode determinar quanto tempo precisará gastar em cada cômodo e descobrir que horas você terminará de arrumar o seu lar.

 

 

6 – Escolha o que você realmente consegue fazer

Fez a lista de tudo que você precisa fazer em casa? Okay. Então, agora chegou o momento de decidir o que está em suas mãos e você consegue fazer e o que você não tem como controlar e fazer naquela hora.

Um exemplo é se você tem limpar o quintal, mas para isso é preciso que alguém venha podar a árvore antes. Não tem como você podar a árvore, então tire isso da sua prioridade.

 

7 – E faça uma coisa de cada vez

Nada de tentar se multiplicar em dez pessoas. Você é só uma e só consegue fazer as coisas corretamente se dedicar atenção exclusiva para cada uma delas. Não sofra por tentar fazer tudo ao mesmo tempo.

como organizar a casa

 

 

8 – Não procrastine

Nós sabemos que é muito mais agradável esperar mais cinco minutinhos, depois mais uns dez, depois deixa passar a sua série favorita, emendar com outro episódio e quando ver é tarde demais para começar a organizar suas coisas. Pois é, a procrastinação pode atrapalhar os seus planos.

Dica: Quer focar na sua tarefa? Então, siga essas três dicas:

1 – Decidiu que vai colocar a mão na massa? Ótimo!

2 – Conte vagarosamente até 10, 20 ou 30 e comece a se mexer.

3 – Faça pequenas metas e se recompense ao cumprir cada uma delas. Por exemplo: quando eu terminar de arrumar o quarto, posso dar uma olhada nas minhas redes sociais. Só não abuse, okay?

 

9 – Saiba qual é o lugar mais bagunçado da sua casa

Você sabe e a gente também: todo mundo tem um cômodo da casa que é mais difícil de arrumar. E o pior é que, por ser mais complicado, você deixa ele de lado na organização da casa e isso vira uma bola de neve, não é mesmo?

 

10 – Descubra o porquê

Além de descobrir qual é o cômodo mais bagunçado, você precisa descobrir o motivo daquilo. Será que é porque ele tem mais tralhas? É o quarto que você menos fica na casa? É mais fácil se acomodar na bagunça?

Depois que você descobrir esse motivo, tente implementar mudanças em sua rotina para arrumar todo dia um pouquinho dele. Assim, você evita bagunça e retira esse “elefante branco” do meio da sala.

organizar casa

 

11 – Sempre que sair de um cômodo, tente melhorar uma coisa dele

Faça disso uma meta diária: saiu de um cômodo da sua casa? Melhore algo nele! Tire a almofada do chão, lave o copo sujo na pia, retire o cabelo do chão, abra as cortinas, arrume os livros, pegue o controle remoto do chão…

dicas de como organizar a casa

 

12 – Não exagere: foque no que você tem que focar

Você decidiu que dedicará quinze minutos por dia organizando cada quarto da sua casa? Então, foque naquilo e pronto. Não exagere e comece a limpar a casa todos os dias. Isso fará com que você fique cansada da rotina e abandone esses hábitos com o decorrer das semanas.

 

13 – Deixe produtos de limpeza sempre à mão

Sempre deixe algum produto de limpeza em um lugar fácil de encontrar. Dessa forma, caso você suje algo, será mais fácil se de impulsionar a limpar a bagunça, em vez de deixar de lado pela preguiça de achar os produtos.

dicas para organizar a casa

 

 

14 – Livre-se de 10 itens por mês

Outra meta para você: livre-se de, no mínimo, dez itens descartáveis da sua casa por mês. Assim, você poderá simplificar a disposição das coisas em seu lar de forma gradativa.

 

15 – Ou cada vez que comprar algo novo, livre-se de uma coisa

Essa dica é para manter o equilíbrio na sua casa. Decidiu comprar um novo item ou roupa? Separe uma para descartar ou para doar.

 

16 – Deixe itens mais usados a mostra

Se você usa o secador de cabelo todos os dias, não há motivo para guardá-lo escondido dentro do guarda-roupa ou de uma gaveta. Deixe a vista tudo que faz parte da sua rotina, isso evita que você desarrume suas coisas tentando encontrar outras.

dicas da organização da casa

 

 

17 – Separe coisas para a doar

Doe aquilo que você não usa mais. Esses objetos ou roupas podem ser valiosos para outra pessoa!

 

18 – Se você mora com outras pessoas, divida as tarefas

 

 

19 – Separe tudo que você não quer jogar fora

 

FONTE: http://blogcaixasnet.com.br/dicas-para-organizar-a-sua-casa/

Piscina em casa: 3 dicas para aproveitar com a família

Ter uma piscina em casa é o sonho de muitas famílias, mas também causa certa preocupação por motivos relacionados à manutenção e à segurança do local.

Para que você possa aproveitar a piscina com a sua família de modo seguro durante todo o ano, listamos pelo menos 3 dicas importantes sobre como tratar a água e quais equipamentos usar para garantir a sua segurança e conforto. Confira!

1. Mantenha o tratamento da água sempre em dia

Ninguém gosta de uma piscina suja ou com aspecto de abandonada. Portanto, para aproveitar bem a piscina da sua casa, é preciso estar atento à sua limpeza e investir no tratamento da água.

O tratamento correto da água evita a proliferação de bactérias e microrganismos, garantindo não somente o aspecto convidativo da água, mas também a saúde e o bem-estar de quem tem uma piscina em casa.

Para que sua piscina possa ser usada a qualquer momento, o essencial é escolher corretamente os produtos para limpeza. Isso pode parecer complicado, devido às várias opções disponíveis no mercado. Você pode escolher a marca de sua preferência, mas deve apostar no melhor para a sua área de lazer e investir em itens tais como: peneiraskits de limpeza e aspiradores.

Se você acredita que não tem tempo suficiente para limpar corretamente a sua área de lazer, pode contratar um bom limpador de piscinas ou optar por tratamentos automatizados, usando, por exemplo, um gerador de cloro ou um robô de limpeza.

2. Tenha equipamentos de segurança para sua piscina em casa

Uma das maiores preocupações de quem tem uma piscina em casa é em relação à segurança, especialmente naqueles casos em que a família apresenta crianças pequenas, idosos, pessoas com deficiência ou animais de estimação.

Para que sua piscina e a área no entorno dela se mostrem seguras, vale a pena investir em uma cerca de proteçãotampas anti-aprisionamentoboias e torre de segurança com botão de emergência. A escada Confort facilita o acesso de idosos e gestantes à parte interna da piscina.

Outro aspecto importante é a iluminação da piscina, que serve para muito mais do que decorar o ambiente. É fundamental posicionar corretamente os acessórios de iluminação para melhorar a visibilidade local e evitar acidentes.

Por fim, vale destacar que uma das maiores causas de morte por afogamento, principalmente em piscinas antigas, é a sucção dos ralos. Para evitar essa ocorrência, é preciso estar atento à tampa do ralo de fundo: se ela estiver quebrada, mal fixada ou não existir, sua piscina deve ser interditada até que o problema seja resolvido.

3. Invista em equipamentos que proporcionem conforto o ano inteiro

É um equívoco pensar que uma piscina só pode ser utilizada no verão. Com alguns ajustes, ela poderá ser aproveitada em qualquer estação do ano e proporcionar a sensação de férias, mesmo no inverno e em épocas de chuva.

Para isso, invista em equipamentos de aquecimento, como coletores solares e trocador de calor, que aquecem a água e permitem que a família aproveite a piscina em casa ao máximo e quando quiser. Você também pode instalar uma bomba para ter uma hidromassagem na sua piscina ou fazer um spa em casa.

Agora que você já sabe como ter uma piscina em casa com alta segurança e conforto, é hora de escolher o modelo, começar a planejar a instalação e a reforma da área externa da sua casa e desfrutar muito mais dos momentos em família.

FONTE: http://sodramarblog.com.br/piscina-em-casa-3-dicas-para-aproveitar-com-familia/

Saiba como conviver bem com seus vizinhos

Sim, é possível conviver bem com seus vizinhos.
Veja algumas dicas de como manter a harmonia no condomínio.

Nem sempre é fácil viver próximo a pessoas diferentes. Mas, muitas vezes, é necessário. Confira como conviver de forma amigável com seus vizinhos e hastear a bandeira branca da convivência.

Os motivos pelos quais vizinhos não mantém um bom relacionamento são muitos. Mas os problemas são tão corriqueiros quanto simples de serem resolvidos. Há normas que precisam ser respeitadas para que essa convivência seja a mais agradável possível.

Não fazer barulho após a hora de silêncio, por exemplo, é primordial para que a pessoa da casa ao lado não se irrite com você. Ela pode nem a conhecer, mas uma má impressão é gerada caso não se respeite essa norma. E vamos combinar: não há nada mais inconveniente que barulho demais em horas de descanso!

Outra coisa que precisamos ter cautela é em relação aos bichinhos de estimação. Eles são fofos, queridos e muito companheiros, mas para algumas pessoas, eles podem trazer muita dor de cabeça. Em espaços comuns, entre sempre com seu pet pela área de serviço e quanto a ‘sujeira’, limpe-a na hora.

O elevador é um espaço comum e não se engane: você vai precisar utilizá-lo com frequência. Então, seja educado e cumprimente as pessoas que ali estiverem ao entrar e ao sair dele. Se for possível, segure a porta para os que estão chegando. Isso demonstra gentileza e, convenhamos, ela nunca é demais!

Na garagem, busque andar sempre dentro dos limites de velocidade e, ao dirigir, cuidado com o carro ao lado. Se por acidente vier a arranhá-lo, o ideal é deixar um bilhete relatando o ocorrido e se responsabilizando pelo dano. Educação é primordial para a boa convivência.

Por fim, seja simpático e trate bem os funcionários do seu prédio. As regras existem para serem cumpridas e, por mais que você não concorde com todas elas, guarde suas observações para as reuniões de condomínio. Esse é o local adequado para expor seus pensamentos e tornar o seu cotidiano e o de quem vive próximo a você, mais leve.

FONTE: http://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/especial-publicitario/cyrela-plano-plano/viva-o-seu-melhor-momento/noticia/2015/07/saiba-como-conviver-bem-com-seus-vizinhos.html

Como Ensinar seu Cachorro a Passear com Coleira

Escrito por 

A cena é bastante comum nas ruas: um cão passeando na coleira com seu cuidador. Mas como acostumá-lo a isso? Aí vão algumas dicas simples para ensinar o cachorro a caminhar tranquilo na guia junto ao dono.

Primeiro Passo: Acostumando o Filhote com a Coleira

Se o seu cachorro ainda for um filhote, o primeiro passo antes de levá-lo pela primeira vez à rua é acostumá-lo a usar a coleira.

Coloque-a no cãozinho e deixe que ele se habitue, brinque, se alimente, faça atividades agradáveis enquanto ele estiver usando.

De preferência habitue o cachorro a usar sempre uma coleira leve e confortável que contenha um número de telefone ou endereço dos proprietários.

Não se esqueça de certificar-se sempre que a coleira não está apertada, pois os filhotes crescem muito rápido!

Nos Filhotes, Utilize Sempre as Coleiras do Tipo Peitoral

Devemos sempre utilizar um peitoral (harnês) para conduzir os filhotes, ao invés das coleiras de pescoço.

cãoIsto porque os filhotes são imprevisíveis, podem se assustar ou tentar brincar com todo tipo de coisas, e é importante ter um peitoral seguro e confortável que consiga conter o cão sem machucá-lo.

O pescoço do filhote ainda é frágil, de forma que um puxão mais brusco, mesmo que por acidente, pode causar ferimentos ou enforcamento do cãozinho.

Além disso, há ainda a parte comportamental.

Por ser uma região bastante sensível, os filhotes, ao sentirem pressão no pescoço, muitas vezes sentem medo e simplesmente se abaixam e permanecem imóveis.

Segundo Passo: Entendendo a Guia

O segundo passo será fazer o cão entender como funciona a guia.

Opte por uma guia resistente, porém leve, com um mosquetão seguro e adequado ao tamanho do cachorro.

Ainda dentro de casa, coloque a guia no peitoral que o cão já se habituou a usar e incentive-o com comida (por exemplo, a própria ração ou biscoito para cães) para que ele ande próximo de si.

Faça uma ligeira pressão na guia e chame o cão com a comida, para que ele associe a pressão na guia com se movimentar em direção a você.

Lembre-se que o instinto natural de qualquer animal é, quando sentir uma pressão, fazer força na direção contrária! Por isso o andar na direção da guia deve ser um comportamento ensinado com bastante tranquilidade e paciência.

Quando o cachorro já souber andar na guia dentro de casa, aí sim devemos começar a levá-lo para passear na rua.

Terceiro Passo: Saindo para a Rua

Idealmente o filhote deve conhecer a rua desde que seja separado da mãe, a partir das 8 semanas de vida.

cãoAté que termine o protocolo de vacinas, o filhote deve ser levado para passear ao colo para que se habitue aos barulhos, carros, multidões e demais situações que encontrará mais tarde no seu dia-a-dia.

Portanto, se o cãozinho já estiver habituado a sair de casa no colo, a transição para o passeio à guia não deve ser complicado.

Caso o filhote demonstre medo, utilize a mesma técnica usada em casa, incentivando-o com comida e carinho, para que ele se sinta mais confiante.

Resolvendo Problemas Durante o Passeio com o Cachorro

Cães que se enroscam nas nossas pernas: e agora?

Para cães que se enroscam nas nossas pernas quando andam à guia, devemos ensiná-los a andar somente de um lado em relação às pessoas.

Por praxe, ensina-se os cães a andarem do lado esquerdo, para que a pessoa tenha a mão direita livre – herança dos treinamentos de cães militares.

Porém, não há nenhuma regra, pode-se escolher o lado que for mais conveniente, isto não fará nenhuma diferença no aprendizado do cachorro.

Cães adultos que puxam à guia: o que fazer?

Caso o seu cão não tenha sido adequadamente ensinado a andar à guia e tenha adquirido o hábito de “arrastar” o dono para todo lado, há algumas técnicas para corrigir este comportamento:

  • cãesUtilize comida para manter o foco do cachorro e chamá-lo. Ensine-o, primeiro dentro de casa, a andar ao seu lado e recompense-o sempre que estiver calmo e sem puxar. Depois que estiver bem em casa, leve-o para passear em lugares calmos e só depois passe para as ruas mais movimentadas.
  • Não ceda aos puxões. Os cães puxam a guia porque aprenderam que é desta forma que conseguem ir aonde querem. Portanto quando o cão puxar, pare de andar e só recomece quando ele estiver calmo.
  • Se necessário, caso o cão não se acalme, mude a direção. Sempre que o cachorro começar a puxar numa direção, vire de costas e começe a andar para outro lado. Em algum tempo ele começará a perceber que deve se manter calmo se quiser continuar a andar na direção de seu interesse!

Estas técnicas requerem um certo tempo e insistência até que o cão entenda como deve se comportar para atingir seus objetivos nas “novas regras”.

Lembre-se que puxar a guia sempre funcionou (para ele!) e ele vai demorar algum tempo para perceber a mudança. Mantenha-se calmo e tranquilo!

FONTE: https://www.fazfacil.com.br/pet/cachorro-passear-coleira/

6 Dicas de jardinagem para cuidar do seu jardim

Desde como evitar sujeira de ficar debaixo das unhas, a remover manchas, o mestre jardineiro James Paul compartilha 6 dicas e truques simples para cuidar do seu jardim.

1. Para remover as machas brancas se formam em vasos de barro, misture partes iguais de vinagre branco, álcool e água em um borrifador. Aplique a mistura no vaso  e esfregue com uma escova de plástico. Deixe o pote secar antes de plantar qualquer coisa nele.

2. Para evitar acúmulo de sujeira sob suas unhas enquanto você trabalha no jardim, empurre (afunde) suas unhas em uma barra de sabão e você vai efetivamente selar a parte inferior de suas unhas para que a sujeira não se acumule abaixo deles. Então, depois que você terminou no jardim, use uma escova de unhas para remover o sabão das unhas.

3. Pulgões? Pode controla-los com uma forte explosão de água a partir da mangueira ou com sabão inseticida. Mas aqui vai outra sugestão, que é muito mais divertido, obter um pouco de fita! Enrole uma larga faixa de fita em torno de sua mão, lado adesivo para fora, e de tapinha nas folhas das plantas infestadas com pulgões. Concentre-se na parte inferior das folhas, porque é onde os pequenos insetos gostam de se esconder.

4. Da próxima vez que você ferver ou legumes a vapor, não despeje a água pelo ralo, use  para aguar vasos de plantas , e você vai se surpreender com a forma como as plantas respondem à “sopa de legumes”.

5. Use chá de camomila para controlar o aparecimento de fungo, que muitas vezes ataca mudas jovens subitamente. Basta acrescentar um ponto de chá para o solo em torno da base de mudas, uma vez por semana ou usá-la como uma pulverização foliar.

6. A maneira mais rápida do mundo de secar folhas. Basta colocar uma folha de jornal sobre o assento do seu carro, organizar as ervas em uma única camada, então abra as janelas e feche as portas. As folhas serão rapidamente secos. Além do mais, o seu carro vai cheirar bem.

FONTE: http://www.conservnatal.com.br/blog/post/dicas-de-jardinagem-para-cuidar-do-seu-jardim